Mergulho em Fernando de Noronha: paraíso debaixo d’agua

Mergulho em Fernando de Noronha: paraíso debaixo d’agua

Você não precisa nem descer do avião para perceber que Noronha é um paraíso. Assim que a aeronave se aproxima da ilha, num voo panorâmico de quase 10 minutos, os sortudos que estão na janelinha (lado esquerdo do avião, gente, lado esquerdo!) precisam pegar o queixo no chão.

Depois disso, um breve tour pela ilha, uma caminhada pelas praias e talvez um passeio de barco completam a convicção do viajante: sim, Noronha vale cada um dos muitos centavos investidos na viagem.

Mas ainda tem o bônus. Basta enfiar a cara debaixo d’água para perceber que as maravilhas desta outra Noronha não devem em nada para o que você vê na superfície. Tartarugas de todos os tamanhos – algumas gigantes -, golfinhos, peixes das mais variadas cores e tipos e até tubarões nadam ao seu redor. E você não precisa temê-los, afinal nunca houve um ataque de tubarão por ali, dizem os guias, que lembram que o ecossistema da ilha é equilibrado.

Mergulho em Noronha

Quer conhecer a outra metade de Noronha? Você vai ter que mergulhar. Mas a parte boa é que nem precisa ser de cilindro. É possível ver todo esse mundo submarino apenas com snorkeling, principalmente em setembro, quando a visibilidade abaixo d’água chega a inacreditáveis 50 metros!

Mas, antes de falarmos do snorkeling, bora sonhar com um mergulho mais intenso? Sim, de cilindro, muitos metros abaixo d’água. Noronha é o lugar ideal para você mergulhar assim pela primeira vez. Eu fiz meu “batismo” lá. E a experiência passou longe de ser cara.

Veja também: Quanto custa viajar para Fernando de Noronha

Quando ir a Fernando de Noronha

Mergulho de cilindro

Assim que garanti minhas passagens, jurei que deixaria algum lugar no já apertado orçamento para fazer meu batismo com mergulho de cilindro. Eu já tinha visitado lugares paradisíacos antes, como as praias da Tailândia, mas na época não tinha dinheiro para algo assim.

Se você também estiver contando moedinhas, eis a dica mais preciosa que me deram em Noronha: diversas agências vendem o mergulho de batismo na ilha, a maioria delas a partir dos próprios hotéis ou em lojas na Vila dos Remédios. O mergulho comprado nesse lugares não vai deixar de ser incrível, mas será mais caro. Quando fiz minhas pesquisas, os preços começavam em R$ 450.

Mas há uma opção bem mais barata. Vá à Praia do Porto de Noronha. Assim que chegar lá, vá para a areia. Duas empresas oferecem o mergulho de batismo nessa praia. O preço? Na época custou R$ 250.

Mergulhar em Noronha

Por esse preço você mergulha acompanhado de um instrutor (só você e ele), durante uma hora. Além disso, você pode optar por comprar as fotos e vídeos da experiência, feitas por um fotógrafo de mergulho que tem equipamento e instrução para isso. Essa opção custa mais R$ 150.

Eu nem agendei nada. Acordei e fui andando da Vila dos Remédios até o Porto (coisa de 10 minutos de caminhada). Ao chegar na praia, procurei a tenda vermelha, que tinha sido recomendada por uma guia local. É a empresa Mar de Noronha. Marquei meu batismo para o mesmo dia, uma hora depois de chegar lá. Importante: por conta da variação da pressão, você não pode mergulhar no dia que pegará seu voo de volta. Pense nisso na hora de programar seu roteiro.

mergulho fernando de noronha

Antes de entrar no mar, os interessados participam de uma espécie de palestra em que o instrutor mostra como usar o equipamento e diz o que fazer caso ocorram alguns probleminhas debaixo d’água (por exemplo, caso entre água na máscara ou a pressão no ouvido seja forte).

Depois disso, é hora de encarnar o mergulhador que há em você. Assim que você estiver pronto e vestido para o mergulho, o instrutor te leva até a praia e passa novamente todas as orientações na prática.

Mergulho em Noronha

Tudo acontece naturalmente – uma hora você está aprendendo a respirar na beira do mar, com água na altura do joelho. Minutos depois você está submerso e se encontra com uma tartaruga. Ou melhor, com várias.

O mergulhador que me acompanhou foi o Bodão, que tem anos de experiência. Além de me deixar tranquilo, ele passou todo o mergulho me mostrando onde estavam as tartarugas e peixes. Foi tão intenso que eu demorei um bom tempo para perceber que um fotógrafo, o Cosme Johnny, também nos acompanhava e registrava todos os momentos.

Mergulho em Fernando de Noronha

Existem vários pontos de mergulho de cilindro em Noronha. A Praia do Porto é uma boa opção por conta da quantidade de vida marinha e de um naufrágio que há por ali, do navio grego Eleani Stathatos, que levava equipamentos ferroviários e carvão para a Argentina, mas encalhou no porto em 1929. O naufrágio completo ocorreu em 1946, como relatado no site Naufrágios do Brasil.

Mergulho em Fernando de Noronha

Ver de perto os restos de um navio naufragado que tinha 160 metros de comprimento (e hoje está repleto de peixes de todos os tipos) é uma experiência fantástica.

mergulhar em Noronha

Depois de uma hora, o mergulho acaba de forma natural. Tão natural como começou. Eu deixei a praia com a certeza de que tinha vivido uma das melhores experiências da minha vida – e doido para repetir a dose.

Viajar para fernando de Noronha

Snorkeling, o mergulho livre

Não quer ou não pode mergulhar de cilindro? Sem problema. É possível entrar em contato com a vida marinha sem nem ter que deixar a superfície. Basta fazer snorkeling – aquele tipo de mergulho em que você usa uma máscara e um tubo para mergulhar em águas rasas.

O snorkeling é a atividade número 1 de Noronha. Por isso, vale a pena levar o seu para a ilha. Também é possível alugar o equipamento por um dia inteiro (a diária custa R$ 20 e inclui também nadadeiras e boia).

snorkeling-noronha

Há vários pontos de snorkeling em Noronha e os dois programas principais oferecidos pelas agências da ilha, o Ilha Tour e o Passeio de Barco, têm o mergulho em águas rasas incluído na programação. Você também pode fazer por conta própria. A maior tartaruga que eu vi foi ao fazer snorkeling na Praia do Sueste. Foi no mesmo dia em que me encontrei com um tubarão.

Os pontos mais comuns de snorkeling em Noronha são:

Praia do Sueste. Uma das paradas do Ilha Tour. É uma praia com muitas algas e repleta de tartarugas e peixes variados. O mergulho só é permitido com boia e nadadeira. Para ver os animais, você terá que se afastar bastante da areia. Além disso, a boia protege a vida marinha, já que evita que o mergulhador pise nos corais. Você pode mergulhar por conta própria ou pode contratar um guia (R$ 50 por pessoa) que te leva até os pontos onde há mais tartarugas e outros animais.

Praia do Sancho. Parada do passeio de barco e do Ilha Tour, a Praia do Sancho é uma das mais bonitas do Brasil. Fiz snorkeling ali duas vezes e vi uma infinidade de peixes. Está com tempo de sobra em Noronha? Pegue seu snorkeling, vá para a Praia do Sancho e curta o visual.

Fernando de Noronha praias

Praia do Sancho

Praia do Atalaia. Um local protegido e com número máximo de visitantes por dia. Para ir até lá, agende sua visita no ICMBio assim que chegar em Noronha. Você fará uma trilha até a praia. Lá, é possível mergulhar em piscinas rasas e cheias de peixinhos. A boia é obrigatória e nadadeira e uso de protetor solar não são permitidos, tudo para preservar o local. A visita tem duração pré-determinada. E sim, vale a pena.

Praia do Atalaia, Fernando de Noronha

Praia do Atalaia

Dicas importantes:

A visibilidade da água varia ao longo do ano. E o melhor mês para observar a vida marinha, como eu já disse, é setembro. Em dezembro e janeiro as águas ficam agitadas e pode ser complicado fazer alguns desses passeios.

Regra é regra e deve ser obedecida, até mesmo para preservar o paraíso. Portanto, não mergulhe em locais proibidos, use os equipamentos exigidos e não toque ou persiga animais. Lembrando que desobedecer regras ambientais dá multa. E das pesadas. Por isso, vale sempre perguntar se o mergulho em determinado local é permitido. Alegar que você não sabia de  determinada regra não é justificativa para evitar problemas (e multas).

Alugue, por pelo menos um dia, uma câmera capaz de tirar fotos debaixo d’água. Isso se você não tiver a sua própria câmera, o que é melhor ainda.

Veja também: Quando ir a Fernando de Noronha? 

Mergulho a reboque

O nome oficial é Plana Sub, mas você pode chamá-lo de mergulho a reboque. É possível ter a experiência durante o passeio de barco ou contratá-la separadamente (custa em torno de R$ 60). Você pega seu snorkeling, segura numa prancha e é puxado pelo barco enquanto observa a vida marinha.

noronha-mergulho

Eu fiz e gostei, embora tenha tido problemas com minha máscara, que no dia teimava em deixar muita água entrar. O melhor mesmo é contratar todo o pacote de uma vez, incluindo almoço no barco, o Plana Sub e o passeio tradicional, que sai da Praia do Porto e vai até a Praia do Sancho, onde o barco faz uma parada para Snorkeling. Esse pacote custa R$ 210. Se você comprar também o Ilha Tour, passeio que inclui as praias mais importantes da ilha e dura o dia inteiro, o preço é R$ 310.

Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014 voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura. Siga minhas viagens também no instagram, no perfil @rafael7camara no Instagram

6 comentários em Mergulho em Fernando de Noronha: paraíso debaixo d’agua

  1. Olá Rafael, próxima vez que você for em Noronha, super indico que mergulhe com o instrutor @douggmonteiro, na operadora de mergulho Sea Paradise.
    Eles também fotografam, sem contar que você vai ser atendido pelo apresentador do programa Naufrágios, do Canal Off. Abraços
    @simonebalbo_

  2. To aqui lendo os posts, relembrando os meus dias em Noronha e é claro sentindo uma baita saudade (e vontade de voltar).

    Eu tbm fiz o mergulho de batismo (mesmo não sabendo nadar e morrendo de medo) e foi uma das melhores coisas que já fiz. Mas diferente do que você fez, o meu foi em um dos pontos de mergulho do mar de dentro, afastado do porto e, nesse só não vi tartarugas, mas vi alguns pequenos tubarões, e na volta do catamarã pro porto ainda tivemos a companhia de golfinhos.

    Sobre o snorkel no sueste, não sei se você viu, mas parece que agora o guia é obrigatório, depois do acidente do turista que foi mordido por um tubarão. Aí fica uma dica, se forem duas pessoas com o mesmo guia, sai mais barato. Eu e minha amiga pagamos 40, cada uma.

    Já a trilha do Atalaia, o uso obrigatório é de colete, não de boia, e na trilha curta – que não precisa de guia, você só vai até a
    piscina do Atalaia, e só pode ficar lá meia hora. Tem uma pessoa fiscalizando o tempo todo. Já a trilha longa só pode ser feita com guia e passa por várias piscinas naturais. O número máximo de visitantes por dia é 100.

    • Deve ter sido incrível seu mergulho também, Edna. Morro de saudades. Se voltar lá, mergulharei de novo. 🙂

      Abraço e obrigado pelo comentário.

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: