fbpx
Tags:
Atlas: China, Índia, Israel, Vietnã

6 celebrações de Ano-Novo ao redor do mundo

Vestir branco, pular sete ondas, escolher estrategicamente a cor da roupa íntima. Todos esses costumes parecem até mandamentos para atrair boa sorte no ano que começa. Nesse dia, não tem um cético que não se renda a pelo menos um ritual de passagem, seja ele comer lentilhas, brindar com um espumante ou assistir aos fogos de artifício. Mas em outras culturas, a chegada do novo ano é comemorada de formas muito diferentes e às vezes, pasmem, não é nem na madrugada do dia 31 de dezembro para o primeiro de janeiro. Veja agora algumas celebrações de Ano-Novo ao redor do mundo.

Ano-Novo chinês

Templo iluminado em comemoração ao Ano Novo Chinês em Kuala Lumpur, na Malásia

Templo iluminado em comemoração ao ano-novo Chinês em Kuala Lumpur, na Malásia.

Para os chineses, o ano começa no primeiro mês do calendário lunar, entre os nossos 21 de janeiro e 21 de fevereiro. As comemorações duram cerca de uma semana e envolvem decorações, desfiles, tradições folclóricas e banquetes. Por ali, a cor que comanda é o vermelho: as casas e ruas são decoradas com lanternas e dragões dessa cor e algumas vezes até pintadas assim. O dourado também tem seu lugar na festa, mas o branco passa longe – é considerada a cor da morte. A festividade é comemorada também em outros países que têm grande população chinesa, como a Malásia e Cingapura.

Ano-Novo judeu

Homem toca o Shofar em celebração ao ano novo judeu

Homem toca o Shofar em celebração ao ano-novo judeu.

Também conhecido como Rosh Hashaná, ou cabeça do ano em hebraico, o Ano-Novo judeu celebra os primórdios da criação do Universo por Deus e o aparecimento do homem. É celebrado no mês Tishrei do calendário judaico – entre o final de setembro e o início de outubro. Também acredita-se que, nos dois dias de Rosh Hashaná, Deus julga os atos dos humanos durante o ano.

Antes de ser uma data de festa, o Ano-Novo judeu é um momento de introspecção e reflexão. Por isso, é comum que as pessoas façam jejuns e visitem sinagogas nessa data. Um dos símbolos mais importantes do Rosh Hashaná é o shofar, uma espécie de berrante feito de chifre de carneiro utilizado pelos judeus desde a época em que eram nômades. Para eles, o som do shofar tem o poder de abrir o céu para que as orações entrem.

Ano-Novo vietnamita

Comidas de ano novo Vietnamita

Comidas tradicionais do ano novo Vietnamita.

No Vietnã, a chegada do novo ano é marcada pelo início da primavera no calendário lunar, assim como o Ano-Novo chinês. Por isso, é celebrado no mesmo dia de seus vizinhos gigantes e dura cerca de três dias. Os vietnamitas celebram a data preparando comidas típicas da época e limpando a casa. Também há algumas tradições e superstições para a data, como visitar alguém no primeiro dia do ano, homenagear os antepassados, dar dinheiro a crianças e idosos e até mesmo abrir um comércio.

Diwali, o Ano-Novo hindu

Diwali, Índia - O Festival das Luzes

O Festival das Luzes indiano marca o início do ano hindu. É celebrado por cinco dias e costuma cair entre outubro e o início de novembro no nosso calendário. Nessa época, milhares de velas são acesas em toda a Índia e as ruas e casas ficam todas iluminadas. Há queima de fogos. Também é costume presentear família e amigos com doces e outras coisas, assim como usar uma roupa nova durante esses dias.

Ano-novo islâmico

Ramadam - Ano novo Islâmico

Comemorado no primeiro dia do mês islâmico de Muharram, que cai em algum ponto entre outubro e dezembro no nosso calendário, o Ano-Novo islâmico não é uma celebração oficial da religião e por isso não são todos que o comemoram. A data celebra a instauração dos primeiros muçulmanos em Medina e a instituição do primeiro estado regido pelas leis do islamismo, depois de passarem 13 anos de perseguição religiosa em Meca. Este ano, os muçulmanos celebraram o ano 1438 do seu calendário.

Ano-Novo sul-coreano

Pacotes boa sorte típicos do ano-novo sul coreano

Pacotes boa sorte típicos do ano-novo sul coreano.

Também comemorado de acordo com o calendário lunar, na mesma data do chinês e vietnamita, o Ano-Novo coreano é uma festa familiar. É comum fazer uma oferenda de comida e bebida aos antepassados da família. As crianças podem ganhar dinheiro ou presentes nessa data. Há também uma refeição conjunta e jogos típicos da época para brincar entre família.

Fotos: Shutterstock

Clube Grandes Viajantes

Assine uma newsletter exclusiva e que te leva numa viagem pelo mundo.
É a Grandes Viajantes! Você receberá na sua caixa de email uma série de textos únicos sobre turismo, enviados todo mês.
São reportagens aprofundadas, contos, crônicas e outros textos sobre lugares incríveis. Aquele tipo de conteúdo que você só encontra no 360 – e que agora estará disponível apenas para nossos assinantes.
Quer viajar com a gente? Então entre pro clube!

Avalie este post

Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

4 comentários sobre o texto “6 celebrações de Ano-Novo ao redor do mundo

    1. Responder para que? Se a resposta não fosse do seu agrado, você vai apagar. Então, cada o espaço a aberto e o direito a crítica objetiva?

      1. Caro Jaime,

        Seu comentário violou as regras do 360meridianos, de educada convivência entre os participantes do site, e por isso foi removido.

        Grande abraço e feliz 2020.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.