Cabelo cacheado, viagens e liberdade

Cabelo cacheado, viagens e liberdade

Dos meus 27 anos, provavelmente uns 12 eu passei tentando alisar o meu cabelo. Escova, chapinha, relaxamento, progressiva… tudo isso fez parte do meu vocabulário durante anos. A primeira vez que eu passei a considerar parar com isso foi na Índia. Eu lembro que eu e a Naty, que também alisava o cabelo, vimos uma dessas reportagens de sempre sobre os males dos tratamentos para alisamento. Todo mundo sabe que aos poucos está se envenenando, mas continua fazendo isso em prol do “cabelo bom”.

Como diria um palestrante que um dia eu ouvi: o quê o seu cabelo fez de mau para ser ruim? O meu, provavelmente nada. A verdade é que eu cresci ouvindo o mito de que cabelo cacheado era mais difícil de cuidar, que tinha que domar o volume, que eu ficava mais bonita de cabelo liso. Eu realmente acreditava nisso. Mas, ao mesmo tempo, se tantas viagens foram capazes de abrir meus horizontes e me fazer questionar várias coisas no mundo, o mito de que só cabelo liso é bonito e fácil de cuidar acabou caindo por terra.

luiza cabelo cacheado

Leia também: Vaidade no mochilão, é possível?

Claro, todo mundo que passa pelo período de transição entre a progressiva e o retorno dos cabelos naturais sofre demais para se adaptar e deixar todo o cabelo com química crescer e ser cortado. Todo o processo durou mais ou menos um ano e meio. Nesse período, tive que refazer a minha relação com meu cabelo e reaprender a cuidar dele. No início não foi fácil, mas graças à internet e outras amigas cacheadas, consegui resistir ao desejo de voltar a alisar. Com o tempo, fui ganhando confiança e elogios.

Hoje, sinto que o cabelo cacheado combina bem mais com a minha personalidade: eu, viajante, nômade digital. E meu cabelo, menos domado, mais livre. Mas a prova de fogo de que meu “novo” cabelo de fato combinava com o meu estilo de vida veio em junho deste ano: eu iria fazer uma grande viagem, sozinha, por dois meses. Se eu conseguisse manter meu cabelo do jeito que gosto, sem ter muito trabalho ou sem ter que carregar muitas tralhas, eu teria provado para mim mesma, e para o mundo de certa forma, que os cachos não são sinônimo de horas de trabalho e poderiam sim se adaptar à vida mochileira, sem eu parecer uma louca completa descabelada.

luiza cabelo cacheado

Como cuidar do seu cabelo cacheado durante uma viagem

Eu precisei de exatamente cinco produtos para manter meu cabelo feliz durante a viagem. Um shampoo e um condicionador mega hidratantes e nutritivos, um bom creme para pentear/leave-in e algum produto fixador de cachos, tipo um mousse. E, ainda, um pouco de óleo para manter o brilho no segundo dia. Então, basicamente esse era o meu kit de cosméticos, adaptado para os menos 100 ml que eu poderia carregar na mala de mão.

Além disso, vários elásticos e grampos (porque grampos salvam sua vida em qualquer situação). Eu não levei secador, porque como era verão, o cabelo seca bem melhor naturalmente. No inverno, eu teria que achar espaço não só para o secador, como também para o meu amigo difusor. Raramente hotéis têm o difusor também. Aliás, se alguém souber onde comprar um tipo de difusor universal que ocupe pouco espaço, ficarei extremamente agradecida.

luiza cabelo cacheado

Eu também tenho técnicas para manter os cachos bonitos. Para começar, evito secar meu cabelo com toalhas normais. Aprendi com as blogueiras dessa internet afora que o algodão e os pelinhos sugam a hidratação, causam fricção entre os cachos e frizz. O melhor jeito é usar uma camiseta velha ou então aquelas toalhas de esporte. Sorte a minha que era exatamente uma toalha esportiva que eu carreguei durante toda a viagem, já que elas ocupam bem menos espaço na mala e secam muito rápido.

Minha outra técnica é bem menos convencional, principalmente para aqueles que dormem em quartos coletivos. Enquanto as coreanas assustavam a galera com seu número sem fim de máscaras noturnas, eu colaborava com a hora do pesadelo usando a minha toquinha de cetim improvisada.

Como assim, Luíza? Veja bem, já falei aí que o algodão não faz bem para os nossos cabelos, sejam eles lisos ou cacheados. Por isso que a gente acorda parecendo que brigou com alguém durante o sono. Com isso, aprendi essa técnica de que a seda ou o cetim não só não roubam a hidratação, como evitam que os fios acordem todos embaraçados e sem forma.

Como não dá para esperar que qualquer acomodação vá ter fronha de seda, eu passei a usar um saquinho que eu tinha de cetim como touca noturna. Eu poderia ter mandando fazer uma touca para mim, mas eu sempre esqueço dessas coisas. O saquinho ocupa zero espaço e não pesa nada. Com essa técnica, eu não preciso lavar a cabeça todos os dias! Recomendo a todas.

luiza cabelo cacheado

Sendo feliz naturalmente

Viajar com meus cabelos naturalmente cacheados me tomou bem menos tempo e preocupações do que no período da progressiva. Bem lembro meu pânico, durante a volta ao mundo de 10 meses, quando a química começou a sair e a minha raiz ficava feia. Ou do espaço ocupado na mala pela chapinha. E o tempo perdido tentando arrumar o cabelo. Os cachos se dão muito bem se deixados em paz, sem muita arrumação, sem pegar neles demais.

Hoje em dia, olho minhas fotos de cabelo liso e me acho meio estranha. Acho que aprendi a gostar do volume e do movimento diferente. Combina mais com meu rosto. E combina mais com quem eu sou. Mas, percebo também que, no final das contas, o que importa é ser do jeito que te deixa mais feliz e que o cabelo não deveria nunca interferir nas nossas escolhas de fazer ou deixar de fazer alguma coisa, tirar uma foto ou aproveitar a vida. Um sorriso vale mais do que os 150 mil fios de cabelo na sua cabeça.

luiza cabelo cacheado

Por fim, se você já é uma cacheada feliz, deixa nos comentários outras dicas que vocês tiverem para cuidar dos cabelos durante uma viagem. E se você está precisando de apoio no processo de cuidar do seu cabelo durante uma viagem, seja ele liso, cacheado ou alisado, compartilhe com a gente também.

Sou jornalista, tenho 29 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite “morar no aeroporto”. Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

52 comentários em Cabelo cacheado, viagens e liberdade

  1. Menina mto legal seu post! Meu cabelo não cresce muito, e estou a um ano e meio em transição mas ainda nem tá no ombro o comprimento 🙁 dai eu escovo e prancho e faço mil hidratações. Mas em maio vou passar mais de 20 dias nos Estados Unidos com 4 mulheres lisas. Só eu de cacheada. O que ne preocupa é se eu cortar e assumir os cachos e não souber cuidar, ficar parecendo um cogumelo na viagem e nas fotos da viagem 🙁 e ficar fazendo escova não vai dar, as moças não entenderão o trabalho do cabelo em transição . Estou pensando em alisar, com muita dor no coração!

  2. Oi, moro em Cuiabá-MT, aqui é verão o ano inteiro, minha dica para cabelos cacheados além dos cremes e deixar secar no ar condicionado, os cachos ficam perfeitos.

  3. Olá Luiza! Amei seu post! Vou sair em um ano sabático daqui 6 meses e estou apavorada com meu cabelo. Não pelo liso/cacheado, mas por serem loiros. Estou perdendo noites de sono porque irei ficar a maior parte do tempo na Asia e não vou ter como retocar as luzes. Penso em pintar o cabelo de castanho para não me preocupar com isso mas estou com muuuita dor no coração! hehehe!

    • Oi Pam,

      Você pode retocar as luzes num salão na Ásia (o que é pouco confiável) ou tentar pintar você mesma para manter o loiro ou invés e trocar para o castanho.

      Sempre dá também para ver no salão se dá para mudar a forma que você faz as mexas para um jeito que dure mais.

      Não sei se ajudei, mas espero que sim

  4. Também sou cacheada, e também acho que os cachos combinam mais com minha natureza. Mas menina, conta o segredo pra fazer um frasquinho de 100ml de creme de pentear durar dois meses? Pra mim deve durar uma semana e olhe lá! Você leva vários? Mas e o limite de 10 frascos? Eu sempre acabo despachando mala por causa do bendito creme de pentear…

    Uma dica: a Lola está com uma linha para cachos mais barata. Chama Meu Cacho, Minha Vida, e o creme de pentear de 500ml custa cerca de R$15. Além do creme, tb to usando o Jelly Gel, que segura os cachos (os meus são fininhos, desmancham ao longo do dia). Eu estou gostando muito!

    Beijos!

    • Oi Dani,

      Meu cabelo não precisa de muito creme, o que ajuda muito. Mas mesmo assim, eu costumo levar dois potinhos. Nunca implicaram com esse limite de 10 potinhos para mim não…

      Eu ainda não testei nada da Lola, mas vou para o Brasil no final de outubro e vou comprar alguns produtinhos. Obrigada pela dica!

  5. Adorei o post. Era escrava da escova convencional desde os meus 20 e poucos, depois aderi às escovas progressivas e inteligentes há uns 10 anos…agora com 38 eu quero parar….a cada vez q retoco a escova, sinto como se estivesse me envenenando, colocando um produto no meu organismo que lá na frente vai me fazer mal. Sei q essa transiçao vai me deixar horrorosa mas é preciso. Quais produtos vc usou? Gostaria de seguir os mesmos passos. Seu cabelo é lindo, cachos largos. Bjs

  6. Luiza,
    Há alguns anos tenho vontade de passar um período fora do país e, o cabelo sempre foi um ponto que me preocupava bastante.
    Então há 10 meses resolvi parar com a química. Infelizmente os planos de morar fora não estão em vias de acontecer, mas a liberdade com meus cachinhos tem sido algo gratificante.
    E sinto o mesmo que você: olho minhas fotos lisas e já não me reconheço mais. Entendo como um período importante e crucial pra minha vida, mas agora essa nova Naíra tá aqui, super natural e pronta pra encarar os novos desafios que estão por vir.

    • Oi Roberta,

      Sim, nunca tive problema para encontrar.
      Mas talvez o problema é que você esteja procurando em farmácias, não? Pelo menos aqui em Portugal as farmácias são lugares que vendem medicamentos e produtos de marcas caras, tipo Avene e La Roche.

      Para achar creme para pentear você tem que ir ao supermercado.

  7. Que sorte. Encontrei este post agora. Comecei a assumir meus cachos no mochilao de 40 dias que fiz em janeiro de 2016 pelo litoral da Bahia, após 8 anos de chapinha. Estou me sentindo mais livre e adorando a praticidade… Ótimo texto e você ficou mais bonita ainda com o cabelo natural…

  8. Muito legal vê uma cacheada viajante contando os segredos dos cosméticos levados em uma viagem! Ser cacheada é tudo de bom, e acredito ter tudo a vê com a parte despojada de ser uma nômade digital 🙂

  9. Nossa!! Adorei o post! Sua história muito parecida com a minha, tirando o mochileira que fico só na vontade… rsrsrsr Assumir os cachos é tudo isso que você descreveu, mas a melhor parte é a liberdade de aceitar como somos, quando resolvi assumir os meus, não tinha muitos blogs ou dicas, foi na marra mesmo e deu certo! Obrigada por compartilhar sua história com a gente.

  10. Own que inspiração. Estou tentando voltar ser cacheada, mas é difícil demais, já tentei por 6 meses no máximo e não aguentei. Mais vou tentar de novo,RS. Adoro o 360

  11. Que exemplo! Foram dez anos vivendo como escrava de todos os tipos imaginaveis de produtos com a promessa que “domariam meus cabelos”. Ora que bobeira a nossa acreditar na opinião da sociedade que cabelo bom, é cabelo liso.
    Sou inifinitamente mais feliz hoje, após um ano e meio de transição (com os cabelos presos num rabo de cavalo), pois não suporta dez dedos de raíz.
    Recebo muito mais elogios do que na época da chapinha, que tenho atitude e personalidade em assumir meus cachos.
    Parabéns a todas que voltaram e muita, mais muita força pra quem está pensando ou já em transição.
    “Em terra de chapinha, quem tem cachos é RAINHA!”

  12. Luíza, seus cachos são lindos!Meu cabelo não é nem liso, nem chacheadão, mas nos lugares com mais umidade ele fica com cachos mais definidos. Eu amo! E prefiro os cachos ao cabelo liso. Tenho todos os tipos de babyliss que vc imaginar. E odeio no inverno quando meu cabelo fica super liso pq a umidade some e tenho que usar mais o secador, coisa que eu não uso muito no verão. E levo meus sprays de sea salt sempre, pq eles são os melhores para cachos que eu já achei. Outra coisa que eu faço é secar o cabelo e fazer um coque alto e depois de um tempo eu solto. Ou então eu faço isso com ele levemente umido, e solto depois de um tempo. Fica ondulados, com ondas mais grandonas, diferente do seu, mas super legal tb. Adorei o post! E vamos ser honestas, para manter qualquer cabelo bonito, é preciso um minimo. Não existe essa de cacheado dá mais trabalho, eu acho que dá muito menos, principalmente porque a gente fica livre do secador!

    • Ei Liliana,

      (To sempre acompanhando seu Snapchat!)

      Olha, esses sprays de sea salt me deixam parecendo uma louca descabelada, não posso usar de jeito nenhum, resseca muito meu cabelo.

      Mas esse truque do coque é ótimo para quem quer ganhar uns cachos extras.

      • Tô viciada naquilo, Luíza. Alguém precisa tirar o celular da minha mão,hahaha. Quanto aos cachos, o cabelo fica meio seco mesmo com os sprays de sea salt, mas para o meu funciona bem. Não uso sempre tb, é só para salvar em algumas ocasiões. A onda fica linda, bem cabelo de praia mesmo, adoro. Fala dos seus produtos tb, fiquei curiosa!

        • Então, eu uso a linha Curvaceous, da Redken. É perfeita. Depois que eu conheci nunca mais quero largar e já até tenho estoque do shampoo e condicionador em casa. Eles inclusive tem um produto para dar mais cachos para quem não tem, acho que é o Wind up.

          Também uso óleo de coco extra virgem a cada quinze dias. Deixo ele no cabelo durante a noite e no dia seguinte lavo. É bom até para quem tem cabelo oleoso.

          E tento fazer uns esquemas de cronograma capilar quando não estou viajando, mas eu sou meio desorganizada. hahaha

    • Isabel,

      Tem outras lojas que vendem esse difusor da Deva, acho que a Beauty Box vende também. Eu nunca comprei, uso o difusor só no inverno mesmo e o meu comum já resolve meu problema!

      bjs

  13. Marminina!!! Num é que a gente está em sintonia?? hahahaha
    Eu estou largando minha progressiva… estou no começo… ta brabo! 3 meses e sua cabeça fica quadrada! Mas nao sou radical! Tentarei até o final para ver como eu sou cacheada. Se eu nao gostar, volto a alisar! Mas quero tentar, preciso tentar. Meu cacho é bem diferente do seu, mas mesmo assim, que mal ele fez pra ser ruim?

    Vamos em frente, cacheada ou lisa!

    Beijos!!

    • “cabeça quadrada” sei bem o sentimento.

      Eu também acho que é legal tentar, se você realmente não gostar, aí volta a alisar e pronto.

      bjs

  14. Seus cachos sao lindos, super définidos. Eu não tenho cabelos muito cacheados, eles estão mais para frizado, mas incrivelmente desde que vim morar na França meu cabelo deu uma boa alisada. Graças ao calcário delicia da água.
    Quando vou ao Brasil ele fica a maior palha, mas pelo menos uma ida ao salão para dar uma tratada é barato.

  15. Oii Luiza.. tudo bem?

    Seus cachos são LINDOS, eu tb tenho cabelo cacheado ( mas ainda aliso meu ) já pensei mtas vezes em deixar ele natural de novo… mas sabe como é neh???
    Você está linda com cachos, quem sabe isso não me incentive tb.

    Beijooos

  16. Para quem tem cabelos finos e cacheados como eu, a melhor dica para ter um day after (dia depois da lavagem) decente, sem ter que lavar o cabelo todo dia: um borrifador com soro fisiológico e um pouquinho de creme (pode ser um condicionador ou o leave-in de sua preferência). Você borrifa nos cabelos secos logo quando acorda, dá uma amassada nos cachos, se quiser, pode dar uma texturizada com um dedoliss também e deixa secar naturalmente. O cabelo aguenta lindo mais um dia inteiro. 🙂

    • Gente, nunca tinha ouvido falar do soro fisiológico!

      Eu costumo passar um pouco de oleo (tipo esses de potinho comum) se o cabelo acorda de mau humor…

  17. Não tenho cabelos cacheados, tenho-os bem lisos, finos e em pouca quantidade. Mas, a tintura e agora o início da menopausa tem deixado eles mais carentes trato. Em viagens, a cada semana, tiro um fim de tarde ou um início de manhã para o que chamo de “dia da beleza”! Nesse tempo, retoco a pintura da raiz, se for o caso, faço uma hidratação nos fios, faço as unhas dos pés e das mãos, não uso esmaltes, apenas corto as unhas e tiro cutículas. Hoje em dia, há bons produtos para hidratar o cabelo em embalagens pequenas, tipo tubinhos ou sachês. Às vezes, aproveito e compro na viagem, as farmácias mundo afora tem sempre novidades pra gente experimentar!

    • Oi Cândida,

      Até que você tem muitos horas de beleza durante a viagem. Eu também amo esses sachês para testar.
      Aqui, sabe uma dica boa para qualquer cabelo: óleo de coco extra virgem. Faz uma nutrição a cada 15 ou 20 dias. É muito bom

  18. WoW Não sabia dessas técnicas e acordo sempre com cachos monstros… depois de 33 anos de luta, ja vou sair pra comprar minha toquinha e toalha fina!!!! #amomeuscachos
    Obrigada!

  19. Muito manero Luziza!!!
    Eu tbm
    Passei por esse processo crítico para “desmamar” da progressiva, e hj comigo acontece a mesma coisa!!
    Agora essa da touquinja de cetim pra mim é nova! Como vc prende ela na cabeca para dormir? Ela é especifica para cabelos ou seria tipo um saquinho de sapatos? Nao entendi direito rsrs obrigada!!

  20. Tamo junto na cacheadice viajeira!! Meu cabelo tem uma bagagenzinha só dele, com potinho de hidratante, shampoo sem sulfato, leave-in… Na chuva ou na praia, estamos sempre prontas pra aproveitar.

  21. Luiza, que delícia ser o seu relato! Eu estava justamente para escrever um post bem semelhante a esse no meu blog. Como é bom saber que existe mais gente viajando com o cachos livres, leves e soltos por aí.
    A minha dica para não maltratar e nem ressecar muito os cabelos tem a ver com mergulho, é claro, e veio da minha sogra, que é cabeleireira. Ela me ensinou a lavar o cabelo com água doce entre um mergulho e outro, porque a água salgada resseca muito os fios. Eu também gostava de passar um condicionador poderoso no cabelo depois de tirar o sal, antes de entrar pro segundo mergulho e depois que já tinha terminado o trabalho e estava voltando para o píer. A sogra disse que não fazia muita diferença para o segundo mergulho, já que sairia logo que eu entrasse na água, mas eu continuei usando mesmo assim.

  22. Olá Luiza!
    Antes mesmo desse post já tinha notado (e admirado <3) a diferença entre seu cabelo alisado e natural. Adoro especialmente o volume e o movimento dos cachos.
    Passei por esse período de transição em 2012, me identifiquei com tudo que você escreveu.
    Abraços para esquipe do 360!

  23. Também comecei o processo de transição e no início me perguntava como faria para viajar.
    Mas após o Big Chop tudo ficou mais fácil, agora eu só seco a franja.
    A minha dica é cortar o cabelo quando a raiz estiver na altura da orelha, que pra mim é s fase mais crítica.

      • Olá Luiza
        Gostei muito desse post, me ajudou bastante, e me animou com meus cachos, tenho cabelo cacheado mas às vezes, fico louca para alisá-los. Mas me identifico mais com os cachos.
        Estamos nos preparativos de uma viagem de muitos dias, e já tava preocupada como ia manter meus cabelos. Suas dicas me ajudaram bastante. Os 360 tem sido muito útil para nossa viagem.
        E aliás seu cabelo está lindo e bem natural.
        Abraços

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: