fbpx
Tags:

4 anos: soprando as velinhas com vocês

Quando eu olhei pelo retrovisor do carro, no último dia de trabalho, vi a fachada da empresa onde eu tinha trabalhado até então. Mesmo estando decidido, eu tremi. Não é fácil tomar decisões que mudam sua perspectiva de vida, que alteram seus sonhos e mexem com o seu futuro. Ainda assim, acelerei o carro e deixei aquela etapa da minha vida para trás.

Apenas 48 horas depois que eu tinha deixado a empresa, embarquei num voo para Madrid, na Espanha, o primeiro de muitos. Naty e Lu, minhas companheiras de aventura, também tinham largado empregos em troca do sonho de dar uma volta ao mundo, da tentativa de viver uma vida diferente. Uma vida que fizesse sentido, que fosse nossa, não baseada num modelo ultrapassado e que não tinha lógica mais. Que não tinha lógica pra gente.

Essa história toda você já conhece, caro leitor. É a história do nascimento do 360meridianos. Hoje, no entanto, é um dia especial. É uma data que merece que voltemos ao assunto: há exatamente quatro anos, no dia 12 de outubro de 2011, nós chegamos em Madrid, começamos nossa volta ao mundo e, mais importante, apertamos “publicar” para o primeiro post deste blog. Assim nasceu o 360. Assim nossas vidas mudaram para sempre.

O começo: simples, mas sonhador

madrid centrocentro

Uma das nossas poucas fotos dos três em Madri

Vou contar um segredo para vocês: o 360 nem tinha nascido, o nome nem tinha sido escolhido ainda, mas nós já tínhamos um objetivo claro e audacioso: criar um dos maiores blogs de viagem do Brasil. Nós queríamos ser lidos. Queríamos atingir milhares de pessoas. Queríamos mudar vidas, estimular sonhos. E, quem sabe, um dia viver profissionalmente desse projeto.

Para isso, nós definimos a linha editoral do 360, algo que sofreu adaptações, tudo fruto do nosso crescimento pessoal, mas que pouco mudou ao longo dos últimos quatros anos. Essa linha editoral, que é o que dá as características próprias do 360, hoje está expressa em nosso manifesto. E pode ser resumida em poucas frases: o 360 não tem como objetivo apenas falar de lugares interessantes e dar dicas de viagem. Queremos mais: fazemos questão de refletir sobre o turismo. Fazemos questão de estimular e criar sonhos. Fazemos questão de participar do amplo processo de mudança que tomou conta do mundo. 

O resultado da nossa proposta veio aos poucos, mas, olhando em perspectiva, até que veio rápido, principalmente se você pensar que o 360 nasceu do zero, num primeiro momento sendo conhecido e lido só por nossos amigos e familiares. Hoje, somos lidos por cerca de 260 mil pessoas diferentes por mês. É gente que não acaba mais.

Além disso, o 360 virou uma empresa séria, com CNPJ, boa margem de lucro e que emprega três jornalistas. Por enquanto, afinal o objetivo sempre é crescer. Provas do sucesso? Claro, ainda mais num mundo em que jornalismo e comunicação viraram sinônimos da palavra “crise”. Mas não a prova mais importante.

Tem outra coisa que nos deixa muito mais felizes: vocês, queridos amigos e leitores. É lindo ver que uma comunidade foi criada ao redor do 360, gente que comenta, discute, debate e argumenta com educação, propriedade e vontade de mudar o mundo.

Vocês são pessoas sonhadoras, que não se conformam ou se limitam por padrões e que acreditam na força transformadora que o contato com outros mundos, pessoas e culturas pode causar. Vocês são gente como a gente, para usar um clichê. Gente que acredita no bem, no próximo e num mundo melhor. Gente que acredita naquilo que escreveu o Mia Couto“Há, neste mundo, mais medo de coisas más do que coisas más propriamente ditas”.

Preste atenção ao espírito do tempo

Você se lembra daquela série de posts que invadiu a internet há uns dois anos, com tudo mundo discutindo se você deveria ou não largar tudo para viajar? Pois é, eu sei que no fim aquilo encheu o saco. Mas encheu o saco pela falta de equilíbrio da maioria dos textos, que defendiam determinado lado da mesma forma que um torcedor defende seu time, mesmo se estiver perdendo de 7 a 1. Como diria Buda, o caminho do meio é sempre o melhor a ser seguido.

Mas meu ponto aqui é outro: pense nesses textos, que no fundo deixavam claro uma infelicidade geral com certas coisas da vida. Pense no conceito de nômade digital, na insatisfação com o modelo de trabalho, na luta por um mundo mais igual, por vidas mais felizes e no incentivo ao empreendedorismo criativo: todas essas discussões tomaram conta do mundo nos últimos anos. Seja no Brasil, na Ásia ou na Europa, muita gente está falando sobre isso.

O mundo vive uma mudança enorme. Gigante. A internet não é só mais uma etapa na saga do inexorável avanço tecnológico humano. É uma etapa principal. É a maior revolução comunicacional desde que Gutemberg inventou a imprensa. A Internet muda tudo. Muda a forma como vivemos, nosso modelo trabalho, nossos sonhos, nossos objetivos, o modelo de empreendedorismo, a forma como viajamos, o jeito que nos comunicamos. A internet causa revoluções, derruba governos e modifica o curso da história.

Coloque um adolescente que nasceu no começo do século 21 para viver na última década do século 20: ele estará em outro mundo. É como aquele bebê da propaganda que recebe uma revista impressa, mas acha que se trata de um tablet. O mundo mudou muito mais profundamente do que nós, que estamos no olho do furação, conseguimos perceber.

E esse é só o começo da mudança. O que vem pela frente é muito maior – o modelo de trabalho atual, por exemplo, está com os dias contados. Empresas que fizeram fortunas durante décadas não conseguem competir com players da era da internet, sejam eles o Whatsapp, o Netflix ou o Uber. E isso tudo é só a ponta do Iceberg. Daqui 20 anos, o mundo será outro. Esperamos que seja um mundo melhor.

360meridianos equipe

O 360 tem orgulho de fazer uma parte, mesmo que muito pequena, nessa mudança de paradigma. Fazemos questão de ouvir e seguir o espírito do tempo. É por isso que nós entendemos que este blog vai muito além do tema viagem. É uma questão de estilo de vida, mas entenda estilo de vida como algo absolutamente amplo: como um reflexo desse espírito do tempo, daquilo que todos nós  estamos vivendo hoje.

É por isso que já discutimos aqui sobre assuntos como Transporte Público no Brasil, Ciclovias, Espaços Públicos, Empreendedorismo e Consumismo Desenfreado. Também discutimos sobre turismo sustentável,  o problema das atrações envolvendo animais e os limites do turismo, que tem seu lado negro.

E o futuro?

O do blog é traçado e planejado trimestralmente, nas nossas reuniões de planejamento, e semanalmente, em nossas reuniões de pauta. Temos muitos alvos e objetivos para alcançar. Mas isso fica para depois: o que nós deixa felizes é o que alcançamos até aqui. E o orgulho de termos criado, do zero, um veículo de comunicação independente e que fala de assuntos importantes e variados. É o orgulho por termos conseguido aquilo que foi proposto lá em 2011.

Você se lembra que jornalismo e comunicação são sinônimos de crise, né? Pois é. Toda mudança é uma crise e nada de novo nasce sem um salto no escuro. Enquanto veículos de comunicação enormes demitem milhares e fecham projetos, nós resolvermos criar um negócio cujo modelo de monetização sequer estava claro quando o blog nasceu. Essa é a verdade: nós não largamos tudo para viajar. Nós largamos tudo para empreender, o que era milhares de vezes mais complicado e arriscado. Valeu a pena.

Num mundo de tantas mudanças, o futuro, por mais planejado que seja, é imprevisível. Não tem dia que não acordemos com medo. Com medo de dar errado. Com medo de parar de funcionar. Com medo do mundo mudar novamente e nos deixar para trás. O desafio é lidar com esse medo e usá-lo como motivador para seguirmos na única direção possível: em frente. E sempre remando com ajuda da corrente.

Avalie este post

Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Rafael

Siga minhas viagens também no perfil @rafael7camara no Instagram - Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014, voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

34 comentários sobre o texto “4 anos: soprando as velinhas com vocês

  1. Parabéns 360! Que o blog continue sempre inspirando e ajudando a transformar sonhos em realidades. E até mesmo incentivando a sonhar! Vocês são uma inspiração pra mim. E se queriam ser mais que um blog de viagem, para mim, conseguiram! Sucesso e vida longa, sempre!

  2. Parabéns, Rafa!
    Eu curto muito o 360, admiro pra caramba o profissionalismo de vocês e torço para que seu blog chegue cada vez mais longe. Acho muito massa o talento que vocês tem pra escrever, um dia ainda quero ser assim mas por enquanto eu só escrevo razoavelmente em Java (coisa de Nerd :)).
    Grande abraço e vida longa ao 360!
    Helder

  3. Parabéns pelo trabalho de vocês e que venham muitos e muitos anos….

    Vocês tem me inspirado a tirar um velho projeto da gaveta. Acho que por também ser jornalista e louca por viagens, me identifico bastante com a história de vocês!

    Quando o projeto sair do papel volto aqui e conto pra vocês!

    Abraços e parabéns mais uma vez!

  4. Olá meus queridos. Aos 4.8 recomeço minha aventura. Parto para um mestrado em terras lusitanas. Medo? De tudo. Ainda bem que tem vocês e esses quatro anos de história pra me servir de alicerce. Parabéns e Obrigada. Por tudo.

  5. Adoro quem assume que começou já objetivando “aparecer”, sabe? Estão mais do que certos: queriam algo, foram à luta e tem conquistado tudo isso.
    Mais uma vez, parabéns pelo ótimo conteúdo e pela transparência que tem com os leitores. É isso que nos cativa tanto! E que venham tantos outros posts 🙂
    Um beijo aos três!

    1. Obrigado, Lívia. A gente certamente queria ser lido, afinal esse é o objetivo de todo mundo que escreve. E essa é a parte que nos deixa mais felizes, francamente. 🙂

      Abraço.

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.