Três mirantes no centro de Buenos Aires

Três mirantes no centro de Buenos Aires

Um dos melhores pontos de vista sobre qualquer cidade é do alto. Pode ser da janelinha do avião, da varanda do hotel ou de um mirante num arranha-céu.  Observar o mar de prédios de uma metrópole costuma ser uma experiência única. Em Buenos Aires não é diferente. A capital da Argentina é linda de qualquer ponto de vista, é verdade, mas se você sobe alguns metros e observa tudo do alto… aí é covardia.

Durante as seis semanas que passamos em Buenos Aires, visitamos dois mirantes que ficam no centro da cidade: o do Palácio Barolo e o da Galeria Guemes. Perdemos a chance de ver os portenhos do alto de outro mirante, no Hotel Panamericano. Fica pra próxima.

Está com viagem marcada para Buenos Aires? Vai por mim: tente visitar pelo menos um desses três mirantes.

Veja também: 15 coisas que você não pode perder em Buenos Aires

Onde ficar em Buenos Aires: os melhores bairros 

O Palácio Barolo

Um prédio inspirado num livro. Esse é o Palácio Barolo, que foi baseado na Divina Comédia, de Dante Alighieri. Para começo de conversa, o prédio foi dividido em três níveis: Inferno, Purgatório e Céu. O número de andares – 22 – equivale ao número de estrofes da obra, enquanto a altura do prédio, que tem 100 metros, lembra o número de cantos da Divina Comédia.

Palácio Barolo, Buenos Aires

Além disso tudo, o prédio é lindo e tem muita história para contar. Foi inaugurado em 1923, sendo na época o maior prédio da América do Sul. Anos mais tarde, o mesmo arquiteto, Mario Palanti, planejou um irmãozinho para o Palácio Barolo: o Palácio Salvo, em Montevidéu.

Durante o período em que ficamos em Buenos Aires, fomos vizinhos do Barolo – o prédio era nossa rota diária. Portanto, fazer a visita guiada foi algo natural. Não me arrependi, apesar de achar o preço um pouco salgado: 135 pesos.

Vista do Palácio Barolo

Congresso da Argentina 

A visita começa no inferno, digo, na sala de entrada. O guia explica que o empresário que encomendou o prédio era fã do Alighieri e até tentou levar os restos mortais do escritor, que estão na Itália, para Buenos Aires.

Apesar de toda a explicação e as curiosidades do prédio, o ponto alto da visita é mesmo o mirante. Para acessá-lo é preciso ter fôlego e estar disposto a encarar escadas apertadas. O primeiro nível já oferece essa vista aqui, com direito ao Congresso Nacional.

vista de Buenos Aires

Mas o melhor é ver de perto o farol que fica no alto do Barolo. As luzes são ligadas todas as noites e podem ser vistas do Uruguai.

Mirantes em Buenos Aires

São apenas alguns minutinhos da redoma de vidro no alto do arranha-céu. Mas, olha, minutinhos fantásticos, viu?

O Palácio Barolo também oferece visitas noturnas e com direito até a uma taça de vinho (se fossem duas, complicado seria descer as escadas depois). Eles também organizam visitas guiadas em datas especiais, tipo o Ano-Novo.

Antes de correr para lá, vale consultar o calendário no site oficial, já que as visitas não são diárias (as diurnas ocorrem nas segundas, quintas e sábados, sempre durante a tarde e com saídas a cada uma hora). O Palácio Barolo fica na Avenida de Mayo, pertinho do Congresso Nacional da Argentina

Palácio Barolo, Argentina

O mirante da Galeria Guemes

A vista não é tão impressionante quanto a do Palácio Barolo, mas a Galeria Guemes tem duas vantagens: o preço muito mais em conta e os dias e horários para visitar o mirante, que são mais acessíveis.

Vista de Buenos Aires

O prédio é ainda mais antigo que o Barolo e foi o primeiro arranha-céu de Buenos Aires – são 14 andares. A Galeria Guemes é um edifício comercial que fica na Calle Florida, nº 165, um lugar que você certamente vai visitar, afinal essa rua é a Meca do câmbio paralelo na Argentina. Já que você vai passar por lá de qualquer forma, que tal dar um tempo na multidão de pedestres para aproveitar a calma do mirante?

O mirante funciona de segunda a sexta, entre 9h20 e 12h e 15h e 17h40. O valor é muito mais camarada: só 20 pesos.

vista de Buenos Aires - Argentina

A vista do Hotel Panamericano

Esse eu não visitei. E foi uma pena, afinal a vista de lá é completamente diferente. O Panamericano fica no número 550 da Carlos Pellegrini / 9 de julho, dois nomes que na prática falam da mesma Avenida, a principal da cidade. E o que essa vista tem de bom? O Obelisco. Mais ou menos isso aqui, ó:

9_de_julio_(Buenos_Aires)

E, óbvio, não para por aí. Mas como eu não vi de perto, não tenho mais detalhes para dar. 🙂 Só sei que a vista do alto do Hotel Panamericano costuma ser privilégio de quem se hospeda lá, mas toda semana o governo organiza tours ao local, que nessas ocasiões é aberto ao público. Essas visitas são de graça, mas as vagas são limitadas e se encerram rápido. Para reservar sua vaga e conferir as datas clique aqui.

Outros mirantes em Buenos Aires

O programa de visitas guiadas aos miradores de Buenos Aires inclui outros lugares, como o Automóvil Club Argentino e a Basílica Santa Rosa de Lima. Você pode reservar sua participação pelo e-mail [email protected]

Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014 voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura. Siga minhas viagens também no instagram, no perfil @rafael7camara no Instagram

Um comentário em Três mirantes no centro de Buenos Aires

  1. Ei Rafael! Joia? 🙂
    No fim do mês tô indo pela segunda vez pra BsAs e quero muito fazer a visita no Barolo.
    Mas tô com uma dúvida: fui consultar o site deles e vi que possuem uma visita fotográfica também e agora não sei se vou nela ou na visita diurna.
    A minha praia mesmo é fotografar e filmar (trabalho com isso, então né). Você sabe me indicar se valeria a pena ou sabe algo sobre essa visita fotográfica? O ruim é que ela custa 250 pesos (enquanto a diurna sai por 200) e dura 2 horas (a diurna dura 1h30) – com direito a 40 minutos no “telhado do chão do edifício”, segundo o site.
    O que você me diz?

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: