Tags:
Atlas: Oranjestad, Aruba

Passeio de 4×4 no deserto de Aruba

Quando a gente vê as fotos do mar caribenho, nem passa pela nossa cabeça que Aruba seja um deserto. Mas fique sabendo que o interior da ilha é repleto de cactos dos mais diversos tamanhos, dunas de areia, paisagem árida e cavernas subterrâneas.

Dentro dos limites do Parque Nacional Arikok, uma reserva natural que ocupa cerca de um quinto do território de Aruba, as atrações oferecidas aos turistas são bem diferentes do estilo sombra e água fresca das praias: ali, são as trilhas e os safáris que te esperam.

A melhor forma de explorar o deserto é por meio das trilhas só acessíveis por veículos 4×4. Diversas empresas oferecem tours guiados pela região. Saindo do centro da capital, Oranjestad, nós subimos nos jipes amarelos da De Palm Tours (eles têm guias que falam português) e adentramos a paisagem selvagem com poucos minutos de estrada e muita chacoalhada dos veículos. Mas não se preocupe, a beleza da região compensa qualquer desconforto.

Veja também: Onde ficar em Aruba

Passeio no deserto de Aruba

A primeira parada foi na Ayo Rock Formations, uma área de colinas e formações rochosas pouco usuais que se destacam no relevo predominantemente plano e de solo arenoso de Aruba. Ali é possível explorar um pouco a pé e escalar os montes para uma vista privilegiada da ilha.

Ayo Rock Formations Aruba

Em seguida, nós nos reencontramos com o mar e com algumas das paisagens naturais mais bonitas que eu vi em Aruba. As praias intocadas e as pontes naturais são um dos pontos altos desse passeio. Esculpidas pelas ondas, essas pontes são formações comuns na costa norte da ilha. Infelizmente, a maior e mais famosa delas, a Natural Bridge, desmoronou em 2005. As que restaram, no entanto, ainda merecem uma parada para foto.

Mar de Aruba

Um pouco mais adiante, nos deparamos com as ruínas da Bushiribana, uma importante mina no século 19 que chegou a produzir, em seu auge, até 1.500 toneladas de ouro fundido. A construção fica em uma região estratégica para evitar ataques de piratas: além da vista privilegiada do mar, no local escolhido ainda é impossível para um navio atracar. A mina foi feita para se parecer com um forte militar, uma tentativa de despistar possíveis ladrões.

Ruinas mina de ouro em Aruba

Ruinas de mina de ouro em Aruba

Logo em frente fica o famoso “Jardim dos Desejos”, um área repleta de pequenas esculturas de pedras empilhadas deixadas pelos turistas. De forma bem humorada, o guia garantiu que a prática foi criada pelos viajantes e não tem nada a ver com a cultura da ilha.

Um grupo de turistas inventou a moda e vários outros a perpetuaram, até que as esculturas se tornaram parte da paisagem e um ponto de interesse na região. No entanto, como o principal mercado de Aruba é o turismo e eles não são bobos nem nada, os guias começaram a vender a ideia de que cada pedra empilhada representava um desejo que você gostaria de ver realizado. Se você é supersticioso ou simplesmente não estiver fazendo nada, pode contribuir com o jardim deixando sua própria escultura. Mal não vai fazer.

Jardim dos desejos, Aruba

Esculturas de pedras em Aruba

A última parada do passeio foi na Capela de Alto Vista, a primeira igreja católica da ilha, construída em 1750. A construção está localizada em um dos pontos mais altos de Aruba e ainda hoje é um importante marco para os habitantes locais. Dali também é possível ter vistas incríveis da ilha e do mar e, dizem, também de um belo pôr do sol.

Capela em Aruba

No final, os guias nos deixaram no restaurante El Faro Blanco, que serve comida italiana e tem vista para a praia. O passeio durou 4 horas e custa cerca de US$100. O preço inclui lanches e água, mas o almoço é pago separadamente.

*A blogueira viajou a convite da Pullmantur Cruzeiros


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Natália Becattini

Já chamei muito lugar de casa, mas é pra Belo Horizonte que eu sempre volto. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Além do 360, mantenho uma newsletter sobre o a vida, o universo e tudo mais, que eu chamo de Vírgulas Rebeldes. Vira e mexe eu também estou procrastinando lá no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.