Sukhothai: os templos incríveis da primeira capital da Tailândia

Sukhothai: os templos incríveis da primeira capital da Tailândia

Em tailandês, Sukhothai significa “Aurora da Felicidade”. Não poderia haver nome melhor para o lugar que é conhecido por ser o berço da civilização thai. Primeira capital do primeiro Reino de Sião, que hoje conhecemos como Tailândia, Sukhothai floresceu entre a metade de século 13 e o final do século 14, período que ficou conhecido como a Era de Ouro daquele povo.

Isso porque foi durante esse tempo que apareceram os primeiros escritos no idioma nacional e quando ocorreram importantes expansões de território que transformaram a geografia do pequeno reino em algo mais parecido ao que conhecemos hoje. Não é à toa que tanto a arte sacra quanto a arquitetura encontradas em Sukhothai são consideradas o que há de mais clássico no estilo tailandês.

Sukhothai: templos e ruínas históricas

Sukhothai: templos e ruínas históricas

A cidade entrou em declínio no início do século 15, quando foi substituída por Ayutthaya como capital. Essa substituição pacífica explica por que as ruínas de Sukhothai, apesar de mais antigas, são muito mais preservadas que as de Ayutthaya, que foi devastada por tropas da Birmânia, o que forçou a troca da capital para Bangkok.

Conhecidas como meuang gòw (cidade antiga), as ruínas de Sukhothai – algumas delas, reconstruções e restaurações – estão espalhadas por uma área de 45 quilômetros quadrados e ainda guardam os segredos daquela época, o que garante que elas estejam entre as mais impressionantes do país.

Sukhothai: templos e ruínas históricas

Apesar de tanta importância histórica e da conveniente localização a meio caminho entre Bangkok e Chiang Mai, Sukhothai nem sempre entra no roteiro dos viajantes que exploram o país. Sua popularidade é inegável, mas o fato é que a cidade está longe de ser apinhada de turistas como Bangkok, Chiang Mai e as praias mais famosas da Tailândia. Isso, aliado à extensa área pela qual as ruínas se espalham, proporciona uma visita tranquila e quase solitária, algo raro em um dos países mais visitados do mundo.

O que fazer em Sukhothai: Visita ao Parque Histórico

Localizado a 12 km da parte nova da cidade, o Parque Histórico de Sukhothai compreende as ruínas de 21 sítios arqueológicos divididos em cinco zonas, além de outros 70 que se localizam fora das muralhas da cidade velha, em um raio de cinco quilômetros dali.

Para dar conta de ver tanta coisa em tão pouco tempo – a maior parte das pessoas faz apenas uma parada estratégica de um ou dois dias no caminho entre Bangkok e Chiang Mai – é recomendável explorar a cidade antiga de bicicleta. Existem diversas lojas que alugam as bikes por apenas 30 baht (R$ 3), bem ao lado da entrada do parque.

Sukhothai: templos e ruínas históricas

Uma das grandes sensações do passeio é assistir o pôr do sol entre as ruínas. Quando a hora vai chegando, as pessoas se posicionam perto dos lagos para apreciar a beleza que é as estátuas de Buda tingidas de laranja e refletidas na água parada. É também por volta dessa hora que os monges enchem os lagos de velas flutuantes, o que ajuda a criar uma atmosfera mágica.

Sukhothai: templos e ruínas históricas

Sukhothai: templos e ruínas históricas

A entrada no parque custa 100 baht (R$ 10). Não se esqueça de pedir um mapa para te ajudar na localização dos templos.

Tem mais tempo na cidade? Veja também o post sobre uma fábrica de amuletos budistas em Sukhothai

Como chegar a Sukhothai

A 450 km de Bangkok e a 300 km de Chiang Mai, Sukhothai possui uma localização estratégica entre as duas maiores cidades do país, o que a transforma em uma parada conveniente no longo trajeto.

Sukhothai: templos e ruínas históricas

Ônibus: Saídas a cada 30 minutos do Bangkok Northern Bus Terminal, das 7h às 23h, e a viagem dura cerca de 7 horas. Preços variam entre 200 e 400 baht, de acordo com o nível de conforto que você quer. Saindo da Arcade Bus Station de Chiang Mai, a viagem é mais curta, em torno de 5 horas, e custa 300 baht.

Trem: Não há trens para Sukhothai, mas você se você vem de Bangkok pode comprar uma passagem para a cidade vizinha Phitsanulok, que está a 60 km das ruínas. É a mesma linha que vai para Chiang Mai. O trajeto entre Bangkok e Phitsanulok pode ser feito por ônibus regionais. O site oficial do sistema ferroviário da Tailândia.

Avião: Há dois voos por dia para Sukhothai, saindo de Bangkok, operados pela Bangkok Airways e com duração de cerca de 1h30. Air Asia e Nok Air têm voos para Phitsanulok

Onde ficar em Sukhothai

Embora não seja exatamente charmosa ou interessante, a parte nova de Sukhothai possui linhas de ônibus que fazem o trajeto de 12 km até o Parque Histórico e conta com diversas opções de hospedagem a excelentes preços que fazem dela uma boa base para explorar as ruínas. Não se esqueça de procurar pelas promoções do dia, para conseguir ofertas exclusivas em Sukhothai.

Além de usarmos e recomendarmos o serviço, o 360meridianos é parceiro do Booking.com, o que significa que, fazendo sua reserva a partir desses links, você ajudar o blog a se manter como um veículo gratuito e independente, sem pagar nada a mais por isso. 

Já chamei de casa a Cidade do Cabo, Chandigarh, Buenos Aires e Barcelona, mas acabo sempre voltando pra minha querida BH. Gosto de literatura, cervejas, música e artigos de papelaria, mas minha grande paixão é contar histórias. Por isso, desde 2011 viajo o mundo e escrevo sobre o que vi. Também estou no blog sobre escrita criativa Oxford Comma.

Siga @natybecattini no Instagram

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: