Tags:
Atlas: Buenos Aires, Argentina

Cubierto: o que é o serviço de mesa dos restaurantes da Argentina

Depois daquela refeição deliciosa, a surpresa: no finalzinho da conta vem um valor que você não esperava, sob o nome de “serviço de mesa”. Também conhecido como cubierto, a cobrança dessa taxa adicional por pessoa é uma prática comum na maior parte dos restaurantes de Buenos Aires. Mas o por que, exatamente, o cubierto é cobrado?

A verdade é  que ninguém sabe como isso começou ou para que servem esses pesos a mais no final na conta. Há quem diga que é o famoso “pagar para sentar e respirar”. Algumas pessoas acreditam que esse valor é cobrado por aquelas cestinhas de pães e patês que eles costumam servir antes das refeições. No entanto, ainda que você não toque nos pãezinhos, vai ter que lidar com cubierto na conta. Por isso, a minha sugestão é: o garçom colocou alguma entrada na sua mesa depois que você pediu o prato? Coma, porque você já vai pagar por ela de qualquer forma.

Quase sempre, o valor do cubierto é informado no cardápio ou em cartazes pregados no restaurante. Mas se é a sua primeira vez em Buenos Aires, pode ser que isso tenha passado batido pra você até a hora de pagar a conta. E não adianta espernear ou chamar o garçom, você tem que pagar e ponto.

Leia também:
Onde comer bem e barato em Buenos Aires

Contratar um seguro é essencial para viajar tranquilo e evitar imprevistos! Descubra por que contratar um seguro de viagem para a Argentina e como garantir um com boa cobertura (e com desconto)

Cubierto - serviço de mesa em Buenos Aires

A palavra cubierto vem do italiano coperto, que quer dizer cobertura. Na prática, isso significa que o restaurante cobra pelos pratos, garfos e guardanapos que você utiliza e que em algum momento deverão ser repostos ou substituídos. Muitos turistas e, principalmente, os portenhos acreditam que a cobrança da taxa é injusta e sem sentido, já que o gasto com a reposição de material já deveria estar previsto no preço dos pratos. Seria a mesma coisa se os hotéis começassem a cobrar uma taxa extra pelo uso dos lençóis e do colchão (acreditem ou não, já vi isso acontecer também).

A medida é tão polêmica que existe até um grupo do Facebook onde as pessoas se reúnem só para criticar a prática. É possível encontrar alguns restaurantes em Buenos Aires que não cobram cubierto, em geral os mais simples e baratos. Quando um estabelecimento opta por abolir essa taxa, costuma afixar cartazes com a informação ou deixar escrito no cardápio. Você também pode perguntar ao garçom antes de escolher se sentar ou não naquele restaurante. No entanto, quando quiser ir nos lugares mais bacanas, não vai ter muita escapatória.

Restaurante que não cobra cubierto

Ao que parece, desde 2013, o cubierto foi regulamentado por lei e agora é proibido cobrar a taxa de menores de 12 anos. Além disso, a lei obriga que seja incluído no cubierto um copo de água, um alimento livre de glúten, sal sem sódio e pelo menos um pão tradicional ou diet. A parte boa dessa lei é que agora você não corre o risco de pagar o cubierto sem levar nem ao menos uma cestinha de pães. Mas daí a dizer que essa lei está sendo cumprida são outros quinhentos.

Em geral, só se cobra o cubierto quando você come no lugar. Por isso, se você se sentar apenas para tomar uns bons drinks e a taxa vier na conta, pode pedir para tirar.

cesta de pães servido em Buenos Aires

E atenção: cubierto não é para o garçom, não corresponde ao nosso famoso “10% de serviço”. Além dessa taxa incômoda, é esperado que você deixe uma gorjeta para a pessoa que te atendeu. Quanto a isso, deixe algo entre 10 e 15% do valor da conta.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Natália Becattini

Já chamei muito lugar de casa, mas é pra Belo Horizonte que eu sempre volto. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Além do 360, mantenho uma newsletter sobre o a vida, o universo e tudo mais, que eu chamo de Vírgulas Rebeldes. Vira e mexe eu também estou procrastinando lá no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

6 comentários sobre o texto “Cubierto: o que é o serviço de mesa dos restaurantes da Argentina

    1. Ei Kamila, não sei se é só em Buenos Aires, mas aqui em Mendoza ainda não peguei nenhum restaurante assim não, mas pode existir. Sei que no Uruguai também cobram.

      Abraços.

  1. Lembro como se fosse hoje, quando a conta chegou… olhei para a cara do garçom com aquela cara de “wtf?!” Ele me explicou, mas ainda assim achei um abuso. Pode ser cultural ou sei lá o que, mas até para ser cultural deve ter sentido e nesse caso não há sentido nenhum. E sim, o garçom explicou dos pratos e talheres, novamente cara de “wtf?! Se se tratasse do couvert, eu até compreenderia, porque de fato os pães muitas vezes são ótimos, mas ainda assim deveria haver opção para querer ou não. No mais, é assim, se acostume! rs

    1. hahah da primeira vez eu achei que era o cestinho de pão mesmo, ainda fiquei com raiva pq colocaram na minha mesa sem me perguntar.

      Abraços!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.