Tags:
Atlas: Lisboa, Portugal

Centro Histórico de Lisboa: o que fazer por lá

Lisboa tem a fama de ser uma das cidades mais belas da Europa. Metade dessa popularidade pode ser creditada na conta de Belém, uma vizinhança histórica com grande apelo turístico. A outra metade muito provavelmente veio das ruas, becos e miradouros do Centro Histórico. Dividida entre os bairros Alfama, Castelo e Mouraria, Bairro Alto, Chiado e Bica e a Baixa, essa região presenteia os viajantes com uma surpresa a cada esquina. Descubra as principais delas.

Leia também:

Onde ficar em Lisboa: os melhores bairros

O que fazer em Lisboa: roteiro de 3 dias

Reserve seguro de viagem com desconto

Convento do Carmo

De igreja e convento mesmo, pouca coisa sobrou depois do terremoto de 1755. O desastre, aliás, não deixou quase nada em pé na capital portuguesa, mas as ruínas dessa antiga igreja gótica são um dos poucos testemunhos que ainda restam da catástrofe.

Convento do Carmo em Lisboa

Dentro do sítio arqueológico, é possível observar os arcos do convento e tentar imaginar como era grandiosa essa construção, que chegou a ser o maior templo católico da cidade. O passeio inclui uma visita ao Museu Arqueológico, que tem tumbas antigas, múmias, artefatos da época da ocupação romana e outros objetos interessantes.

Planeje sua viagem: Saiba em que bairro ficar em Lisboa 

Ruinas do Convento do Carmo, Lisboa

Não deixe de passar pela pracinha logo em frente às ruínas, o Largo do Carmo. Ela também já testemunhou fatos importantes da história: foi palco da Revolução de 25 de Abril de 1974, que uniu povo e uma dissidência das Forças Armadas e deu início ao processo de redemocratização do país depois de 40 anos do Estado Novo e da ditadura Salazarista.

Entrada: 3 euros.

Elevador Santa Justa

Vista do elevador Santa Justa

Ali pertinho das Ruínas do Carmo fica o Elevador Santa Justa. Construído por um aprendiz de Gustave Eiffel – ele mesmo, o da Torre, o elevador liga a Baixa de Lisboa ao Bairro Alto. Do topo, é possível apreciar as ruas de Lisboa, incluindo o Castelo de São Jorge e o Rio Tejo.

Entrada: 3 euros para duas viagens.

Alfama

Alfama-Lisboa

Se uma das minhas atividades turísticas preferidas é perambular sem rumo pelas ruas e tirar fotos de becos, casinhas e janelas (muitas janelas), para mim a Alfama, vizinhança popular de Lisboa, era quase a Disney.  Pequenas casinhas coloridas, varais, bandeirinhas, ruelas e sacadas dão o tom do mais antigo bairro da capital portuguesa.

A trilha sonora, por outro lado, é dominada pelo Fado. Ali estão algumas das melhores casas para se ouvir o tradicional ritmo lusitano em restaurantes com preço honesto. Quem se interessar mais pela história dessa grande manifestação cultural pode visitar o Museu do Fado (Largo do Chafariz de Dentro, nº1).

Igreja de São Vicente de Fora

Ali na Alfama fica a Igreja São Vicente de Fora (Largo São Vicente), um antigo mosteiro do século 16. É muito famosa pelos painéis de azulejo que retratam cenas de ataques do D. Afonso Henriques a Lisboa e Santarém, Fabulas de La Fontaine, anjos e florais. É lá também que estão os sarcófagos da dinastia Bragança, a mesma que governou o Brasil em tempos de Império e a última a reinar em Portugal.

Castelo de São Jorge

Castelo de São Jorge

A principal atração lá dentro é a própria cidade: ao andar pelas muralhas e miradouros, é possível apreciar as vistas mais incríveis de Lisboa. A construção, no entanto, também esbanja história. Foi a partir desse castelo que nasceu a capital portuguesa e uma das cidades mais antigas da Europa.

Testemunha de invasões, guerras e prisões, o Castelo de São Jorge resiste há oito séculos e hoje é item número um em muitos desses TOP 10 coisas-que-você-precisa-ver-na-cidade publicados em guias turísticos. Além de passar pelas torres e muros, passeie também pelas ruas da cidadelas, repletas de restaurantes e lojas de souvenires.

Luíza e a vista Castelo de São Jorge Lisboa

Entrada: 7,50 euros.

Veja também: A história do Castelo de São Jorge

Catedral da Sé

Não, eu não errei de cidade.

Considerada a igreja mais importante de Lisboa, a Catedral da Sé foi erguida em 1150, assim que os mouros foram expulsos da região (e no lugar de uma antiga mesquita). Ali estão guardados os restos mortais de São Vicente, um dos padroeiros da cidade.

Catedral da Sé, Lisboa

Rua Augusta

Em uma ponta, a Praça do Comércio, na outra, a Praça do Róssio. No meio, uma das ruas mais movimentadas de Lisboa. Fechados para carros, esses quarteirões recebem os mais variados tipos: de viajantes a locais em busca de um lugar descolado para passar o fim de tarde, artistas de rua e  vendedores ambulantes. Lojas, cafés e restaurantes de todo o tipo convidam os passantes a se sentarem um pouco e apreciarem o movimento da cidade.

Lisboa_-_Baixa_Pombalina_-_Rua_de_Santa_Justa

Se você andar em direção à Praça do Comércio, vai encontrar o Arco do Triunfo, um monumento construído no século 18 em homenagem aos descobrimentos portugueses. É possível subir no arco para mais uma vista da cidade (2,5 euros).

Elétrico 28

Elétrico 28

Esse charmoso bondinho amarelo com interior forrado em madeira é um clássico em Lisboa e uma das melhores formas de explorar os bairros históricos. A linha, inaugurada em 1914, percorre algumas das paisagens mais belas e emblemáticas da cidade, cortando as vizinhanças de Alfama, Baixa, Chiado e Santos. Comece  o passeio na Praça Martim Moniz e vá até o ponto final, em Campo de Ourique. Aproveite que já está ali e faça uma visita à casa de Fernando Pessoa.

Preço: 1,40 euros.

Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países da Europa e pode ser exigido na hora da imigração. Além disso, é importante em qualquer viagem. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício e garanta promoções.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer nosso kit de Planejamento de Viagens?
Contém um Ebook, tabelas de orçamento,
roteiro e check-list (DE GRAÇA!)




Natália Becattini

Já chamei muito lugar de casa, mas é pra Belo Horizonte que eu sempre volto. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Além do 360, mantenho uma newsletter sobre o a vida, o universo e tudo mais, que eu chamo de Vírgulas Rebeldes. Vira e mexe eu também estou procrastinando lá no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

27 comentários sobre o texto “Centro Histórico de Lisboa: o que fazer por lá

  1. Minha primeira viagem a Europa! *Antes tarde do que nunca!
    Estou destacando algum lugares que pretendo ir em Portugal e cogitando pegar um trem a Madrid para passar um dia (bate e volta). Será que vale a pena? Não tenho ideia de quanto de tempo de viagem.
    Me basearei pelo seu roteiro, inicialmente! <3

  2. Bom dia Natalia,
    Minha filha vai fazer uma conexão em Lisboa no mes de Abril e vai ficar com uma manhã livre, voce indicaria alguns lugares no centro para ela visitar com esse tempinho?

    Obrigado

    1. Olá Elismar, se a conexão dela for de em torno de quatro horas, não recomendo sair do aeroporto. Mas enfim, com uma manhã ela pode visitar o Castelo de São Jorge, o Convento do Carmo ou dar voltas pelas ruas charmosinhas do centro histórico (e quem sabe, comer bacalhau heheh).

      Abraços

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.