fbpx
Tags:
Atlas: São Paulo, Brasil, São Paulo

Albergues de São Paulo: veja nossa lista

Houve um tempo em que achar um bom albergue no Brasil era tarefa das mais difíceis. Reparei isso em 2010, quando realizei meu primeiro mochilão e percorri várias cidades do litoral brasileiro. De lá para cá muita coisa melhorou. São Paulo, por exemplo, registrou um boom no número de albergues, agora disponíveis aos montes. Com isso o problema mudou: em meio a tantas opções, como escolher a melhor hospedagem econômica? Resolvemos assumir o desafio e tentar ajudar você, caro leitor. Neste post fizemos uma lista com alguns dos melhores albergues de São Paulo.

Procuramos pela internet os albergues da capital paulista que mais se destacam, segundo usuários. A partir dessa lista prévia, seguimos os seguintes critérios até a seleção final: 1) apenas hostels que oferecem internet wi-fi de graça; afinal isso é tão básico quanto água e luz. 2) apenas hostels com café da manhã incluído no preço da diária. E 3) somente hostels bem localizados e perto de estações de metrô.

A regra aqui é simples: se eu fosse me hospedar em São Paulo, onde ficaria? Perto das atrações turísticas ou então perto dos bares, onde a noite acontece. Por isso, listamos albergues nas regiões da Avenida Paulista e Vila Madalena, principalmente. Não listamos nenhum hostel que fique a mais de 15 minutos de caminhada da estação de metrô mais próxima.

Mas este post é mais que uma lista: com a seleção em mãos, nós visitamos cada um dos hostels para verificar se as condições são as mesmas que dizem os diversos sites. Depois da visita, cortamos fora alguns estabelecimentos, de acordo com os critérios listados acima. Clicando nos links indicados (“Reserve aqui”) você vai para a página do Booking, um método fácil e barato de garantir sua hospedagem. Além disso, reservando por esses links você ainda ajuda o 360meridianos, afinal recebemos uma pequena comissão (e você não paga nem um centavo a mais por isso).

Gol Backpackers São Paulo

Duas coisas me chamaram atenção no Gol Backpackers,  mesmo antes de visitar o local. Primeiro foi o conceito do albergue, todo inspirado no futebol. Cada quarto é dedicado a um grande time paulista. Os escudos de Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos decoram as portas de cada um dos dormitórios. Temáticos, os quartos têm também roupa de cama com os emblemas dos times de futebol. Além disso, este hostel oferece café da manhã e internet, tudo já incluído na diária.  Uma cama num dormitório para oito pessoas custa R$ 40. Há outras opções de quartos, com seis e quatro camas.

Hostel em São Paulo

A parte da frente do Gol Backpackers é ocupada por um bar, frequentado por hóspedes e até por pessoas de fora. Como não poderia deixar de ser, os funcionários garantiram que o local fica cheio sempre que há um grande jogo de futebol rolando na TV.

Agora, o mais legal mesmo é a localização desse hostel. Ele fica a um quarteirão da Paulista, com todas as atrações e infraestrutura da mais famosa avenida de São Paulo. Os bares da rua Augusta também estão pertinho: cerca de cinco minutos de caminhada. O Gol Backpackers fica na rua São Carlos do Pinhal, 461 (estação Trianon-Masp – Linha 2 Verde do metrô). Gostou? Reserve agora, clicando aqui.

The Hostel Paulista

Quando visitei o The Hostel Paulista ele não tinha nem 3 meses de funcionamento. Mesmo assim, já era bem avaliado pelos hóspedes, em diversos sites. O principal motivo é, sem dúvida, a localização. Mas o staff, muito prestativo, e o ambiente animado do Hostel Paulista também agradam. O albergue tem 62 camas, divididas em diferentes tipos de dormitórios. Além disso, basta subir as escadas para descobrir que o hostel tem uma sala de TV bem grande, uma sala que funciona como escritório (e onde os donos pretendem fazer uma biblioteca) e uma espécie de sala de cinema, onde eventualmente rolam eventos variados. Inclusive, claro, exibição de filmes. Outra coisa que merece destaque é que há luminárias individuais em cada cama e pontos de energia elétrica, o que facilita na hora de ler um livro ou recarregar equipamentos eletrônicos.

Hostel em São Paulo

A localização é fantástica: O The Hostel Paulista fica a poucos metros da estação Trianon-Masp do metrô (Linha 2 – verde), pertinho da Avenida Paulista. Assim como o albergue anterior, ele está perto de alguns dos mais importantes pontos turísticos de São Paulo, além de bancos, supermercados, shoppings, museus e centros culturais. O The Hostel Paulista fica na rua Rua Pamplona, 795.  Uma cama no quarto para oito pessoas custa R$ 47. Reserve aqui.

Escambo Hostel

Se nunca fosse me hospedar lá, eu pelo menos daria uma passada para tomar uma cerveja. É que o bar do Escambo Hostel outro que fica pertinho da Paulista, parece ser ótimo. Esse albergue tem também uma área de churrasqueira e um forno profissional, usado nos eventos que costumam rolar lá de vez em quando. A cozinha também é aberta para cozinheiros amadores e qualquer hóspede pode usar o local. Os quartos são de vários tipos. Destaque para o dormitório feminino, que é enorme e tem até banheiro privativo.
Hostel em São Paulo

O Escambo Hostel é um pouco mais distante do MASP (só um pouco mesmo) do que as duas opções acima. De qualquer forma, também fica a poucos metros da Avenida Paulista e da estação Brigadeiro do metrô (Linha 2 – Verde). Ao redor você vai encontrar bares, restaurantes, bancos e vários opções de lazer, como o Itaú Cultural e a a Casa das Rosas, um dos últimos casarões preservados da Avenida Paulista e que hoje funciona como museu. O Escambo Hostel fica na rua Coronel Oscar Porto, 33. Camas a partir de R$ 40. Reserve aqui

City Lights Hostel

Os quartos são espaçosos, mesmo quando o dormitório tem 11 camas. Há quartos coletivos (mistos ou só para mulheres) e suítes. Uma cama custa em torno de R$ 40 por noite, mas lembre-se que o preço pode variar de acordo com a época do ano e o quarto escolhido. A diária do City Lights inclui café da manhã simples e internet wi-fi. O hóspede pode usar a cozinha, totalmente equipada. Todos os quartos têm lockers individuais e há opções com ar-condicionado e televisão. O City Lights é outro em que cada cama conta com um ponto de energia elétrica. O quarto da foto tinha até uma pia.

City Lights Hostel

O City Lights fica no bairro Pinheiros, a 700 metros (e cerca de 10 minutos de caminhada) da estação Faria Lima do metrô (Linha 4 – amarela).  Ao redor ficam também vários bares, restaurantes, bancos e supermercados. O ponto mais movimentado da Vila Madalena está a 5 minutos de caminhada.  O CityLights fica na rua Padre Garcia Velho, 44, bairro Pinheiros. Curtiu? Reserve aqui.

Okupe Hostel Jardins

 O Okupe é um hostel grande, com 100 camas e diversos tipos de quartos, compartilhados ou privativos. O que mais chamou minha atenção foi a área comum, de lazer. Além de uma cozinha grande, o hostel tem uma sala de TV (com videogame), uma sala de computadores, uma sala de jogos com mesa de sinuca e um bar, que funciona todos os dias. Ou seja: é uma boa opção para quem deseja um lugar mais agitado e onde seja simples conhecer pessoas. Quartos custam a partir de R$ 40 (dormitório com 8 ou 10 camas).

Sala de jogos Okupe Hostel

O hostel também oferece café da manhã, lockers, recepção 24 horas, estacionamento e internet wi-fi. O Okupe Hostel fica na Avenida Rebouças, 990, bairro Jardins. Vai por mim: a localização é boa. Você estará a poucos quarteirões da estação Clínicas do metrô (linha 2 – verde), além de estar a cerca de 10 minutos de caminha da Avenida Paulista. A famosa Rua Oscar Freire também fica pertinho, na esquina. Curtiu? Reserve aqui.

We Design Hostel

Dos albergues listados, o We Design foi o único que eu não visitei. Mas, como dito no começo do post, alguém da equipe do 360meridianos esteve lá. Foi a Claire, francesa de durante 15 dias postou aqui, para o Big Blog Exchange. Ela se hospedou e até fez uma resenha desse albergue. Só que o texto dela está em francês e inglês. Para facilitar a vida de quem não domina esses idiomas, selecionei alguns pontos que a Claire notou no We Design Hostel.

Como o próprio nome indica, o forte desse hostel é a decoração. O We Design é um albergue recente, com nove quartos e 46 seis camas. Os quartos são tanto privativos como compartilhados (mistos e apenas para mulheres). A Claire destacou ainda que esse hostel tem grandes lockers e um café da manhã cheio de frutas típicas do Brasil, o que faz a alegria dos europeus, que acham tudo isso muito exótico.

Albergues em São Paulo

O We Design fica na Vila Marina, pertinho do Parque do Ibirapuera ( rua Morgado de Mateus, 567). Nesse região também é fácil achar bons restaurantes e bares. O metrô mais próximo é o Ana Rosa (Linha 1 – azul), que fica a aproximadamente 15 minutos de caminhada do hostel, conforme mostra o mapa abaixo.

Pesquisei os preços no Booking e achei opções a partir de R$ 50 por dia, o que achei um pouco salgado. De qualquer forma, resolvi selecionar o We Design pelo proximidade com o Ibirapuera e por ser uma opção diferente, fora do eixo Vila Madalena – Paulista, que domina a lista. Curtiu? Reserve aqui.

Hostal Alice

Mais um que o ponto forte é, sem dúvidas, a localização. O Hostal Alice não fica nem a 5 minutos de caminhada da estação Vila Madalena do metrô (linha 2 verde). Isso significa que você estará a quatro estações do MASP,  na Avenida Paulista, além de poder ir andando até os bares e boates da Vila Madalena, que ficam bem pertinho do Hostel. Também há bancos e supermercados ao redor do Hostal Alice. Reserve aqui.

O Hostal Alice oferece poucas camas, apenas 20, mas tem quartos relativamente grandes, uma ampla área comum e uma cozinha tão espaçosa quanto. Além dos dormitórios, há quartos individuais, que ficam numa casa anexa, no quintal do hostal. A decoração é bacana e o hostal parece ser bastante simpático. Acho que é uma boa opção para quem quer a facilidade de se deslocar de metrô e pretende frequentar os bares da Vila Madalena. Ao mesmo tempo, o hostal fica numa parte mais tranquila do bairro, fora do agito que toma conta dos bares e boates, alguns quarteirões mais abaixo. Diárias em dormitórios a partir de R$ 45. O Hostal Alice fica rua Harmonia, 1275, bairro Vila Madalena.

hostel em são paulo

Indicações de Leitores

Os hostels listados abaixo não foram visitados pela equipe do 360meridianos. Entretanto, foram indicados por leitores. A partir da indicação, verifiquei na internet as condições gerais da hospedagem.

Nahu Hostel

Esse albergue fica no Butantã e tem preços bem mais em conta do que os listados acima – lá é possível achar quartos por R$ 30. Na página do Booking, o Nahu Hostel é bem avaliado pelos leitores, que destacam o ambiente e a equipe do hotel como pontos fortes. O Guilherme, leitor que indicou o Nahu, garante que o local é “novinho, muito bonito e aconchegante, frequentado por um pessoal super bacana!” Ponto negativo na minha avaliação: o hostel fica longe do metrô. A estação mais próxima, a Butantã (Linha 4 amarela), está a 50 minutos de caminhada, segundo o Google Maps. Mas, vale lembrar, São Paulo também tem várias linhas de ônibus. Por isso, acho que o Nahu parece ser uma boa opção para quem quer realmente economizar, mas não se importa em ficar muito perto do metrô. Reserve aqui.

Uvaia Hostel

O Uvaia Hostel ficou de fora da lista principal pela preferência que demos para estabelecimentos ao redor da Paulista e da Vila Madalena. Mesmo assim, sempre consideramos esse hostel como uma alternativa interessante. Ele foi indicado pelo Marco Trindade, que garante que o Uvaia é “muito aconchegante, (com) clima de casa mesmo, arte espalhada pela casa toda e o pessoal de lá é demais, atendimento sem comparações”. Além disso, o Uvaia fica a 10 minutos de caminhada até a estação Ana Rosa do metrô. Também parece ser uma boa opção para visitar o Parque do Ibirapuera, que fica pertinho. Uma cama em quarto coletivo custa em torno de R$ 45. Reserve aqui.

Esta lista não tem a intenção de ser definitiva. Com o tempo podemos rever hostels e albergues desta seleção e incluir novas opções. Você, leitor, pode ajudar. Já ficou em algum hostel muito legal em São Paulo que deveria estar aqui? Indique! É só deixar as informações nos comentários. Não achou seu hostel? Dá uma olhada em todas as opções do Booking para São Paulo. É só pesquisar na caixa abaixo.

Avalie este post

Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Rafael

Siga minhas viagens também no perfil @rafael7camara no Instagram - Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014, voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

21 comentários sobre o texto “Albergues de São Paulo: veja nossa lista

  1. Já fiquei no Okupe que tem uma localização maravilhosa, praticamente na Óscar Freire, pessoal super gente boa e almoçar no bandejão das clínicas pode baratear muito a viagem. Tem metro perto (mas subindo a ladeira) e diversos caixas eletrônicos próximo também (ao lado das clinicas).
    O the hostel também tem uma localização muito boa, principalmente pra quem gosta de bater perna na Paulista, além do metro praticamente na esquina, varias opções de comércio, bares, salão inclusive uma starbucks a uma ou duas quadas, comida mexicana e japonesa virando a rua. Pessoal super atencioso. Desvantagens: a cozinha é minúscula e tem uma escada matadora logo na entrada (mas o pessoal ajudou com as malas rs)

  2. Parabéns pela iniciativa, o trabalho de vocês é importante.
    Já andei pelo mundo afora nos tempos de mochileiro e quando estudei no exterior, e quem faz isso sabe o quanto é importante encontrar um bom lugar para descansar, tomar uma ducha, dormir bem e até fazer amigos.
    Hoje (bem mais velhinho) estou de mudança pra SP e pretendo me hospedar num hostel por 30 dias antes de encontrar um lugar definitivo pra viver. Um bom hostel é sempre uma opção economicamente atraente de hospedagem.
    Se aceitarem uma sugestão, na Europa é muito comum famílias receberem estudantes ou mesmo alugar quartos em suas casas. Não sei se isso ainda não é cultura por aqui mas seria uma ótima opção para os “mochileiros veteranos” que hoje já não acompanham mais o ritmo dos hostels, com baladas, etc… e precisam de mais silêncio e tranquilidade. Claro, sempre há hotéis, mas calor humano é algo que se consegue muito nos hostels ou casas de família.
    Grande Abraço a todos da equipe.

    1. Oi, Marcos.

      Muito obrigado pelo seu comentário! Concordo com você, o clima nos hostels é diferente, mais animado e alegre. Aqui no Brasil infelizmente as pessoas não tem esse costume de ficar em casas de família, pelo menos não tanto quando na Europa.

      Você já ouviu falar do Couchsurfing e do AirbnB? O primeiro é um site onde viajantes do mundo inteiro procuram hospedagem de graça ou oferecem um lugar na sua casa para algum viajante. É uma forma bem legal de fazer amigos e conhecer gente do local. Nós já fizemos algumas vezes e foi ótimo! Dá uma olhada aqui:

      https://www.360meridianos.com/dica/como-funciona-o-couchsurfing

      Já o Airbnb é um site onde as pessoas colocam apartamentos ou quartos para alugar durante determinado período. A vantagem é que você vai para a cidade e aluga um apê mesmo, sem burocracia. Nós fizemos isso recentemente, em Paris e Milão, e foi uma experiência ótima. Me senti um parisiense por alguns dias. hehehe

      Abraço!

      1. Oi, Cristiane.

        Confesso que não entendi seu comentário. Você está falando dos hostels listados aqui ou de hostels em geral?

        Porque eu visitei todos os citados aqui e garanto: são bons sim. E limpinhos, seguros, confortáveis…

        Agora, se o problema for com hostels/albergues em geral, eu viajo há anos pelo mundo, ficando sempre em lugares assim, e nunca tive problemas. Fico em hostels porque gosto, o clima é muito mais divertido do que em hotéis. Por mais que existam hostels sujos (e também existem hotéis), nunca, em nenhuma parte do mundo, tive problemas com segurança.

        Só é preciso saber escolher. 🙂
        Abraço.

      2. Creio que a sua experiência tenha sido negativa. Eu sempre me hospedo em hostel e honestamente me sinto mais segura do que em alguns hotéis. Já me hospedei em dois hostels da lista e posso afirmar com certeza: são limpos, organizados, respeitosos, tem um café da manhã ok (melhor que alguns hotéis) e NUNCA FUI ROUBADA, mesmo deixando minhas coisas espalhadas fora do locker as vezes. Nem um batom. Nem um brinco. Nem um real. Nem uma moeda. Quanto ao conforto é algo muito individual, pois a qualidade do colchão varia (a maioria são ok) e você pode se incomodar com a luminosidade ou o entra e sai de outras pessoas (mas geralmente elas são muito educadas), se você acha privacidade algo importante também pode não se sentir tão confortável nessa situação. Eu recomendo sempre a experiência, fiz colegas queridos que mantenho contato até hoje!

    1. Olá, Anonymous,

      Uma pena que você não tenha coragem de mostrar a cara para fazer esse tipo de comentário. Se você fosse leitor do blog, ia saber a transparência com a qual a gente trata nossos posts pagos. Faça uma busca no blog e você poderá comprovar. Antes de sair falando esse tipo de coisas, também conheça a nossa política comercial: https://www.360meridianos.com/politicas-do-blog

      Agora, sinceramente, eu espero que você tenha como provar a sua acusação, porque o que você insinuou que a gente fez (propaganda não sinalizada) é CRIME. Ou seja, é uma acusação gravíssima. Ainda bem que na internet nada é totalmente anônimo, não é?

    2. Olá Anonymous,

      Complementando a resposta da Natália:

      Certamente é a primeira vez que você passa aqui no 360meridianos. Por isso, provavelmente você não conhece nossa política de transparência com os leitores. Quando um post é patrocinado, colocamos um aviso enorme antes da primeira linha do texto, quase um outdoor. Se não há o aviso, significa que não há patrocínio envolvido. Leia o link que a Natália indicou, pesquise. Acima de tudo, pense antes de caluniar outros, escondendo-se covardemente atrás de um nome e de um e-mail falsos. E pense também numa coisa: ao fazer insinuações vazias e covardes você não apenas me caluniou, mas também a todos os estabelecimentos dessa lista, comandados por pessoas honestas e que sequer pediram para estarem listados aqui.

      Por que “vários hostels top rated não foram listados”? Como não, anonymous? Alguns dos hostels dessa lista estão muito bem avaliados no Tripadvisor, ocupando ótimas colocações no ranking deles. Além disso, acho que você sequer leu o texto. Escolhemos hostels em apenas algumas regiões e perto de estações de metrô. Por isso, deixamos ótimos albergues de lado. Outros estabelecimentos, também muito bons, não foram incluídos porque os donos não me deixaram visitar o local, quando eu apareci na porta deles, de surpresa. Teve dono de hostel “top rated” que me tratou muito mal, inclusive. Por que diabos eu deveria indicar um hostel onde o atendimento foi péssimo, pelo menos comigo?

      Por fim, vou propor que você tente trocar a atitude acusatória por uma melhor, mais positiva. Você acha que faltou algum hostel nessa lista? Então indique ele nos comentários. Diga porque o local é bom, quais as vantagens, porque alguém deveria ficar lá. Outros leitores já indicaram hostels que não estavam na lista e, olhe só, pretendo incluí-los, como “indicação de leitores”, porque achei que realmente parecem ser bons albergues.

      Inclusive, esse convite para colaborar com a lista também está feito no texto: essa não é uma lista definitiva. Pena que você gastou pouco tempo lendo…

  3. Rafael, bem legal a matéria hein!!! Você ouviu falar do Uvaia Hostel? Fica na Vila Mariana. É muito aconchegante, clima de casa mesmo, arte espalhada pela casa toda e o pessoal de lá é demais, atendimento sem comparações. Vale a pena conhecer, um dos melhores que já fiquei no Brasil e fora.

    1. Fala Marco! Sim, já ouvi falar coisas muito boas do Uvaia Hostel. Essa lista não está fechada não, sempre cabe mais e sempre pode ser revista. Pretendo dar uma passada por lá em breve, para conferir o clima do local. Se tudo que dizem for verdade, certamente ele será incluído nas nossas indicações.

      De qualquer forma, já vou acrescentar ao post, como indicação sua, ok?

      Abraço!

  4. Olá, Rafael! Quando possível, dê uma olhada no NaHu Hostel.
    Moro em Floripa e fiz uma pós-graduação na USP. Como não conhecia a capital paulista, procurei por um lugar próximo à Universidade; e achei o NaHu. Ele foi inaugurado no segundo semestre do ano passado. Novinho, muito bonito e aconchegante, frequentado por um pessoal super bacana! Recomendo muito!
    Parabéns pelo site, que está show!!! Sucesso à toda equipe! 🙂

    1. Fala Guilherme! Valeu, não conhecia. É complicado fechar uma lista de albergues de São Paulo, afinal são muitas opções. Mas a ideia é essa mesmo: colocar mais nomes, de acordo com as orientações e dicas dos leitores.

      Abraço!

    1. Opa Fred! Foi mal a demora em te responder.
      Na realidade, acho que não tem diferença nenhuma não. Acho que a noção de albergue ficou marcada de forma negativa para algumas pessoas, por isso muita gente usa hostel. Mas acho que entendi o porquê da sua pergunta: tem uma palavra sobrando ali no começo texto, quando digo albergues e hostels. Vou alterar.

      Abraço!

      1. Olá! O hostel entra com um conceito mais moderno, possuindo inclusive quartos individuais, dentre outras comodidades. O albergue é geralmente mais simples e somente com quartos compartilhados. Li essa definição há muito tempo, considero um pouco ultrapassada, mas talvez tenha sido aquilo que o Rafael falou, modernizaram a forma de receber os hóspedes e então trocaram o nome por causa de alguns estigmas do passado.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.