Purmamarca e o Cerro de los Siete Colores, Argentina

Purmamarca e o Cerro de los Siete Colores, Argentina

Com pouco mais de dois mil habitantes, Purmamarca, na Argentina, tinha tudo para ser uma vila andina como outra qualquer – o que, vamos concordar, já significa muito. Mas Purmamarca é mais. É na cidade que fica o Cerro de los Siete Colores, ou o morro das sete cores, em bom português.

As cores mostram a idade do morro, que tem cerca de 70 milhões de anos. São restos de sedimentos de rios, lagos e mares, tudo remexido e colocado para fora da terra por conta de movimentos tectônicos. As fotos que tiramos falharam em mostrar toda a beleza e colorido do local, principalmente porque não foram tiradas nos dois momentos mais bonitos do dia – o nascer e o pôr do sol. Mesmo assim, já deixam claro que esse é um lugar que merece ser visitado.

Cerro de los siete colores

O resultado é um dos cartões-postais mais famosos do norte da Argentina, um lugar que gente de todo país sonha em um dia conhecer. O Cerro de los Siete Colores é também a parada mais interessante da Quebrada do Humahuaca, que reúne ainda mais montanhas coloridas, vilas andinas e ruínas pré-incas.

Veja também: Onde ficar na Quebrada do Humahuaca

A maioria dos turistas passa apenas algumas horas na cidade (ou até menos tempo). É que muita gente faz o passeio a partir de Salta, num tour que inclui também Salinas Grandes, que é um deserto de sal, e uma vila chamada San Antonio de Los Cobres. Com isso, sobra muito pouco espaço para conhecer Purmamarca – só mesmo o tempo necessário para observar o Cerro de los Siete Colores.

Vila de Purmamarca, Argentina

Isso é um tremendo erro. A viagem pela Quebrada do Humahuaca é muito interessante e rende pelo menos uns três dias (eu fiquei uma semana). O ideal é passar pelo menos uma noite em Purmamarca, de modo a curtir o nascer e pôr do sol por lá. Depois, siga para Tilcara, uma vila um pouco maior e com estrutura melhor, não muito longe dali.

Mas voltemos a falar de Purmamarca: a cidade tem meia duzia de ruas e uma praça central, onde fica uma igreja da época da colonização espanhola. Na praça ocorre uma feira de artesanato permanente, que vende produtos andinos para as centenas de turistas que todos os dias desembarcam por ali.

Purmamarca, Argentina

A melhor vista da cidade é a do alto de um morro particular de frente para o Cerro de los Siete Colores. Para entrar é necessário pagar, mas é pouca coisa, algo em torno de 10 pesos. Foi de lá que tiramos muitas das fotos que ilustram este post.

Purmamarca, Argentina

Além de observar o Cerro, outra atração tradicional de Purmamarca é caminhar. O Paseo de los Colorados é um trecho de quatro quilômetros, que sai do centro da cidade e percorre outras das montanhas coloridas que ficam por ali. Nós fizemos e recomendamos – o lugar é lindo. Deixo as fotos falarem por mim.

Purmamarca, Argentina

Purmamarca

Purmamarca, Argentina

purmamarca, Argentina

Receba mais dicas de viagem

Então curta nossa página no Facebook

Siga o @360meridianos no Twitter

Veja nossas fotos no Instagram

Receba novos posts por e-mail

Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014 voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura. Siga minhas viagens também no instagram, no perfil @rafael7camara no Instagram

18 comentários em Purmamarca e o Cerro de los Siete Colores, Argentina

  1. Estou me programando para ir a Salta e Ourmamarca no carnaval de 2018 pela Terramundi. Iremos em dois casais e mais meu filho de 33 anos. Estou preocupada com a altitude, é tranquilo? Não encontro comentarios sobre isso.

  2. dormi em purmamarca a caminho de Paso de jama onde desceria para o Atacama de moto lamentei nao subir a Montanha de setecores for absoluta faltade tempo apesar de estar viajando

  3. Oi…Tudo bem…Parabéns pelas informaçoes, encantador este Purmamarca, nunca tinha ouvido falar…e olha que conheço uma boa parte da Argentina…
    Moro em SP e gostaria muito de conhecer Purmamarca…Vou me programar para ir ainda este ano..Amei..Vc tem informaçoes de Turismo…Para ir de carro saindo de SP.
    Atenciosamente
    Mary

  4. Passei próximo semana passada à Caminho de San Pedro de Atacama, fiquei encantado com a beleza do lugar, está na minha lista de prioridades para este ano ainda.

    Parabéns, excelente site.

  5. Oi!!! Pretendo ir pra Salta em janeiro, a partir do dia 15, eu ia sem reservar hospedagem, você acha que seria um erro… Tem problema não reservar?

    • Problema nenhum, a não ser em feriados e festas importantes na cidade. Já viajei muito assim. Por outro lado, tende a ficar mais barato se você reservar antes.

      Abraço.

  6. Boa noite Rafael.
    Gostei de suas dicas.
    Estou programando uma viagem para Salta e suas redondezas, para 26/dez a 05/jan/2017.
    Iremos com 2 carros, 8 pessoas.
    Nesse caso dos passeios, o que você me recomenda, fazer os passeios com uma agência de turismo, ou ir mesmo com nossos carros? è fácil encontrar hotéis pelo caminho também?
    Forte abraço, agradeço a colaboração?
    Sildomar

  7. Hola Rafael,queria dejarte aqui una dica, pues el marketing, a veces, puede resultar egoísta al elegir darle protagonismo y visibilidad a lugares como Purmamarca, Jujuy, Argentina por su Cerro de los Siete Colores, pero dejar relegada otra hermosura como la Sierra del Hornacal, a tan sólo 24, 5 kilómetros de la ciudad de Humahuaca (aproximadamente 40 minutos en auto).
    Para llegar hasta allí, se puede contratar una excursión desde el puente que pasa sobre el río Grande de Humahuaca ($300 la caminoneta – viajan 4 personas cómodas – precio marzo 2014) donde lo llevan con una camioneta 4X4 hasta una meseta a 4.300 msnm desde donde se ve toda la Sierra del Hornacal, también conocido como el Cerro de los 14 Colores (aunque el ojo afilado dice que se pueden observar hasta 33 tonalidad).
    Se recomienda ir por la tarde, ya que los colores se intensifican con el sol de frente. También es conveniente llevar abrigo, aún en verano, ya que debido a la altura, siempre hace frío.
    Se trata de una vista imponente e irreproducible; uno de esos inexplicables fenómenos que la naturaleza tardó millones de años en perfeccionar y por eso cautiva a cada visitante. queria dar una sugestion a futuros viajeros a Jujuy y decirles que de Puerto Iguazu a Salta, hay vuelos directos, de Salata a jujuy de omnibus, es ideal para disfrutar el paisaje.

    • Não conhecia esse lugar, Claudia. Obrigado pela sugestão. Parece muito bonito. Certamente ajudará outros viajantes.

      Abraço.

  8. Purmamarca é umas das cidades mais encantadoras que já conheci.
    Afora as belezas naturais, que por si só já valem a ida, a cidade tem uma aura que a diferencia de qualquer outra cidade que conheci. O fato de ser pequena e cheia de turistas, passa a impressão de ser uma cidade do mundo. Como se não tivesse um localização precisa, mas fosse apenas um ponto de encontro de viajantes e mochileiros.
    A praça da cidade reúne habitantes e mochileiros que vendem suas coisas e fazem apresentações para continuar a viagem.

    Devem existir outras Purmamarcas pelo mundo. Agora sempre que viajo dou preferências para pequenas cidades turísticas.

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: