Roteiro de 4 dias na Alsácia, França, sem carro

Roteiro de 4 dias na Alsácia, França, sem carro

A decisão de ir para Estrasburgo num final de semana prolongado não foi nada consciente. Basicamente, abrimos o Kiwi (antigo Skypicker), digitamos a saída do Porto, demos um intervalo de datas disponíveis e esperamos para ver qual destino com voos baratos nos apetecia. Assim, surgiu a Estrasburgo, que fica na Alsácia, região francesa que já foi alemã, francesa, alemã, francesa, etc etc etc. Uma olhadinha no Google e Instagram e pronto: estávamos convencidos a conhecer tal cidadezinha de casas de madeira coloridas.

Passagens compradas para quatro dias, foi hora de montar mais ou menos um roteiro. Essa é uma região da Rota do Vinho na França, começando em Estrasburgo (ou Strasburgo) e terminando em Colmar. No meio do caminho, uma dezena e tanto de vilas pequenas e encantadoras. Além das paisagens, vinícolas e tudo mais. A questão é: como em qualquer outro lugar na Europa que conheço, sem um carro é bem difícil ir aos cantinhos menores e mais pitorescos.

alsácia frança rota do vinho estrasburgo rio

Estrasburgo

O problema é que o aluguel de carro estava saindo mais caro que a nossa passagem de avião, não tínhamos tantos dias assim e nem fazíamos a menor questão de conhecer vinícolas. Então, resolvi correr atrás de um roteiro que não precisasse de veículo, mas que nos permitisse conhecer pelo menos algumas das vilas bonitinhas, para além das tradicionais Estrasburgo e Colmar.

Lendo blogs por aí, percebi que algumas cidades eram mais charmosas e interessantes do que outras: Obernai, Eguisheim, Ribeauville, Riquewihr, por exemplo, sempre figuravam as listas dos blogueiros. A partir dessas ideias, fui correr atrás de onde realmente conseguiria ir sem carro.

Transporte público na Alsácia, França: como ir de Estrasburgo para Colmar e outros cantos

Uma coisa maravilhosa sobre países bem organizados é que eles têm sites com boas explicações sobre transporte público em suas regiões. Esse é caso da França, que além do site geral de trens, o SNCF, também tem uma página só para planejar trajetos na Alsácia: o Vialsace!

Eis algumas coisas legais que descobri nesse site e compartilho com vocês:

Colmar

– Há ônibus, trens regionais, trens rápidos e rotas de bicicleta (com ciclovia) em praticamente toda a região.

– Nos finais de semana, existe a vantagem de comprar um ticket de grupo. Ele permite que duas a cinco pessoas embarquem com o mesmo bilhete, que é válido por 24 horas, entrando e saindo dos trens quando quiserem. O tal bilhete se chama: Alsa+ Groupe Journée Régional e custa €37,30

– Durante a semana também existe a opção de um bilhete 24 horas, mas ele é individual. Chama-se Alsa+ 24H Régional e custa €36,20

– Não é preciso comprar nenhuma passagem com antecedência, a não ser que você queira pegar um trem rápido: mas isso só vale a pena se estiver indo para Paris ou outra cidade fora da região. Dentro da região, os preços são os mesmos e você pode comprar diretamente na estação.

– O problema dos finais de semana é que os ônibus são realmente escassos, visto que servem para levar a população local para trabalho ou escola. Também pode ser difícil encontrar alguns lugares abertos (mais sobre isso ali embaixo).

Roteiro de 4 dias na Alsácia e Rota do Vinho sem carro

alsácia frança rota do vinho obernai

Obernai

Partindo do princípio de que não queríamos alugar carro e não temos o menor preparo físico para percorrer a rota do vinho de bicicleta, eu pensei nesse roteiro. Também levei em consideração que era um final de semana e, por isso, não havia opções de ônibus disponíveis para vilas que gostaríamos de conhecer (assim, tive que cortar lugares que dizem ser muito belos, mas que não conseguiríamos chegar).

Dia 1: Chegada em Estrasburgo no final da tarde. Check in, giro pelo centro e visitar alguns bares;

Dia 2: Estrasburgo: passear pela cidade, pontos turísticos e freewalking tour;

Dia 3: Colmar: ir de trem a partir de Estrasburgo. Passear pela cidade. Depois do almoço, pegar uma bicicleta até Eguisheim (cerca de 7 km). Voltar e pegar o trem de volta a Estrasburgo no início da noite.

Dia 4: Obernai: Fazer check out e pegar trem de Estrasburgo. Passeio pela cidade. Depois do almoço, pegar trem de Obernai direto ao aeroporto.

Meu roteiro até era bom, mas não contava com alguns problemas sérios. Os dois primeiros dias correram perfeitamente. A vida noturna em Estrasburgo é até bastante animada e conseguimos aproveitar todas as noites lá em bares. E certamente vale a pena ficar lá um dia inteiro passeando ou usar a cidade como base.

O terceiro dia, porém, era um domingo. Chegamos em Colmar como o planejado, economizando no trem graças ao bilhete de grupo. Passeamos pela cidade a manhã inteira, paramos para tomar um café e fomos para a estação de trem alugar a bicicleta que nos levaria até Eguisheim. Um trajeto de 7 km na ciclovia, ou seja, até nós, sedentários, sobreviveríamos. O problema é que nem no site da empresa, a Velo Doc, nem no escritório de turismo da cidade, fomos avisados de que a loja de aluguel de bicicleta estaria fechada nesse domingo específico.

Sim, poderíamos ter sido fortes e caminhado até Eguisheim, mas meu pé estava com bolhas horríveis causadas pela minha bota. Frustrados, começamos a tentar descobrir o que poderíamos fazer para aproveitar a tarde, visto que tínhamos um bilhete de trem comprado já. Nisso, usando o wifi da estação de trem, descobri um site que indicava todas as cidades em que as rotas de trem na Alsácia chegam (recomendo!!). E cruzando a informação com os trens disponíveis em Colmar naqueles horários, resolvemos dar uma passada em Sélestat.

alsácia frança rota do vinho selestat

Infelizmente, a cidade era sem graça, pelo menos em comparação com as outras que já tínhamos visitado. E não tinha muita coisa para ver/fazer. Ficamos lá exatamente uma hora entre descer do trem, passear e voltar para a estação. Assim, retornamos para Estrasburgo no final da tarde bem cansados e um pouco frustrados com os erros. Então saímos para aproveitar a última noite por ali.

Por fim, no último dia, fizemos check out no Airbnb e seguimos para Obernai. Não tivemos problemas com o trajeto, mas mais um erro de cálculo tornou o passeio um pouco mais chatinho. Obernai é realmente lindinha, pequena e vale a pena passar por lá, com certeza! Mas não tem nenhum lugar para deixar as malas. Então, mesmo que tivéssemos aproveitando o passeio, foi meio chato ficar puxando as malas de mão pelo chão de pedrinhas.

Veredito: Vale a pena conhecer a Alsácia sem carro?

alsácia frança rota do vinho colmar 2

Colmar

Se o seu maior objetivo for conhecer as duas maiores cidades, Estrasburgo e Colmar, certamente vale a pena não alugar carro. Cada uma dessas cidades pode ser visitada em um dia a pé, então se você tiver pouco tempo, é uma boa solução.

Caso você queira visitar mais lugares, principalmente as cidadezinhas que todos prometem ser encantadoras, evite os finais de semana. Assim, terá não só a opção dos trens regionais, mas também do serviço de ônibus. Ainda, fica mais fácil para alugar ou devolver bicicleta.

Sou jornalista, tenho 28 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite “morar no aeroporto”. Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo.

2 comentários em Roteiro de 4 dias na Alsácia, França, sem carro

  1. Realmente é dignificante seu empenho em debulhar com precisão essas rotas nos esclarecendo com exatidão e clareza, para que nos sintamos seguros na aventura em conhecer lugares novos e não divulgados. Eu acompanho seu trabalho. Parabéns!!!😚

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: