11 coisas que você tem que saber antes de um cruzeiro

11 coisas que você tem que saber antes de um cruzeiro

Antes de explorar as praias do Caribe Sul e Antilhas com a Pullmantur, eu tinha diversas dúvidas e preconceitos sobre viagens de cruzeiro.  Será que eu não ficaria entediada com aquela imensidão de azul? Meu estômago iria se comportar bem? Esse tipo de viagem é para mim?

Conversando com amigos e conhecidos, percebi que muitas dessas dúvidas e preconceitos rondam a cabeça de pessoas que nunca viajaram de cruzeiro antes. Por isso, eu criei esse mini-guia para tentar responder algumas dessas questões e, quem sabe, te convencer (ou não) a se transformar em um marinheiro de primeira viagem.

Cruzeiros são para você?

Verdade seja dita, embora cruzeiros tenham um perfil de público muito abrangente, nem todo mundo é feito para um. Esse é um tipo específico de viagem, e você só vai aproveitar bem se tiver as expectativas no lugar.

Para começar, entenda que você vai passar mais tempo no navio que explorando os destinos. E que isso não é necessariamente ruim. Quem, como eu, está acostumado aos mochilões da vida e a ficar semanas em uma única cidade, pode achar meio frustrante.

Para que isso não aconteça, entenda que essa é uma viagem diferente. Essa é uma viagem para se deitar em uma espreguiçadeira, pedir uma piña colada (ou cerveja, ou mojito…) e não se preocupar com nada. Uma viagem livre de complicações, perrengues e correrias, perfeita para quem sonha com uma semana relaxante e precisa recarregar as baterias antes de voltar à rotina. De quebra, você ainda vai ter a chance de conhecer vários lugares diferentes em pouco tempo.

Leia também: Cruzeiro pelas Antilhas e Caribe Sul

Monarch navio Pullmantur

É isso que você procura? Ótimo, vá em frente e reserve sua cabine! Prefere ter tempo para explorar bem cada destino e ter uma experiência mais imersiva? Então acredito que essa não é a melhor viagem para você.

Escolha o cruzeiro certo

Existe uma infinidade de trajetos e tipos de cruzeiros no mercado. Faça uma pesquisa e escolha aquele que mais atende os seus interesses e necessidades. O Caribe é só uma entre tantas opções disponíveis. Se você não é muito fã de passar o dia na praia, pode escolher um trajeto que inclua cidades históricas ou com outros atrativos turísticos (como os que passam por cidades europeias). Se gosta de natureza e paisagens lindas, quem sabe você não escolhe o trajeto pelos países nórdicos? Se quer aventura, talvez seja hora de explorar a patagônia.

Além dos trajetos, é importante também pesquisar os tipos de navios disponíveis. Alguns são mais luxuosos que outros ou podem ter opções de entretenimento que vão te agradar mais. Isso sem falar nas centenas de cruzeiros temáticos que existem: para crianças, para quem gosta de festa, para a galera do detox fitness, etc, etc, etc.

Investir um pouco mais pode valer a pena

Isso pode soar estranho. Afinal, todo o propósito deste blog sempre foi te ajudar a viajar gastando menos e, agora, eu estou aqui pra te dizer que talvez compense gastar um pouco mais. Mas, como eu já disse, esse é um tipo muito diferente de viagem e, por isso, as regras são outras.

The Waves - Monarch Pullmantur

No cruzeiro que eu peguei, você consegue uma cabine interna dupla por cerca de R$ 1000. No entanto, é claro que o seu nível de conforto, sombra e água-fresca aumenta conforme você vai subindo a classe das cabines. E lembra que eu te falei que esse é o justamente o ponto de um cruzeiro? E, até mesmo pelo tipo de viagem, pode ser que essa seja a sua única semana de férias do ano. Ou que você esteja desesperadamente precisando de um pouco de mordomia. Pode ser que essa seja a hora de tirar o escorpião do bolso e pegar uma cabine superior, mais espaçosa e aconchegante. Ou uma suíte com varanda privativa. Sem falar que, ao contrário de um hotel, você não vai entrar no navio apenas para dormir.

Cabine do navio Monarch - Pullmantur

Meu espaço preferido no Monarch, por exemplo, era o The Waves, um área tranquila com sofás, espreguiçadeiras, bar exclusivo e internet liberada que só estava disponível para hóspedes das suítes. Não tenho dúvidas de que ter o acesso a essa área levou minha experiência no navio para outro nível.

The Waves - Monarch Pullmantur

Viagem sem estresse

Acho que uma das principais vantagens de um cruzeiro com relação a outros meios é ficar livre de toda a burocracia de viagem. Uma vez que você embarca, terá entrada facilitada em todos os outros portos do seu trajeto, sem ter que passar por aqueles processos maçantes de imigração e visto, filas quilométricas e fazer e desfazer malas incontáveis vezes. Basta descer do navio e aproveitar o dia.

Check In, Check Out

Embarcar em um cruzeiro é quase como pegar um avião. Ao chegar ao porto, você vai passar pela imigração e checagem de passaportes (isso só ocorre no primeiro porto). Em seguida, despacha suas malas e passa pelos procedimentos de segurança. Por isso, é importante preparar uma mala de mão para embarcar com você. A equipe do navio vai se encarregar de levar sua mala bonitinha até o seu quarto. No entanto, isso pode demorar algumas horas. Separe em uma mochila ou mala pequena tudo o que você vai precisar nas próximas horas, incluindo uma muda de roupas.

No dia do desembarque, você será instruído a deixar sua bagagem para fora do quarto até determinado horário. A equipe vai passar recolhendo e você só a verá de novo fora do navio. Por isso, lembre-se também de deixar na bagagem de mão tudo aquilo do qual você não pode se separar.

(Quase) tudo está incluído

Depois de comprar o pacote do cruzeiro, você não vai ter que se preocupar com quase nada. No entanto, é importante saber o que está e não está incluído no preço.

Faz parte do pacote:

– Acomodação

– Todas as refeições nos restaurantes e buffet. Dependendo do cruzeiro ou da classe da sua cabine, o serviço de quarto pode estar incluído ou ser cobrado à parte.

– Entretenimento de bordo e acesso ao teatro.

– Acesso às piscinas, jacuzzis, academia, quadras, bares, áreas exclusivas para crianças e adolescentes,

– Bebidas para acompanhar as refeições estão sempre incluídas. Em alguns cruzeiros as bebidas alcoólicas também fazem parte do pacote all inclusive. Em outros as pessoas podem optar por comprar um pacote de bebidas liberada ou não. A boa notícia é que o preço costuma valer a pena.

Cervejas liberadas num cruzeiro

É preciso pagar à parte: 

– Excursões nas cidades onde o navio para. Você não precisa comprá-las, pode explorar os destinos por conta própria. No entanto, comprando os passeios do navio você tem a garantia de que ele não vai embora sem você no fim do dia.

– Pacotes no Spa

– Acesso à internet (a menos que você tenha acesso a áreas com wi-fi liberada)

– Compras nas lojas

– Apostas no cassino

Cassino no cruzeiro - Pullmantur

Explore o navio

Uma vez a bordo, aproveite os dias de navegação para explorar as áreas do navio e descobrir tudo que ele tem para oferecer. Não caia na tentação de achar um lugar legal e ficar lá para sempre, ou se trancar dentro da sua cabine. Explore, aproveite, use os espaços. Vai ser muito mais divertido assim. Assista aos espetáculos, participe das festas temáticas, experimente os diferentes bares e restaurantes. As opções de entretenimento são tantas que muitas vezes vai ser difícil decidir o que fazer.

Teatro do cruzeiro Monarch - Pullmantur

Noite do Capitão

Todo cruzeiro com mais de cinco dias de duração tem uma noite de gala especial com a presença do capitão. É nessa ocasião que ele se apresenta para os passageiros e separa um tempo para tirar fotos com quem quiser. Por isso, leve uma roupa mais arrumadinha. Não é para achar que está indo a um casamento, mas lembre-se de colocar um vestido ou camisa mais formais na mala.

Internet em alto mar

Eu sofro de um caso grave de FOBO (Fear of Being Offline) e, toda vez que eu pensava em fazer um cruzeiro, já rechaçava a ideia imediatamente (“Mas como eu vou passar dias inteiros sem internet?!”). Então vocês podem imaginar minha alegria quando eu descobri que sim, marujos, há internet em alto mar! E, por incrível que pareça, a qualidade da conexão é boa.

Por enquanto, ela só está disponível em pontos específicos de navio e, a menos que você tenha acesso a alguma área de internet liberada (como o The Waves, do Monarch), o custo pode ser bem salgado. No entanto, para os mais desesperados, pode compensar comprar alguns minutos só para subir aquela foto no Facebook e baixar todos os seus emails e feeds para ler mais tarde.

E o balanço?

Vou contar uma coisa: eu sou a pessoa mais enjoada que existe. Praticamente tudo que se mexe me causa enjoo. Não posso nem sonhar em me deitar em redes e, quando eu tomo banho de mar, não consigo ficar sem colocar os pés no chão porque começo a ter náuseas. Eu sei, é bizarro e eu deveria fazer um exame de labirintite. Por isso, eu estava morrendo de medo de passar muito mal durante a viagem, mas foi tudo mais tranquilo do que eu achei.

Vista do navio Monarch, em Curaçao

Não vou mentir, a coisa balança. Dependendo de como está a maré e o vento, pode balançar mais ou menos, mas balança. Eu passei o primeiro dia todo enjoada, mas como levei uns remedinhos just in case, deu para aguentar bem. O corpo acostuma rápido e logo nós entramos em uma área mais tranquila para a navegação, o que deixou a viagem mais prazerosa.

Tem um porém: eu não podia, em nenhuma hipótese, olhar pela janela, ou para o céu, ou me debruçar nos parapeitos do navio para ver o mar. Eu não podia nunca lembrar meu cérebro que a gente estava em movimento, que ele começava a rodar. Espero que vocês tenham um labirinto menos antipático que o meu.

O que levar na mala?

– Roupas confortáveis para os passeios em terra

– Roupas de banho e saídas para a piscina e praias

– Roupas mais arrumadinhas para os jantares, pois os restaurantes a la carte costumam ter um dress code (não pode entrar de bermuda e regata, por exemplo), e também para os bares e baladas noturnas

– Casacos leves, mesmo para cruzeiros por ilhas tropicais. Nas áreas internas o ar-condicionado pode ser power

*A blogueira viajou a convite da Pullmantur Cruzeiros

Já chamei de casa a Cidade do Cabo, Chandigarh, Buenos Aires e Barcelona, onde vivo no momento. Gosto de literatura, cervejas, música e artigos de papelaria, mas minha grande paixão é contar histórias. Por isso, desde 2011 viajo o mundo e escrevo sobre o que vi. Também estou no blog sobre escrita criativa Oxford Comma.

32 comentários em 11 coisas que você tem que saber antes de um cruzeiro

  1. oiii! Estou estudando um cruzeiro de 8 dias saindo do rio e passando pro Montevideu e argentina. Sendo que na argentina ele fica um dia atracado. Voce sabe me dizer se posso passar a noite fora curtindo o país ou voltar de madrugada pro navio? Como funciona esse desembarque?

    • Débora, em teoria não há nada que impeça que você fique fora o tempo que quiser desde que cumpra o horário de saída do navio… Se você tem dúvidas pode checar se o seu navio tem alguma regra de toque de recolher específica…

      Abraços

  2. Que post ótimo!
    Pretendo fazer o cruzeiro pelo Caribe com o Monarch, porém cabine interna. Será que é MUITO desconfortável quando comparada com a externa?
    E você comprou sua viajem por alguma agência de turismo ou diretamente pela Pullmantur?

    Obrigada!!!

    • Nathalie, eu acho que a única coisa que você perde é a vista. Considerando que você quase não vai ficar na cabine, não acho que deva ser um problema… Eu viajei a convite da empresa 🙂

  3. Parabéns pelas dicas.
    Concordo plenamente com tudo que escreveu, gastando um pouco mais se tem alguns privilégios que compensam, e muito.
    Áreas privativas, restaurantes exclusivos, e tratamento diferenciado. E pra falar a verdade, algumas vezes o valor não é tão diferente.
    As colocações e explicações são perfeitas, principalmente para os amantes do mar, pois, como costume dizer, o mar enfeitiça…

  4. Boa tarde Natália!
    Vou fazer um cruzeiro pelo caribe em fevereiro e gostaria de saber se ao chegar nos portos onde o navio atraca para os passeios se o desembarque é rápido? E se posso retornar próximo do horário da partida?
    Muito obrigado e parabéns pelo blog.

    • Márcio, depende do porto. haha Mas tenha em mente de que é um navio inteiro desembarcando, então deve ter fila sim. E quem viaja em grupo de pacote ou está no grupo dos passeios do navio têm prioridade de desembarque. Pode retornar próximo ao horário informado no navio. Cuidado para não ficar pra trás haha

      Abraços

  5. Você tem que pagar taxa para desembarcar nos destinos? essa é a minha grande dúvida….ou é só a taxa de embarque cobrada pela empresa mesmo ?

  6. Obrigada pelo post tão esclarecedor. Mas ainda tenho uma dúvida. Cruzeiro que vai até Argentina, precisa de algum documento especial? Ou a nossa carteira de identidade velha de guerra serve?

    • Juliana, para entrar na argentina vale a carteira de identidade, mas ela tem que ter menos de 10 anos e estar em bom estado. Eu recomendo viajar com passaporte sempre porque é mais seguro.

      Abraços

  7. Oi Natália!
    Muito abrangente seu post, só gostaria de tirar algumas dúvidas sobre o cruzeiro. Vou fazer o msm cruzeiro de lua de mel em abril de 2016, e queria saber como foi o seu desembarque, tranquilo ou mto demorado. Sei q chegaremos logo cedo em Cartagena, só que tenho voo para o Panamá as 13h, tem como solicitar prioridade no desembarque? Obrigado

    • Leonardo, o desembarque leva um tempinho porque você tem que passar pela alfândega e pela imigração. Prioridade, que eu saiba, só para quem viaja em grupos, mas você pode tentar explicar sua situação. Ideal seria que o voo não fosse tão perto da hora do desembarque.

  8. Olá. Excelente post sobre cruzeiros. Estou mais tranquila quanto aos enjoos… rsrsrsrs… sinto muito enjoo com td. Bom, gostaria de perguntar sobre as cervejas. Essas fotos que você postou são da Pullmantur – navio Monarch? Estou perguntando porque meu marido ficou super empolgado com as fotos das cervejas, disse que são muito boas. Caso não seja do navio, você lembra qual o nome da(s) cerveja(s) que são servidas no navio? Obrigada.

  9. 360 surpreendendo! Natalia, dica de cruzeiro eu nao esperava encontrar por aqui. Sem preconceito, mas nao parece ser o perfil de quem é explorador, como vc disse. Mas eu tb já me rendi a resorts, por exemplo, apesar de tudo o que representam. Mas tanto eles como os cruzeiros sao otimas opçoes para descansar! Um dia eh experimento e volto aqui pras dicas!

    • hahah pois é Marcia! Eu acho que tudo tem sua hora e lugar. Realmente cruzeiro não é para quem quer explorar, mas de vez em quando a gente precisa de umas férias relaxantes também, porque ninguém é de ferro, né? hahah

      Abraços!

    • Existe sim, mas é bem mais alto (vi falando algo em torno de 90kg, mas varia de acordo com a companhia). Que incrível seria voltar ao Brasil dessa forma!

      Abraços

  10. Eu sou um tipo de “viajante facinho”! kkkkkk
    O que isso significa? Todos os tipos de viagem me agradam. Já fiz mochilão, já fiz lua-de-mel, já fiz intercâmbio, já fiz cruzeiro, já trabalhei a bordo só para conhecer quase uma centena de cidades.
    Enfim, tudo isso para dizer que após ser passageira em 3 cruzeiros, considero este um ótimo tipo de viagem. Acho super divertido, e sou até meio viciada no mar.
    Cruzeiros pelo Norte da Europa (geralmente subindo pela Noruega até Svalbard) são os mais tranquilos, costumam durar entre 11 e 14 dias, passam pelos fjordes, pelas montanhas de gelo, tudo muito emocionante… mas só tem idosos, então não espere muita agitação. Esse exemplo foi só para elucidar como existem diversos tipos de cruzeiros, com diversos climas (tanto no sentido literal, quanto no sentido de animação).
    Seria um orgulho pra mim poder compartilhar um pouquinho da minha experiência marítima com vocês, e estou à disposição para isso 😉

    Beijossss

    • Ei Clarice, se você se animar a escrever seus relatos, teríamos o maior prazer em publicar!

      Abraços e obrigada pelo comentário.

      PS: também sou facinha!

  11. Nossa Nati! Nem preciso dizer que já me deu kkk…
    A viagem deve ter sido ótimo. Acompanhei suas fotos de Aruba e Curaçao e me deu uma saudade enorme
    Adorei suas dicas sobre enjoo, também sofro com um labirinto antipático, bom saber que não impede de fazer um cruzeiro.
    Blog top como sempre!

  12. Nati,

    Morri pensando que você não podia olhar pra fora e ver o navio navegando, foi uma das partes que mais amei no meu cruzeiro, a imensidão do oceano. Sentava nos parapeitos e esquecia da vida, ai que saudade, preciso fazer outro!

    Beijo

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: