Como encontrar formas diferentes de fazer turismo?

Enquanto um monte de gente discute as diferenças entre turistas x viajantes e tentam hierarquizar as formas que as pessoas viajam, muito tempo é perdido. Tudo continua sendo feito da mesma forma. Descobrir jeitos diferentes de fazer turismo é uma das muitas coisas que nos questionamos aqui no blog. Sim, claro que existem formas diferentes de viajar, mas nem sempre é fácil encontrá-las.

Iniciei o texto com essa provocação para compartilhar com vocês um projeto que já conheço há algum tempo, a Visit.org. É um site que reúne projetos sem fins lucrativos que propõem atividades turísticas diferentes e permite conhecer a realidade do trabalho dessas organizações e participar da vida da comunidade visitada.

A iniciativa de empreendedorismo social surgiu em 2008 e foi fundada por duas mulheres a partir dessa percepção de que proporcionar interações entre viajantes e projetos que beneficiam comunidades locais é uma experiência imersiva, impactante e que beneficia positivamente os dois lados da balança.

O objetivo é exatamente dar uma resposta à pergunta do título: “como encontrar formas diferentes de fazer turismo?”, porque no mercado de viagens online é quase impossível para uma organização pequena conseguir se destacar. Com a Visit.org eles são facilmente descobertos e reservados pela plataforma online. Além disso, a empresa social também ajuda as organizações a cobrarem um preço justo pelas atividades e oferece suporte para garantir que elas sejam atrativas e seguras para os turistas.

A grande diferença é que as atividades listadas ali são sim atividades turísticas, e não voluntárias. Pelo contrário, é necessário, como em qualquer pacote turístico, pagar um valor justo para participar. Ou seja, diferente do volunturismo, não é necessário um compromisso de longo termo com os visitantes, os turistas não participam dos serviços regulares da organização ou seus programas a longo prazo: eles pagam pela experiência. As experiências propostas no site vão de uma hora até dois ou três dias de imersão.

A renda gerada pelas visitas é reinvestida nos projetos comunitários. Esse é um dos pré-requisitos para as organizações fazerem parte do site. Além disso, é preciso que as atividades contem com o envolvimento e aprovação das comunidades locais; respeitem as tradições culturais e estruturas sociais; evitem que a população local seja obrigada a publicizar ou transformar em performance suas tradições ou cerimônias; não tenham interações com populações vulneráveis, como crianças; sejam ambientalmente sustentável e façam da segurança dos visitantes uma prioridade.

A Visit.org, enquanto um negócio social, coleta uma taxa dos usuários/visitantes no processo das reservas, que é utilizada para a manutenção do próprio negócio. Ao mesmo tempo, são as comunidades, e não os visitantes ou empresas turísticas, quem desenham e organizam as experiências.

A meta deles é conseguir reunir na plataforma pelo menos 50 mil organizações até 2020 e gerar para elas uma renda de 300 milhões de dólares. As atividades reunidas estão em diversos países do mundo, de Gana à França, da Colômbia à Índia. Só no Brasil, existem 22 opções de experiências, que vão de um tour pela Floresta da Tijuca com a Cooperativa Vale Encantado, que custa 23 dólares por pessoa, ou uma experiência de três dias de produzir bonecas de cerâmica com uma comunidade do Vale do Jequitinhonha, do projeto Raízes, por 935 dólares.

Espero que vocês gostem da iniciativa. E que outras ideias como essa surjam por aí.


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

5 comentários sobre o texto “Como encontrar formas diferentes de fazer turismo?

  1. Olá,Mandei um email particular para vcs mas vcs não respodem-to mandando aqui ok?-´

    Sou bem leigo nesse assunto de viagem pro exterior e tenho muita vontade de conhecer o mundo e gostaria de saber se esse ebook digital(1º viagem) tira algumas duvidas PROCEDIMENTAIS nos outros paises.

    Por exemplo ja ouvi dizer que quando chega no aeroporto eles pedem pra mostrar o extrato da sua conta e pergunta quantos dias vc vai ficar – tipo fazendo uma relação tempo de estadia/dinheiro que levou.

    Enfim de forma geral as minha duvidas são sobre pequenos procedimentos nos outros paises que me deixam meio preocupados e gostaria de saber se esse ebook é bem pra leigo que nem eu mesmo.

    1. Oi Lucas,

      Já respondi seu email! O Primeira Viagem é um livro focado exatamente nessas dúvidas que você tem, para pessoas que como você, nunca viajaram antes para o exterior!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.