Na terra dos maias e dos astecas: roteiro de 15 dias no México

Não há maior desperdício que ir ao México, mas se limitar a Cancún. Não me entenda mal, a área das praias mais famosas do país é mesmo linda, com aquele tom de azul-caribe que poucos lugares sabem fazer. Mas o México é muito mais que isso. Também tem ruínas pré-colombianas para Indiana Jones nenhum reclamar, comida fantástica, cidades coloniais, paisagens lindas e uma das maiores metrópoles do planeta. Neste texto, falarei de um roteiro de 15 dias no México, que foi o que eu fiz. Vamos lá?

Veja também: 
Quanto custa viajar para o México?
O México é muito mais que Cancún
Comida mexicana: pratos típicos do país

Roteiro de 15 dias

Na realidade, eu passei 16 dias e 15 noites no México, contando os dias de chegada e saída do país. Deu tempo de fazer muita coisa. Como em geral os voos chegam na capital, foi ali que começamos a viagem. De lá seguimos para Puebla, Cholula, San Cristóbal de las Casas, Playa del Carmen e Riviera Maya e finalmente para Chichen Itzá, como mostra o mapa abaixo.

Quatro dias na Cidade do México

Esse é o tempo mínimo para conhecer a Cidade do México, embora eu ache que o ideal era ter uma semana. Essa é uma das maiores e mais interessantes metrópoles do mundo – e isso se não formos falar das atrações nos arredores do DF.

Só o Zócalo – o centro histórico – rende um dia inteiro de viagem, com seus museus, parques, praças e ruas. Reserve outro dia para o Museu de Antropologia, que é imperdível, e para o Bosque e Castelo de Chapultepec, pontos importantíssimos da história mexicana. Teotihuacán, ruínas pré-colombianas que estão a 55 km da capital, costumam ser combinadas com a região da Basílica de Guadalupe, os dois passeios ocupando mais um dia do seu roteiro. O quarto dia pode ficar para o bairro Coyoacán, onde cresceu e viveu Frida Kahlo. Ali fica a famosa Casa Azul, museu que guarda a memória da artista, e também praças e um mercado. Acrescente um bom tempo e espaço no bolso para restaurantes diversos. E não deixe de acompanhar uma lucha libre.

Veja também:
Quatro dias de turismo na Cidade do México
Zócalo: roteiro no centro histórico da Cidade do México
Visita ao Museu Nacional de Antropologia, na Cidade do México
Teotihuacán, no México: visita e história das ruínas
Luta Livre Mexicana: esporte e espetáculo na Cidade do México
Onde ficar na Cidade do México: dicas de hotéis e bairros

Como a Cidade do México é porta de entrada e saída do país, é normal que viajantes dividam a visita em duas partes, passando alguns dias por lá no começo e no final da viagem. De lá siga para Puebla, cidade colonial que está a 130 km do DF.

onde se hospedar na Cidade do México

Cidade do México

Puebla e Cholula

Vá da Cidade do México para Puebla de ônibus, com a ADO. As passagens custam em torno de 180 pesos o trecho e a viagem dura cerca de duas horas e meia. Apesar da pouca distância, Puebla não é destino para bate-volta – o melhor é dormir pelo menos uma noite lá, para poder conhecer tudo com calma.

Puebla, Viagem

Puebla

Capital gastronômica do México, Puebla tem 2619 construções seculares, incluindo mais de 20 igrejas e templos, 60 prédios públicos, entre eles a Biblioteca Palafoxiana, que foi a primeira das Américas, e centenas de casarões. Museus, mercados e bons restaurantes completam a lista de atrações, mas o melhor a fazer por ali é mesmo caminhar sem rumo pelas ruas da cidade.

Não deixe de ir também em Cholula, cidade vizinha, conurbada e ligada por um trem turístico à Puebla. É lá que fica o maior monumento construído pelo homem, uma pirâmide de 66 metros de altura e 450 de comprimento, mas que pode passar despercebida, já que está coberta por vegetação e tem uma igreja católica em seu topo. Além disso, Cholula tem ruas repletas de casinhas coloridas, mais igrejas, uma baita vista para vulcões e vida noturna para ninguém reclamar.

Eu passei uma noite e dois dias nessa região, tendo base em Puebla. Quem tiver mais tempo pode passar uma noite a mais.

Veja também:
Puebla, casarões coloniais e o melhor da comida mexicana
A Grande Pirâmide de Cholula e o povoado mágico
Onde ficar em Puebla e Cholula, México: dicas de hotéis

onde ficar em Cholula

Santuário, que está no topo da pirâmide de Cholula (Foto: Cristobal Garciaferro, Shutterstock)

San Cristóbal de las Casas

Dá para ir de ônibus, mas a viagem é longa – são cerca de 800 km e quase 12 horas de estrada. Como alternativa, quem vai por terra acrescenta outra parada no roteiro, Oaxaca, cidade que está no meio do caminho, entre Puebla e San Cris, e que também é cheia de atrações. Esse era nosso roteiro original, que foi alterado porque calculamos que o tempo seria curto. Por isso, retornamos para a Cidade do México, passamos mais um dia lá e na noite seguinte pegamos um voo da Viva Aerobus para Tuxtla, que está a 60 km de San Cristóbal de las Casas.

turismo san Cristóbal

San Cristóbal de las Casas

Com apenas 180 mil habitantes, a parte turística de San Cris é pequena e pode ser percorrida em um dia ou dois. E quase todo mundo que passa por San Cris aproveita também para fazer alguns passeios de bate-volta. O mais tradicional é pelo Cañion del Sumidero, que está a uma hora da cidade. Lá, paredões de até mil metros emolduram o Rio Grijalva. Outros passeios nos arredores envolvem as Cascatas El Chiflón ou uma visita às ruínas de Palenque. Mas neste caso o bate-volta é puxado, já que são mais de 400 km de estrada, ida e volta.

Também vale visitar San Juan de Chamula, uma comunidade onde ocorrem cerimônias religiosas que são um misto da antiga cultura maia com a dos conquistadores espanhóis. Visitar um acampamento Zapatista, movimento revolucionário que marcou os anos 90, tendo tomado San Cristóbal e chamando assim a atenção mundial, é outro programa possível.

Eu passei duas noites e três dias ali. Se quiser fazer o bate-volta até Palenque e visitar o Cânion, então o ideal é ficar um dia a mais.

Veja também: 
San Cristóbal de las Casas, comida boa e natureza no sul do México
Onde ficar em San Cristóbal de las Casas, México

Cancún e Riviera Maya

Pegue um voo de Tuxtla (o meu foi com a Volaris) para Cancún. Você pode até não se hospedar no mais famoso balneário do México, mas essa será sua porta de entrada para a Península de Iucatã, uma região lindíssima e com atrações que vão bem além do combo praia e bebida na mão.

Eu passei seis dias nessa área. A estadia foi dividida, sendo metade para a praia mesmo e a outra metade para passeios, muitos deles também envolvendo o mar. Nos três primeiros dias a base foi Playa del Carmen, que avaliamos que seria um destino melhor para nosso estilo de viagem que Cancún. Depois, seguimos para Akumal, uma praia que fica a 1h30 e meia de Cancún e que é casa para dezenas de tartarugas.

Akumal, México

Akumal

Foi a partir de Akumal que conhecemos também Tulum, outra cidade de praias lindas e com ruínas maias à beira-mar; os cenotes, formações geológicas típicas do México; e Cobá e Chichén Itzá, dois conjuntos de ruínas pré-colombianas.

Veja também:
Cancún, Playa del Carmen e Riviera Maya: como planejar sua viagem
Como alugar um carro em Cancun e Playa del Carmen

Valladolid e Chichen Itza

Uma das mais bonitas ruínas pré-colombianas do México, a ponto de ter sido eleita como uma das Maravilhas do Mundo Moderno. Essa é Chichén itzá, que está a 200 km de Cancún. Embora várias agências ofereçam passeios no esquema bate-volta, que inclui ainda uma passagem rápida por cenotes, o melhor é ir com tempo. Para isso, o ideal é alugar um carro e passar uma noite perto das ruínas, aproveitando também para conhecer, no meio do caminho, Valladolid e Cobá.

Veja também: Chichén itzá, a mais bonita pirâmide maia do México

viagem méxico

Chichén itzá

Tem mais tempo?

Se tiver mais tempo, uma alternativa é seguir de Chichén itzá para Mérida, que está a 120 km (e 1h30) de distância. E de Mérida para outro conjunto de ruínas muito famoso, o de Uxmal, é um pulo: só mais uma hora e 80 km. Há voos de Mérida para Cidade do México, das quatro principais empresas aéreas mexicanas (Volaris, Viva Aerobus, InterJet e Aeroméxico). O voo dura 2h e achei passagens por a partir de R$ 250, o que facilita a volta, sem a necessidade de passar por Cancún.

Leia também: História e tradição em uma visita a Oaxaca

Já em San Cristóbal de las Casas, com mais tempo seria possível incluir Palenque não como um bate-volta, mas uma opção com pernoite. Oaxaca, a cidade entre San Cris e Puebla, também poderia entrar no roteiro. E sempre é válido deixar mais tempo para a Cidade do México. Lá não falta o que fazer e as opções de bate-volta são variadas.

 


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Rafael

Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014 voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura. Siga minhas viagens também no instagram, no perfil @rafael7camara no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

17 comentários sobre o texto “Na terra dos maias e dos astecas: roteiro de 15 dias no México

  1. Boa noite meu amigo, Estou pesquisando qui essa viagem, porem um dúvida, ao finalizar a viagem em Tulum, qual a maneira mais tranquila e não tão cara de retornar ao Brasil? De onde eu volto? tenho que retornar a cidade do mexico?

    1. Oi, Felipe. Provavelmente sim. O melhor é comprar as passagens de ida e volta para a Cidade do México – costuma ser mais barato que comprar cada trecho separado. Mas você pode fazer o texto usando buscadores como o Google Flights, Viajala, Skyscanner, etc.

      Mas eu voltei pra Cidade do México, fiquei mais dois dias lá e então retornei ao Brasil.

      Abraço.

    1. Oi, Luh. Desculpe a demora na resposta, eu estava de férias.

      A Ado, mais importante empresa de transporte do México, oferece o transfer entre o aeroporto e a rodoviária de San Cris, que está pertinho do centro da cidade. Reserve com antecedência, pois as passagens costumam se esgotar – aconteceu comigo. A viagem custa 242 pesos cada trecho. É possível reservar online, mas também dá para comprar na loja da empresa, na Calle Real de Guadalupe.

      Um táxi entre San Cristóbal de las Casas e o Aeroporto de Tuxtla Gutiérrez custa entre 600 e 800 pesos. É bom negociar com o taxista. Por fim, não vale a pena pegar o ônibus até Tuxtla, a cidade. Mesmo sendo mais barato, você precisará pegar outro transporte de lá, já que o aeroporto está a 30 quilômetros do centro. Quando eu estive em San Cristóbal de las Casas, em junho de 2017, não havia Uber ou outros aplicativos de transporte.

      Depois leia esse texto: https://www.360meridianos.com/dica/san-cristobal-de-las-casas-mexico

      Abraço.

  2. Rafael, posso te perguntar como você se sentiu em relação à segurança?
    Estou montando um roteiro para 3 semanas no México (semelhante ao seu), mas vou com filho pequeno (6 anos) e estou um pouco receosa em passar por Chiapas.

    1. Achei bem tranquilo, Ana. Só convém tomar aqueles cuidados básicos que a gente tomaria no Brasil. É mais ou menos parecido.

  3. Muito obrigada pelas dicas, super didático seu artigo! Estou criando um roteiro para ida ao México ano que vem. Peguei boas ideias aqui…Estarei com uma criança de 5 anos…Alguem desses lugares que vc indicou, existe algum que vc considere que não seja legal para ida com pequenos? Muito obrigada 😉

    1. Acho que não, Anna. Mas, devo dizer, eu não tenho filhos, então pode ser que não saiba avaliar isso muito bem. 😛

      Mas acho que é tranquilo.

    1. Oi, Luciano. Eu desembarquei e fui embora pela Cidade do México. Dá pra comprar a volta por Cancun, basta escolher a opção multidestinos de sites de passagens. Mas tem que ver se compensa: pode valer a pena comprar os trechos internos separadamente. Foi o que eu fiz, viajei com Volaris, Viva Aerobus e Interjet.

      Dá uma olhada nesse texto: https://www.360meridianos.com/2015/12/como-encontrar-passagens-aereas-baratas-na-internet.html

      Abraço.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.