Tags:
Atlas: Tailândia

Pegadinhas para turistas na Tailândia que você deve evitar

A Tailândia é um dos um dos maiores destinos turísticos do sudeste asiático e do mundo. As praias, as festas, os costumes e seu o povo sorridente atraem centenas de milhares de turistas para lá. O problema é que, com eles, chegam também as diversas pegadinhas de turistas na Tailândia que preferimos evitar.

Por esse mesmo motivo, algumas das atrações mais famosas do país são especialmente feitas para turistas. Os únicos tailandeses que você vai ver em muitos lugares são aqueles que estão te servindo ou vendendo alguma coisa. Ao mesmo tempo, golpes feitos sob medida para o turista desavisado não faltam no antigo Sião. Conheça algumas dos truques da dessa Tailândia moldada para o turismo.

Leia também: 
Dicas de viagem para a Tailândia
O que não fazer na Tailândia

Templo do Buda Esmeralda em Bangkok

Seguro Viagem: Ásia
AC 35 MUNDO COVID-19 (Exceto EUA) AC 35 MUNDO COVID-19 (Exceto EUA) Assistência médica USD 35.000 Bagagem extraviada USD 1.200 (COMPLEMENTAR) R$ 44/dia*

Principais pegadinhas para turistas na Tailândia

O mercado flutuante de Bangkok

Ele já foi tema de matéria da Glória Maria no Fantástico e rendeu fotos ótimas no nosso Instagram. Mas a impressão que tivemos do mercado flutuante Damnoen Saduak, localizado a cerca de 110 km de Bangkok, foi só uma: essa é uma das maiores pegadinhas para turistas na Tailândia. Esperávamos ver artesanato e cultura local – mas o que vimos foi o mesmo tipo de produtos industrializados que se repetiam a cada barraca ou barco que passávamos.

De pitoresco mesmo só os barcos que vendiam comida, que não eram tantos – pelo menos quando visitamos. E sem contar que esse é um passeio caro para o padrão do país, porque precisa de van para chegar até o mercado e ainda pagar para andar de barco pelo canal.

O que fazer em Bangkok: mercado flutuante

Nem preciso comentar que quem estava nos barquinhos – alguns deles motorizados e bem barulhentos – eram só turistas. Se tailandês faz compras nesse tipo de mercado, com certeza não é por ali, onde os preços são inflacionados.

Dizem que se você for bem cedo, chegando por volta de 7h, antes dos grupos de turistas, é possível ver o mercado mais vazio, que é mais interessante. Existem outros três mercados flutuantes nos arredores de Bangkok: Taling Chan Market, Bang Ku Wiang Market, Tha Kha. Se quiser fazer o passeio mesmo assim, recomendo contratar um tour privado para evitar perrengues e outros golpes no caminho. Aqui tem algumas opções confiáveis que você pode contratar com antecedência.

O golpe do mercado falso

Lemos relatos em alguns blogs de um pessoal que passou o maior aperto com o golpe do mercado. Eles combinaram  o passeio com um taxista ou motorista de tuk-tuk. O problema é que o motorista deixa as vítimas em um mercado falso e distante. E depois, para conseguir sair do local o turista tem que pagar uma quantia absurda. Por isso é mais seguro comprar o tour no seu hotel ou em uma agência confiável. Ou ainda tentar ir de ônibus por conta própria.

Espetinho de Insetos

insetos fritos tailandia

É fato conhecido que os tailandeses, principalmente nas províncias mais ao norte, comem insetos. A ONU, inclusive, recomenda que as pessoas comam insetos, porque são nutritivos e mais sustentáveis do que gado – além de serem mais baratos. Exceto, claro, se você inventar de comê-los na rua mais famosa de Bangkok. Nos procuramos, sem sucesso, os famosos espetinhos de insetos numa feira em Chiang Mai, no norte.

Fato é que só encontramos os tais bichinhos fritos na Khao San Road, em Bangkok. E aí era aquele negócio para fazer turista pagar mais. Até para tirar foto dos insetos tem que pagar. E o preço não é lá aquela pechincha para os padrões locais.

Sem falar que escorpiões e outros bichos peçonhentos não fazem parte do cardápio tailandês, que costuma comer grilos e bichos-da-seda.

Quero frisar que não acho errado o povo local querer ganhar dinheiro com o turismo, mas eu às vezes prefiro evitar o rombo no orçamento caindo em pegadinhas para turistas. A Lívia Aguiar, do Eusouatoa, fez um video experimentando os tais grilinhos.

As praias, as ilhas e as festas da Tailândia

A ausência de turistas locais nas praias mais famosas de Phuket e outros destinos badalados do país é nítida. É que eles simplesmente não gostam de frequentar essas praias badaladas porque elas tendem a ficar cheias (e sujas). E chegar nas ilhas paradisíacas, como em Ko Phi Phi, é bem caro – muito mais para eles do que para os turistas. É preciso comprar um pacote de transporte até lá e pagar uma taxa para entrar na ilha.

Phuket, Tailândia

E em Phuket, não espere encontrar muitos tailandeses participando das festas. Os que estão ali, homens e mulheres, estão a trabalho – explorando ou sendo explorados, infelizmente.

Já a festa da Lua Cheia, em Koh Phangan, nós não pudemos ir.  Mas os relatos que tivemos contam que é uma festa feita para uma galerinha de turistas em busca de muitas aventuras e confusões – gente que não deveria se esquecer que na Tailândia usar drogas é crime passível de pena de morte.

Pegadinhas nos templos e palácios da Tailândia

Viagem para a Tailândia

Para entrar em muitos templos e palácios na Tailândia é necessário decoro nas vestimentas. Nada de pernas e ombros de fora, ou decotes de qualquer tipo. Em alguns casos, a administração do local oferece aos turistas roupas ou lenços para que eles possam se cobrir, se adequando às normas.

Mas é importante ficar atento. Alguns lugares cobram por esse serviço. Em outros, eles não fornecem nada, mas há sempre vendedores do lado de fora prontos para vender – por um valor bem maior que o justo – vestimentas para os desavisados.

Então, para não ter que gastar dinheiro sem necessidade, é melhor sempre se preparar antes de ir visitar templos e palácios. Se preferir evitar contratempos, uma boa ideia é contratar um tour com um guia que vai te dar todas as instruções necessárias. Aqui você pode reservar o seu com antecedência.

As pegadinhas do Grande Palácio Real da Tailândia

Nos arredores do Grande Palácio Real, homens e mulheres bem vestidos se aproximam muito educadamente para te informar que o lugar está fechado e que você pode retornar mais tarde – e quem sabe fazer um passeio com eles no intervalo. Além disso, outros podem sugerir que a sua roupa não está apropriada e que você pode comprar algum lenço para se cobrir na loja logo ali. Não acredite nessas pessoas.

O Grande Palácio Real está sempre aberto nos horários regulares e oferece gratuitamente as vestimentas que eles consideram necessárias para entrar no lugar. Nunca deixe de ir a nenhum templo ou palácio porque alguém aleatório te falou que está fechado. Vá até a entrada e confira você mesmo se é verdade ou golpe. Leia mais sobre os golpes mais comuns na Tailândia.

Visitar a Tailândia é de fato muito exótico e interessante: você vai ver tigres, elefantes, templos, rituais, lutas, praias, festas e belas e variadas paisagens. Mas não custa ficar atento e evitar de ser explorado só porque você é turista. Você caiu em outras pegadinhas para turistas na Tailândia? Conte pra gente nos comentários!


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

9 comentários sobre o texto “Pegadinhas para turistas na Tailândia que você deve evitar

  1. Visitei o Palácio ontem e ninguém da a roupa, tem que comprar mesmo.
    Hoje fiz um bate e volta pra Ayuttaya e vi varios elefantes sendo explorados, só vendo a cara desgastados e cabisbaixos pra entender.

  2. Ola Veronica ! Suas dicas foram preciosas , quase caí no golpe perto do grande palácio. Aconteceu exatamente como vc contou , uma pessoa me abordou muito educadamente dizendo que o palácio estava fechado e me sugeriu outro passeio. Disse q não queria e segui até o museo chegando lá. .. estava aberto !!! Obrigada bjs

  3. Oi Luíza. Muito valiosa sua dica sobre os golpes nos arredores dos grandes palácios. Várias pessoas me abordaram nesses locais e disseram que o palácio só abriria à tarde e me oferecendo para levar até outros locais (eram motoristas de táxi ou tuc-tuc). Quando eu dizia que sabia que era mentira e os palácios abriam às 8 da manhã, eles se afastavam rapidamente.

    1. Ei Alexandre, que bom que te ajudou!

      Eu fico com raiva é de saber que todo mundo sabe que isso é golpe, mas a polícia deixa esses caras lá, numa boa

  4. Precisava da vossa ajuda! Tenho viagem marcada para a Tailândia em Abril. O meu grande dilema á ir ou não ir?

    Demorei 2 anos a juntar dinheiro para esta viagem e quando tinha tudo marcado e planeado, tcchhhaaannnnn crise política na Tailândia.

    Sei que o recolher obrigatório é até Março e eu vou em Abril, mas se a primeira ministra de facto venceu as eleições, penso que irá haver um golpe de estado!

    Disseram-me que no sul não havia crise política alguma, mas hoje vi que morreram 3 crianças num atentado e que os produtores de arroz também já se estão a revoltar, porque não recebem os subsidios do governo por causa dos manifestantes.

    Neste momento já paguei 1700 euros à agÊncia de viagem para o voo! E dada a insegurança poderia eventualmente conseguir desmarcar e ser reembolsada, porque fiz um seguro.

    Mais tarde, pode o seguro já dizer, que não existe recolher obrigatório, logo é seguro viajar, e na realidade não o ser.

    O que fariam? Estou tão tão triste!

    1. Oi Verônica,

      Seguinte, eu dei uma olhada no site dos governos do Canadá e Reino Unido, e nenhum dos dois desaconselha a ir para a Tailândia. Só pede para ter cuidado e evitar qualquer aglomeração, protesto. Também pode ser que seus transportes atrasem.

      Mas acho que nas praias a situação está mais tranquila. Conheço gente que está lá e não relatou nenhum problema.

      Eu acho que você deve ficar monitorando a situação nos sites de notícia e redes sociais. Se não piorar, não acho que você precise cancelar sua viagem agora.

      Até porque, com o seguro, se na véspera da viagem a situação piorar, você pode cancelar!

      Segue os sites que eu consultei:

      https://www.gov.uk/foreign-travel-advice/thailand

      http://travel.gc.ca/destinations/thailand

      Espero que tenha te ajudado!
      bjs

    2. Olá Verônica. Eu passei 3 dias em Bangkok na semana passada, e também estava acompanhando com preocupação as notícias sobre os protestos, mas não vi nada que atrapalhasse nossos passeios. Fomos nos principais pontos turísticos de Bangkok e não vimos nenhum protesto ou aglomeração. Não sei se não houve protestos nos dias em que estávamos lá (03 a 06/02) ou se os protestos estavam sendo realizados em outros pontos. O trânsito estava caótico, mas não sei se ´r o normal de Bangkok ou devido a protestos em outros pontos.

  5. Eu cai nesse golpe falando que estava fechado…. que odio…. pior que quem falou foi o segurança do palacio…. Ooooo vontade de matar….

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.