Tags:
Atlas: Viena, Áustria

A história dos Palácios Imperiais de Viena: Hofburg e Schönbrunn

A família imperial Habsburgo foi uma das casas reais mais importantes do mundo. Ao contrário do pessoal que sai fazendo guerras para conseguir poder, os Habsburgo tinham um método muito menos sangrento – e mais produtivo – de espalhar sua influência mundo afora: eles se casavam com todo mundo.

Maria Antonieta, rainha da França que teve a cabeça cortada? Austríaca, filha da Imperatriz Maria Teresa. Assim como também eram austríacas e princesas da dinastia Habsburgo a Maria Luisa, esposa de Napoleão I, e até a Imperatriz Leopoldina, esposa de Dom Pedro I.

É praticamente impossível visitar algum lugar na Europa e não encontrar pelo menos um Habsburgo que deu uma circulada por ali. Eles ascenderam ao poder na Áustria em 1287, com Rudolfo I, e conseguiram se manter no trono até 1918. Tornaram-se imperadores em 1440, quando Alberto II foi coroado rei Germânico e Viena tornou-se assim capital do Sacro Império Romano-Germânico até 1806. Depois disso, foi fundado o Império Austríaco, que em 1867 tornou-se império Austro-Húngaro, até ser dissolvido finalmente com a derrota na Primeira Guerra Mundial.

Palácios Imperiais de Viena charrete

Leia também:

Onde se hospedar em Viena 

O que fazer em Viena em 3 dias

A cultura dos cafés vienenses

O Vienna Pass vale a pena?

Miniguia dos museus de Viena

Logo, visitar os dois palácios imperiais de Viena é aprender mais sobre a história dessa família. O mais interessante para mim, entretanto, é que apesar de tantos imperadores terem existido, o foco da visita a Hofburg (Palácio Imperial) e Schönbrunn (Palácio de Verão) acaba sendo as duas Imperatrizes. A Imperatriz Elisabeth, ou Sissi, que era esposa de Francisco José I (de 1848 a 1916) e a toda poderosa Imperatriz Maria Teresa da Aústria, a única mulher que governou o Império, de 1740 a 1780.

O Palácio de Hofburg

Durante 600 anos, o Palácio de Hofburg foi residência oficial da família imperial austríaca. Originalmente, a construção era um castelo medieval, cuja fundação é do século 13, mas o palácio foi crescendo a cada novo imperador que subia ao trono. Crescendo tanto que passou a ser considerado uma cidade dentro da cidade, um complexo com 18 alas, 19 pátios e 2600 quartos onde cerca de 5 mil pessoas trabalham e vivem até hoje.

Viena Áustria

É que mesmo com o fim da monarquia, em 1918, a república democrática da Áustria continua usando parte das dependências como escritórios e salas de audiência para a Presidência da República, ministros e secretários de estado. Claro, essa área do palácio não é aberta a visitação.

palácio imperial viena

Os turistas têm acesso a uma pequena parte do palácio, que conta a história dos últimos monarcas a viverem lá – no caso o Imperador Francisco José II e sua esposa a Imperatriz Elisabeth. o Imperador morreu em 1916 e o herdeiro ao trono, Francisco Ferdinando, foi assassinado em 1914, um dos estopins para a Primeira Guerra Mundial. Quem assumiu o poder no fim das contas foi Carlos I, mas ele foi forçado a abdicar em 1918, com o fim da guerra.

Viena Áustria

A visita inclui um tour pela Coleção de Prataria Imperial (Imperial Silver Collection), que reúne 7 mil peças que eram usadas pela corte para os serviços de mesa e banquetes imperiais. A próxima parte é mais interessante: o Sisi Museu é um complexo que conta a história da Imperatriz Elisabeth, figura controversa e misteriosa, que não gostava nada da vida na corte a passou boa parte da sua vida viajando (eu já contei toda a história dela nesse post aqui). Mesmo Sissi detestando a vida vienense, seu nome é um dos mais lembrados quando falamos de uma visita ao palácio.

Palácios Imperiais de Viena entrada hofburg

Por fim, o tour da acesso aos Apartamentos Imperiais, que são 19 quartos que eram ocupados pelo Imperador, esposa e família: quartos, sala de estudo, salas de audiência, tudo decorado exatamente como era na época deles – e bem menos exuberante e glamouroso que a residência de verão.

O palácio abre diariamente de 9h às 17h30 (setembro a junho) e 9h às 18h (julho e agosto). Preço: € 12,90 (inclui audioguia)

O Palácio de Schönbrunn

No final do século 17, o então imperador Leopoldo I comissionou a um arquiteto barroco a construção de um palácio que serviria com o residência para que seus herdeiros pudessem caçar. O local da construção, fora do centro de Viena, era um antigo palácio. Porém, foi só 50 anos depois, durante o reinado de Maria Teresa, que o Palácio de Schönbrunn tornou-se o centro da vida da corte, local onde outros líderes eram recebidos e de onde a Imperatriz comandava suas terras e súditos.

o que fazer em viena palácio fonte

Viena Áustria

Há historiados que dizem que Schönbrunn é o trabalho da vida de Maria Teresa. Todo o complexo trás claramente sua assinatura e ela esteve envolvida nos projetos de reforma e construção (ela queria suas ideias grandiosas prontas rápido e da forma mais barata possível). Não que o palácio seja o único legado da Imperatriz, única mulher que efetivamente ascendeu ao trono do então Sacro Império Romano-Germânico.

museus em viena palácio de schonnbrunn

Seus pais esperaram até o fim da vida ter filhos homens e por isso sequer educaram Maria Teresa adequadamente para ser governante (porém, articularam acordos para que ela pudesse ascender ao poder). Mesmo assim, ela foi a responsável por diversas reformas que modernizaram a Áustria, estabilizando a política e as finanças do país. E ela fez isso enquanto estava grávida – praticamente ela esteve grávida o tempo todo: até os 39 anos de idade, teve 16 filhos. Desses, 13 sobreviveram e foram usados como peões no jogo dos tronos europeu.

Palácios Imperiais de Viena jardins

Recomendo que você faça o Grand Tour, visita que circula por 40 cômodos do palácio. A visita passa pelos apartamentos de Francisco José e Elisabeth (que foram reformados de acordo com o estilo do século 19), mas vai além e permite circular também pelos gabinetes de estado, os apartamentos de Maria Tereza e ainda os apartamentos de outros imperadores.

Palácios Imperiais de Viena gazebo

O palácio abre das 8h30 às 17h (em julho e agosto abre até às 18h30). Preço: €16,40 (Grand Tour – inclui também o passeio nos jardins). Você pode comprar antecipadamente o passeio através do Sisi Ticket, que inclui a visita aos dois Palácios Imperiais de Viena por €28,80, ou com o Viena Pass, cartão que utilizei e contei a experiência aqui.

Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países da Europa e pode ser exigido na hora da imigração. Além disso, é importante em qualquer viagem. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício e garanta promoções.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

4 comentários sobre o texto “A história dos Palácios Imperiais de Viena: Hofburg e Schönbrunn

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.