Como é a vida das mulheres na Índia

Como é a vida das mulheres na Índia

Perguntei a uma colega de trabalho, grávida de nove meses, se ela já sabia o sexo do bebê. Uma pergunta, pensei eu, inocente, para saber mais sobre a gravidez.

A resposta veio com um olhar assustado:

– Não posso saber o sexo do bebê. É contra a lei.

Demorou uns dez segundos para cair a ficha: é contra a lei. Uma lei que existe para evitar uma taxa assustadora de infanticídio feminino, conforme pesquisei para escrever este post. A Índia matou mais de 10 milhões de bebês mulheres nos últimos 20 anos. O Punjab, o estado onde vivemos, localizado no nordeste do país, tem a maior taxa de nascimento de homens versus mulheres da Índia e supera até mesmo as conhecidas taxas chinesas.

A falta de mulheres na Índia

Segundo o Censo Indiano de 2011, a taxa de nascimento de meninas em relação a de meninos é de 914 para 1000. Segundo o jornal The Times of India, isso significa que para cada 1000 meninos, cerca de 70 meninas menores de seis anos são mortas. Ainda segundo o jornal, a diferença de nascimentos entre homens e mulheres é mais discrepante nas áreas mais ricas e com maior índice de educação.

Mulheres na Índia

Eu sei que este é um blog de viagem, mas para falar das diferenças entre homens e mulheres na Índia, tema que penso em escrever desde que pisei neste país, é preciso conhecer esses dados tristes.

Ao sair do aeroporto de Délhi você tem a impressão de que existem muito mais homens do que mulheres nas ruas. Mas não necessariamente isso está refletido na população: são 623.7 milhões de homens e 586.5 milhões de mulheres. Matemática simples (a única que sou capaz): são 6,3% de homens a mais.

Mas a verdade é que não há tantas mulheres nas ruas. Durante o dia, elas andam em grupinhos, criando verdadeiros Clubes do Bolinha e da Luluzinha da vida real. Na estação de trem ou na rodoviária, a impressão que temos é que são cinco mulheres e 9832 homens. Se for à noite, então, as únicas mulheres que a gente costuma ver somos nós mesmas, eu e a Naty, sempre acompanhadas pelo Rafa.

Mulher indiana

O conselho que ouvi antes de viajar e agora reforço para qualquer mulher que deseja se aventurar pela Índia é NÃO VENHA SOZINHA. Se você prestou um pouco de atenção nos dados que eu falei no começo do texto, deve ter entendido que essa é uma sociedade bastante machista. E isso vai das pequenas coisas que vemos no dia a dia até as grandes coisas que de certa forma são institucionalizadas.

Existe um provérbio por aqui que diz “Raising a girl is like watering the neighbour’s garden”. Ou em bom português: “criar uma menina é como regar o jardim do vizinho”. As mulheres são criadas para se casarem. E se casar significa ter um casamento arranjado. E que a família vai ter que bancar uma incrível festa que dura uns três dias e, apesar de ser uma prática criminosa desde 1961, pagar pelo famoso dote.

Veja também: Guia prático para mulheres que vão viajar pela Índia

Família na Índia

O dote gera outro tipo de crime muito comum: o assassinato de noivas. Uma estatística de 2008, feita por um escritório nacional de dados sobre crime (NCBR) diz que 8.172 mulheres foram assassinadas naquele ano vítimas do crime do dote. A maioria dos casos, entretanto, não é sequer reportada à polícia, é tomada como acidente – como jogar uma panela de óleo na noiva e colocar fogo enquanto a sogra “ensina” a nova nora a cozinhar.

Tão triste e comum que existe até um jogo no Facebook para conscientizar a população, mostrar que as noivas são boas pessoas e podem te fazer bem. Ou seja, por isso você não deveria cobrar uma fortuna para se casar, ou muito pior, matá-las. ¬¬

A mulher é tão desvalorizada que, na estação de esqui que visitamos no final de semana, o seguro para o caso de acidentes é assim: 1 milhão de rúpias para mulheres, 5 milhões de rúpias para homens. Apesar de atualmente as mulheres trabalharem tanto quanto os homens e estarem nas empresas ocupando cargos equivalentes, elas ainda são vistas inferiormente.

Mulheres na Índia

Na rua, homens fazem xixi onde querem, se vestem como querem, falam e riem quando querem. As mulheres são contidas e tímidas. Não podem deixar nada do corpo de fora, nem andar por aí com o cabelo solto. Mais uma dica para mulheres viajando por aqui: ombros de fora e saias, nem pensar!

As mulheres são criadas recatadamente para se casarem e ficam trancadas em casa na maior parte do tempo para se preservarem. A maioria das minhas colegas de trabalho fica em casa aos finais de semana. Segundo relato de uma moça, o pai não deixa ela sair em eventos como por exemplo, o réveillon ou o Holi. O motivo? É muito perigoso.

A vida das mulheres na Índia

Já ouvi casos de meninas que passaram pela desagradável situação de ver homens se masturbando na frente delas. E o pior deles, de mulheres que são tocadas em grandes aglomerações, seja em ônibus, trens lotados ou numa festa. Daí o motivo dos pais não deixarem as filhas sair.

Isso não resume o país e nem é geral para todos os homens ou mulheres. Afinal, são 1.2 bilhão de habitantes, uma cultura muito rica e cidades lindas e interessantes. Isso, aliás, não é exclusividade da Índia, uma vez que uma micareta no Brasil ou um beco escuro podem gerar o mesmo tipo de relatos. O meu ponto por aqui é que o volume de casos é maior, e muitas vezes a sensação é de que não há nenhuma saída clara para o machismo que impera.

As soluções encontradas são separar as filas de homens e mulheres, ter vagões especiais e cadeiras exclusivas nos ônibus e trens ou proibir que o ultrassom revele o sexo do bebê. São todas medidas necessárias, mas que não mudam uma cultura geral na qual a mulher vale menos, que só gera custos, vai abandonar a família para se casar e, se tiver um bebê mulher, é uma vergonha para a família do marido. E que as estrangeiras são putas.

Os indianos com que convivo, no meu trabalho e em minha casa, se mostram tristes e impotentes com esses relatos. Ficam envergonhados com essas situações. Infelizmente, uma parte da rica cultura milenar deste país não é motivo de orgulho para ninguém.

Mulheres na Índia

Quanto a quem vem visitar a Índia, valem os cuidados que eu aprendi a ter por aqui. Não sair sozinha, não usar roupas curtas, nem decotadas, nem com os ombros de fora. Evitar grandes aglomerações de gente, principalmente quando elas incluem muitos homens. Não ficar na rua à noite. Não pegar taxi ou tuk-tuk desacompanhada de um homem.

A perda de liberdade, a sensação de estar sendo encarada o tempo inteiro e de ter que conviver com os fotógrafos de plantão são bem ruins. Mas, por outro lado, (realmente não estou tentado amenizar, é verdade) superando esse fato é possível ter uma experiência enriquecedora, aprender a cultura e conhecer pessoas fantásticas nessa incrível Índia.

Outras dicas de viagem para a Índia

Quer saber mais? A gente pode te ajudar, afinal nós moramos na Índia e tivemos a oportunidade de conhecer o país de norte a sul. Todas as nossas dicas estão no “Roteiros da Índia”, um livro digital com 260 páginas que fala de 40 cidades, além de trazer informações gerais sobre o país, fotos e mapas. Ficou interessado? Clique aqui e saiba mais.

Roteiros da Índia

Quer receber mais dicas de viagem?

Então curta nossa página no Facebook.

Siga o @360meridianos no Twitter.

Veja nossas fotos no Instagram.

Receba novos posts por email

Sou jornalista, tenho 27 anos e atualmente moro em Coimbra, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite “morar no aeroporto”. Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e estou cumprindo minha meta de conhecer 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo.

61 comentários em Como é a vida das mulheres na Índia

  1. Oi gente, tudo bom?Estou pretendendo ir para india com meu namorado em outubro, porem eu AMO muito usar vestidos e shorts (nada muito absurdo de curto, mostrando a polpa da bunda e etc), mas curto nos padrões conservadores. O que devo fazer?Eu vou evitar usar nos lugares mais conservadores, mas infelizmente não consigo abrir mão do que gosto de vestir, pois sou muito preguiçosa, então sempre opto por um vestido HAHAHA Me ajudem, porque os olhares dos homens eu posso até aguentar, afinal, andar de saia no Brasil ultimamente é quase sair pra guerra, mas tenho medo de abuso, mesmo estando com meu namorado. Mais uma vez, o que devo fazerrrr?

    • Olha Carol, é como eu disse no post.

      Eu não usaria, porque infelizmente, aumenta muito o assédio. Não dá para prever se o tipo de assédio será só gente tirando foto e te encarando, ou alguém te seguir ou te tocar inapropriadamente.

      Mas você vai ver que tem muita turista que acaba usando short e vestido. Enfim, como disse, eu não usaria, mas fica a seu critério.

      abraço

  2. Luiza, conheci o blog hoje e estou adorando ler os posts de vocês.
    Estou querendo fazer um intercâmbio voluntário de 4 semanas para a Índia no início de 2016 (quero trabalhar com crianças e também conhecer alguns pontos turísticos), mas agora fiquei com medo :(
    Irei sozinha (mas por agência), só que fico meio assim pq fico pensando “Será que terá alguém que vai na mesma época que eu? ou ficarei sozinha por 4 semanas na índia?” Realmente não sei pq nunca fiz intercâmbio e até o presente momento nunca viajei para o exterior.

    obs: A princípio ficarei 4 semanas pq irei aproveitar as férias do meu trabalho, inclusive fiquei sabendo da AIESEC pq uma menina que “conheço” fez um trabalho voluntário na Índia agora em fevereiro e foi o que me animou mais ainda e me deixou com muita vontade de fazer também, mas o mínimo são 6 semanas pela AIESEC :( então provavelmente irei fechar com uma agência (um pacote de trabalho voluntário + turismo), mas antes quero pesquisar muito bem e até quero ver se descubro alguém que já fez esse tipo de intercâmbio (de preferência por essa agência que estou pesquisando).

    Aguardo suas dicas :)

  3. estou apaixonada por um indiano ele quer casar em Bangladesh estou com medo porque não falo Inglês ,nem ele sim quero que me ajudem o que fazer ?

    alguém sabe me falar o que e give me bissau ?

    • Cícera, tome muito cuidado! Não fique encantada apenas pelo fato do cara ser estrangeiro e estar propondo casamento. Pode ser muito perigoso. A pessoa que está do outro lado da tela pode ser qualquer um…inclusive um agente de tráfico de mulheres para prostituição, um dos negócios que mais dá dinheiro no mundo, infelizmente. Ou não, claro… Pode ser que seja um cara apenas que quer uma namorada. Mas tome cuidado, menina! Não é fácil sair do seu país e encarar uma vida numa cultura diferente, sem família e outras pessoas que você conheça. Na Índia existe muito machismo e a vida das mulheres por lá não é de todo um mar de rosas…. “Give me” significa “Me dê”…”bissau” eu não sei.

    • Oi Cícera,

      Concordo com o que a Paula disse. Histórias de amor a distância existem, até postamos uma delas aqui no blog, mas é necessário ter muito cuidado, principalmente se você nem mesmo fala a língua do seu namorado e não conhece a realidade do lugar que ele viver.

      Bangladesh não só é um país extremamente pobre, como também muito conservador. Não é comum, como aqui no Brasil, um homem pedir um beijo para uma mulher. Lá, homens e mulheres mal se falam ou encostam uns nos outros. Por isso, tantos deles buscam estrangeiras, que eles consideram mulheres “fáceis” ou usam para dar golpes e conseguir vistos.

      Enfim, pesquise muito, certifíque-se de que o homem por trás do computador é quem você realmente imagina e de preferência peça que ele venha aqui antes de você tentar ir para lá se casar.

      Lembre-se: contos de fada não existem!

      bjs

  4. Oi Luiza, adorei o blog e encontrei muitas dicas sobre a Ìndia. Estou indo para Shennai/ Madras com meu namorado que vai a trabalho. Você teria algumas dicas da região como costumes, modos de vestir e alguns pontos turísticos?
    Obrigada pela atenção, Bianka

    • Oi Karen,

      Não desista de ir para Índia.

      Acho que a questão desse post, e de vários outros aqui no blog, é desmistificar essa ideia de que a Índia é um país onde todo mundo faz ioga e medita e não tem problemas.

      O interessante é ir para lá bem informada sobre o que vai encontrar e como lidar com isso. A Índia tem algumas das cidades mais interessantes que já visitei na vida.

  5. oi gostaria de saber e que estou namorado o indiano e ele mim convidou para mi ir ate la mais estou com muito medo porquer nao a conhenço pessolmente que resposta voce mim daria

    • Oi Simonni,

      A gente fez um post recentemente sobre o assunto. Existem vários golpes em relacionamentos de indianos e brasileiras na internet.
      Em muitos casos, o indianos é um amor de pessoa online, um verdadeiro príncipe. Mas quer te usar só por motivos infinitos, seja só para sexo, dinheiro, cidadania brasileira, etc.

      A Índia é um país extremamente conservador e não é comum que homens indianos se relacionem com mulheres antes do casamento. Muitas brasileiras vão para lá sem pesquisar antes sobre essa cultura e são tratadas como prostitutas.

      Meu conselho é: fale para ele vir para cá primeiro. Assim, você conhece ele pessoalmente num lugar onde você estará segura e descobre se vale a pena ou não.

      Espero que tenha ajudado.

      Abraço

  6. […] E, para as mulheres, o desafio é maior ainda. 2 milhões de mulheres desaparecem todos os anos na Índia, de bebês recém-nascidas que são mortas após o parto até mulheres adultas. O machismo é constante, olhares na rua também, principalmente por eu ser estrangeira. Nunca tive tanta consciência de como é importante ser mulher e de como é importante nós, mulheres, lutarmos pelos nossos direitos. Parece cafona, eu sei…no Brasil a gente não dá muita bola para isso. Mas depois que vim para cá tive a real consciência de como tantas mulheres sofrem no mundo simplesmente por terem nascido…mulheres. […]

  7. Ola. Estou buscando o máximo de informações sobre viajar para a Índia. Queria saber como faço para encontrar ou conhecer brasileiros que moram atualmente em Calcutá, pois pretendo viajar para lá daqui um ano e vou ficar sozinha em Calcutá por uns 3 dias e seria bom ter algum brasileiro para o caso de alguma necessidade. Muito obrigada.

  8. Olá, Luiza!
    Vou sozinha a trabalho para Nova Delhi e pretendia usar o fim de semana para ir a Agra, visitar o Taj Mahal. Você acha muito perigoso?

    Qual seria o meio de transporte menos perigoso (trem ou avião)?

    Um abraço,
    Luana

    • Ei Luana,

      Não acho muito perigoso não, é só você ficar mais alerta. Se você for de trem, escolha as classes mais “altas”, tipo 3AC, 2Ac ou 1AC. E evite viagens noturnas, onde você acaba ficando mais exposta.

      Fora isso, acho que não terá muitos problemas.
      Qualquer dúvida, pode perguntar, ok?
      bjs

  9. Querida, muito obrigada pelo seu retorno!

    Estou muito interessada em fazer a viagem em janeiro ou fevereiro, e faço questão de voltar aqui para postar as minhas impressões sobre os lugares que visitarei. 😉

    Um beijo!

  10. Olá,Luiza.Parabéns pelo blog.Bem escrito,informativo,bem legal.Queria uma ajuda.Estou indo com meu marido.Somos jornalistas e meio metidos a querer conhecer o lado B,conversar com as pessoas.Você acha que corro perigo? Andar na rua à noite com ele,entrar em restaurantes e bares,pegar taxi(porque ônibus,eu definitivamente desisti!).Não gosto daquele turismo tipo excursão.Mas,ao mesmo tempo,depois desses estupros coletivos,fiquei com medo.Há motivo para pânico?rs
    Super obrigada.Um beijo
    Renata

    • Oi Renata,

      Não há motivo para pânico, acho que vocês só devem tomar algumas precauções de quem visita um país desconhecido: evitem multidões e tb evitem lugares desertos, principalmente a noite – ou seja, dá para sair, mas fique próximo aos locais turísticos e não saiam se aventurando por ruas desconhecidas e escuras, né?

      Mas dá para entrar em restaurantes e bares a qualquer hora, pegar táxi e tuktuk, viajar de trem e de ônibus, enfim, curtir a sua viagem numa boa. Evite, claro, usar roupas curtas ou decotadas. E se qualquer pessoa te incomodar, não hesite em chamar a polícia, gritar, xingar, etc.

      Espero que tenha ajudado! se tiver qualquer outra dúvida ou quiser conversar mais sobre isso, fique a vontade!
      bjs

      • Boa Noite, Luiza.

        Parabéns pelo post, muito bem escrito e esclarecedor.
        Fiquei encucada e tomei a liberdade de escrever aqui para perguntar se essas “restrições” contra as mulheres ocorrem em todo o país. Pois estou planejando viajar sozinha para a India no ano que vem, para a cidade e Bangalore. Parece ser uma cidade bastante avançada e não consigo acreditar que essas coisas possam acontecer por alí. Você saberia algo a esse respeito?

        Obrigada e bjs.

        • Ei Viviane,

          Infelizmente, essas coisas acontecem em todo país. Claro, quanto maior a cidade, menor será a frequência, mas continua acontecendo. Um exemplo disso é que os piores casos noticiados recentemente ocorreram em Delhi, que é a capital né?

          Mas eu estive em Bangalore e não me lembro de ter tido problemas – o sul é um pouco melhor do que o norte, nesses casos. Só te recomendo as precauções básicas: evite usar roupas curtas ou decotadas, não saia a noite sozinha e se qualquer pessoa te incomodar, grite, xingue, chame a polícia.

          Se tiver mais dúvidas sobre a viagem, só falar =)
          bjs

  11. Oi minha chara ,bom fiquei um pouco assustada c todo oq vc citou sobre a india ou panjab no caso , ate pq eu estou indo daqui a um tempo para panjab motivo meu namorado ,no caso vou acompanhada mas nao e homen entao fiquei meio preocupada 😮 !..mas eu quero agradecer pelos alertas q pelo visto são fundamentais …thanks so much..

  12. Puxa… apesar de estar adorando os relatos de vocês, esse foi um balde de água fria, pois super pretendiair pra lá em julho, sozinha. E agora? Preciso encontrar alguém que vá comigo! hehehe

    • Oi Paula,

      Tem muitas mulheres que vão sozinhas, mas é importante você saber do risco que está correndo, né? (eu não iria sozinha, particularmente, e não recomendo, mas tem gente que vai e não passa por problema nenhum)
      Se não conseguir ninguém para ir com você, você pode tentar um grupo de turismo. Ou quem sabe comprar um spray de pimenta..hehehe

      • Oi Siany,

        Há muitos golpes e problemas envolvendo brasileiras que conhecem indianos pela internet. Eu sugiro que você pesquise mais sobre a cultura da Índia antes de ir. Porque não sugere que seu amigo venha ao Brasil te visitar primeiro?

        abraço

  13. Luíza,

    Parabéns pelo blog! Tô adorando tudo. Vou à Índia no período de 23 de março a 12 de abril de 2013, eu e um amigo (homem). Minha dúvida é em relação à bebida alcóolica. Toma-se cerveja nos lugares públicos, por exemplo? Mulheres podem beber? No serviço de hotel, vamos ficar em quartos separados, vou chamar atenção se pedir um vinho no quarto, por exemplo? Existem supermercados onde se pode comprar bebida alcóolica?

    Agradeço sua atenção.

    Um abraço, Carla

    • Oi Carla,

      Em relação á bebida alcoólica, isso vai variar nos lugares que você for. Tem algumas cidades em que é terminantemente proibido e não pode nem vender (são as mais religiosas e zen). Em outras, as maiores e turísticas, principalmente, você sempre vai achar as “liquor stores” que vendem todo o tipo de bebida – exceto, talvez, vinho, que é muito raro de achar na Índia, e se vc achar vai ser: a)ruim b) caro c) as duas alternativas anteriores. E é muito comum ter bares, boates e restaurantes que vendem bebida: se não for proibido na cidade, não vai ser difícil encontrar.

      Mulher pode sim, beber, sem problemas – nos meus 7 meses por lá nunca passei por nenhuma situação constrangedora nesse sentido. Porém, não é comum que as mulheres comprem a bebida na liquor store. Mas se seu amigo estiver do seu lado, não vai ter esse problema. Quanto ao hotel, eu sou do princípio que você está pagando pelo serviço e eles tem a obrigação de te atender bem – mas eu só fiquei em hotel ruinzinho que não tinha nem serviço de quarto, então não sei como fica essa coisa de servirem bebida no quarto.

      Espero que tenha ajudado!
      Um abraço

  14. Olá amei seu blog e, vou com uma amiga em março .. somente nós duas! Mas já fiu ao Egito e vesti todas as galabeyas e jihab e passei desapercebida… será que é seguro ir de muçulmana na india? ou posso ir simplesmente com roupas que cubram o ombro e as pernas ( a lá brasileira comportada.. claro) bjk

    • Oi Deborah, tem muitos turistas na Índia e provavelmente você vai visitar essas áreas, então, cobrindo ombros e pernas vai ser bem tranquilo, acredito. Obviamente, qualquer pessoa estrangeira chama atenção por lá e você não vai conseguir escapar dos fotógrafos de plantão, mas eles são só irritantes e são inofensivos. E lá é tão calor que não te aconselho a ir com roupas de muçulmana. Mas o mais importante é que você encontre um balanço entre o que acha confortável para vestir e o que não é tão estranho á cultura deles. E se qualquer pessoa te incomodar, não deixe de gritar, reclamar, chamar alguma autoridade. Até tirar fotos de mulheres com o celular lá é crime.

  15. O q vc descreveu é um verdadeiro pesadelo, é incrivel como a vida real pode ser muito pior do que o mais horrendo filme de terror.
    Acho q esse tipo de cultura que provoca tanta mosntruosidade no trato das mulheres tem q desaparecer da face da terra.

  16. Excelente texto, e muito “informativo” (queria uma palavra melhor, mas não consigo achar…), como todos do blog, aliás.

    Só focou uma dúvida, aliás, duas: como é essa história de assassinato de noiva? Qual é o motivo? Quem ganha com isso, a família do noivo ou da noiva? De qualquer modo, é triste.

    A outra dúvida é: qual é o código de vestimenta para os homens? Quero dizer, se eu sair de bermuda, eles vão achar estranho? Será que rola um post sobre as convenções sociais mais aceitas na India, e que os brasileiros não conhecem?

    Obrigado,

    Abçs.

    • Olá Bergantini! Mil desculpas pela demora para responder!

      E que legal que você está gostando do blog

      A questão dos assassinatos das noivas é muito triste mesmo. Isso acontece por causa do dote. A família do noivo após receber o dote, mata a noiva. Seja porque ficaram insatisfeitos com o valor, seja porque querem que o noivo se case novamente e faça mais dinheiro. É terrível. Além do que, dote é crime, mas a prática continua.

      Quanto ao código de vestimenta, não precisa se preocupar muito. Sair de bermuda em situações de lazer é normal. Você vai ver sim, muitos indianos usando roupas sociais em qualquer situação – incluindo a praia. Alguns deles acham que bermuda não é coisa de gente séria. Mas os mais jovens e mais cabeça aberta já superaram isso. Até porque, calça social ou jeans naquele calor, é difícil.

      Quanto às convenções sociais, não conseguimos pensar em nada realmente relevante e que, nós brasileiros, fazemos diferentes. A maioria das peculiaridades acho que já contamos no blog. Mas vamos pensar melhor a respeito, =)
      Abraços

    • Oi Luiza,

      Obrigado por responder as minhas perguntas, agora entendi o porque deles assassinarem as noivas… Que triste.

      Com relação as convenções sociais… Bem, não precisa se preocupar, pois todo indiano que me ver sai notar logo que eu sou turista, então nada do que eu fizer vai parecer muito estranho pra eles.

      Abraços, e continuem com os relatos! Faltam dez dias pra minham viagem!

  17. Muito embora o número de seguidores muçulmanos seja enormemente superior aos cristãos de todas as religiões, denominações e linhas, Jesus Cristo nunca pregou o terrorismo contra àqueles que não coadunassem com suas pregações e respectivas idéias muito bem expressas nos 12 mandamentos. É fácil entender, porém difícil aceitar que ricas e milenares culturas orientais ainda se valem de arcaicos e medievais postulados preservando tradições que em nada contribuem para a felicidade e a fraternidade dos seres humanos no planeta.

  18. Gente, que coisa horrenda! Eu estive na Jordânia no final de 2011 e vi como as mulheres la são mal tratadas, me lembrou muito o relato do seu post.
    Eu pensei que isso foi uma coisa mais relacionada a religião – ate falei disso no meu blog – mas pelo jeito não eh apenas isso…

    Inacreditável que isso ainda aconteça…

  19. Luíza, já tinha assistido pela TV alguns desses relatos, mas vc vivendo isto tudo ao vivo e a cores deve ter sido um choque! Mas pelo que vc relata está valendo conhecer esta cultura milenar…Apesar dos contratempos.
    Bjuss e aproveite bem sua jornada!

    • Luíza, estou indo para a Índia no fim do mês, e confesso que ler seu relato me deixou um pouco medrosa, pois vou sozinha, trabalhar 3 meses..aiaiai

    • Oi Laila,
      Durante o intercambio você vai conhecer muita gente e dificilmente vai ficar sozinha, entao acho que não tem tanto problema… para onde você vai?
      A questão é ficar atenta e tomar cuidado para não sair sozinha a noite, usar roupa curta etc, etc.

      Boa Sorte e divirta-se na índia!

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem