5 coisas que você só vai ver na Índia

5 coisas que você só vai ver na Índia

Há 10 anos, o governo da Índia resolveu criar um slogan que ajudasse a promover o turismo no país. Desde então, a frase “Incredible India” é usada para estampar outdoors, posters e chamadas de agências de turismo mundo afora, na tentativa de atrair viajantes em busca de destinos exóticos.

A campanha foi um sucesso e a Índia se tornou o destino turístico de maior crescimento nessa parte da Ásia. E eu te garanto que nenhum dos turistas que passaram por aqui durante este período vai acusar o governo de  fazer propaganda enganosa. A Índia é um lugar incrível. Tão incrível que às vezes parece parte de um outro planeta.

Se, por um lado, alguns itens essenciais e rotineiros na vida de um ser humano ocidental simplesmente não existem neste lado do mundo, por outro este país nunca vai deixar de surpreender um viajante desavisado com coisas que só se vê por aqui. E eu nem estou falando de rios sagrados e poluídos com corpos de gente e de bicho ou de templos que ostentam imagens do Kama Sutra que teriam a exibição proibida em qualquer canal de TV brasileiro antes das 23 horas. Coisas bem mais simples podem te assustar quando você menos espera.

Veja também: Baixe agora um ebook com milhares de dicas sobre a Índia

Limpador de ouvido

Limpador de ouvido na Índia

 Foto: Lucas de Loyola

Você tá aí de bobeira e, de repente, sente aquela coceirinha dentro do ouvido te dizendo que é hora de uma limpeza. Nada de procurar o pacote de cotonete! O que você precisa é de ajuda profissional. Os limpadores de ouvido, ou orelhicures, podem ser encontrados nas ruas das cidades, exercendo seu ofício ao ar livre.

Em um país com 1 bilhão e 300 mil habitantes, é claro que alguém iria nascer com vocação para tirar cera de ouvido alheio. Ou talvez essa seja só uma forma de criar postos de trabalho para esse tanto de gente.

Cerveja forte que parece fraca

Cervejas na Índia

Final de expediente, hora do happy hour com o pessoal da empresa. Se o seu escritório fica na Índia, tome cuidado. As cervejas aqui podem te levar à embriaguez em uma velocidade astronômica e o que era para ser uma cervejinha de leve pode virar um porre homérico. Isso porque as strong beers, preferência nacional, têm nada mais nada menos que 8% de álcool. Pode não parecer muito, ainda mais se comparado a outras bebidas consideradas fortes.

O problema é que o gosto é exatamente igual ao das cervejas que estamos acostumados, então, entre um bate papo e um petisco, é fácil se esquecer do que está bebendo e ir para casa trocando as pernas. Isso é tão comum que já virou piada: todo estrangeiro que chega aqui toma um porre com a temida Kingfisher Strong logo nos primeiros dias. Depois disso você aprende – sempre que for comprar cerveja, lembre-se de especificar que quer as versões light, que ainda assim são mais fortes que as favoritas dos brasileiros.

Suásticas por todos os lados

Calma! Não precisa sair correndo da casa de um amigo indiano achando que ele participa de um grupo neonazista só porque você viu uma suástica esculpida logo em cima da porta da frente. Ou então entrar em paranoia achando que entrou em algum lapso espaço-temporal e foi parar na Alemanha de 1939 quando um jipe de guerra com suástica vermelha passar ao seu lado.

Suásticas são símbolos poderosos onde quer você esteja. Embora tenha sido usada por diferentes civilizações ao longo da história, foi só no século 20 que ela se tornou temida. Quando um maluco de bigode resolveu adotar a suástica como marca da sua loucura, ela passou a representar um dos maiores e mais terríveis genocídios do mundo, assim como todos os ideais nazistas.

Suástica na Índia

Isso para nós, simples ocidentais.  Por aqui elas são nada mais, nada menos, que a representação de Ganesha e são consideradas bastante auspiciosas, como eles gostam de dizer (embora eu ache que os judeus talvez discordem disto). E sim, elas estão por toda a parte, inocentemente penduradas nos retrovisores dos tuk-tuks ou em posição de destaque em altares.

Coisas que só existem na Índia

A Índia e os detectores de metal para enfeite

Acho que todos concordam que a Índia não é o país mais seguro quando o assunto é terrorismo. A memória dos atentados em Mumbai, em 2008, ainda é bastante recente e a bomba que explodiu no Superior Tribunal de Delhi, em setembro de 2011, mostrou que a ameaça ainda está viva. Por isto, é normal que o país se preocupe com segurança. Quando cheguei, me assustei com a quantidade de detectores de metal que vi aqui. Eles estão em praticamente todas as partes, em um número bem maior do que o que eu vi em Londres, por exemplo. Ainda espero o dia em que vou acordar e me deparar com um na porta do meu quarto.

Na primeira vez que passei por um, ele apitou como de costume. Comecei a tirar o cinto, o celular, as chaves de casa, todas as moedinhas, câmera fotográfica… Só percebi que ninguém viria verificar meus pertences quando a pessoa de trás na fila começou a resmungar, mal humorada.

Por aqui é assim: detectores por todas as partes. Você passa, eles apitam, você segue com todas as bombas que você quiser carregar. Eu ainda estou tentando entender a utilidade disto. Talvez seja apenas mais um ritual religioso que temos que respeitar, talvez eles apenas gostem de ouvir os sonoros Piiis emitidos pelo equipamento. Ou vai ver eles se sentem mais seguros se estiverem apenas conscientes de que existe a possibilidade de alguma daquelas pessoas estarem ali com uma arma, já que todos são reprovados no teste dos detectores. Vai saber…

A única exceção é nos aeroportos, onde a verificação de segurança realmente funciona. Foi num aeroporto que implicaram pela primeira vez com o meu kit de garfo e faca que carrego desde que cheguei aqui e que, por engano, estava esquecido na minha bagagem de mão.

Clareadores de pele

“Você está tão bronzeada! Mas não se preocupe, está tudo bem! Não é tão grave assim! Mesmo!” Foi assim que receberam uma colega europeia que voltou ao escritório após uma semana de esforço para pegar uma cor nas praias de Goa. Enquanto no resto do mundo as pessoas gastam centenas de dólares para pegar aquele bronzeado, aqui a ordem é se esconder do sol. Natação, só antes das oito! E dizer que alguém está mais moreno é quase uma ofensa…

E se a natureza não te agraciou com uma pele mais clara, existe uma saída: cremes clareadores de pele. Fair and Lovely, Fair and Beauty e Fair Menz são apenas alguns dos nomes de produtos disponíveis no mercado. É comum ouvir de meninas adolescentes como elas se ressentem da própria cor e como elas gostariam de ser mais parecidas com as estrangeiras. E não adianta dizer que, em nossos países, elas são consideradas bonitas e exóticas. Reflexo da baixa autoestima que assola o país.

Nas revistas e propagandas, modelos mais brancas do que o resto da população são maioria; e anúncios de jornais publicados por pessoas que procuram um casamento para os filhos frequentemente usam a palavra “fair” como característica imprescindível para qualquer pretendente.

Uma pena. A pele morena, característica de praticamente todos os indianos, é bem mais bonita do que a versão desbotada e pálida que eles conseguem após usarem os tais cremes.

Já chamei de casa a Cidade do Cabo, Chandigarh, Buenos Aires e Barcelona, mas acabo sempre voltando pra minha querida BH. Gosto de literatura, cervejas, música e artigos de papelaria, mas minha grande paixão é contar histórias. Por isso, desde 2011 viajo o mundo e escrevo sobre o que vi. Também estou no blog sobre escrita criativa Oxford Comma.

Siga @natybecattini no Instagram

9 comentários em 5 coisas que você só vai ver na Índia

  1. Nossa eu amei, esse blog, mossa nossa UAU!!!, eu ri muito com seus relatos, parece mesmo que conhecer a India é se surpreender a cada minuto, eu estou com muita vontade de ir na India, e ao ver esse blog ajudou muito a iluminar minhas ideias sobre esse pais .. eu gostaria de conversar mais com alguém que ja visitou esse pais, gostaria de tirar algumas duvidas, por favor alguém me contate por e-mail, meu é [email protected] .

  2. Fernanda e Otavio: Valeu! =)

    E não, eu ainda não falei com nenhuma vaca, mas conheço pessoas que chegaram bem perto disso…

    E eu não choro sempre, apenas quando eles me dizem coisas relevantes sobre a vida, o universo e tudo mais…

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: