Tags:
Atlas: Douro, Porto, Portugal

Bate-volta no Douro: Quinta de Covela e Fundação Eça de Queiroz

Uma vinícola onde você não encontra vinhos tintos: brancos e rosés são a regra da Quinta de Covela, que fica numa região do Douro onde o rio está um pouco distante, na fronteira entre as regiões de produção do Vinho Verde e Vinho do Porto. Próxima do concelho de Baião, possui aquilo que os entendidos de vinho chamariam de um terroir bastante particular, ou seja, características do solo e climáticas que fazem com que os vinhos ali tenham um quê de especial.

A verdade é que os vinhos da Covela, de castas tipicamente portuguesas como Touriga Nacional, Arinto e Avesso, são incríveis, especialmente o rosé, que é conhecido de alguns brasileiros por conta de prêmios que ganhou em nossa terra.

Saiba mais:
Vale do Douro: um guia completo de viagem
Visita a vinícolas em Portugal: Trás-os-Montes e Douro
Vinhos portugueses: os tipos e regiões, como comprar e visitar adegas

garrafas de vinho portugal

A visita à Quinta de Covela é especial por alguns motivos. Em primeiro lugar, você estará a cerca de uma hora do Porto, na região de Baião, mas fora da área mais turística do Douro. Além disso, a quinta em si, com suas casas de pedra, é linda e lembra aquelas paisagens da Toscana, na Itália. Para além de ver as vinhas e a paisagem belíssima do Douro, na propriedade encontram-se ruínas de um casarão do século 16 e de uma antiga igrejinha.

E nos arredores fica a Casa-Museu da Fundação Eça de Queiroz. Ou seja, um passeio completo.

enoturismo quinta de covela douro portugal

Covela é uma sociedade entre Tony Smith, um ex-jornalista britânico que viveu anos no Brasil como correspondente internacional, e o empresário brasileiro Marcelo Lima. Eles compraram a quinta histórica em 2011, quando estava abandonada, e fizeram uma série de mudanças para aproveitar essas características, incluindo banir o vinho tinto em favor dos brancos e rosés de melhor qualidade. Eles também são donos da Quinta da Boavista e da Quinta da Tecedeira.

vinhas vinho verde douro portugal

A visita com prova de vinhos custa a partir de 15 euros (3 vinhos) a 25 euros (5 vinhos). Além disso, também é possível acompanhar a degustação com uma tábua de queijos e embutidos. Todos esses passeios precisam ser agendados com antecedência, pelo email ([email protected]) ou telefone (+351) 913 065 691 e  (+351) 912 831 152.

Eles também têm um serviço de enoturismo, com apenas dois quartos, que serve de apoio para visitantes de forma mais exclusiva.

tabua de queijos degustacao quinta de covela

vista quinta de covela e douro

Vindimas

De agosto a outubro (varia a cada ano), são realizadas as vindimas na região do Douro. Vindima é aquele processo de colher as uvas no pé, manualmente, e depois fazer a seleção e, em alguns casos, a pisa da uva. Essa época movimenta bastante as quintas no Douro não só com os trabalhadores e festas de final de expediente, mas também com turistas interessados em participar desse trabalho.

maos selecionam uvas vindimas portugal

Na Covela, as vindimas são feitas de forma especial, com a limpeza das uvas manualmente e só o restante do processo feito com máquinas. Não foi nada programado, mas durante a nossa visita acabamos participando do processo. Ou seja, se você beber uma garrafa de Covela Rosé de 2019, pode saber que eu ajudei a fazer.

Como chegar à Quinta de Covela

ruinas casarao seculo 16

Quem vai de carro, partindo do Porto, pode pegar a autoestrada A4 e depois entrar em direção a Baião. Também é possível fazer o trajeto de trem até Arêgos, que é uma estação histórica, e combinar um transfer para a Covela, organizado pela própria Quinta.

Fundação Eça de Queiroz

entrada casa da fundacao eça de queiroz

A Fundação Eça de Queiroz fica a cerca de 5 quilômetros e tem parceria com a Covela (quem visita a Quinta não paga a entrada no museu). A casa-museu é chamada de Casa de Tormes, nome que o próprio Eça de Queiroz deu ao local, ao descrevê-lo no livro “A Cidade e as Serras”. O espaço foi estabelecido como museu pelos descendentes do escritor no final dos anos 1990, reunindo ali mobília, documentos e objetos pessoais de Queiroz.

biblioteca fundacao eca de queiroz

escrivaninha e livros eca de queiroz

É importante dizer que, apesar de ser dono da casa, Eça só esteve lá em algumas ocasiões. É que ele seguia carreira diplomática, como cônsul de Portugal no exterior. A visita guiada leva por todos os cômodos e dá uma explicação sobre os objetos que compõem o cenário. A casa da fundação também tem um restaurante com um menu de pratos descritos nos livros de Eça e que produz vinhos próprios.

objetos pessoais de eca de queiroz portugal

fundacao eca de queiroz 1

Entre a casa-museu e a Estação de Trem de Arêgos, há o “Caminho do Jacinto”, uma trilha descrita no livro “A Cidade e as Serras”. O caminho tem cerca de 3 quilômetros. Quem vai de comboio tem desconto na entrada do museu, cuja entrada custa 5 euros. A Fundação Eça de Queiroz abre de terça a domingo, de 9h30 às 16h30, com visitas guiadas de hora em hora, e pausa para almoço.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2 comentários sobre o texto “Bate-volta no Douro: Quinta de Covela e Fundação Eça de Queiroz

  1. Amiga gostaria que voce fizesse uma reportagem sobre um lugar pra adultos nao criancas ou jovem.(nao pense que nao amo criancas tenho dois ) mas meu marido recente teve im problema e eu trabalho num hospital. Entao gostaria de uma semana de paz e sossego.mas na europa porque deizar meus filho e voar pra america ,nao.

    1. Oi Benedita,

      O lugar que escrevi nesse texto é um exemplo de lugar para adultos, em geral as vinícolas do Douro são lugares de adultos. Assim como vários outros outros lugares que escrevo aqui no blog são assim, apenas não escrevo essa distinção porque não acho que faça sentido

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.