Estocolmo: uma experiência inesquecível na Escandinávia

Estocolmo: uma experiência inesquecível na Escandinávia

*Por Mariana Martins, do blog Mari and the City

Estocolmo era uma cidade que eu queria conhecer fazia tempo. Confesso que sou daquele tipo que se anima em programar uma viagem depois de ver fotos incríveis do destino. Ou seja, lugares que têm um grande apelo visual (e, especialmente, esses com um ar mais histórico pela Europa) acabam me chamando muita atenção!

Nesse quesito, preciso dizer que Estocolmo leva uma vantagem imensa em relação a vários lugares que já conheci. A cidade é um verdadeiro show em termos visuais! Ela tem uma arquitetura lindíssima ao longo das suas 14 ilhas e muitas pontes. Para quem gosta de viajar para fazer muitas fotos de paisagens, Estocolmo não decepciona.

1. The Skeppsholm Bridge estocolmo suécia

The Skeppsholm Bridge (Imagem: Mari and the City)

Se, assim como eu, você chegar a Estocolmo pela Estação Central, vai achar que a cidade esbanja modernidade por conta da arquitetura arrojada no interior desse prédio. Isso não é totalmente mentira, mas a cidade é também interessante do ponto de vista histórico.

Acho que essa dualidade é uma das coisas mais interessantes da capital da Suécia. Basta andar um pouco a partir da Estação Central e estaremos em um dos centros medievais mais bem preservados e interessantes da Europa, que data do século 13: Gamla Stan (que significa Cidade Antiga em sueco).

Ao mesmo tempo, também percebemos que a cidade é realmente o grande pólo tecnológico dentro da Europa que tanto ouvimos falar por meio do contato com coisas simples do cotidiano local. Isso faz com que a experiência de viagem seja incrível.

Estação Central Estocolmo Suécia

Estação Central de Estocolmo (Imagem: Mari and the City)

Vista para Gamla Stan Estocolmo Suécia

Vista para Gamla Stan (Imagem: Mari and the City)

Um dos primeiros lugares que resolvi conhecer na cidade foi justamente o Centro Histórico (Gamla Stan) que acabei de mencionar. Essa área tem uma série de casinhas coloridas em tons pastéis em uma ilha que forma um dos cartões-postais mais conhecidos de Estocolmo. Quase todas as ruelas dessa parte da cidade são fechadas para pedestres e o melhor é dedicar um tempo razoável para andar por lá sem compromisso.

É só dar uma voltinha por ali e encontramos várias atrações importantes, como o Royal Palace, o Museu do Prêmio Nobel e a Catedral de Estocolmo. Bem no centro de Gamla Stan temos a praça Stortorget. Para quem gosta de História, o interessante de sair andando pelo Centro Antigo é pensar que muitos dos prédios que vemos por ali são da época de fundação da cidade e estão ligados ao seu passado viking.

Gamla Stan Estocolmo Suécia

Gamla Stan.  (Imagem: Mari and the City)

Depois das atrações de Gamla Stan, fui conhecer a prefeitura da cidade. Acho que esse foi o prédio que mais me impressionou em Estocolmo. É importante se programar para a visita porque só podemos entrar em tours guiados em horários específicos no City Hall, mas vale muito a pena! É nesse local que acontece o banquete e a festa de gala do Prêmio Nobel.

 City Hall Estocolmo Suécia

Stockholm City Hall. (Imagem: Mari and the City)

Uma das partes mais engraçadas da viagem a Estocolmo foi ir ao museu do ABBA. Você ouve as músicas do Mamma Mia por todo o museu e assiste a alguns vídeos da época em que o grupo fazia sucesso. O melhor é um palco com projeções holográficas dos integrantes da banda onde os visitantes podem cantar suas músicas.

Na mesma ilha da atração do ABBA (que é chamada Djurgården), você também vai encontrar outro museu bem legal: o Vasa Museum. Ele tem um navio que passou mais de 300 anos embaixo da água e ainda está muito bem preservado hoje em dia. Um ótimo jeito de entender um pouco mais sobre a tradição marítima da Escandinávia.

Museu do ABBA estocolmo suécia

Museu do ABBA. (Imagem: Mari and the City)

Na minha opinião, uma das melhores coisas de Estocolmo foi ver o quanto o sistema de transporte público é eficiente. Para atravessar de uma ilha até a outra onde não há pontes, você pode utilizar os ferry boats da mesma forma como usa o metrô, os ônibus ou bondes. Aliás, o metrô de Estocolmo é maravilhoso. Várias estações parecem verdadeiras obras de arte, com pinturas coloridas pelas suas paredes.

O maior problema da cidade é mesmo a disparidade na quantidade de horas de luz do sol entre os dias de inverno e verão. Escurece muito cedo mesmo no inverno e anoitece tarde no verão. De qualquer forma, acho que é um destino que oferece uma experiência maravilhosa, mesmo que Estocolmo ainda seja um pouco subestimada pelos brasileiros que viajam pela Europa.

Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países da Europa e pode ser exigido na hora da imigração. Além disso, é importante em qualquer viagem. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício e garanta promoções.

*Foto destacada: Shutterstock

Blog de três jornalistas perdidos na vida que resolveram colocar uma mochila nas costas e se perder no mundo.

4 comentários em Estocolmo: uma experiência inesquecível na Escandinávia

  1. Olá, vocês podem me tirar algumas dúvidas em relação a Suécia:
    Qual a melhor época do ano para visitar Estocolmo?
    Quantos dias vocês acham o ideal para conhecer a cidade?
    Se for visitar outras cidades, quais vocês sugerem?
    E se for a Noruega e Suécia, quantos dias vocês acham conveniente dispor e, quais cidades merecem uma visita?

    Mudando de polo, e Lisboa merece quantos dias e qual a melhor época?

    Desculpe a quantidade de perguntas. E desde já agradeço a ajuda.

    Abçs

    • Fui agora em abril e peguei dias bem frios (até com geada). Mas foi possível aproveitar bastante. Fiquei 5 dias, e acho que vi tudo que interessava (com bastante tempo). Quanto aos outros, não sei. Boa viagem!

    • Olá!
      Estive agora em maio em Estocolmo (20 a 27)e recomendo muito mesmo.
      Eu fiquei 7 dias inteiros e pude aproveitar bastante.
      Cada ilha é uma atração à parte e vale um dia inteiro ou um período para conhecer.
      Eu prefiro conhecer os lugares caminhando mesmo, então isso acrescenta um pouco mais de tempo nos passeios.
      Além disso, a cidade conta com muitos museus, além do palácio e da prefeitura.
      Então, mesmo que você resolva visitar 2 museus apenas, a prefeitura e o palácio, você vai precisar de 3 a 4 períodos só para isso.
      O ponto a favor de ir entre maio e agosto é que até as 22:00-22:30 o dia está super claro, então você tem muitas horas de luz para andar pela cidade. Mesmo que você deixe para almoçar bem tarde (eu almoçava por volta das 16:00) e fique umas 2 horas relaxando no restaurante, você ainda pode continuar sua caminhada pela cidade por muitas horas. E a luz do sol nesse horário deixa a paisagem mais incrível. A cidade é bem segura, então você pode andar bem despreocupada.
      Eu não fui visitar o palácio de verão que fica fora de Estocolomo.
      Preferi fazer um bate e volta até Gotemburgo. São 3 horas de trem, mas não foi nada cansativo, pois os trens são excelentes e o visual do interior da Suécia é demais. A linha férrea margeia muitos lagos, e entre eles as plantações de canola com as flores amarelas e as casas vermelhas das fazendas formam um visual incrível. Peguei o trem na estação central às 07:00, cheguei às 10:00 em Gotemburgo. Deu pra conhecer todo o centro histórico, a região do porto, e o centro de compras enorme que tem lá. Voltei às 20:30, chegando em Estocolmo às 23:30. Como estava hospedado perto da estação central, foi super tranquilo voltar para o hotel. Para mim, não acho que vale a pena passar uma noite em Gotemburgo, se você for conhecer a cidade apenas.
      Agora, um dos atrativos da região são as praias das diversas ilhas próximas à cidade. Aí sim, se for visitar as ilhas próximas de Gotemburgo, precisa passar uma ou 2 noites lá.
      Um ponto contra de Estocolmo é ser uma cidade cara. As refeições, por exemplo ficam 25-30% mais caras que em outras capitais da Europa que já visitei. Um almoço num restaurante decente, com um copo de cerveja ou uma taça de vinho, sem sobremesa e com a gorjeta de 10% chega facilmente às 450 coroas suecas, o que dá mais ou menos 50 Euros.
      Metrô também é caro (4,5 euros), mas dá direito a usar todos os modais de transporte por tempo de 1:30 se você comprar o tíquete individual. Agora as entradas dos museus e prédios relevantes não são caras.
      Espero qeu tenha ajudado.
      Abs e boa viagem à Suécia!

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: