fbpx
Tags:
Atlas: Espanha

Turismo vegetariano na Espanha: é possível?

Na terra do presunto, dos frutos do mar e dos embutidos, vegetarianos podem pensar que terão dificuldades em viajar. O medo não é sem fundamento: a carne reina absoluta na gastronomia espanhola, herança que pode ser encontrada também nos países latino-americanos.

Manter-se fiel a seus princípios sem passar fome, no entanto, não é tarefa impossível para quem viaja pelo país. Quem prova isso é Carles Fernández, um blogueiro que há três anos faz turismo vegetariano na Espanha e recomenda os restaurantes em seu blog. O perfil foi escrito por Ignacio Espinoza, originalmente publicado no Road to Nowhere e traduzido por mim para ajudar os leitores verdinhos do 360meridianos. Bom apetite!

Sábado de manhã. O frio invernal ainda dava seus últimos furtos antes de ceder por completo à passagem da primavera. No bar Quínoa ­– Travessera de Gràcia, 203 –, um homem espera sentado à mesa. Usa óculos, sweater e tem uma pinta na ponta do nariz. “Como vai, muito prazer”, diz, com um sorriso gentil. Seu nome é Carles Fernández: fundador do blog Turismovegetariano.es, no qual recomenda restaurantes vegetarianos na Espanha.

O blog nasceu há três anos e, no começo, era tocado por Carles, sua namorada na época, uma programadora e uma designer que puseram a página para funcionar. Hoje, a equipe é outra: uma editora, um cozinheiro e Carles. Ele é vegetariano há onze anos e começou com o site porque se deu conta de que não conhecia restaurantes do tipo e que guias, como o Michelin, tinham pouca inserção no seu estilo de vida. “Teve a ver com o fato de que eu era voluntário da Anistia Internacional. Estava lutando para eliminar a pena de morte entre humanos e comia animais, talvez foi uma influência”, afirma. 

Comida vegetariana - Espanha

Com 37 anos, matemático e humanista de profissão, hoje trabalha em uma empresa na qual vende programas de informática. Porém, em janeiro de 2016, meteu todas as suas coisas no porta-malas de um carro e decidiu viajar pelas diferentes comunidades da Espanha. “Para mim, é uma forma de dizer aos outros que ser vegetariano não significa ser triste e também é possível aproveitar a vida assim”, afirma Carles.

Um computador com wifi é tudo o que ele precisa para cumprir seu trabalho. Com o blog, não segue uma lógica de viagem, mas tampouco vai fazer mil quilômetros de maneira absurda. Seu objetivo é mostrar que há mais cidades além de Madrid, Sevilla, Málaga, Barcelona e Vigo, nas quais se pode encontrar alternativas vegetarianas.

Na verdade, confessa que, depois de visitar Alicante e Valencia, se surpreendeu com a quantidade de ofertas veganas que encontrou. Mas reconhece que sua predileção é o turismo rural e busca destacar isso em seu blog, aqueles lugares no meio do campo nos quais se oferecem uma salada fresquinha saída direto da horta ao lado da casa.

Quando não sabe aonde ir, pede ajuda no Facebook ou simplesmente escuta as recomendações das pessoas. Tenta sair para comer apenas uma vez por dia “para cuidar do estômago”, segundo ele, e a única lógica é não estressar-se com o blog porque é apenas um hobby.

Vegetarianismo e viagens

“Às vezes eu saio em modo blog e começo a tirar fotos como um tonto. Eu só quero ir comer e não pensar em nada. Há coisas mais importantes também. Se gero algum lucro vai para as ONGs. Estou convencido até certo ponto da bondade desse projeto”, afirma.

Outra coisa também o convence: o vegetarianismo é uma moda. Ele gostaria que fosse uma tendência, mas parece difícil na Espanha. “O rei do prato sempre é a carne ou o peixe. Culturalmente, o vegetarianismo não está arraigado aqui, como na Alemanha ou na Inglaterra, onde sempre há uma sólida base de público com essa filosofia (…). Se você é vegetariano e quer sair da península, vá para a Alemanha. Portugal é um pouco árido, Barcelona tem mais opções.”

Das coisas ruins ele não fala. Sua lógica é: se não há nada de bom para dizer sobre um lugar, melhor ficar calado. O blog enfoca em recomendar restaurantes bons, aqueles que, segundo o autor, estão associados a boas memórias.

Turismo vegetariano na Espanha

Por isso, no inconsciente de Carles se armazenam boas visitas a zonas vinculadas ao turismo rural, como a Galícia e Astúrias, e à cozinha italiana, onde entre seus pratos favoritos está a parmesiana de muçarela, tomate e berinjela.

Enquanto engole rapidamente um quiche de cebola com salada de queijo brie, Carles confesa que os anos já passaram da conta nesse estilo de vida nômade e planeja voltar à normalidade em um futuro próximo. Outros interesses rondam a vida desse viajante. Tocar saxofone é um deles, instrumento que foi doloroso deixar para trás porque não podia levá-lo a todos os lados.

“É preciso renunciar a muitas coisas, não pensei que seria assim. Todos têm muita liberdade, mas também se renuncia a construir algo com raízes. Encontro gente três vezes e adeus”, sentencia.

Confessa que tem pensado em viver em Porto, Portugal, e por isso já comprou um guia de restaurantes da cidade. Mas do futuro não fala tanto, seu presente é o blog e, ainda que seja apenas um hobby, a dedicação tem a mesma intensidade de um trabalho. Por isso, antes de ser fotografado, pede que não revelemos seu rosto. Prefere passar despercebido, não quer receber nenhum tipo de atenção especial de nenhum restaurante por aí.

Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países da Europa e pode ser exigido na hora da imigração. Além disso, é importante em qualquer viagem. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício e garanta promoções.

Visitar: Turismovegetariano.es

Clube Grandes Viajantes

Assine uma newsletter exclusiva e que te leva numa viagem pelo mundo.
É a Grandes Viajantes! Você receberá na sua caixa de email uma série de textos únicos sobre turismo, enviados todo mês.
São reportagens aprofundadas, contos, crônicas e outros textos sobre lugares incríveis. Aquele tipo de conteúdo que você só encontra no 360 – e que agora estará disponível apenas para nossos assinantes.
Quer viajar com a gente? Então entre pro clube!

Avalie este post

Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

8 comentários sobre o texto “Turismo vegetariano na Espanha: é possível?

    1. Que engraçado, A França me pareceu mais fácil que a Espanha nesse quesito. Mas Barcelona não é tão difícil mesmo. No interior da Espanha é que o bicho pega…

      Abraços

  1. Natália!!! Eu já amo o 360, mas depois desse post, é p/ imprimir e emoldurar na parede kkkk hoje acabei de saber que meus pais vão p/ Espanha e minha mãe é vegetariana, quando abri o blog, qual post me deparo? Super obrigada!!!!

  2. Sou vegetariana há 13 anos e mochileira há 4, mas só no ano passado fiquei preocupada: quando fiz um mochilão no Uruguai e na Argentina. Até cheguei a comentar numa postagem do Rafael aqui no blog o medo de chegar e só me deparar com carne, rs. Nas capitais nunca tive problema, sempre encontrei opções vegetarianas e até mesmo restaurantes veganos. Quando a cidade é menor, simplesmente cozinho no hostel. Simples assim, sem neura, sem deixar nem de mochilar nem de ser vegetariana.

    1. Sim Ana, e esse é um padrão. Aqui na Espanha também é mais difícil encontrar opções nas cidades pequenas. Mas quando a gente quer sempre tem solução.

      Abraços!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.