A casa espiritual da massagem tailandesa

A casa espiritual da massagem tailandesa

“São instruções de massagem”, uma das participantes da comitiva da Embaixada da Tailândia apontava para pequenas figuras inscritas próximas ao teto. As paredes de uma das salas do templo de Wat Pho, em Bangkok, exibem antigos desenhos da anatomia humana que quase me passaram despercebidos. “Esse é o principal centro de formação de massagistas do país. Muitos dizem que se formaram aqui, mas nem sempre é verdade. Por isso é importante pedir para ver o certificado”, disse ela.

Fundada em 1955, a Escola de Massagem Tradicional de Wat Pho foi o primeiro centro de excelência no ensino da arte e é considerada a casa espiritual da massagem tailandesa. O majestoso complexo de templos oferece desde sessões individuais que empregam técnicas milenares e oficinas de imersão com duração de cinco dias até cursos de formação de profissionais certificados, divididos em 15 categorias de acordo com o nível do estudante e área de aprofundamento desejada.

Massagem Tailandesa

Desenhos no templo de Wat Pho

Mas você não precisa fazer uma visita ao templo para receber uma massagem tradicional tailandesa. Seja nas espreguiçadeiras dispostas nas calçadas da Khao San Road, nas praias de Pukhet, nos spas cinco estrelas ou em pequenas lojas que exibem cartazes com preços chamativos no meio da rua: a massagem é uma constante na Tailândia.

Entre os benefícios apontados pelos terapeutas estão o balanceamento energético, alongamento e alívio da tensão nos músculos, relaxamento e melhoria da saúde mental, aumento da serotonina e redução do cortisol – hormônios ligados, respectivamente, aos níveis de felicidade e estresse -, tratamento de enxaquecas, melhoria na circulação sanguínea e alívio na dor. Nem todos os benefícios anunciados são, no entanto, respaldados pela ciência ou possuem estudos conclusivos sobre sua eficácia.

E não são poucos os turistas que incluem a massagem tailandesa como uma das atividades obrigatórias da viagem pelo país. O principal motivo é o preço: a depender da cidade, as ofertas para o serviço começam a partir de 300 baht (R$ 30) por hora, apenas uma fração do que os turistas pagariam fora do país. Com tanta concorrência pelas ruas, não é difícil encontrar charlatões que fingem trabalhar com as técnicas tradicionais. Outros lugares apenas oferecem técnicas mescladas com outras escolas ou massagens genéricas com óleos diversos.

Massagem Tailandesa - História

Foto: Shutterstock

A história da massagem na Tailândia é antiga. Embora a lenda diga que a técnica tenha sido criada há 2.500 anos, no norte da Índia, por Shivago Komarpaj, amigo e médico pessoal do Buda, e que chegou à Tailândia no século 12, a maior parte dos registros sobre o surgimento da massagem tradicional foi perdida no século 18, durante a invasão dos Birmaneses ao país. O que se sabe é que a prática agrega influência das culturas e medicinas tradicionais da Índia, China e do Sudeste da Ásia e que foi aperfeiçoada ao longo dos séculos pelos monges.

Foi só em Chiang Mai, cidade no norte do país também famosa por seus centros de massagem tradicionais, que eu provei a técnica. A sessão começou na área comum do spa. Antes de ser transferida para a área de massagem, tive meus pés lavados e esfregados pelas terapeutas. Depois, vestida em um roupão lilás três vezes o meu tamanho, deitei-me em tapume no chão da sala que, pelas próximas duas horas, eu dividiria com uma companheira, anestesiada pela música relaxante e pelas velas aromáticas.

Ao contrário de outras escolas de massagem, a tradicional tailandesa é feita por cima da roupa, já que não há a aplicação de óleos ou cremes. Uma vez que consiste basicamente na pressão de determinados pontos, alongamento e posicionamento corporal, a primeira impressão é de que essa não é lá uma sessão relaxante e pode até a doer. Terminada a sessão, no entanto, os efeitos de relaxamento mental, muscular e alívio de dor são nítidos.

Já chamei de casa a Cidade do Cabo, Chandigarh, Buenos Aires e Barcelona, mas acabo sempre voltando pra minha querida BH. Gosto de literatura, cervejas, música e artigos de papelaria, mas minha grande paixão é contar histórias. Por isso, desde 2011 viajo o mundo e escrevo sobre o que vi. Também estou no blog sobre escrita criativa Oxford Comma. Siga @natybecattini no Instagram

5 comentários em A casa espiritual da massagem tailandesa

  1. Estar com vc nesta viagem via olhos e pensamento,é ter a certeza que minha viagem em dezembro para Tailandia ja esta na minha estoria nesta vida!
    Gratidao por detalhes tao preciosos na sutileza da sua experiência.
    Meu email; [email protected] gostaria de ser sua seguidora tb.
    Namastê
    Ruth (maria zuila somensi)

    • Olá Maria, obrigada pelo seu comentário e espero que você tenha uma ótima experiência na Tailândia em dezembro…

      Abraços e volte sempre, fiquei a vontade para seguir o blog 🙂

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: