Como transformar um blog numa empresa

Como transformar um blog numa empresa

Um blog nada mais é que um veículo de comunicação, tal qual um jornal diário, uma revista semanal ou um canal de TV. E veículos de comunicação profissionais são empresas. Têm custos, burocracias, rotinas e normas de funcionamento. Mas embora blogs sejam bem diferentes de empresas tradicionais, na essência encontramos muita coisa parecida.

Já escrevemos sobre nossa rotina aqui no 360 em outros textos, mostrando que fazemos reuniões frequentes, temos muitas tarefas além de produzir conteúdo para o blog e que há uma organização interna para dar conta de tudo. Neste post, quero mostrar o lado mais empresarial no negócio.

Veja também: Conteúdo para blogs de viagem: blogar é contar histórias

4 lições que o jornalismo me ensinou sobre ter um blog profissional

Como ter um blog de viagens profissional

viagem carro

Começou como hobbie, mas virou uma empresa

O passo definitivo para a profissionalização do 360meridianos veio em meados de 2013. Naquele ano, largamos nossos empregos em veículos de comunicação tradicionais e passamos a nos dedicar exclusivamente ao blog. Demorou e foi arriscado, mas alguns meses depois o 360 já dava um salário compatível com a profissão de origem – somos jornalistas – para cada um dos sócios.

Foi só começar a ter dinheiro envolvido para que burocracias precisassem ser vencidas. A princípio tudo foi feito pela MEI de cada um dos sócios, que antes já eram úteis para trabalharmos como frilas. Para quem não sabe, MEI é a abreviação para Microempreendedor Individual, uma pessoa que trabalha por conta própria e pode ter faturamento máximo de R$ 60 mil por ano, além de não poder ser sócio de outra empresa. Quem é MEI paga um pequeno valor fixo mensal, na casa dos R$ 50, e pode abrir contas bancárias empresariais e emitir notas fiscais, entre outros benefícios.

Como o 360 tem três sócios, logo vimos que o MEI não era a melhor saída. Optamos por abrir uma empresa normal. A 360meridianos Ltda. tem sede em Belo Horizonte, CNPJ, conta bancária de pessoa jurídica, contador e toda a estrutura típica de uma pequena empresa.

Quer dizer, quase toda. Nem o escritório de contabilidade contratado para abrir e gerenciar a empresa entendia a natureza do nosso negócio. Precisei de algumas reuniões e muita conversa para explicar exatamente o que fazíamos e de onde vinha o dinheiro. Além disso, esse é um negócio digital. E isso significa baixo custo. Embora a empresa tenha um endereço legal (e pague taxas de fiscalização e incêndio todo ano), na prática o endereço do 360 é onde cada um de nós está. Trabalhamos de casa, de um hotel, restaurante, enfim, de qualquer lugar com internet.

Mas quais são as contas a pagar?

Além dos impostos, o custo do 360meridianos é de cerca de R$ 1200 por mês. Nesse valor estão incluídas a hospedagem do site, serviços de envio de e-mail, taxas bancárias, ações patrocinadas no Facebook e a contabilidade. Esse é o custo fixo e sem o qual o blog não funciona, mas também optamos por pagar o INSS de cada um dos sócios e um seguro de saúde empresarial. E sempre podem ocorrer investimentos ou custos temporários, claro.

Por outro lado, não gastamos nada com aluguel, material de escritório e nem mesmo com contas de telefone ou internet, já que usamos as de nossas próprias residências. Eu recebi algumas ligações de empresas de telefonia que ofereciam planos empresariais gigantescos para o 360meridianos. Eles nunca entenderam que nada disso é útil ou necessário pra gente. E nem queremos que um dia seja. Por mais que trabalhemos e sonhemos com a expansão do 360, esse negócio nasceu para ser flexível, no melhor esquema de home office.

Financeiro

Toda empresa tem um setor financeiro. Além de pagar contas e emitir notas fiscais, nós mesmos controlamos o valor que entra todo mês, fazemos um balaço financeiro mensal e dividimos o lucro entre nós três. Com isso, nosso salário varia bastante ao longo do ano, já que o rendimento do blog é determinado por viajantes. E as pessoas viajam mais em certas épocas do que em outras – em geral, ganhamos mais na alta temporada de destinos em que somos mais fortes ou logo após dela.

Aprendemos a lidar com essa variação da pior forma possível e hoje sabemos que o rendimento do blog cai bastante em uma parte do ano, mas é compensado na outra. Para resolver o problema e expandir o negócio, agora temos um salário fixo, que é pago para cada um sempre na mesma data. O que sobrar é guardado para segurar os salários nos meses mais fracos e ser reinvestido na empresa, uma espécie de caixa mesmo. Queremos continuar como um negócio digital, flexível e de baixo custo, mas queremos crescer.

relacionamentos online

Mas de onde vem o dinheiro?

Isso já foi tema de um texto e até de algumas palestras do 360. Mas, como sei que seria perguntado aqui também, faço um resumão: blogs de viagem vivem, em geral, de três pilares: programas de afiliados – quando você, querido leitor, reserva um hotel, voo ou compra um seguro por meio de parceiros do blog -, venda de produtos próprios e publicidade direta.

O último caso é semelhante ao de jornais e revistas, mas infelizmente ainda é o menos comum. Por mais que alguns blogs tenham audiências bem maiores que a de veículos normais, isso sem contar o nicho definido e a capacidade alta de influenciar pessoas, em geral agências e anunciantes não entendem que um blog pode ser um negócio, não apenas um hobbie que rende alguns trocados por mês e uma ou outra viagem de graça.

Veja também: Como ganhar dinheiro com um blog de viagem

Trabalho criativo: valorize o seu ou você vai acabar fazendo de graça

Embora o 360meridianos participe ocasionalmente de press trips, viagens organizadas por destinos turísticos que querem divulgação e que são comuns na imprensa, nosso foco nunca foi (e nunca será) viajar de graça. Queremos ganhar nosso próprio dinheiro para assim podermos escolher as viagens que nos interessam, para criar nossos projetos.

Também estamos fazendo um trabalho mais ativo em busca de parceiros e anunciantes que não apenas acreditem nos blogs geral, mas que tenham os mesmos valores que defendemos em nosso manifesto: “o 360 não tem como objetivo apenas falar de lugares interessantes e dar dicas de viagem. Queremos mais: fazemos questão de refletir sobre o turismo. Acreditamos que a força transformadora da viagem está nas experiências, impacto que reduz fronteiras, aproxima pessoas, abre cabeças e amplia a forma de pensar”. É com empresas que acreditam nisso que desejamos trabalhar mais a cada dia. 

E o futuro?

Não dá pra ficar aqui. Por mais que o nosso estilo de trabalho e negócio não vá mudar, para seguir em frente é preciso crescer. E não cresceremos se continuarmos como uma empresa de três cabeças. Queremos, mais cedo ou mais tarde, que outras vozes também sejam ouvidas no 360, sobretudo vozes diferentes das nossas.

Queremos descentralizar as coisas e contratar pessoas que sejam especialistas naquilo em que nós não somos, afinal há uma infinidade de funções num veículo de comunicação e nós não temos a capacidade de exercer bem todas elas. Já tem tempo que queremos que a equipe do 360 aumente. E não apenas na produção de conteúdo.

Num ano de crise, esses planos tiveram que ser adiados, mas resolvemos voltar a sonhar e a traçar planos e projetos para que isso seja possível. Quem sabe em breve, né? Como sempre, fica o nosso muito obrigado a você que nos lê e que é a razão por trás de tudo isso.

Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014 voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura. Siga minhas viagens também no instagram, no perfil @rafael7camara no Instagram

9 comentários em Como transformar um blog numa empresa

  1. Estou realmente encantada com todos os conteúdos, estou com dificuldade em fazer um blog, tenho muitas duvidas, estou tirando da gaveta esse ano de 2017 viajar pela América Latina e quero relatar minhas experiências,filosofando minhas viagens, assim sigo. obrigada gostei muito!!

  2. gostei muito do site e de toda leitura, vcs estão de parabéns! Dou muito valor quem mergulha de cabeça pra fazer o que vcs fazem e tornar nossas viagens mais divertidas e surpreendentes. Como os blogs e sites tem ajudado tanta gente a viajar mais e melhor pelo mundo a fora ( um dia chego no nível de vcs, hoje me dedico a arquitetura que amo de paixão, focado em realizar meu ano sabático, ou melhor vida sabática em breve)

    “Queremos descentralizar as coisas e contratar pessoas que sejam especialistas naquilo em que nós não somos, afinal há uma infinidade de funções num veículo de comunicação e nós não temos a capacidade de exercer bem todas elas. Já tem tempo que queremos que a equipe do 360 aumente. E não apenas na produção de conteúdo”

    Sobre isso que quero escrever, é tanto uma curiosidade que pode se tornar ideia/projeto do blog.
    Quando viajo procuro por temas específicos ( arquitetura, arte, museus, gastronomia e paisagem urbana e natural), percebo um nicho
    de possibilidade a ser explorado ai, não se encontra sites especializados em alguns assuntos ( uso o meu exemplo mas acho que isso pode ser usado até pra medicina ou música, ou moda etc), Seria super legal ver no blog matérias sobre arquitetura pelo mundo, desde patrimônios da Unesco como lugares pitorescos ou arquitetura moderna ( já pensaram em ter alguém de arquitetura neste blog? arquitetos , engenheiros e designers viajam bastante, ter um blog que tenha esta abordagem pode ser facilmente conhecido em todo país). Sinto falta de ler sobre as peculiaridades de obras que só descubro quando viajo ao local, ou em livros específicos.
    Outra coisa é música, tem tanta riqueza na músicas deste lugares podiam ser acessado por blogs de viagens ( entrar no clima do lugar), baladas e quem está bombando em alguns lugares. Fiquei chocado quando estive na Macedônia, na cidade de Ohrid em 2015 e a música que estava fazendo sucesso no barco do tour era Beto Barbosa ( lembra da época da lambada? pois é, era aquilo em todo lugar).
    Música é algo que chama a attenção da gente ainda mais quando se pensa em curtir a noite, seria legal ter isso pra se ler no blog .
    Desde música erudita a popular, folclórica a musical , é um leque de oportunidades pra se descobrir.
    Bom era isso , espero ver o crescimento de vcs, gostei muito do trabalho. Já estou lendo e pegando dicas pra o próximo destino.
    Abraço e sucesso pra todos.

    • Já pensamos em possibilidade assim, Josimar. Um dia chegaremos lá. 🙂

      Abraço e muito obrigado pela dica e pelo comentário carinhoso.

  3. Caro Rafael;
    Parabéns pelo texto. Explicativo e realista.
    Sou especialista em marketing estratégico e acredito que possa contribuir. O conceito de expansão é salutar ao negócio, mas o aumento de estrutura não necessariamente é importante. Aumentando seus serviços prestados, para públicos mais específicos, vocês poderão ampliar suas margens de lucro. Boa sorte!
    Rogério Pohl
    [email protected]

  4. Ótimo texto Rafael, matou algumas das minhas últimas dúvidas, sobre abrir ou não um empresa.
    Mas tenho uma dúvida. Tenho meu blog a pouco mais de 1 ano e está começando a pagar algo só agora, mas não o suficiente para se manter só com ele.
    Quando você acha que é a hora de abrir uma empresa? Meus lucros atuais são apenas com programa de afiliados (booking e Real Seguros). Essa parte de afiliados também é necessária declarar ou emitir nota?

    Abraços e obrigado pelo post

  5. É muito legal saber das experiências que vocês passaram.
    Eu também comecei sem muita pretensão e quando me deparei o blog havia crescido e se transformou em uma empresa. Inclusive tive que contratar mais pessoas esse ano para fazer parte da equipe.

    Sempre acompanho o 360, porque me identifico muito com o conteúdo que vocês produzem aqui e gostei muito das informações que compartilhou nesse post, porque quando estive iniciando sempre quis entender melhor toda essa parte burocrática 🙂

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: