Sete moedas da Europa que foram aposentadas por causa do euro

O dia 27 de janeiro de 2002 foi agitado em Amsterdam – e olha que era um domingo. É que bastou que os relógios marcassem meia-noite para que o florim neerlandês, moeda usada há mais de 300 anos, saísse de circulação. Os Países Baixos foram os primeiros a trocarem definitivamente sua velha moeda pelo euro, algo que se repetiu em diversos países da Europa naquele ano. O marco alemão, a lira italiana e o franco francês: todos foram aposentados no começo de 2002.

O Reino Unido resolveu manter sua moeda, a Libra, mesmo entrando para a União Europeia, enquanto outros, como a Suíça, optaram por ficar de fora do acordo, o que fez com que o franco suíço também permanecesse vivo. O fato é que para o viajante a coisa ficou bem mais simples – nem consigo imaginar como era fazer um mochilão de 20 dias pela Europa, daqueles que envolvem sete países (e, no caso, também sete moedas).

Conheça abaixo algumas das moedas que se aposentaram no comecinho do século 21.

Marco alemão

O marco alemão era uma das moedas mais jovens da Europa quando o euro surgiu. Ele foi criado em 1948, após a Segunda Guerra e quando a Alemanha estava ocupada por tropas aliadas. Com a Queda do Muro de Berlim, em 1989, o marco passou a ser a moeda da Alemanha Unificada. Acabou se tornando um símbolo da recuperação do país.

Saiu de circulação em fevereiro de 2002, mas marcos podem ser trocados por euros indefinidamente – nesse ponto houve um diferencial em relação aos outros países, que estabeleceram uma data limite para que suas moedas fossem trocadas por euros. Isso gerou uma situação interessante: em 2012, 10 anos depois da adoção do euro, 13 bilhões de marcos ainda não tinham sido trocados, o equivalente a quase sete bilhões de euros. Segundo uma reportagem da The Week, naquele ano a C&A, sim, a loja de roupas, vendeu 150.000 por mês em marcos.

Imagina a felicidade de quem acha notas de marco guardadas em gavetas e caixas antigas – e que resolve fazer umas comprinhas com essa riqueza inesperada.

marco alemão

Franco francês

A história do franco começa no século 14, passa pela Revolução Francesa e chega no século 20. A moeda teve mudanças nesse meio tempo, claro – após a Segunda Guerra foi introduzido o Novo Franco, por conta da inflação. Mas, mesmo assim, as pessoas nunca deixaram de se referir a moeda francesa pelo seu nome de origem.

O Franco era tão tradicional que inspirou outras moedas europeias, como o franco belga e o suíço, que existe até hoje. Foi aposentado em janeiro de 2002 e saiu completamente de circulação em fevereiro, um mês após o florim.

franco frances

Florim Neerlandês

Por falar nele, o nome em português e o símbolo (ƒ) vêm da antiga moeda de Florença, na Itália. No idioma local a moeda era chamada de guilder, ou gulden, uma expressão que significa algo próximo de “ouro”.

O florim neerlandês (ou guilder, se você preferir) circulou do século 19 até 2002, embora em alguns outros momentos a moeda também tenha sido trocada. Isso aconteceu entre 1810 e 1814, quando os Países Baixos foram conquistados pela França e a moeda daquele país circulou por lá. E também durante a ocupação alemã, na Segunda Guerra.

moeda holanda

Dracma Grega

Embora não tenha sido a moeda corrente de forma continua em todo esse período, a dracma está na história da Grécia há pelo menos três mil anos. Com as conquistas de Alexandre, o Grande, a dracma cruzou fronteiras e a palavra passou a designar a moeda em lugares recém conquistados, como o Egito e partes do antigo Império Persa.

Nos tempos modernos, a dracma ressurgiu em 1832, junto com o estabelecimento da Grécia atual, que naquela época se tornou independente do Império Otomano. Também saiu de circulação em 2002, dando lugar ao euro.

dracma grega

Lira italiana

Moeda italiana a partir de 1861, a Lira substituiu as várias moedas da península itálica que existiam antes da unificação do país, como o escudo papal e o florim, o de Florença mesmo – não a versão holandesa. A expressão “Lira” vem do latim e faz referência ao peso de uma determinada quantidade de prata usada para confeccionar a moeda. Não é muito diferente do que ocorreu com as muitas versões do peso e também com a libra, todas moedas que tiveram seus nomes baseados em unidades de peso.

A lira saiu de circulação no mesmo período que as moedas citadas anteriormente, mas pôde ser trocada por euros até 2011. Meses após o fim do prazo, uma mulher achou uma grande quantidade de liras escondida num compartimento secreto de um móvel usado e que ela comprou online. Segundo estimativas, o equivalente a 1.3 bilhão de euros em liras nunca foi trocado – e podem estar enchendo gavetas esquecidas até hoje.

lira italiana

Peseta espanhola

A peseta foi a moeda da Espanha a partir de 1869, substituindo o escudo espanhol, uma história que se encerrou somente no século 21, com o euro.

O termo vem do catalão e nasceu um pouco antes da própria moeda, em 1808. Foi nesse ano que as primeiras pesetas foram feitas, em Barcelona. A palavra peseta vem do catalão (peceta) e significa algo como “pedaço” ou “fração”. Outra versão diz que peseta é simplesmente o diminutivo de peso.

Pesetas poderão ser convertidas em euros até 2020. Em 2011, quando o euro completou 10 anos, o Banco Central da Espanha estimava que o equivalente a 1.7 bilhão de euros em pesetas ainda estavam por aí, provavelmente perdidos dentro de sofás velhos ou gavetas esquecidas. Boa parte desse dinheiro nunca será trocada.

pesetas da espanha

Escudo português

O escudo nasceu no século 18, passou um tempo de férias e voltou a ser a moeda de Portugal em 1911, com a proclamação da república. Foi nesse ano que o escudo substituiu outra moeda portuguesa tradicionalíssima: o real (quem aí se lembra da expressão conto de réis?). O escudo, mesmo que popularmente ainda fosse chamado aqui e ali de real, foi a moeda de Portugal até a chegada do euro.

Também foi a designação da moeda em vários países colonizados por portugueses, como Angola, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde, onde o escudo cabo-verdiano ainda circula.

escudo português

Clube Grandes Viajantes

Olá, somos a Luíza Antunes, o Rafael Sette Câmara e a Natália Becattini. Há 10 anos fazemos o 360meridianos, um blog que nasceu da nossa vontade de conhecer outras terras, outros povos, outras formas de ver o mundo. Mas nós começamos a sonhar com a estrada ainda crianças e sem sair de casa, por meio de livros sobre lugares fantásticos. A gente acredita que algumas das histórias mais incríveis do mundo são sobre viagens: a Ilíada, de Homero, Dom Quixote, de Cervantes; Harry Potter, Senhor dos Anéis e Guerra dos Tronos. Todo bom livro é uma viagem no tempo e no espaço. E foi por isso que nasceu o Grandes Viajantes: o clube literário do 360meridianos. Uma comunidade feita para você que ama ler, escrever e viajar.

Somos especialistas em achar livros raros, já esquecidos pelo tempo. Fazemos a curadoria de crônicas, contos e histórias de escritores e escritoras incríveis, que atualizamos numa edição moderna e bonita. A cada mês você receberá em seu e-mail uma nova aventura sempre no formato de livro digital, que são super práticos, para você ler onde, quando e como quiser.

Além do livro raro e do bônus exclusivo, recompensas que todos os nossos associados recebem, oferecemos duas experiências diferentes à sua escolha:

1) Para quem quer se aprofundar nas histórias e conhecer pessoas com interesses parecidos;< br/>
2) Para quem, além de ler, também quer escrever seus relatos.

Conheça cada uma das categorias e escolha a que combina melhor com você. Venha fazer parte do Clube Grandes Viajantes.

recompensas clube recompensas clube


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Rafael

Siga minhas viagens também no perfil @rafael7camara no Instagram - Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014, voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2 comentários sobre o texto “Sete moedas da Europa que foram aposentadas por causa do euro

  1. Superinteressante essa matéria sobre as moedas que foram substituídas pelo Euro. Acredito que a sua moeda seja um símbolo cultural desses países, mas eles abriram mão por algo maior que representou uma nova perspectiva econômica.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.