9 lugares para comer, beber e ouvir música nos Países Bálticos

Durante meu intercâmbio na Finlândia, aproveitei de todo e qualquer tempo livre para viajar para outros países. Surpreendentemente, na pequena cidade onde morei – Lappeenranta – havia um aeroporto, sendo que um dos (dois!) voos era para Riga, a capital da Letônia.

No feriado da primavera, tive um grande período (quase 10 dias) para viajar e assim decidi ir primeiramente para Helsinki de trem, depois pegar uma balsa para Tallin, capital da Estônia, seguir viagem para Riga de ônibus – usando uma companhia chamada Simple Express que faz trechos a partir de três euros e é super confortável – e voltar de avião pela Air Baltic (lowcost que é até confortável e faz vários trechos sempre com conexões em Riga).

Tallinn, Estônia

Tallinn, Estônia

Inocentemente, eu acreditava que o clima nessa no início de abril seria ameno e mais agradável de fazer turismo, mas não! A temperatura não passou de 10ºC e nevou em alguns dias.

Das três cidades, a única que pesa (e muito!) no bolso é Helsinki, então é bom ter isso em mente antes de visitá-la e reservar uma boa quantia de euros. Para se ter uma ideia, uma cerveja num bar custa em torno de 7 euros (23 reais), um almoço ou jantar num restaurante por volta de 14 euros (46 reais) e os bilhetes de transporte público ficam entre 2,50 e 5 euros (8 – 16,25 reais). Já as outras duas cidades são bem mais em conta, saindo muitas vezes bem mais barato que o Brasil – nelas, é possível achar refeições por até menos de um euro!

Catedral de Helsínquia

Helsinki, Finlândia 

1. Karl Fazer Café (Kluuvukatu 3, Helsinki)): Sabe aquele lugar que você entra e dá vontade de comer tudo? Então, foi assim que me senti nesse café\restaurante\confeitaria, principalmente, por causa das tortas lindas de diversos tipos de berries (bagas, frutos) dos quais nunca ouvi falar. Além de tortas, eles também servem refeições, doces de diversos tipos, vendem souvenires, chocolates, balas e pães.

A marca Fazer é atualmente uma das maiores empresas do país e tem uma história interessante, pois é um símbolo finlandês, mas foi fundada no fim do século 19 por um filho de suíço – Karl Fazer, que aprendeu contra a vontade do pai a profissão de confeiteiro em São Petersburgo, Berlim e Paris. Vale ressaltar que os preços são bem salgados, mas vale a pena pelo menos ir, ver e depois, no supermercado, comprar os produtos da Fazer (como a tradicional barra de chocolate ao leite de embalagem azul) a um preço muito mais acessível. O café abre todos os dias (de segunda a sexta, das 7:30 às 22:00, aos sábados de 9:00 as 22:00 e aos domingos das 10:00 às 18:00) e tem localização central, perto da estação de trem. Informações no site oficial ou no vídeo abaixo.

2. Roska (Eerikinkatu 11, Helsinki): Apesar do nome (“roska” quer dizer literalmente lixo em finlandês) o bar é na verdade bem bonitinho e um dos únicos lugares que encontrei na cidade cujos preços não são assustadores. Possui esse bizarro nome porque foi decorado com materiais recicláveis, sendo que qualquer pessoa pode levar de casa o item que bem quiser e adicioná-lo ao bar. Para combinar com o clima alternativo e descolado da decoração, a música tocada (e dançada!) no lugar é em sua maioria indie e rock. Abre de quarta a sábado, das 22 até às 4 da madrugada. Saiba mais aqui.

3. Tavastia (Urho Kekkosen katu 4-6, Helsinki): É mais uma casa de shows que uma balada em si, mas assim mesmo vale a visita se você gosta de ouvir boa música. Fundada em 1970, é uma das principais casas de show do país e já recebeu artistas fodas, como o Tom Waits. Fui ao show de uma banda francesa chamada The Dø cuja vocalista é de origem finlandesa e, por isso, eles tem uma música em finlandês (mas todas as outras em inglês).

Se você, como eu, gosta de indie “menina” (tipo Lykke Li) provavelmente irá gostar do som deles. O preço da entrada varia bastante dependendo do evento do dia, então vale a pena conferir no site deles, sendo possível inclusive comprar ingressos online. Na porta também vende e o preço é praticamente o mesmo. Além do palco, há um ambiente de bar ao lado e cujos preços, como de praxe no país, são salgados.

4. III Draakon (Raekoja plats 1, Tallinn): Existem poucos lugares como esse no Norte da Europa. O III Draakon é uma taverna medieval que serve comidas típicas, tipo sopa de alce e cerveja artesanal. As frequentemente sarcásticas atendentes sempre estão vestidas a caráter. Parece um lugar feito só para turista, certo? E é mesmo, mas super vale a pena porque, além da comida ser boa, é bem barato: tudo entre 1 e 3 euros. A sopa de alce, por exemplo, custa um euro.

Vale dizer que talvez seja sábio levar a sua própria colher (principalmente se timidez faça parte de sua personalidade), pois muitas vezes as atendentes pedem algo em troca do instrumento essencial para tomar sopa. No meu caso, na minha última visita a cidade, tive que cantar uma música de meu país de origem. A taverna abre todos os dias, das 8 da manhã até meia-noite e fica bem no meio da parte histórica (Old Town). Site oficial.

Drakon III

III Draakon, Tallinn

5. Tallinn Backpackers (Olevimägi 11, Tallinn): Tallinn é famosa pelos bares, baladas e preços super em conta, principalmente se comparados à vizinha Helsinki. Um dos lugares que faz jus à tal fama é esse party hostel. Ainda não muito comuns no Brasil, esse tipo de hostel é aquele que foca mais em criar um ambiente propício para se festejar e encher a cara (como através de happy hours, drinking games e pub crawls) que em qualquer outra coisa.

O Backpackers tem pubcrawls – um tipo de caminhada alcoólica, de bar em bar, que geralmente termina em balada – gratuitos todos os dias, que começa às 20h com happy hour (duas cervejas pelo preço de uma) no bar do hostel. Se você prefere evitar beber coisas estranhas, não use o computador do hostel à noite para acessar o Facebook, caso contrário você será obrigado a beber um shot feito de qualquer coisa achada pela frente (que para mim nem foi tão ruim porque tinha alho, que cobriu o gosto de todo o resto).

Nas quartas, acontece uma festa (Wizards Wednesdays) em que se bebe o tanto de cerveja que corresponde a sua altura. Mesmo depois de tanta bebedeira, consegui ir a todos os lugares turísticos que queria, mas se você é daqueles que gosta de acordar cedo, sair para fazer turismo o dia todo e dormir durante a noite, não indicaria um hostel desse tipo. Saiba mais no site oficial.

6. Shooters (Suur-Karja 4, Tallinn): Outro tipo de lugar não muito comum no Brasil são aqueles bares especializados em shots. É por causa desse tipo de drink que o Shooters (como o próprio nome já indica) atrai seus frequentadores. Popular tanto com os turistas quanto com os locais, tem várias promoções de drinks, shots e cerveja, principalmente, em mais cedo (algo entre 5 da tarde e 11 da noite). Mas o que realmente chama a atenção são os preços dos “combos” de 5 shots que custam a partir de 5,50 euros (<3). O bar fica no centro histórico e funciona de domingo a terça, das 17h às 4h. Já nas quartas e quintas o funcionamento é de meio-dia até as 5h, enquanto nas sextas e sábados é de meio-dia até as 6h da manhã. Veja também o site oficial.

Canal Pilsētas em Riga

Canal Pilsētas em Riga, Letônia

7. Dada (Kalēju iela 30, Riga): Restaurante asiático baseado na ideia do dadaísmo, como se pode perceber pelo nome, e seu grande diferencial é que permite ao cliente escolher os ingredientes (entre os molhos, noodles, carnes, frutos do mar ou vegetais) que resultarão em algo que o chef criará especialmente para você. Além disso, há também o serviço de delivery com várias opções da culinária asiática e pizza. A decoração do lugar é super bonitinha e descolada, e o restaurante está bem no centro histórico da cidade (a entrada é toda de vidro, o que torna bem fácil de encontrá-lo). Funciona todos os dias, das 10 da manhã até as 22 horas. Saiba mais aqui.

8. Ala (Peldu 19, Riga): É uma espécie de taverna\restaurante onde se pode beber cerveja artesanal, comer super bem (e a preços razoáveis), ouvir folk music e assistir a danças tradicionais. Quando fui, estava doida por carne vermelha, pois fazia meses que não comia “carne de verdade” e, assim, pedi o prato de almôndegas (Traditional Latvian meat balls) que é acompanhado de batatas (e estava uma delícia!).

O restaurante tem também eventos semanais, como a noite de Folkdance nas quartas, música ao vivo e karaokê nas quintas, noite de folk nas sextas e música ao vivo aos sábados (dia que vira uma espécie de balada). Abre todos os dias da semana ao meio-dia, exceto sábado e domingo, quando a festa começa mais tarde, às 14 horas. Site oficial.

Centro (Old Town) de Riga (I)

Centro (Old Town) de Riga, Letônia 

9. Pulkvedim Neviens Neraksta (Peldu iela 26, Rīga): um dos lugares mais tradicionais da noite da cidade, já com mais de 17 anos de existência. É uma espécie de bar, lounge e balada com visual bem alternativo, lugares confortáveis para sentar (sofás!!!), bar e pista. A música tocada é, para minha felicidade, algo entre o indie e o rock, mas vale a pena conferir no site deles qual será o evento do dia. Riga é famosa por seus baixos preços de bebida e baladas. É assim no Pulkvedim, cuja a entrada é normalmente gratuita e os drinks têm preços amigáveis, inclusive com dois pelo preço de um das 20h às 22h. Funciona todos os dias, exceto domingo, das 20h até 6h da madrugada. Saiba mais.

Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países da Europa e pode ser exigido na hora da imigração. Além disso, é importante em qualquer viagem. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício e garanta promoções.

*Imagem destacada: Petteri Sulonen, Creative Commons


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Gabriela Dilly

Analista internacional mais interessada em experienciar outras culturas que em analisá-las. Escreve também no blog Dupla Trip.

  • 360 nas redes
  • Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2 comentários sobre o texto “9 lugares para comer, beber e ouvir música nos Países Bálticos

  1. Amei!! Você morou quanto tempo na Finlândia? Sou louca para conhecer!! Cheguei a estudar finlandês kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk quem sabe um dia…você escreveu sobre essa estadia na Finlandia?

    Beijoooo

    1. Oi Izabella! Morei 8 meses na Finlândia (e fiquei 10 meses no total na Europa). Você é corajosa! Desisti de aprender a língua depois de uma semana lá, é muito difícil e as aulas eram muito caras… Vou por na lista de temas para próximos post 🙂

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.