Políticas do Blog

Políticas do Blog

O 360meridianos é um blog de três jornalistas. Portanto, nos pautamos pelos princípios éticos desta profissão para escrever neste espaço. Temos o compromisso de dizer a verdade e dar informações apuradas ao leitor. Como blogueiros e jornalistas, procuramos sempre informações exatas e que sejam de interesse dos leitores, checando tudo várias vezes antes de publicar.

Todos os textos do 360meridianos passam pela revisão e edição atenta dos três autores. A busca constante pela exatidão é nossa maior responsabilidade. Também respeitamos as diretrizes da Associação Brasileira de Blogs de Viagem (ABBV) e da Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem (RBBV), das quais fazemos parte.

A fonte das nossas informações

Nossos relatos de viagens são pessoais. Entendemos que cada vez mais pessoas procuram informações de viagens em blogs, e não mais nos sites tradicionais. Acreditamos que muitos fazem isso porque querem não uma informação fria e impessoal, mas o relato detalhado e opinativo de quem já esteve em determinado lugar. Nesse caso, a opinião de quem já viajou importa muito, afinal o leitor quer tomar decisões que vão impactar no melhor e mais importante mês do ano: o das férias.

Na maioria esmagadora dos textos deste blog, contamos relatos e falamos sobre lugares onde nós estivemos. Em alguns textos – casos raros – falamos não sobre lugares que visitamos, mas que gostaríamos muito de visitar, embora isso não tenha sido possível ainda. Em casos assim, sempre avisamos ao leitor que a fonte das nossas informações não é a experiência no local, mas diversos sites e blogs.   Jamais publicamos releases ou textos enviados por empresas e assessorias de imprensa: sabemos que não é isso que nosso leitor quer.

Transparência na hora da monetização

O 360meridianos é um veículo de comunicação com foco em viagens. Como tal, entendemos que é absolutamente natural que este site tenha políticas de monetização. Blogar sobre viagens é o nosso trabalho, além, é claro, de um prazer enorme.

No caso das várias formas de publicidade, temos um compromisso de transparência com os leitores. Entendemos que escrever para uma das chamadas “novas mídias” é um privilégio. E isso vai muito além do estilo informal e interativo permitido pelo formato – também é nossa obrigação fazer diferente da mídia tradicional quando o assunto é dinheiro.

Como jornalistas, sabemos muito bem como alguns setores da mídia tradicional trabalham. Grandes veículos de comunicação muitas vezes não são transparentes em relação aos acordos publicitários. Acostumaram-se a fazer matérias pagas e a não avisar disso; a viajar de graça e não informar que receberam o benefício; a ganhar cortesias e brindes, mas fingir que tudo saiu do próprio bolso. Em outras ocasiões, quando avisam que algo se trata de publicidade, fazem isso de forma a chamar a mínima atenção do leitor, como se aquela informação não fosse importante. O 360meridianos se compromete a não usar dessas artimanhas. Entendemos que transparência não combina com avisos em letras miúdas.

Os posts patrocinados

Uma vez por mês a equipe do 360meridianos se encontra numa coisa que jornalistas chamariam de reunião de pauta. Nesses encontros, discutimos todos os temas dos posts que serão publicados nas semanas seguintes, numa média de 12 por semana. Ou seja: quase tudo que vira tema do blog está ali por ideia e iniciativa nossa.  A exceção dessa regra? Os posts patrocinados, também chamados de publieditoriais.

São textos feitos em parceria com alguma empresa, que paga um valor ao 360meridianos por isso. Aqui entra nosso compromisso de transparência com os leitores. Todos os posts patrocinados têm um aviso, feito por meio da imagem abaixo, que é colocada no final do texto.

Aviso 1

Com isso, avisamos ao leitor que há algum elemento publicitário naquele texto. Infelizmente algumas empresas ainda pedem que blogs e sites escondam a condição patrocinada desses posts. Nós deixamos claro aos potenciais parceiros que não topamos esse tipo de negócio antiético. E fazemos isso logo de cara, nos primeiros e-mails ou telefonemas trocados.  Empresas anunciantes sérias não só concordam com essa condição, mas até mesmo exigem trabalhar nesse formato.

Agimos assim não apenas porque entendemos que essa é a conduta correta, que deveria ser adotada por todos os veículos de comunicação – grandes e pequenos; tradicionais ou modernos – mas também porque essa é a determinação do Código de Defesa do Consumidor.

Vale dizer também que nenhum post patrocinado é escrito diretamente pelos redatores da empresa parceira. Na maioria dos casos acontece assim: depois de feito o contato inicial e aprovadas as condições fundamentais, fechamos com a empresa um tema. Um dos autores do 360meridianos desenvolve então um texto de viagem que tenha ligação com o produto da empresa. Um banner ou link(s) para o site do parceiro é inserido no post.

Preferimos escrever nós mesmos os posts, jamais publicando realeses, para garantir que a qualidade e o estilo do blog serão mantidos, mesmo em caso de posts patrocinados. Temos sido recompensados pelos leitores, que aprovam essa política de transparência: os posts patrocinados têm um desempenho tão bom quanto todos os outros do blog, sendo que alguns desses publieditorias aparecem, mês após mês, na nossa lista de mais lidos. Prova de que o leitor quer apenas ser avisado de quando há alguma publicidade envolvida.

Programas de afiliados

Algumas empresas de vendas online fazem com blogs e sites outro tipo de parceria. São os chamados programas de afiliados, que tornam possível que um leitor compre algum produto ou reserve um quarto de hotel diretamente no blog. Atualmente nós participamos de quatro programas desse tipo: Booking.comWorld Nomads, IAC e American.Net Mobile.

Booking

Com o programa de afiliados do Booking, disponibilizamos ao viajante mais um serviço: a opção de procurar,  num site confiável e em português, os hotéis onde nos hospedamos ou que são indicados por nossos leitores. Jamais colocaríamos no blog um serviço em que não depositássemos confiança. O Booking é uma empresa holandesa, séria e que realiza centenas de milhares de reservas em hotéis, em todas as partes do globo, diariamente.

Durante nossas viagens, nós mesmos muitas vezes fazemos reservas de hotéis dessa forma. Entretanto, vale sempre dizer que o 360meridianos não é responsável pela reserva do hotel em si. Por meio dos links que colocamos do Booking, nós indicamos opções de hotéis e albergues onde nós mesmos consideraríamos ficar. A partir daí o trabalho é de responsabilidade da empresa parceira, afinal é no site dela que o negócio é fechado ou não.

Atualmente há  links desse programa de afiados na página “Hotéis“, que pode ser acessada no menu inicial do blog. Também há links para esse programa de afiliados em alguns posts e páginas do blog. Outra opção é a caixa de pesquisa do Booking, que permite que o próprio leitor procure hotéis na cidade e nas datas em que ele vai viajar, como a exibida abaixo.

Quando um leitor reserva um hotel por meio de um desses mecanismos, ganhamos uma comissão da empresa parceria. Não ganhamos nada pela simples colocação do link no site e nem mesmo se o leitor for até o site da empresa, pesquisar, mas não reservar e se hospedar no hotel. Vale dizer também que o leitor não paga nem um centavo a mais por reservar o hotel a partir do 360meridianos: nossa comissão sai do dinheiro do Booking, não do bolso do viajante.

World Nomads

Após a implementação do programa de afiliados do Booking, decidimos oferecer aos leitores também um serviço confiável de seguros de viagem. A escolha não poderia ser mais óbvia: o World Nomads, uma empresa australiana que oferece cobertura em 150 países. Já fizemos várias viagens internacionais usando o seguro deles e já testamos de fato o serviço em uma ocasião, quando foi necessário cancelar uma viagem na África do Sul e voltar ao Brasil por conta de uma emergência.

Além disso, entendemos que o perfil da empresa se encaixa perfeitamente ao de boa parte do público leitor do blog – o seguro é feito para nômades, mochileiros e viajantes jovens, gente que cai na estrada por longos períodos, muda constantemente de planos e precisa de flexibilidade (e segurança) na hora de viajar.

Assim como no caso do Booking, depositamos confiança no World Nomads, mas vale lembrar que não somos responsáveis pelo serviço em si: a compra do seguro é feita no site da empresa. Em caso de emergência, é o World Nomads que deve ser contatado, não o 360meridianos.

Comprando o seguro por um dos links presentes em posts do blog o 360meridianos ganha uma pequena comissão, mas o leitor não paga um único centavo a mais por isso.

IAC

Entendemos que o World Nomads é um ótimo seguro, mas não atende a todos os leitores do blog. O fato de ser uma empresa australiana – e de toda a compra ter que ser feita em inglês – afasta alguns viajantes dessa opção. Além disso, viajantes mais tradicionais, que fazem viagens curtas, de férias, podem se interessar por opções diferentes.

Por esses motivos, temos outro seguro de viagem para indicar: o IAC. Também já viajamos com esse seguro e por isso recomendamos essa opção. As vantagens? Se trata de uma empresa brasileira que faz as vendas em português. Além disso, não há cobrança de franquia, uma questão do World Nomads que não agrada alguns viajantes.

O leitor do 360meridianos tem um desconto de 20% na compra de um seguro da IAC. Para isso, basta acessar o site deles e procurar o campo “cupom de desconto”. Ali, coloque 360meridianos. Você ganha seu desconto e ainda ajuda o blog, que ganha uma pequena comissão.  

American.Net Mobile

Não caia da besteira de viajar ao exterior e usar o 3G oferecido pelas empresas de telefonia brasileiras. Se você fizer isso, vai se surpreender com uma tremenda conta de telefone quando voltar ao Brasil.

A solução? Se sua viagem for para os Estados Unidos, recomendamos a American.Net Mobile, empresa que oferece chips com dois números: um de celular norte-americano e um fixo brasileiro. Isso significa que você usa as melhores tarifas para fazer e receber ligações do Brasil sem a cobrança de roaming e das tarifas internacionais, ao mesmo tempo em que paga pouco pelas ligações que você precisar fazer lá dentro.

Nós usamos, aprovamos e passamos a ser parte do programa de afiliados da empresa. Saiba mais.

Outras formas de monetização

O 360meridianos também utiliza formatos de publicidade mais tradicionais, como banners e outras peças publicitárias, que são exibidas em áreas separadas para esse fim. Por ser esse um modelo clássico de propaganda, entendemos que o leitor já sabe do que se trata, não sendo necessário explicar. Jamais vamos mascarar a publicidade, de forma a torná-la imediatamente irreconhecível como tal para o leitor.

Os limites das estratégias de monetização

Qualquer publicidade existente no blog está ali para tornar possível a criação de mais conteúdo, não o contrário. Por isso, observamos limites máximos na hora nesse tipo de acordo. Isso significa que os posts patrocinados sempre serão minoria em relação ao restante do conteúdo do blog; que não lotaremos a página do 360meridianos com incontáveis programas de afiliados; que nunca colocaremos mais banners do que conteúdo.

Entendemos que monetizar um blog é uma medida justa, mas também nos preocupamos com a boa experiência do leitor enquanto usar o 360meridianos. Por isso, não utilizaremos modelos de publicidade que causem um ruído muito grande na comunicação com o viajante. Aqui o leitor não será incomodado por pop-ups e nem por qualquer modelo de publicidade intrusiva, que exija uma ação para que o usuário possa continuar navegando no site.

Viagens patrocinadas

Alguns veículos de comunicação optam por simplesmente não aceitar convites de viagens de empresas ou governos. Nós respeitamos essa postura, mas entendemos que essas viagens são mais uma oportunidade de aumentar o conteúdo do blog, trazendo aos leitores informações, fotos, vídeos e relatos de viagens que de outro modo não estariam acessíveis.

Caso sejamos convidados a participar de alguma viagem ou encontro por empresas, tal informação também será dada no texto, sinalizando que a “Viagem foi um convite da empresa X”.

O fato de uma viagem ser patrocinada não altera nossa opinião sobre um assunto: se determinada experiência ou produto for ruim, não defenderemos que é bom simplesmente porque não pagamos para testar. Deixamos essa questão clara para os parceiros assim que recebemos qualquer convite.

Também não aceitamos convites que envolvam condições que possam violar essa política. Por exemplo, jamais combinamos a quantidade de textos que serão feitos sobre a viagem e não enviamos os textos para os patrocinadores da viagem antes da publicação.

Respeitamos um limite razoável das viagens patrocinadas, também chamadas de fam e press trips. A maioria das viagens feitas pelos blogueiros do 360meridianos sempre será de iniciativa própria, com os blogueiros pagando do próprio bolso por isso. Entendemos que é sim possível manter a opinião honesta durante viagens patrocinadas, mas sabemos que numa situação assim a viagem é pautada por uma empresa ou destino, e não pelos blogueiros, por isso é necessário um limite na quantidade de convites que serão aceitos.

Apoios eventuais em viagens

Por mais que sejamos viajantes econômicos, todos sabem que viajar não é exatamente barato. Como cair na estrada sempre e de forma constante é essencial para nossa profissão, algumas vezes conseguimos apoios eventuais para tornar possível a realização de uma viagem.

Note que não se trata de uma viagem patrocinada, já que nesse caso somos nós que escolhemos o destino, fazemos todos os preparativos e pagamos grande parte dos gastos. Pedimos o apoio de uma empresa ou organização depois que a viagem já está planejada. Nesses casos, sempre avisamos aos leitores qual foi o apoio recebido. Fazemos isso por meio de texto, no final de cada post que fale de serviços que tenham sido cortesia.

Para exemplificar, um caso clássico dessa situação é a parceria da Hostelling International (HI) com a Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem (RBBV), da qual fazemos parte. Blogueiros da RBBV podem solicitar hospedagem gratuita em hostels da HI em qualquer lugar das Américas. O pedido pode ser aceito ou não, dependendo da disponibilidade e da vontade do dono do hostel em questão. Sendo aceito, informamos ao leitor que estamos ali sem pagar, como fruto dessa parceria. Para mais informações, leia o texto que publicamos quando essa parceria foi fechada, em outubro de 2012.

A questão autoral

Não copiamos conteúdo de nenhum outro site ou blog e nem traduzimos o conteúdo de blogueiros estrangeiros sem autorização. Tudo o que está aqui foi escrito pela equipe do 360meridianos ou algum blogueiro convidado. Quando usamos terceiros como fonte, isso está claramente citado. A maior parte das fotos exibidas no site é de autoria própria. Quando não for, são fotos com licença de uso liberada; ou fotos de divulgação de alguma empresa ou autor; ou fotos se outro viajante (e postada somente com a autorização dele).  Nesses casos sempre  damos o devido crédito ao autor.

Não autorizamos o uso de nossos textos e fotos em outros sites, blogs e veículos de comunicação. Caso tenha interesse em comprar o direito de uso de alguma imagem, fale conosco por e-mail ([email protected]).

Outras considerações

Apesar de sermos pagos para escrever alguns posts e/ou eventualmente convidados a participar de viagens, reservamos o direito de manter nossa opinião e publicar no 360meridianos nossas impressões verdadeiras sobre serviços e tratamento recebido, entre outros. Novamente, isso quer dizer que não necessariamente porque fomos pagos iremos indicar aquele produto como o melhor do mundo.

Os posts com indicações de lugares e serviços, tais como passeios, hotéis, lojas, etc, são feitos com base nas nossas impressões dos mesmos. Não recebemos por isso e estamos contando sobre o que vimos e achamos. Não nos responsabilizamos se você tiver outra experiência ao estar ali – cada pessoa tem uma opinião e vivência diferentes.

Da mesma forma, lembramos que as coisas mudam, o tempo passa e preços e horários de funcionamento podem ter sido alterados desde a última vez que visitamos e escrevemos sobre um local. Sempre verifique a data em que um post foi publicada e/ou a viagem foi feita. Em caso de informação errada, pedimos aos leitores que por favor nos avisem, para que os dados possam ser alterados de acordo com a situação atual. Por falar nisso, recomendamos que todos os leitores conheçam também a política de comentários do 360meridianos.

Também seguimos as diretrizes para webmasters do Google, a fim de evitar penalidades e porque acreditamos que essa é uma maneira correta de usar o blog. Isso significa que não fazemos troca de links e nem usamos links em palavras-chave.

Por fim, caso você seja dono de uma empresa e tenha interesse em anunciar no 360meridianos ou propor uma parceria, nós estamos abertos a ouvir sua proposta. Entre em contato pelo email [email protected]