fbpx

Tusheti, Geórgia: como visitar a região mais isolada da Europa

Uma das regiões mais altas e remotas das montanhas Geórgia, Tusheti é considerada a última fronteira inexplorada da Europa. Tamanho isolamento se deve ao fato dela ser acessível apenas pela Abano Pass, a estrada mais alta da Geórgia e uma das mais perigosas do mundo, título que lhe rendeu o carinhoso apelido de Estrada da Morte.

Mas as almas corajosas que se animam a enfrentar as curvas sinuosas, abismos e desfiladeiros se deparam com um lugar de beleza e cultura únicas, ambas preservadas do mundo que fica depois dos vales e da cadeia de montanhas. Por causa de sua autenticidade e culturas únicas, essa é considerada por muitas a região mais encantadora da Geórgia.

Nesse texto, você encontrará um guia completo de viagem para o Parque Nacional de Tusheti na Geórgia!

Entre as dicas que compartilhamos, você vai ler como chegar à Tusheti, pegando a Estrada da Morte de forma segura; qual a melhor época para visitar, o que fazer por la e aprender um pouco sobre a história e as tradições únicas desse lugar fascinante.

Onde fica o Parque Nacional de Tusheti, na Geórgia

Tusheti fica no nordeste da Geórgia, próximo à fronteira com a Rússia – mais especificamente o Dagestão e a Chechênia –, e em uma região que é considerada o cruzamento da Europa com a Ásia.

É uma região montanhosa situada na parte norte da cordilheira do Cáucaso e fica a 4800 metros acima do nível do mar 😱.

O Parque Nacional de Tusheti está a 200 km a nordeste de Tbilisi, a capital da Geórgia, e pertence à Kakheti, província famosa pela produção de vinhos georgianos. No entanto, o isolamento de Tusheti com relação às terras baixas fazem com que você se sinta em uma região completamente diferente do país.

Devido à natureza montanhosa da região e à necessidade de atravessar a estrada Pshaveli-Abano-Omalo – a estrada mais alta da Geórgia – a viagem de carro pode levar entre 5 a 6 horas, dependendo das condições da via e do tempo.

Em geral, a estrada fica fechada no inverno por causa da neve que torna a pista intransitável.

Leia também:
O que fazer em Tbilisi: guia para conhecer a capital da Geórgia
Guia completo para visitar Kazbegi e a Igreja de Gergeti
Roteiro pelo Cáucaso: Geórgia, Armênia e Azerbaijão em uma só viagem

Qual a melhor época para viajar para Tusheti

A melhor época para visitar Tusheti é durante os meses de verão, de junho a setembro. Em geral, a Pshaveli-Abano-Omalo road só abre no fim de maio e fecha no início de outubro. Por isso é impossível visitá-la em outras épocas.

Durante o verão, o clima por lá é ameno e ensolarado. À noite faz um fresquinho, por isso leve um casaco com você.

Se você puder, sugiro planejar sua visita para as datas de algum dos festivais tradicionais em Tusheti:

  • Festival do Queijo (fim de maio): Realizado na cidade de Akhmeta, no Vale Alazani e celebra as tradições do queijo Guda de Tusheti. Queijeiros de toda a região se reúnem para apresentar seus produtos, ao som de música ao vivo e dança folclórica.
  • Zezvaoba (último domingo de maio): Realizado na aldeia de Alvani, é uma homenagem ao herói de guerra Zezva Gaprindaul. O festival inclui mercados e uma corrida de cavalos.
  • Atnigenoba (início de agosto): Ocorre 100 dias depois da Páscoa Ortodoxa e marca o início da colheita de outono. Este é o maior festival em Tusheti e ocorre em todas as vilas. Você poderá conhecer a produção de cerveja tushetiana e banquetes rituais.

Você pode se informar sobre o calendário de festividades e eventos na página de Tusheti no Facebook (use o Google Translator).

Quantos dias ficar em Tusheti, na Geórgia?

Embora visitar Tusheti seja uma experiência única e completamente diferente de tudo que você já viu, a maior parte das pessoas vai embora da Geórgia sem passar por lá.

Isso se deve, principalmente, à dificuldade de acesso. Para chegar a Tusheti, não dá para só subir num ônibus para um bate-volta. É preciso um pouco de planejamento, uma vez que a estrada é difícil e a viagem cansativa.

Como regra geral, recomendaria pelo menos três a quatro dias na região para aproveitar ao máximo a sua visita.

Este tempo permitirá que você explore algumas das aldeias mais pitorescas de Tusheti, como Omalo, Shenako e Diklo, bem como aproveite algumas das belas trilhas de caminhada que a região tem para oferecer. Para aqueles interessados em caminhadas de vários dias ou que desejam explorar a região de forma mais aprofundada, uma estadia de uma semana ou mais seria ideal.

História e tradições de Tusheti: o que você precisa saber antes de visitar

Você já foi a um lugar que te fez pensar: quem foi o primeiro maluco que resolveu parar por aqui mesmo e ficar? Tusheti é um desses lugares.

Há uma lenda na região dos Cáucasos que diz que uma mulher grávida chegou ali e deu a luz a três filhos. Cada um deles desceu para um vale diferente, e o irmão que foi para o vale de Tusheti seria o ancestral de todos os seus habitantes.

Arqueologicamente falando, os estudiosos acreditam que os vilarejos mais acessíveis, como Omalo e Shenako foram ocupados primeiro e, a partir deles, o pessoal foi aos poucos subindo as montanhas.

Abaixo listo algumas curiosidades sobre a ocupação na região:

  • Tusheti significa Terra dos Tush, povo que tradicionalmente habita a região há séculos. Havia quatro comunidades ali, que viviam separadas pelas montanhas: os Prikiti, Gometsari, Sovata e Chagma.
  • Atualmente, só uma dessas comunidades ainda é bastante povoada: Chagma, que também é conhecida como Chachakovani. No total, há 48 vilas em Tusheti.
  • É em Chagma que você provavelmente vai ficar, e ali que ficam as vilas de Diklo, Shenako e Omalo, as mais importantes de Tusheti. Omalo também é a maior vila de Tusheti, e a que conta com melhor estrutura turística. É a primeira vila quando você chega pela Abano Pass, e a mais baixa delas.
  • A região foi proclamada uma área de preservação ambiental em 2003. Hoje também é considerado um Patrimônio Mundial da Unesco.
  • Algumas vilas ficam tão no alto da montanha que você não consegue chegar de carro, só de cavalo ou caminhando. É o caso de Parsma.
  • A vila de Bochorna é considerada o assentamento continuamente habitado mais alto da Europa, a 2.345 metros acima do mar.
  • O lugar sofreu uma baixa significativa de população durante o período Soviético, quando as famílias eram encorajadas a se mudarem para as terras baixas de Kakheti. Muitas casas e pastos foram abandonados nessa época.
  • Há vários rios na região, e todos eles se chamam Alazani. Isso foi feito para confundir os inimigos no passado.

Cultura e estilo de vida: algumas dicas do que fazer e não fazer em Tusheti

Os tush são um povo nômade e pastor, etinicamente georgiano, e que falam um dialeto próprio, derivado da língua georgiana. Há uma língua original ali, chamada Bats, mas ela está em risco de desaparecer. As pessoas mais velhas falam muito bem o russo, herança do período soviético. Já os mais jovens conseguem se comunicar em inglês.

Pastores de Tusheti em migração para as terras baixas no fim do verão
Como viajei no início de setembro, peguei os tushetianos em migração para o sul com os rebanhos, para fugir do inverno nas montanhas.

Eles migram com seus rebanhos para a parte baixa de Kakheti no inverno e, quando o tempo começam a melhorar, pegam o caminho montanha acima outra vez.

Hoje em dia, muitos dos residentes de Tusheti tem uma casa de verão, no alto das montanhas, e uma de inverno, nas terras baixas, especificamente em Kveno Alvani.

Além do turismo eles também vivem da produção de queijo e a lã, considerados produtos de alta qualidade, sendo inclusive exportados para a Europa e Rússia.

Eles praticam uma religião própria, uma crença que mescla influências pagãs e animistas, islâmicas e cristãs ortodoxas. Por causa de seu isolamento, o lugar já serviu de esconderijo para pessoas que tentavam fugir da perseguição religiosa que se deu na Geórgia na época da cristianização.

Isso e os conflitos com outros grupos do Cáucaso tornaram os Tush bastante receosos com a aproximação de estranhos. Caso você resolva fazer passeios a cavalo na região, por exemplo, é uma norma de etiqueta descer do cavalo e entrar caminhando nas vilas, uma vez que os inimigos costumavam invadir os lugares montados.

No entanto, você não precisa se preocupar. Apesar do isolamento os Tush compartilham a hospitalidade do resto da Geórgia e recebem os visitantes, em especial os estrangeiros, como um sinal de boa sorte.

As casas ali tem uma arquitetura e técnicas de construção de próprias, características da região. Elas geralmente contam com ao menos três andares, mas algumas chegam a ter seis ou sete. Em geral, o primeiro andar era o local onde as mulheres realizavam suas tarefas, como cuidar do gado e das crianças. Já o segundo era a residência da família.

No passado, as vilas eram geridas por um conselho de 12 anciãos, que se reuniam sentados em círculos de pedra e julgavam assuntos relevantes (como punições para quem cometesse algum crime, decisões relacionadas aos rebanhos, etc) enquanto comiam khinkalis. Esse poder era respeitado por todos e mesmo o antigo rei da Geórgia não intervinha nos assuntos internos da comunidade.

As mulheres tush tem um papel social relevante por ali. Elas faziam parte do conselho de anciãos e muitos os heróis tush são mulheres. No entanto, é recomendável que as visitantes não se aproximem dos templos, uma vez que mulheres em idade reprodutiva não são permitidas em alguns deles.

Por causa da influência animista, os tush acreditam na dualidade de todas as coisas: feminino e masculino, puro e impuro, sagrado e profano, etc. Em muitas ocasiões, essas duas polaridades não devem se misturar. Há, por exemplo, estradas só para mulheres e só para homens. Mas, em geral há avisos quanto a isso.

Outra coisa que não se mistura por ali é o puro e o impuro. Para eles, as terras altas de Tusheti são puras, e as baixas, de Kakheti, são impuras.

Por esse motivo, embora a maior parte deles seja chegado em um bacon quando estão nas partes baixas, carne de porco e derivados dele não são permitidos em Tusheti, porque o animal é considerado impuro.

Como chegar em Tusheti: encarando a Estrada da Morte

Construída em 1981, a estrada foi a primeira forma de ligação de Tusheti com as partes baixas de Kakheti. Na época, o governo prometeu também um teleférico, mas essa obra nunca chegou a acontecer.

Depois de pronta, a estrada recebeu pouquíssima manutenção. Todos os anos, antes de ser reaberta, o governo faz alguns reparos só para deixá-la novamente transitável (consertando barrancos que caíram, por exemplo).

Estrada da morte para Tusheti, Geórgia
A Estrada da Morte para Tusheti é de terra e corta desfiladeiros e montanhas.

Porém, pouco é feito em termos de melhoria de segurança na região. Ao menos até o momento.

São 70 km de uma sinuosa estrada de terra, sem acostamento ou qualquer proteção entre você e o abismo que se abre à medida que você sobe cerca de 3 mil metros pelas montanhas. O trajeto pela Abano Pass começa no município de Pshavelli, em Kakheti, e vai até Omalo.

As condições da estrada são tão ruins que eu demorei 4h30 para fazer os 70 km. Leia um relato aqui.

Apesar disso, só a estrada já é um ótimo motivo para fazer a viagem. As vistas dos vales e desfiladeiros são simplesmente de tirar o fôlego (sério, eu prendi a respiração por quase o trajeto inteiro).

Memorial na Estrada da Morte para Tusheti, Geórgia
Memoriais aos mortos na Estada da Morte para Tusheti, na Geórgia

Segurança na Estrada para Tusheti

Ao longo do caminho, há diversas placas memoriais à pessoas que morreram em acidentes na estrada, o que em si é um pouco assustador. No entanto, eu diria que o perigo da estrada está mais nos motoristas e na condição dos carros que na rodovia em si.

Na Geórgia, as pessoas dirigem de forma, digamos, pouco cautelosa, e aparentemente não há muita fiscalização com relação à manutenção de veículos. Quando o trajeto é feito com um veículo adequado, respeitando os limites de velocidade e com perícia e cuidado, os riscos são mínimos.

Pode parecer inacreditável, mas muitos motoristas ali mantém o péssimo padrão de comportamento mesmo em uma estrada como a Abano Pass. Eu ouvi relatos, inclusive, de motoristas que bebem chacha, um forte destilado georgiano, antes de pegar a estrada. “É pra dar coragem”, eles dizem.

É importante dizer isso porque, embora algumas pessoas optem por fazer o caminho à pé, de bicicleta ou moto, a forma mais comum de chegar a Tusheti é pegando uma “marshrutka” (van de passageiros muito comum na Geórgia) de Tbilisi até Telavi e, ali, contratando um motorista para fazer o resto do percurso.

Na minha estadia, conheci um casal austríaco que fez exatamente dessa forma, deixando para contratar um motorista aleatoriamente em Kvemo Alvani. Eles pegaram um táxi compartilhado com outros viajantes e, segundo o relato deles, a viagem foi tranquila e o motorista era muito experiente, conhecendo cada curva da estrada.

Acredito que esse deva ser o caso da maior parte dos motoristas que trabalham com isso. Não posso deixar de alertar, no entanto, que será uma questão de sorte (ou azar) não cair com um motorista maluco ou com um carro capenga se você resolver fazer dessa forma.

O ideal é contratar um motorista recomendado por alguém para fazer o trajeto. Assim você terá mais segurança de que tanto o condutor quanto o veículo estarão em condições de cruzar a estrada.

Como eu acabei alugando um carro para fazer o trajeto por conta própria, infelizmente não tenho nenhum motorista para indicar pra vocês por experiência própria. No entanto, recomendo que você peça indicação no seu hotel.

Para pegar a marshrutka para Telavi em Tbilisi, você deve se dirigir a uma dessas duas estações de ônibus:

  • Estação de ônibus Ortachala: Saem todos os dias às 9h00 e 16h20, o preço do bilhete é 7 GEL.
  • Estação de ônibus Navtlugi: Fica ao lado da estação de metrô Kvemo Samgori. Partida diária às 15h20, o preço do bilhete é 7 GEL.
  • Outra possibilidade é pegar um táxi compartilhado de Tbilisi para Kvemo Alvani. Você pode conseguir um na estação de metrô Isani.

Se você chegar em Telavi, terá que pegar um táxi para Kvemo Alvani, que está aos pés da Abano Pass.

Da praça principal de Kvemo Alvani saem os motoristas que fazem o trajeto montanha acima. Eles costumam partir ao meio dia. Por isso, pegue a marshrutka em Tbilisi de manhã ou você terá que pernoitar em algum lugar antes de subir.

Qual carro alugar para a estrada de Tusheti?

Essa opção só é recomendada se você ou alguém que estiver viajando com você forem motoristas experientes e de preferência acostumados com estradas de terra e trajetos em montanhas.

Não dá para alugar qualquer carro para esse trajeto. Você precisará de um 4×4 e, de preferência, que seja também off road. Eu, por exemplo, aluguei um Creta e consegui chegar em Omalo sem grandes dificuldades.

Mas, uma vez lá, não consegui visitar todas as vilas que queria porque o carro arregou nas estradas internas de Tusheti não conseguia subir ladeiras íngremes e com muito cascalho por não ser off road.

É bom lembrar, aliás, que as estradas internas de Tusheti conseguem ser tão ruins (ou talvez até piores) que a Abanos Pass. Mas ali, ao menos, os precipícios não estão do nosso lado.

Se você vai sair de Tbilisi, recomendo reservar seu carro com antecedência, especial no verão, que é alta temporada na Geórgia e muita gente acaba pegando o carro porque a maior parte do turismo no país é de trilhas e natureza, e essa é simplesmente a melhor forma de chegar aos lugares.

Para ter certeza que você vai conseguir o veículo certo e por um bom preço, recomendamos a RentCars. Eles são um comparador que inclui basicamente todas as opções de locadoras, das mais tradicionais como a Europcar ou Guerin às mais baratinhas, como a Firefly.

Eles são parceiros aqui do blog exatamente porque oferecem excelentes condições de aluguel, com diárias muito baixas, possibilidade de pagar as reservas em reais, sem IOF e parcelamento em até 12 vezes. Clique aqui para fazer sua cotação sem compromisso.

Dicas para dirigir na Abano Pass, a Estrada da Morte

Estrada para Tusheti, Geórgia
  • Encha o tanque do carro quando chegar em Kvemo Alvani. Há um posto de gasolina na entrada da cidade, mas uma vez que você entrar na Abano Pass, terá que contar com o que tem: não há nenhum posto em Tusheti.
  • Para encontrar o caminho correto no Google Maps, o melhor é digitar Omalo, e não Tusheti, já que há uma cidade com nome semelhante perto de Tbilisi.
  • O trajeto é cansativo e lento. Não se apresse para terminar mais rápido. Vá curtindo a vista e o caminho. Também é recomendável parar para descansar e tirar fotos sempre que sentir vontade.
  • Saia cedo de Tbilisi. São cerca de 1h30 de estrada até o começo da Abano Pass. E de lá, mais umas 4h30 ou 5 horas até Omalo. Você não vai querer enfrentar esse trecho no escuro.
  • Se preferir ou tiver tempo, saia de Tbilisi e fique alguns dias na região de Kakheti antes de subir para Tusheti. Além de pegar a parte punk da estrada descansado, você vai poder saborear os vinhos georgianos produzidos ali. (Mas pelo amor de deus, não faça isso no mesmo dia que for enfrentar a estrada!)

Nova estrada para Tusheti prevista para 2025

Boas notícias à vista! O governo da Geórgia anunciou um projeto de modernização da estrada para Tusheti, previsto para ser entregue em 2025. A obra deverá melhorar a segurança do trajeto e terá um impacto significativo na vida dos tushetianos.

Com acesso mais fácil e seguro, mais turistas poderão acessar o lugar, e os tushetianos poderão transitar entre as terras altas e baixas sem correr tantos riscos.

Onde se hospedar em Tusheti: pousadas e hotéis na região

A maioria dos visitantes opta por ficar em Omalo, que é a vila principal e o centro administrativo de Tusheti. Eu acho uma boa estratégia dividir a viagem em mais de uma vila, pois assim você terá a oportunidade de ver mais de perto cada uma das vilas.

Na minha viagem, fiquei dois dias em lower Omalo, dois dias em Dartlo e um dia em upper Omalo, de onde saí para pegar o caminho de volta.

Café da manhã em pousada de Upper Omalo, Tusheti

Hotéis em Omalo

  • Guesthouse Elizabeth: Foi onde eu fiquei no primeiro dia, em lower Omalo. Servem um jantar delicioso e um café da manhã melhor ainda, cheio de produtos locais. Os quartos são simples, com paredes e chão de madeira, mas são confortáveis. Os banheiros são compartilhados. Diárias a partir de US$ 36. VER PREÇOS.
  • Tishe: O único hostel de lower Omalo, é também onde funciona um mercadinho que é basicamente a única loja da cidade. Tem um bar com vista para a montanha e é onde os mochileiros costumam ficar. Os quartos são privativos. Diárias a partir de US$ 24. VER PREÇOS.
  • Gordilla Guesthouse: Minha hospedagem pela noite que passei em upper Omalo. Tem quartos super confortáveis, bons chuveiros (algo que não é tão comum por ali) e um excelente café da manhã servido com vista para as montanhas e para a fortaleza de Omalo. Diárias a partir de US$ 46. VER PREÇOS.
  • Pousada Lasharai: Em Upper Omalo, tem um bar/restaurante e vista para a fortaleza de Omalo, assim como os quartos, que têm varandinha para apreciar a paisagem. VER PREÇOS.

Hotéis em Dartlo

  • Guesthouse Pirimze: Minhas hospedagem em Dartlo. Conta com bar que serve a autêntica tushetian beer e um jardim com vista para a vila. Servem café da manhã e jantar comum ou vegetariano, por um custo adicional. Diárias a partir de US$ 35. VER PREÇOS.
  • Guesthouse Nakurdurta: Tem jardim, churrasqueira e vista para a montanha. Os quartos são de madeira e alguns acomodam até quatro pessoas. Diárias a partir de US$ 31. VER PREÇOS.
  • Guesthouse Tushetian Tower: Fica em uma autêntica casa de pedra tushetiana, e todos os quartos têm varanda com vista para as montanhas. Diárias a partir de US$ 42. VER PREÇOS.

Facilidades e conforto disponíveis em Tusheti

  • Não há caixas eletrônicos em Tusheti e os estabelecimentos não aceitam cartão. Saque dinheiro em Kvemo Alvani antes de subir.
  • Há sinal de telefone, incluindo 4g, nas principais vilas. A maior parte das pousadas também oferece wifi.
  • Em Omalo há um pequeno mercadinho que vende o básico de alimentos e até alguns remédios. Não há farmácias ou supermercados.
  • As pousadas oferecem um excelente café da manhã e também jantar, caso você opte por isso. Há alguns poucos restaurantes nas principais vilas.

É seguro viajar para Tusheti? Mulheres devem ir sozinhas?

Sim, Tusheti em si é um lugar seguro para viajar, mesmo para mulheres sozinhas.

O maior risco que você vai enfrentar será o da estrada. Porém sobre isso eu já dei as recomendações de segurança ali em cima.

Quanto a viajar sozinha como mulher, a Geórgia é considerada um país seguro para mulheres viajantes solo. No entanto, como em qualquer lugar, é importante permanecer atenta, evitar situações potencialmente perigosas e seguir as normas culturais locais de comportamento e vestimenta. Em áreas mais rurais como Tusheti, a cultura pode ser mais conservadora do que nas áreas urbanas.

Além disso, é sempre uma boa ideia informar alguém sobre seus planos de viagem e manter contato regular com amigos ou familiares enquanto estiver viajando. Tenha em mente que Tusheti é uma região remota, então a conectividade pode ser limitada nas estradas e trilhas.

Antes de encarar uma caminhada, informe-se sobre o nível de dificuldade da trilha. A maior parte das trilhas curtas são de nível fácil, mas travessias de vários dias exigem mais experiência no assunto.

E eu não posso deixar de mencionar os assustadores cães pastores de Tusheti. Eles são enormes e treinados para defender vorazmente os rebanhos. Não são pets e, por isso, não é recomendável que você mexa com eles, caso você seja uma dessas pessoas que não pode ver um cachorro dando bobeira.

Eu vi eles ameaçarem um casal na trilha e ouvi relatos de turistas que perderam os dedos.

Se você precisar de assistência médica, disque 122.

Lembre-se que você está a pelo menos 4 horas do hospital mais próximos.

Seguro de viagem para a Geórgia

Em uma região tão remota e de difícil acesso, é essencial também contratar um seguro de viagem.

Para encontrar o Seguro Viagem a Geórgia com o melhor preço, a ferramenta Seguros Promo é uma excelente escolha. Ela permite comparar preços e coberturas de diferentes seguradoras em um único lugar, facilitando a escolha do seguro que melhor se adapta às suas necessidades e orçamento.

Adquira o seu agora mesmo através desse link ou das ofertas abaixo e viaje com a tranquilidade de saber que você está protegido!

Clique aqui para fazer sua cotação e use o cupom 360MERIDIANOS05 para obter até 25% de desconto nos seguros de viagem!

Seguro Viagem:
Europa
Intermac I60 Inter (exceto EUA) +Covid-19 Intermac I60 Inter (exceto EUA) +Covid-19
Assistência médica USD 60.000
Bagagem extraviada USD 750 (SUPLEMENTAR)
*Valor referente a 7 dias de viagem.
AC 35 EUROPA (Exceto EUA) COVID-19 AC 35 EUROPA (Exceto EUA) COVID-19
Assistência médica EUR 35.000
Bagagem extraviada EUR 1.200
*Valor referente a 7 dias de viagem.
UA 40 EUROPA (exceto EUA) COVID-19 UA 40 EUROPA (exceto EUA) COVID-19
Assistência médica USD 40.000
Bagagem extraviada USD 200 (SUPLEMENTAR)
*Valor referente a 7 dias de viagem.

Quanto custa viajar para Tusheti?

  • Acomodação (pousada local): 100 GEL por noite
  • Almoço ou jantar (pousada local): 25-30 GEL por pessoa por refeição
  • Copo de cerveja Tushetiana ou xícara de chá Tushetiano: 3-5 GEL

Com isso, espere gastar cerca de 200 GEL por dia, aproximadamente.

Vale lembrar também que, embora a Geórgia seja um país relativamente acessível para viajar em comparação com muitos destinos ocidentais, Tusheti é uma região remota e montanhosa, e os preços podem ser um pouco mais altos do que em outras partes do país devido ao custo do transporte de bens para a região.

É também sempre uma boa ideia trazer um pouco mais de dinheiro do que você acha que vai precisar, apenas para estar preparado para imprevistos.

O que ver e fazer em Tusheti

Essas são as principais atrações para ver em Tusheti.

Trilhas para fazer em Tusheti

Tusheit é cheio de trilhas e oportunidades de aventura e ecoturismo
No forte de Upper Omalo, em Tusheti, Geórgia

Tusheti, na Geórgia, é famosa por suas trilhas de trekking que oferecem vistas imperdíveis das montanhas do Cáucaso. Aqui estão algumas das principais trilhas que você pode explorar:

  1. Trilha Omalo-Shenako-Diklo: Esta é uma das trilhas mais populares em Tusheti. Começa em Omalo e passa por Shenako antes de terminar em Diklo. Essa rota lhe dá a oportunidade de explorar algumas das mais belas vilas de Tusheti. Espere levar o dia inteiro no trajeto.
  2. Trilha Omalo-Girevi: Esta trilha é uma das mais longas e leva você através de várias aldeias tushetianas, incluindo Dartlo, Parsma e Chesho, antes de terminar em Girevi. Pode levar de dois a três dias.
  3. Trilha Omalo-Bochorna: Bochorna é conhecida por ser o assentamento habitado mais alto da Europa. Esta trilha leva você a uma altitude impressionante e oferece vistas incríveis do Cáucaso. Esta trilha é bastante desafiadora devido à sua altitude e pode levar um dia inteiro.
  4. Trilha Jvarboseli-Tsovata: Esta é uma trilha relativamente curta que começa na aldeia de Jvarboseli e termina na bacia do rio Tsovata.
  5. Trilha Girevi-Tanie Lake: Esta trilha desafiadora leva você da aldeia de Girevi até o lindo lago Tanie, localizado a mais de 2500 metros acima do nível do mar.
  6. Trilha Omalo-Dartlo: Uma trilha um pouco mais fácil que leva de Omalo à aldeia de Dartlo. Pode levar de dois a três dias.

Se você pretende fazer algumas dessas trilhas, recomendo fortemente baixar o mapa de Tusheti no aplicativo Maps.me.

Além disso, há um mapa local à venda nos mercadinhos, por um custo de 7 GEL.

Passeios a cavalo e mountain bike

Tusheti é um destino popular para entusiastas de atividades ao ar livre, com passeios a cavalo e mountain bike entre as atividades mais populares na região.

  • Passeios a cavalo: Os cavalos são uma parte essencial da vida e da cultura de Tusheti, e muitos visitantes optam por explorar a região a cavalo. Existem várias opções de passeios disponíveis, desde passeios curtos de meio dia até excursões de vários dias que percorrem as aldeias e montanhas. Muitas excursões são guiadas por moradores locais, que podem compartilhar informações únicas sobre a história e a cultura da região.
  • Mountain Bike: Tusheti também oferece algumas oportunidades imperdíveis para quem é chegado numa mountain bike. A região é caracterizada por terrenos acidentados e trilhas desafiadoras que podem testar até os ciclistas mais experientes. As trilhas de mountain bike em Tusheti variam de trilhas de dificuldade moderada a trilhas extremamente complicadas com subidas íngremes e descidas rápidas.

Ambas as atividades oferecem uma maneira exclusiva de explorar a região, inacessível para a maior parte das pessoas. No entanto, tenha certeza de que você está adequadamente preparado e que tome todas as precauções de segurança necessárias ao realizar essas atividades.

Vilas e construções para ver em Tusheti

Veja agora quais são as principais vilas e construções para ver em Tusheti.

Omalo

A principal vila de Tusheti, Omalo é a primeira parada para os visitantes na região.

Aqui você encontrará a fortaleza de Keselo, um grupo de torres de pedra do século XIV que oferece vistas panorâmicas da área.

Está dividida entre a lower Omalo e a upper Omalo. A primeira é o local em que você chega em Tusheti, é mais rural e parece uma grande fazenda. Porém é ali que está a maior parte da estrutura de toda a região.

Upper Omalo é mais bonita e charmosa, com pousadinhas de sacadas floridas e casas de madeira.

Dartlo

Considerada a vila mais bonita de Tusheti, Dartlo é famosa por suas torres de pedra medievais e suas belas casas com varandas de madeira.

Casas tracionais de Dartlo, Tusheti

A aldeia está localizada em uma encosta íngreme e oferece vista para o vale. As casas de Dartlo foram todas reformadas segundo as técnicas tradicionais de Tusheti e ali ainda é possível ver o Sabcheo, o círculo de pedras no qual os anciãos se reunião para realizar os julgamentos da vila nos séculos 16 e 17.

Não é à toa que muitos a chamam de vila de conto de fadas.

Shenako

Esta aldeia é famosa pela Igreja da Santa Trindade, uma das poucas igrejas ainda em uso em Tusheti.

Casas tradicionais de Tusheti

As casas em Shenako também são exemplos impressionantes de arquitetura tushetiana tradicional.

Diklo

Situada perto da fronteira com a Rússia, Diklo é famosa por suas vistas de tirar o fôlego das montanhas do Cáucaso e por suas torres de pedra bem preservadas.

Girevi

A última vila habitada antes da fronteira com a Chechênia, Girevi é cercada por belas paisagens montanhosas e é o ponto de partida para várias trilhas de trekking.

Bochorna

Esta aldeia é conhecida por ser o assentamento habitado mais alto da Europa, e oferece vistas incríveis da região.

Onde comer em Tusheti e o que você deve provar por lá

A culinária de Tusheti, assim como em outras partes da Geórgia, é conhecida por ser saborosa, rica e bastante diversificada. Até hoje eu me lembro das paquequinhas com mel servidas no café da manhã da minha pousada em Omalo.

Quase tudo que é consumido em Tusheti é produzido ali mesmo. Parte da experiência na região é provar essas delícias.

Café da manhã servida na pousada de Omalo, Tusheti
Café da manhã com produtos locais na pousada de lower Omalo

Aqui estão algumas comidas e bebidas locais que você deve experimentar quando visitar Tusheti:

1. Khinkali: São um tipo de dumpling que é um dos pratos mais populares em toda a Geórgia, mas cada região tem sua própria versão. Em Tusheti, o khinkali é geralmente recheado com carne de cordeiro e ervas locais.

2. Queijo Guda: Este queijo tradicional é feito de leite de ovelha e é um dos produtos mais famosos de Tusheti. É um queijo duro e salgado, muitas vezes usado em saladas ou servido com pão como aperitivo.

3. Tushuri Khachapuri: Esta é a versão tushetiana do famoso prato georgiano khachapuri, que é um pão recheado com queijo. Na Tusheti, o khachapuri é frequentemente recheado com o queijo guda.

4. Kotori: Este é um prato tradicional de Tusheti feito de cordeiro ou carne de carneiro, que é cozida lentamente em seu próprio suco sem adição de água.

5. Cerveja Tushetiana: Tusheti também é conhecida pela sua cerveja local, que é feita com fermento selvagem e tem um sabor adocicado e coloração escura. Pode ser encontrada na maior parte das guest houses e restaurantes.

6. Tushuri Tetri: Este é um vinho branco semi-seco produzido na região.

Como há poucos restaurantes e cafés em Tusheti, a maior parte das refeições são feitas nas pousadas. Os anfitriões preparam pratos caseiros para os hóspedes e boa parte dessas gostosuras é servida ali.

Inscreva-se na nossa newsletter

5/5 - (3 votes)

Compartilhe!







Eu quero

Clique e saiba como.

 




Natália Becattini

Sou jornalista, escritora e nômade. Viajo o mundo contando histórias e provando cervejas locais desde 2010. Além do 360meridianos, também falo de viagens na newsletter Migraciones, no Youtube e em inglês no Yes, Summer!. Vem trocar uma ideia comigo no Instagram. Você encontra tudo isso e mais um pouco no meu Site Oficial.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.