fbpx
Tags:

5 dicas não tão básicas para aproveitar uma viagem com crianças

Já dividi aqui no 360meridianos algumas das minhas experiências com diferentes tipos de viagem: percorrendo os países durante duas Copas do Mundo, usando turismo de base comunitária ou contando sobre minha predileção por pegar estradas. São memórias que guardo com carinho enorme, mas que nos últimos anos têm sido substituídas por outro tipo de viagem – a que se faz com uma criança à tiracolo.

Há pouco mais de dois anos, quando me tornei pai socioafetivo do Francisco, precisei me ajustar a uma nova realidade. Se antes o meu tempo, curiosidade e desejos eram a principal bússola para definir formas de viajar ou locais que gostaria de conhecer, desde então as tomadas de decisão passaram a ter outro norte. O bem-estar e a diversão da nossa família vem primeiro, junto com o universo de coisas que gostaria de apresentar ou proporcionar a ele.

Existem várias dicas na internet sobre destinos indicados para o público infantil, como planejar uma viagem segura ou qual a melhor maneira de calcular os custos de uma viagem com as crianças. Assim, resolvi centrar as cinco dicas a seguir em alguns aspectos mais subjetivos, porém empíricos, que eu e minha esposa Juliana aprendemos ao longo de passeios curtos ou em viagens mais longas com o Cisco.

Respeite o tempo (e a rotina) da criança

Parece simples, mas é uma dica de ouro. Se seu filho tem hora para acordar, dormir ou comer, desrespeitar esses fatores em nome da pressa de chegar ou de uma folga na rotina tende a gerar mais problemas do que descanso. Crianças cansadas ou estressadas não se divertem e, claro, demandam ainda mais energia de quem os cerca. Se você seguir esse caminho, vai precisar tirar férias das férias.

Para evitar contratempos, planeje os afazeres de acordo com o tempo das crianças. Comece os passeios logo que seu filho acordar, nos horários em que ele está com mais energia, e encerre antes que a agitação pré-sono tome conta. Se for preciso mudar ou atrasar o cronograma para que ele possa fazer uma soneca, esticar as pernas ou ficar mais tempo em um lugar que gostou, tudo bem. Planos existem, mas podem ser alterados. Quando estivemos em Pernambuco, ficamos um dia a mais na praia de Carneiros por solicitação dele.

Prepare um kit de livros, brinquedos e brincadeiras

Não temos o hábito de dar acesso a telas, como smartphones e tablets, ao Francisco. Assim, uma saída sempre útil para tornar restaurantes, viagens de carro e outras atividades longas mais interessantes é ter brinquedos e livros à mão. Procuramos sempre ter algum carrinho ou coisa que o valha na minha mochila ou na bolsa de minha esposa. Perdi a conta de quantas vezes que improvisar uma pista de corrida ou outra brincadeira tornou nossa estadia em almoços e jantares mais duradouras.

Quando chega a hora de dormir, ter um bom conjunto de livros na mala ajuda bastante.

Faça um calendário

Dependendo da idade do seu filho ou filha, conceitos como hoje, amanhã ou duas semanas são bem abstratos. Para que a criança entenda quando a viagem começou, quanto tempo ainda resta ou quando é que vocês vão voltar para a vida normal, preencher os dias viajados em uma folhinha impressa ajuda bem. A mesma lógica serve para quando só um dos pais ou responsáveis vai viajar e a criança terá de ficar esperando. “Vamos colocar um adesivo aqui, que é o dia em que o papai viajou. Vamos colar mais um por dia até ele voltar e pronto! Os 15 dias vão passar rapidinho”.

Leve mapas digitais ou físicos

Para as crianças mais curiosas, as viagens são um bom momento para conhecer melhor o país onde vivem (ou o nosso planeta como um todo). Quando comprei um Atlas durante uma viagem com o Cisco, ele ficava interessadíssimo em saber de onde nós viemos e para onde iríamos no dia seguinte. Foi durante uma viagem ao Rio Grande do Norte que ele começou a entender as dimensões continentais que o Brasil tem.

Promova a interação com crianças locais

Além de se informar sobre pontos turísticos ou horários de atrações de um destino, procure saber também que lugares as famílias que moram nesse lugar frequentam e quais são os hábitos das crianças que vivem ali. Nunca se sabe quando uma atividade tão prosaica quanto uma ida ao parquinho poderá ser útil.

Em uma de nossas últimas viagens, fez muita diferença para o Cisco ter a chance de brincar com o filho de um amigo na casa deles mesmo, como se estivesse visitando um amiguinho da escola. Pode não ser um grande programa para os adultos que estão longe de casa, mas é mais do que suficiente para brilhar o olho da maior parte das crianças.

viagem com crianças

Sempre procuramos experimentar sabores e texturas de frutas ou outros alimentos da região que visitamos

***

Agora que as dicas foram dadas, tenho duas perguntas.

Primeiro eu gostaria de saber de você, que também tem filhos, filhas, sobrinhas ou afilhados: quais são as dicas que você aprendeu na prática ao viajar com as crianças por aí?

Por fim, gostaria de dizer que esse é o primeiro post do 360meridianos que trata de viagens sob a ótica de quem tem filhos. Acham que faz sentido mais conteúdos sobre esse tema aparecerem por aqui?

Avalie este post

Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Ismael dos Anjos

Ismael dos Anjos é mineiro, jornalista e fotógrafo. Acredita que uma boa história, não importa o formato escolhido, tem o poder de fomentar diálogos, humanizar, provocar empatia, educar, inspirar e fazer das pessoas protagonistas de suas próprias narrativas.

  • 360 nas redes
  • Instagram

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

15 comentários sobre o texto “5 dicas não tão básicas para aproveitar uma viagem com crianças

  1. Bacana Ismael !
    Dicas excelentes!
    Sim, o compartilhamento de experiências com crianças ajuda muito. Dicas sobre situações em que o casal tem mais de um filho ou em que pets participam da viagem também são bem vindas!
    Seu post me fez pensar em outras possibilidades: viagens com idosos ou pessoas que têm alguma deficiência.

  2. Amei! Costumo seguir essas dicas! Viajei 3 vezes com meu filho que hoje tem 3 anos. A única que nunca fiz e adorei foi a do calendário. Até então eu só avisava a ele a cada dia o que faríamos e o que seria no dia seguinte porque antecipar as coisas sempre garantiu um melhor comportamento.

    Outra dica que acho de Ouro é sempre carregar uma fruta e um biscoito mais saudável pra hora da fome ou quando precisar esperar pelo restaurante. Acho bem legal também dar importância a coisas pequenas no lugares, que os adultos nem notariam: colocar a mão numa fonte de bebedouro, cheirar um alimento ou flor, perseguir pombinhos, olhar os bois da estrada, imitar as expressões das estátuas, etc. Meu filho ama esse tipo de detalhe! Assim como é importante pra ele em algum momento do dia soltar a mão dele e deixá-lo correr um pouco.

    1. Essa dica do calendário foi essencial por aqui! Talvez escreva sobre ela com mais detalhes e exemplos no futuro. E que bom lembrete esse das pequenas coisas, Talita! A gente cresce e esquece, mas as experiências marcantes de uma viagem podem estar escondidas em coisinhas pequenas como essas.

      Obrigado pelo comentário

  3. Adorei as dicas e gostaria sim de mais posts sobre viagens com crianças.
    Meu filho tem 4 anos e a nossa primeira viagem com ele foi as 9 meses e fazemos pelo menos duas viagens ao ano e ele adora, mas respeitar o ritmo e o relógio biológico dele é fundamental para o sucesso da empreitada.
    Agora em Junho faremos nossa primeira viagem internacional com ele, iremos para Portugal, 13 dias e faremos o voos denida e volta noturno para que ele possa dormir durante a viagem, alugaremos um carro para cruzar o pais, iremos do Porto ao Algarve, e toda nossa programação de deslocamento e passeios vai se iniciar depois das 8:30.
    Outra dica é ter um carrinho de passeio leve e dobrável para as saídas noturnas, porque ele dorme cedo e se estivermos jantando em um restaurante não precisamos ficar com ele nos bracos.
    Há e conheci o blog justamente por causa das minhas pesquisas sobre Portugal.

    1. Fico feliz em saber que gostaria de mais posts, Flaviana. Vou levar em conta :). Gostei do plano de viagem de vocês levar o pequeno em conta desde o princípio. Também já alugamos um carro em viagens pra poder levar nosso filho com mais conforto.

      Essa do carrinho dobrável é uma dica excelente também. O nosso era muito pesado e gerava alguns complicadores por isso.

  4. Adorei as dicas! A do calendário é sensacional! Tenho um filho de 5 anos e fiz apenas pequenas viagens com ele aqui no Brasil. Em junho vou viajar sozinha com ele para a Bélgica para ele reencontrar um amigo da creche e iremos sozinhos pra Roterdã na Holanda, e tá difícil situá-lo quanto ao tempo e a distância que percorreremos.
    Uma dica que daria pra viagem com criança é sobre a comida: levar sempre uma marmita de comida familiar saudável. Caçar comida também toma tempo e tira o humor todinho da criança.

  5. Adorei as dicas, Ismael. Não tenho filhos mas super me interesso pelo assunto. Tive a chance de viajar com meu primo, com um ano e meio na época, e foi muito legal. Como ele estava na fase de aprender a andar e a socializar colocamos parquinhos, gramados e parques no roteiro. Foi muito legal ver o pequeno brincando num carrossel pela primeira vez e o encanto dele com as fontes de água no parque. Nas horas em que ele estava mais sonolento ele ia pro sling e a gente aproveitava pra ir a museus e fazer mais coisas “de gente grande”. Os 4 adultos se divertiram tanto quando ele. 🙂

    1. Obrigado pelo comentário, Marina. Quanto tempo! Ótimo esse seu relato. A paciência de primas, tias e outros adultos que viajam juntos é fundamental para que a viagem funcione para todo mundo. Se alguém não entende que crianças têm outro ritmo, a coisa complica…

  6. Faz muito sentido sim esse tipo de conteúdo, sou leitora do blog há muito tempo. E tenho em casa um bebê de 1 ano e 9 meses. Já viajamos bastante com ela e uma preocupação que tenho ao montar roteiro é dedicar alguns passeios ás necessidades dela, e não só preencher todos os dias de viajem com programas para nós pais. O principal é entender, antes de sair de casa, que a criança tem outro ritmo e outros interesses. Com isso em mente ninguém se frustra e aproveitamos muito;)

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.