Compras na Índia: o incrível guia da barganha

Compras na Índia: o incrível guia da barganha

Não é segredo para ninguém que me conhece que eu sou o máximo do fracasso na negociação de preços. Eu ainda não fali, mas se não fosse a ajuda alheia já estaria perto disso. Então segue aqui um compilado das melhores técnicas, um verdadeiro guia da barganha que eu não uso, mas que é conhecido e aprovado pelos meus colegas de casa que parecem nunca gastar mais de 10 rúpias em qualquer coisa. Quem sabe escrevendo eu não aprendo um pouco?

As coisas na India são muito baratas. Assim, realmente baratas. E a gente, quando está com preguiça, costuma aceitar o primeiro valor que o vendedor oferece. Por exemplo, quando tentei comprar um souvenir, a moça disse: 70 rúpias. Isso significa R$ 2,50. Está justo, né? Só pagar e seguir a vida. Bom, não é bem assim.

Veja também: Baixe agora um ebook com milhares de dicas sobre a Índia

Como barganhar na hora de fazer compras na Índia

1. A regra de ouro na arte da barganha indiana, ensinada por uma amiga americana e agora compartilhada com vocês é: nunca aceite o primeiro preço, mesmo que ele pareça justo. Se você aceitar o vendedor pode achar que está barato e aumentar o valor para o próximo cliente, ou seja, ao não barganhar você prejudica outros turistas, você mesmo no futuro e principalmente os locais, que não esbanjam dólares.

2. Na Índia, preço fixo existe em raras lojas, lugares que te deixam meio mal-humorado já que você não entende o porquê da pessoa não querer negociar. Evite-as se quiser economizar.

Compras na Índia

3. Aprenda números em hindi. Fica mais fácil para mostrar que você é local (mesmo que não) e não um turista trouxa pronto para pagar 600 rúpias num tambor inútil (igual a um russo na praia: loser!). Pequena lição de hindi da semana: “Kidna” significa quanto custa. Os números a seguir estão escritos como você vai ouvir do vendedor, tikeh?

1 – ek

2 – dô

3 – tín

4 – tchar

5 – pantch

6 – tchê

7 – Sat

8 – aath

9 – nò

10 – dâs

 20 – bis

30 – tis

40 – tchalis

50 – patchas

60 – saath

70 – satar

80 –assí

90 – nabê

Para o cem e todas as casas das centenas é só acrescentar um “sô”. Exemplo, 100 é Ek Sô. 350 fala-se Tín Sô Patchas. Fácil, né?

4. Nunca, em hipótese alguma, mostre o seu dinheiro. Não tire o dinheiro na frente do vendedor, não fale com ele que você não tem dinheiro trocado (sim, eu já fiz isso) e não encoste na sua carteira até que a negociação final tenha sido feita. A única forma aceitável de mostrar o dinheiro é se você tiver o valor trocado e mostrar que só vai pagar aquilo mesmo.

Veja também: Os golpes mais comuns na Índia

5. Li no twitter: “o melhor negociador é aquele que não mostra interesse”. É uma das melhores regras da barganha aqui na Índia. A cada, “nossa, que bonito”, se vão umas mil rúpias a mais, não importa a língua que você fale. Olhe mais ou menos e tente não mostrar empolgação. Se a negociação não estiver muito favorável fale obrigado e saia lentamente. Há 97% de chance de o vendedor vir atrás de você oferecendo um preço melhor.

Caixas da Kashemira

6. Aqui tem muita coisa, muitos lenços lindos, muito artesanato bacana, muito tudo. Isso significa que você sempre pode ir à loja ao lado e tentar um preço melhor, se na primeira der errado. Além disso, se você realmente gostou de um produto, mas a barganha deu errado, volte na loja um pouco mais tarde. Existe sempre a possibilidade de ser outro vendedor ou de eles preferirem vender a qualquer custo.

7. Para terminar, como proceder a negociação em si. Supondo que você provavelmente não vai saber o real custo de primeira, o que te categoriza com turista calouro burro:

Compras na Índia

O vendedor vai falar que aquele lenço lindo e colorido custa 600 rúpias. Diminua para mais ou menos 50% do preço, dependendo da qualidade do material e da loja em que você está. Quanto melhor a loja e o material, menor vai ser seu poder de barganha. Aí o vendedor vai começar a falar não, good quality, etc, etc e fazer cara de coitado. Evite contato visual nessa hora.

Continue falando, nei nei, não vou pagar mais do que isso. Ele vai oferecer um preço menor, mas não muito menor. Continue barganhando. Nessa hora você pode abrir mão do seu valor inicial e subir um pouco, mas sempre tenha um limite na sua cabeça. Aí colega, vale tudo: ir embora, chorar e falar que é pobre, contar que você mora na Índia (mesmo que não more, ajuda).

No final, se você mantiver o bom humor e algum jogo de cintura, sai da loja com um novo amigo indiano e com o produto. Se não, bom, pelo menos foi barato em reais ou dólares, né?

Ps. Contrariando o último argumento, NUNCA faça a conversão de valores, caso contrário você vai achar tudo barato e vai ser um loser da barganha. Game Over.

Sou jornalista, tenho 28 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite “morar no aeroporto”. Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo.

21 comentários em Compras na Índia: o incrível guia da barganha

  1. hauhaua, adorei as dicas. Eu acho que esse negócio de querer tirar proveito de estrangeiros é uma mal global. Já percebi isso em muitos lugares em que visitei, inclusive aqui dentro do Brasil mesmo.

    Obrigado

  2. Oi Luiza!!! ótimo posto… vou a India dia 1 novembro… fico 1 mes, Chego por Delhi… pretendo conhecer Delhi, Jaipur, Agra, Khajuraho, Varanasi, seguindo ao Nepal tudo via terrestre,nosso perfil é super economico! rs a dúvida é vamos levar 4,500 reais… é pouco?? é melhor eu tirar o role até o Nepal?? consigo fazer tudo ne periodo de 27 dias?? desde ja obrigada!

  3. Boa noite!pretendo enviar 300 reais convertidos em rupias. Para um amigo, mora em mumbai. Vc sabe informar se dar pra ele comprar algo agradável e bom? Pq não tenho idéia do valor das coisas.E não sei se essa conta vai ser útil.

  4. Oi Luiza, como vai?

    Como funciona a quantidade de coisas que posso trazer da India para o Brasil, tenho que pagar taxas? Ate quantos quilos podemos trazer?

    • Oi Michele,

      As regras são as mesmas para qualquer alfândega: você pode trazer até 500 dólares em compras sem pagar taxas, mas há um limite de quantidade de produtos iguais.

      Sobre os quilos, depende das regras da cia aérea que você estiver voando.

  5. Olá, comprei um pacote de 11 dias na índia, com hotel e passagens aéreas. Mas depois que li algumas coisas referente ao convívio deles com os ratos, macacos e a dificuldade de locomoção, fiquei apavorada!!!Sou eu e uma amiga e só falamos o português. é verdade o que dizem?? me ajude por favor! Existe possibilidade de contratar passagens por aqui(inclusive, um guia) e não ter o problema de ao chegar lá estar cancelado? Obrigado.

    • Oi Ângela,

      Esse risco existe, mas depende da agência que você contratou, se é confiável e conhecida ou não.

      Temos muitos posts sobre a Índia e um livro inteiro sobre o país. Dê uma lida nessas informações com calma. Sim, há muitos motivos para ter choque cultural, mas também há lugares magníficos e é uma experiência única!

      Abraço

  6. Bom dia,

    Preciso de uma ajuda e não encontrei na net.
    Qual a forma mais barata de enviar algum produto via correio para o Brasil?

    Agradeço desde já, obrigado.

    • Oi Márcio,

      Da Índia para o Brasil a forma mais barata é usando o correio indiano mesmo. Os serviços internacionais de entrega, tipo Fedex e DHS são muito caros.

      Quando estava na Índia eu enviei algumas roupas e sapatos de volta para o Brasil, algo em torno de uns 5 quilos e foi bem baratinho (não lembro mais o preço certinho). Demora para chegar, acho que foram uns 2 meses.

      Abraço

  7. Olá Luiza, fiz uma amizade com um indiano de Bikaner, em Rajasthan. Estava pensando em ir la visitá-lo e ficar em um hotel, fiz uma conversão de valores ( não segui a dica do Ps, rs) e vi que deu 49751,00 rupias! Achei muita coisa e estou me sentindo rica demais para ficar com esse dinheiro todo lá. Será que estou enganada ou a rúpia é mesmo barata? É muito ou pouco?

    • Andressa,

      Esse hotel está muito caro!!! São quase 50 mil rúpias, o que dá quase 2 mil reais. A não ser que seja um hotel 5 estrelas, cheio de conforto, vc está sendo assaltada! Eu dei uma olhada nos preços de hotéis na cidade e definitivamente não são caros assim.

  8. Oi Gyi! Desculpe pela demora em responder.
    Quando a reserva do hotel é feita pela internet, fica mais
    difícil barganhar. Mas independente disso, acho que não custa tentar -cara de pau e jogo de cintura valem em qualquer situação e você pode conseguir um bom desconto inesperado. Nunca se sabe.

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: