Tags:
Atlas: Índia

Como convencer alguém a viajar para a Índia

A Índia é o sonho de muitos e o pesadelo de outros tantos. A gente costuma dizer que existem dois tipos de pessoas no mundo: as que têm verdadeira fascinação pelo país e as que seriam capazes de pagar para nunca terem que botar os pés lá.

Não poderia ser diferente: a Índia é um país de extremos, sem meios-termos. Não é raro conversamos com viajantes que descrevem a experiência ali como uma alternância entre amor e ódio, mas também impactante, transformadora, daquelas de dar um nó na sua cabeça.

Tanta intensidade pode assustar. O lixo assusta, o cheiro assusta, a pobreza assusta. Não há como negar que a primeira coisa que eu senti quando desci do aeroporto em Nova Delhi foi uma vontade imensa de pegar um avião e voltar para casa. Mas eu fiquei. E até hoje sou grata por isso, porque tudo o que eu vivi no país acabou me ajudando a ver o mundo de outra forma e, por que não?, me tornou uma pessoa melhor (mas não do jeito zen que você pode estar imaginando). E, se você for parar para pensar, não são essas as viagens que mais valem a pena?

Golden Temple dos Sikhs Amritsar

Mas eu sei, nem sempre é fácil digerir a ideia de embarcar em uma viagem tão difícil, tão cheia de contras. E, talvez por isso mesmo, a gente receba tantas reclamações de gente que não consegue convencer amigos, parentes ou namorados a entrarem nessa aventura. Para tentar ajudar essas pessoas, juntei alguns motivos pelos quais eu acredito que essa seja uma viagem que todo mundo deve fazer uma vez na vida. E, se nada disso adiantar, você sempre pode encontrar outra companhia.

A Índia é, provavelmente, o lugar mais diferente que você vai visitar na vida

Eu já estive em 31 países e nenhum deles me chocou tanto quanto a Índia. Já vi lugares bem diferentes. Tailândia, Nepal, Malásia, Indonésia… Em nenhum deles eu senti que toda a minha visão de mundo tinha sido chacoalhada em uma bacia como eu senti na Índia.

Porque lá é tudo-ao-mesmo-tempo-agora. Porque ali todas as regras sociais que você aprendeu a vida inteira não têm nenhum valor. Porque ali há mais de 1 bilhão e 300 mil pessoas (o equivalente a seis Brasis e meio) vivendo uma vida que muitas vezes a gente não consegue entender ou concordar, e isso ensina muita coisa sobre ver através das nossas lentes culturais.

Mercado de Jodhpur

Não estou dizendo que não existam lugares que vão fazer sua mente explodir da mesma forma. Tribos isoladas, ilhas remotas, populações com pouquíssimo contato com o resto do mundo, talvez um ou outro país mais acessível. Quantos deles estão há apenas uma conexão de distância como a Índia?

Seus estereótipos sobre a Índia não estão totalmente certos

Tudo o que você pensar sobre a Índia é provavelmente verdade. Se as primeiras palavras que você pensa são zen, yoga e paz espiritual, bom, você vai encontrar isso lá. Mas se as imagens que pintam na sua cabeça são de lixo, miséria e diarreia, você também está certo. O problema é que essas duas visões correspondem a uma faceta limitada da realidade, como qualquer estereótipo que se preze.

A verdade é que a Índia tem sim uma deficiência na coleta de lixo, falta de saneamento básico e é, em muitos sentidos, um lugar caótico. Mas, como turista, você não precisa experimentar isso de forma tão intensa. Há no país hotéis limpos e bonitos, da classe das guest houses aos cinco estrelas. Quase todos os que eu fiquei tinham banheiro ocidental e papel higiênico, alguns dos maiores medos de quem viaja para lá. E olha que eu ficava em lugares nos quais o valor da diária era de, no máximo, R$10 por pessoa. Gastando um pouco mais, dá para encontrar hospedagens ainda melhores.

Estátua de Shiva no Ganges em Rishikesh, Índia

Não faltam também restaurantes de primeira, com padrões de higiene aceitáveis e menus variados. As cidades são cheias, quase sempre mal planejadas, mas não é difícil se deparar com verdadeiros oásis de paz. Lugares tão agradáveis e incríveis que você não vai nem querer ir embora. O Ganges é, sim, sujo e poluído em certas áreas, mas em outras a água é tão limpa que você até arrisca um mergulho. A Índia não é um inferno na Terra. Essa imagem é tão reducionista quanto qualquer preconceito bobo que a gente tem.

A Índia é um dos países mais diversos do mundo

A única coisa que as várias regiões da Índia têm em comum é Gandhi. Não fosse o líder da independência, que uniu o país em torno de uma causa, mais provável seria que os estados tivessem caído no braço até se desintegrarem em vários pequenos países. Ir de um lado para o outro da Índia é quase como mudar de país. Muda a língua, muda a religião, mudam as roupas. Até a fisionomia das pessoas muda.

São mais de 400 idiomas e dialetos (apenas 23 deles são oficiais), dezenas de etnias e tantas outras tradições gastronômicas. Todas as principais religiões do mundo estão representadas ali, e mais algumas outras que você provavelmente não conhece tanto, como o Sikhismo e o Jainísmo. Eu nunca estive em um lugar tão plural quanto a Índia.

India Gate - Mumbai

E essa diversidade não é só demográfica. De norte a sul do país, você passa por montanhas, neve, desertos, floresta tropical, praias, metrópoles, ruínas com milhares de anos, templos sagrados e construções modernas. Além, é claro, de uma das maiores variedades de plantas e animais do planeta.

Alguns dos lugares mais incríveis que você vai ver estão na Índia

Tantos contrastes criam belezas. Lugares surpreendentes, que têm de tudo para entrar na sua lista de preferidos. Templos, paisagens e cidades inteiras que são difíceis de esquecer e, quem sabe, vão te dar até um motivo para voltar. Pode ser uma cidadezinha incrustada no Himalaia e onde, por acaso, vive o Dalai Lama. Ou uma vila cheia de lagos e palácios dos Marajás. Ou um lugar que conseguiu até mesmo inspirar os Beatles a escreverem o Álbum Branco. E eu nem vou mencionar o Taj Mahal porque, vocês sabem, esse aí já é praxe.

Leh, Índia (viajar para a Índia)

Ladakh, India (viajar para a Índia)

Templo na Índia

Passeios de barco em Udaipur, Índia

Kerala India

Vai viajar? O seguro de viagem é obrigatório em dezenas de países e indispensável nas férias. Não fique desprotegido na Índia. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício para o país – e com cupom de desconto.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Natália Becattini

Já chamei de casa a Cidade do Cabo, Chandigarh, Buenos Aires e Barcelona, mas acabo sempre voltando pra minha querida BH. Gosto de literatura, cervejas, música e artigos de papelaria, mas minha grande paixão é contar histórias. Por isso, desde 2011 viajo o mundo e escrevo sobre o que vi. Também estou no blog sobre escrita criativa Oxford Comma e compartilho minhas impressões de mundo também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

49 comentários sobre o texto “Como convencer alguém a viajar para a Índia

  1. Olá. Nunca viajei pra fora do Brasil, nem sequer saí do Sul do Brasil. Meu sonho é conhecer esse país esplêndido bem no estilo mochileiro mesmo. Sei apenas o básico do básico do inglês. Acha que é arriscado eu visitar a Índia assim de primeira, sem experiência?

    1. Ryan, haha olha, com certeza vai ser uma choque imenso! Você já vai começar no mundo das viagens com uma experiência nível hard! Não diria que é arriscado. Tudo vai depender do seu jogo de cintura e capacidade de adaptação.

      Abraços!

  2. Olá Natália!
    Parabéns pelo seu trabalho, seu entusiasmo é contagiante!
    Não sei se ainda está respondendo este post (o último comentário já tem dois anos), mas tenho uma dúvida sobre vistos:
    Pretendo ficar na Índia por 3 meses e penso em fazer um curso de inglês lá, mas não queria definir a cidade (e escola) antes, pra assim ir com visto de estudante. Pensei em ir como turista e lá viajando decidir onde ficar mais semanas e fazer um curso pra melhorar meu nível na língua.
    Porém, pesquisando em mais sites, encontrei a informação de que não posso ir com visto de turista se eu for estudar. Já no site do consulado indiano vi essa restrição apenas em relação ao visto eletrônico (e-TV), que não seria o caso (pq só serve para estadas de até 30 dias). Em relação ao visto de turista feito no consulado (ou embaixada) não mencionava nada. Será que daria problema tirar esse visto de turista (6 meses) e fazer um curso por lá?
    Fico muito apreensivo de planejar toda uma viagem e depois ficar limitado por questões dessa ordem… fico grato com qualquer informação que vc tenha sobre o assunto!
    Abraços

    1. Tallys, não é a coisa mais legal de se fazer – o certo seria ir com visto de estudante -, porém dá pra fazer do jeito que você quer, desde que você respeite a permanência do seu visto de turista. O risco de dar problema é mínimo porque não tem como eles ficarem sabendo que você se matriculou em uma escola já estando dentro do país.

      Abraços

    2. Oi tallys… Boa noite! Eu me chamo marineia, vi seu comentário, seria o seu o mais recente… Eu estou pretendendo ir a Índia final de agosto do ano que vem e gostaria de ter pelo menos uma companhia para não ir sozinha… Você já tem uma data de quando ir? Eu estou procurando alguém para fazer companhia pelo menos até chegar no aeroporto de Nova Deli.

  3. Natalia,
    Excelente post, parabéns! Sempre tive vontade de conhecer a Índia, mas sempre me faltou coragem de enfrentar a sujeira e a pobreza. Já fiz várias viagens, algumas no esquema mochilao, alguns destinos mais perrengues, mas sei que esse seria de mais contrastes.
    Estou querendo ir no ano que vem..

    Se você tivesse de 10 a 12 dias no país, que lugares visitaria?

  4. Oi Nathalia,

    O seu Blog é incrível e sua atenção, a cada leitor é ainda mais especial.
    Obrigada!
    É minha primeira vez, indo a India.. Vou sozinha.. Minha referencia é conhecer o Ashram do Prem baba, em Rishkesh, porém gostaria de ir a outros lugares como por exemplo Auroville no Sul da India.
    Fico na India por quase dois meses de 22 de janeiro a 13 de fevereiro 2016..
    E confesso que minha condição financeira é bem precária…
    Apesar da idade avançada(56 anos)não tenho muitas “frescuras” ;-)! e gostaria muito de algumas dicas para conseguir estadias bem baratas..Como achar?

    A língua foi uma dificuldade ou consigo me comunicar com inglês em qualquer lugar?

    Qual o minimo que devo levar no que diz respeito a dinheiro..

    Quanto a moeda, rupia fácil de trocar?

    Decido isso ao ver uma passagem muito boa

    1. Claudia,

      Para achar lugares bem baratos eu não buscava na internet, chegava na cidade e procurava algo por ai, porque assim podia negocia o preço e achava uns lugares que não estavam em nenhum site.
      Com inglês você vai se sair bem
      Eu sacava rupias no caixa eletrônico direto da minha conta no brasil. Tranquilo.
      Abraços!

  5. Natália, tudo bem? Pretendo ir a India ano que vem, mas estou com um pouco de receio porque vou com meu namorado (Somos Gays). Embora não aparentamos porque não somos afeminados. Mas li coisas horríveis sobre gays na Índia. O que você recomenda?

    1. Luciano, é uma cultura muito conservadora, é verdade. Porém, também é comum que homens andem de mãos dadas pelas ruas e tenham mais contato físico. Aconselharia que vocês não se beijassem em público, mas fora isso está bem. Até porque nem beijos héteros são bem vistos por lá. Conheço um casal que foi parado pela polícia por demonstrações públicas de afeto. Ou seja, adote os cuidados normais que qualquer pessoa adotaria em uma cultura conservadora e patriarcal que vai ser tranquilo.

      Abraços e aproveitem!

  6. Viajar para a Índia é uma mudança total de padrão de viagem, acredito eu.

    Já fui para Alemanha, Itália e França, não quero generalizar, pois cada lugar tem sua particularidade e tal, enfim, na minha cabeça todos os países como Portugal, Espanha, Inglaterra e outros são praticamente iguais na Europa…(entenda o que eu quero dizer)

    Na América do Sul conheço Uruguai, Argentina e Chile, novamente os mesmos padrões.

    A Índia vem pra quebrar tudo isso, pelos posts e fotos TUDO lá só existe lá, deve ser realmente maravilhoso, é um novo prisma de enxergar a vida.

    Se Deus permitir com certeza irei!

    1. André, eu acredito que a Índia talvez seja o lugar acessível mais diferente do mundo. É um choque cultural por segundo. Espero que consiga realizar essa viagem.

      Abraços!

  7. Olá, Natália!

    Sou estudante de Letras e vou ter que apresentar um trabalho sobre saneamento básico. Infelizmente, vou ter que citar a Índia como péssimo exemplo. No entanto, refaço minha concepção, levando em consideração a sua matéria, no que concerne ao turismo. Fiquei fascinado com as fotos. Adorei sua matéria! Parabéns!

  8. Oi Natália,
    tudo bem?
    Primeiro, parabéns pelo site e posts.. São realmente incríveis, ricos de informações e nos enche de vontade de viajar por esse mundão.
    Acho a Índia muito interessante, a cultura tão diferente é o que mais me atrai.
    Tenho muita vontade de ir lá e queria saber uma opinião sua, é perigoso viajar sozinha? Sou mulher e tenho 22 anos.. é a única coisa que me dá medo de fazer esta viagem.. ficar em um quarto de hotel sozinha… Infelizmente não tenho companhia pra ir comigo! Você acha tranquilo? Eu iria passar uns 10 dias, seria a turismo mesmo..
    Obrigada desde já!!

    1. Érik, as duas cidades são interessantes. Acredito que sua escolha vai depende mais da logísitca da viagem. As passagem que você checou chegam por onde? Você quer viajar para outros lugares. Porque se quiser ir, por exemplo, para o Taj Mahal fica mais fácil sair de Delhi.

      Abraços!

  9. Oi Naty! Adoraria conhecer a terra do Gandhi e já li praticamente todos posts sobre a Índia deste blog! Mas o problema é que… eu sou cadeirante. Entendeu o meu desespero?! Rsrsrs
    Então tem alguma cidade onde eu possa ir como Mumbai, Delhi e Agra? Acho que só de ver o Taj Mahal eu já estaria feliz da vida! Pode ser sincero comigo, pq aqui mesmo no Brasil não posso ir a alguns lugares, então estou acostumada com isso.

    1. Olá Julia, vou te falar que a Índia é um desafio para qualquer viajante. Eu não sei com qual frequência você viaja e se já tem alguma prática em se virar fora do país ou mesmo em destinos turísticos sendo cadeirante, mas, caso você tenha, te digo que vai ser provavelmente mais difícil ir pra lá que para outro lugar. Acessibilidade não é uma preocupação deles ali, mas isso não é lá tão incomum porque eu acho a Europa super pouco acessível para pessoas com mobilidade reduzida também. Vários hotéis só têm escada e os metrôs, nem se fala. Então depende como você se vira nesses lugares. Eu não vou te dizer que é impossível, porque eu acho que a gente sempre acha um jeito. Você teria que pesquisar bem os hotéis antes de ir, talvez até explicar a situação para os donos para saber se tem escadas etc. Eu também acredito que seria legal se você fosse com alguém que pode te ajudar. Não sei se você poderia pegar tuk-tuks, mas ai basta trocar pelos táxis. É um pouco mais caro, mas na Índia tudo é tão barato que não torna inviável. Fora isso, acho que é pensar no roteiro. Acredito que você poderia fazer, por exemplo, Delhi e Agra (para ver o Taj) e talvez ainda um outro lugar (Jaipu, para completar o triangulo dourado?, Amritsar?). Varanasi eu não aconselharia porque o Ganges é cercado por escadarias e as ruas do centro histórico são bem irregulares. De Delhi a Agra dá pra ir de táxi ou carro de alguma agência, mas se você animar ir de trem melhor pegar uma classe superior porque elas são mais espaçosas e confortáveis. No fim, acho que tudo depende do seu espírito de aventura, do tipo de perrengue que você está disposta a enfrentar (porque perrengue na Índia a gente sempre passa). Fica um pouco difícil pra mim responder assim porque eu de verdade não sei de quais dificuldades enfrenta. Falei algumas coisas que me vieram na cabeça por serem mais de conhecimento comum, mas pode ter coisas que eu não imagino porque eu nunca estive em uma situação dessas e que podem influenciar sua decisão, me entende?. Por exemplo, eu poderia ter dizer para ir para uma cidade menor, mas não sei se o fato de ter muito morro e ruas sem calçamento é um impedimento. É? Então, porque a gente não faz assim, você vai contanto pra gente como está indo o planejamento de viagens, o que você queria fazer, seus medos e dúvidas e a gente vai conversando para ver se é viável mesmo ou não. 🙂

      1. Eu sempre viajo com meus pais nas férias. Inclusive esses dias fui andar de metrô em Sampa e os elevadores não estavam funcionando, então fui de escada rolante mesmo e deu tudo certo 🙂
        Já fui para Disney, mas lá a acessibilidade é prioridade, então foi uma delícia! No ano passado viajei para Portugal e tive algumas dificuldades como entrar no restaurante só porque a porta era menor que a minha cadeira :/
        Não estou planejando viajar para Índia agora e só queria saber se era possível me aventurar lá kkkk
        Sabe, sou uma pessoa que não se deixa abater por causa das dificuldades e que transforma o impossível pelo possível. Também gosto muito de desafio 😉 Então viajar para a Incredible India é um baita desafio, né?

          1. Então Júlia, acredito que deva ser possível sim! Com planejamento e jogo de cintura tudo se resolve! 🙂 E se você tem esse perfil positivo e que encara os desafios, creio que vai levar muito bem.

            Abraços!

  10. Fui à Índia e amei!!! Tenho vontade de voltar e conhecer muitos lugares que não conheci!!! A geografia, as pessoas, as diferenças… Tudo fascina!!! Para quem gosta da sensação do “ver pela primeira vez”… A Índia é uma festa para os olhos e para os sentidos. Sou amiga do meu guia até hoje e nos falamos sempre sei que ainda vou voltar.
    Agora convecer alguém a ir para a Índia… Se a pessoa tiver coração e mente aberta não haverá dificuldade… Não haverá arrependimento. É um experiência diferente e fantástica! Quem tiver a oportunidade, não perca!!!!!!

  11. Olá Natália, meu nome é Maria e tenho 14 anos! Nesse momento estou realizando um trabalho da escola sobre a Índia e gostaria muito de fazer algumas perguntas a propósito, se não se importar, claro!São elas:
    – O que é necessário para fazer intercâmbio? (pré requisitos)
    – Poderia explicar o passo a passo? (se precisa de visto)
    – Quais as normas e curiosidades de fazer intercâmbio na Índia?
    – Poderia citar algumas vantagens e desvantagens de fazer intercâmbio lá?
    – Qual o preço total da viagem?
    – Existe algum tratado ou convenção do país para os intercâmbios? Quais?
    – Dicas!

    Muito obrigada por sua imensa atenção!
    – Maria de Lourdes.

    1. Ei Maria,

      bom, não existe apenas um tipo de intercâmbio para a Índia e por isso os pré requisitos podem variar muito! No que eu fiz, era preciso ser universitário ou ter até 2 anos de formado e ter menos de 30 anos, mas essas exigências eram da organização que me mandou (AIESEC) e não do país.

      – O passo a passo também varia muito, mas todos os intercambistas precisam de visto.

      – Nossa! tem tanta curiosidade que fica até difícil de te responder! Vou te passar esses posts aqui que respondem sua pergunta:

      https://www.360meridianos.com/2013/01/india-choque-cultural.html
      https://www.360meridianos.com/2012/01/7-coisas-que-nao-existem-na-india-e.html
      https://www.360meridianos.com/2011/12/transito-indiano.html

      – A vantagem é entrar em contato com uma cultura completamente diferente, abre muito a cabeça, você volta transformado. Além disso, é bem barato viver lá. A desvantagem é que sofremos muito choque cultural e pode ser difícil aguentar em alguns momentos, muitos intercambistas também ficam doentes por causa da falta de saneamento básico e de padrões de higiene que estamos acostumados.

      – O preços varia muito, depende da época, do programa. O meu intercâmbio custou R$ 800, mas isso foi a organização que me levou que cobrou. Lá eu recebia um salário para trabalhar. Além disso, tive que arcar com a passagem, seguro de viagem, essas coisas.

      – Se existe, eu não conheço.

      Abraços!

  12. Naty, obrigada, esse post foi escrito pra mim!
    Eu sempre pedi por aqui alguma “receita infalível” para convencer um marido a visitar a India, porque eu já esgotei meus argumentos e não estou conseguindo!
    Já temos certo traquejo em viagens independentes, já estivemos em 3 países da África e 4 da Asia, portanto pobreza, sujeira, diferentes etnias e religiões, lixo, multidões, falta de infra estrutura e perrengues diversos não nos assustam mais, já passamos por todo tipo de choque cultural!
    Por isso eu não consigo entender os receios dele, não há muita lógica, é uma coisa meio irracional… Aquele velho problema da história única que vcs já comentaram tantas vezes por aqui: Índia = estupro, desrespeito à mulher, terra sem lei.
    Mas não perco as esperanças, aos poucos vou tentando mudar esse conceito!
    Enquanto isso vamos desbravando outros cantos do mundo!

    1. Marcela, foi você quem comentou isso (de precisar convencer o marido a ir a Índia?) na pesquisa com os leitores aqui do blog? Porque se foi, o post foi pra você mesmo 😉 haha
      Se vocês já estão acostumados com os perrengues do sudeste asiático, a Índia não vai chocar tanto (mas lá ainda é bem diferente da região). Você leu o comentário que eu respondi sobre estupro? Pode ajudar na sua argumentação.

      Abraços e boa sorte!

      1. Gente do ceu, ganhei um post!?!? Que honra! Fui eu sim, comentei sobre isso na pesquisa!
        Olha, eu achei até muito bom vc ter comparado com sudeste asiático porque achei essa viagem muito mais fácil do que Egito por exemplo, que tb tem a fama de estupro/ abuso/ desrespeito à mulher, montanhas de lixo nas ruas, além de conflitos políticos, coisas que teoricamente poderiam assustar, e nós tiramos de letra. Eu vivo dizendo a ele que quem volta muito chocado da Índia é quem tinha como parâmetro EUA/ Europa. Ou quem não pesquisa nada e chega totalmente despreparado pro que vai encontrar. No nosso caso, já sabemos o que esperar, como agir, etc. Mas é como eu te disse, esse receio extremo não tem muito fundamento não…
        Vi sim sua resposta aqui embaixo, adorei saber desses dados!
        Pode deixar que quando eu conseguir (porque eu hei de!) convencer venho aqui te contar!
        Bjs e muito obrigada!

        1. Marcela, vou te falar que eu nunca estive no Egito, mas pelo que conversei com gente que já foi, lá pode ser até pior que a Índia em questão de assédio. Um mulher que eu conheço afirmou que ficou de boa na Índia, mas no Egito teve dias que voltou para o hotel chorando. Claro que cada experiência é única, já ouvi de gente que não achou nada de mais também. Mas, como vocês estiveram lá, acho que a comparação faz muito mais sentido que com o sudeste asiático. Realmente não tem razão racional para esse medo do seu marido. 🙂
          Um dia dá certo!

          Abraços

  13. Como é visto a questão do estupro de mulheres por la? Minha namorada morre de medo de ir p/lá por causa disso, não gosta nem que eu cogite nessa possibilidade de viagem…Eh forte essa “cultura” mesmo ou são casos esporádicos??

    Obrigado.

    1. Eduardo, estupro de turistas não é tão comum assim quanto as pessoas passaram a achar depois de alguns casos que chocaram a mídia. É claro, alguns cuidados são recomendados como em qualquer país conservador, mas em qualquer lugar do mundo, a maioria dos estupros são praticados por conhecidos das vítimas. Só para exemplificar, aqui os dados da ONU sobre estupros ocorridos em 2010:

      1. EUA (1), com 84.767 casos; África do Sul (2), com algo em torno de 67 mil casos; India (3), com 22.172 casos; Reino Unido (4), 15.934; México (5) 14.993.

      Vê, a Índia atrás dos Estados Unidos e apenas uma posição a frente do Reino Unido, sendo o segundo país mais populoso do mundo (por isso, proporcionalmente, tem ainda um número menor de casos).

      1. Excelente!!! Obrigado pelo esclarecimento…Como normalmente n temos tanto “contato” com o país, sempre que aparece na mídia ja ficamos com pé atrás e achamos q eh uma verdade absoluta, mas com seu esclarecimento, vejo que não eh la essas coisas toda com q se preocupar…afinal o Brasil não éh nada tranquilo!!! Obrigado!!!

        1. Espero que você consiga convencê-la, Eduardo! É uma viagem muito intensa, em todos os sentidos. Acho mesmo que todo mundo deveria fazer.

          Abraços!

  14. Ola, amigos do 360meridianos!Sempre acompanho os seus posts sobre a India e tambem o canal de voces la no Youtube. Achei o post acima fantastico e, realmente descreve perfeitamente o que eh a India e o impacto que ela causa naqueles que aqui chegam. Eu moro em Mumbai e tambem escrevo um blog sobre viagens pela Asia, com enfase na India: http://www.tabibitosoul.com
    Tambem comecei a gravar uns videos nas ruas de Mumbai para desmistificar muitas as ideias que povoam a mente de muita gente em relacao a India.O nome do canal eh Banjara Soul. Peco desculpas pela falta de acentos.
    Um abraco e continuem com o belo trabalho!!!

  15. Oi!!!!!!!!!!
    Preciso com URGENCIA de bons motivos para convencer uma amiga.
    Tenho MUITA vontade de conhecer a India,mas toda vez que programo “algo” acontece.Conheço alguns paises da Europa,Africa e Americas,mas a India não.
    Consegui convencer minha amiga de ir comigo e o que aconteceu?TERREMOTO!!!!!!! ,claro ela não quis mais.Será que não é para eu ir mesmo?
    Abraços
    sonia

    1. Olá Sonia! hahah, acho que, pra começar, você pode explicar pra ela que o terremoto foi no Nepal e que, apesar de ter sido sentido também na Índia, os estragos causados lá foram muito pequenos para desmotivar uma viagem. E que um terremoto dessa magnitude não acontece todo dia. Não tem motivo para ela desistir por causa disso.

      Abraços!

  16. Olá Natália!
    Tenho muita vontade de conhecer a Índia, mas muita mesmo! Quase comprei passagem…
    O que me impede é o idioma: não sei falar inglês.
    Já viajei pela América do Sul e enrolei bem, venci 20 dias por aí sem saber falar espanhol também. Mas lá o idioma não favorece ne…

    Queria te pedir um conselho: você acha que eu deveria ir mesmo assim?!

    1. Olá Julio, bom, acho que você deve ir mesmo assim! Eu costumo duvidar quando uma pessoa me fala que não sabe nada de inglês. É uma língua que está muito presente na nossa vida. E, eu não sei quantos anos você tem, mas se é jovem, pelo menos deve ter visto alguma coisa na escola. Sei que inglês da escola não dá fluência nem segurança, mas nos dá uma noção. E se você tem uma noção, deve saber (ou consegue aprender antes de viajar) dizer oi, obrigada, por favor, pedir informações e pedir um prato no restaurante. Já dá pra se virar com isso.

      Mas vou te dar um conselho, por que você me parece uma pessoa que ainda vai querer viajar muito por esse mundo: invista em um cursinho de inglês. Facilita muito! Embora você consiga se virar com o basicão que eu listei acima, saber inglês faz muita falta para conversar com as pessoas locais e outros viajantes durante as viagens fora da América Latina. Existem várias formas de aprender a língua gastando pouco e eu acho um baita investimento. Abraços!

      1. Olá Natália, obrigado pelo retorno.
        A propósito, tenho 25 anos.
        Pois então, estas noções básicas eu tenho sim, já fiz um ano de um curso de inglês, mas foi dinheiro jogado pelo ralo.
        Vi a postagem que você fez sobre cursos online de idiomas, e vou focar em um para reforçar exatamente esse básico.
        De fato, minha meta é viajar a torto e a direito por esse mundão, quem sabe determinar uma meta como a da Luiza, de 30 países até os 30… rs

        1. Então Julio, o inglês vai enriquecer muito suas viagens. E aposto que não foi dinheiro jogado pelo ralo, você deve saber mais do que acha que sabe, mas só vai provar isso quando for obrigado a falar. É assim com todo mundo.

          Abraços

  17. Mais vontade e mais medo. Uma hora ou outra a vontade vai prevalecer. Adoro todos os posts sobre a Índia do 360, já li e reli trocentas vezes rs!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.