fbpx
Tags:

Quem tem medo de viajar?

Todo mundo tem medo. Muitas vezes, pequenos e grandes medos diários, que passam frequentemente pelas nossas cabeças, sejam eles notados ou não. Você pode ter medo de ser demitido, de ser assaltado ou daquela coceirinha ser na realidade um câncer. Você pode temer que algo ruim aconteça com alguém que você ama ou sentir medo de fracassar na vida.

E tudo isso é normal, faz parte da vida e ajudou a humanidade a chegar até aqui. Se você não tivesse medo, o que seria responsável por aquele instinto salvador de vidas na hora certa, tipo quando um carro desgovernado se aproxima de um ponto de ônibus lotado? No entanto, se ter um pouco de medo é fundamental para a sobrevivência, ter muito medo, daquele tipo paralisante, pode ser limitador e, veja só, até mesmo perigoso.

hodofobia, medo de viajar

Quem garante isso é o professor alemão e especialista em risco Gerd Gigerenzer. Em uma matéria para o The Guardian, ele analisou a mudança de comportamento de norte-americanos nos 12 meses após o 11 de setembro. E constatou: o medo matou milhares de americanos, um numero tão expressivo quanto o de mortos por conta do ataque terrorista em si. Em 2001, as empresas aéreas americanas registraram uma queda de 20% no fluxo de passageiros após os ataques. Gente que, com medo de voar, optou por viajar de carro.

Segundo ele, a consequência foi que cerca de 1500 americanos acabaram morrendo em acidentes de carro somente por causa dessa mudança de comportamento. Ou seja, gente que poderia estar viva até hoje se não tivesse temido viajar de avião.

O medo de viajar

Muita gente tem medo de avião. O texto que escrevemos sobre o assunto, há quase três anos, atrai perguntas de leitores preocupados com o próximo voo. E se não é todo mundo que tem fobia de viajar, muitos passageiros, até mesmo os mais experientes, têm alguma tensão durante o processo de deixar o solo.

Voo da Gol para Santiago

Eu poderia citar dados do mesmo pesquisador alemão ou de outras fontes para mostrar que sim, viajar de avião é muito seguro, ainda mais se comparado com  fazer uma longa viagem de carro. Mas o ponto deste texto é outro: a ideia aqui é falar de quem tem medo de viajar. Não importa se é de avião, de carro ou de barco. Não importa se essa pessoa sequer tem medo do meio de transporte escolhido, mas da ideia de viajar em si, de deixar sua casa, seus amigos e familiares, sair da rotina e passar alguns dias explorando o novo.

Eu tenho até um caso na família. A mulher do meu pai (oi, Rosinha 🙂 ) morre de medo de cair na estrada. A ponto de não encarar nem viagem para Guarapari ou Ouro Preto, cidade histórica que fica a pouco mais de uma hora de Belo Horizonte. Foi Ouro Preto, inclusive, que causou esse medo, após uma viagem traumática realizada anos atrás. “Cheguei lá, fiquei algumas horas e dei um jeito de voltar imediatamente”, ela costuma contar, para logo depois dizer: “Você, hein, Rafa, vive voando. Corajoso.”

Também já tivemos leitores do blog que comentaram coisas parecidas – gente que tem pavor de fazer as malas e viajar, mas por um motivo ou outro precisa fazer isso ou pretende superar o medo. Essas pessoas existem, não são tão poucas assim e esse medo, quando exagerado, tem até nome: hodofobia.

Ansiedade

Segundo a pesquisadora norte-americana Eileen Bailey, a hodofobia tem sintomas físicos. Quando precisam viajar, as pessoas que sofrem desse distúrbio de ansiedade podem apresentar suor excessivo, problemas estomacais, diarreia, dor de cabeça, dificuldade de respirar e ataques de pânico.

Ela explica: “O medo que você sente pode te deixar confuso ou assustado quando tiver que entrar nas filas dos aeroportos, descobrir qual trem você precisa pegar ou estiver despachando as malas. Você pode ter dificuldades para fazer o check in no hotel ou para ler um mapa. Você pode ficar preocupado com a possibilidade de se perder num lugar que não conhece ou com de perder o controle durante a viagem. Como muitas fobias, a hodofobia pode ter sintomas diferentes em pessoas diferentes”.

E ela completa o raciocínio: “Muitas das pessoas que sofrem com a hodofobia passaram por algum evento traumático durante uma viagem, provavelmente enquanto elas ainda eram jovens”.

Sala de Aeroporto

Mas então, qual a solução? Se ter medo nunca é errado ou culpa de alguém, afinal cada pessoa tem seus próprios medos, superar o problema também não é impossível. A especialista dá algumas dicas, mas lembra que procurar ajuda profissional é sempre a melhor saída.

Planeje-se  – Se planejamento já é a chave para qualquer viagem, pessoas que têm medo de viajar devem ser mais cuidadosas. Saber exatamente como será sua viagem – e perceber que as coisas estão no seu comando – pode ajudar a controlar o medo.

Viaje devagar –  Não faça roteiros apertados e não transforme a viagem numa maratona. Dê tempo ao tempo, inclusive para você relaxar. Isso também pode ajudar caso as coisas não saiam como esperado, tipo quando um voo atrasa.

Durma bem – A falta de sono aumenta a ansiedade e o nervosismo.

Beba bastante líquido – Segundo a pesquisadora, a desidratação também aumenta os níveis de ansiedade.

Coma bem e nos horários corretos – Um viajante com fome é um viajante mais nervoso, tenha ele hodofobia ou não.

Evite bebidas alcoólicas e drogas –  Não caia na tentação de beber algo para se acalmar. Isso pode piorar a situação e aumentar a ansiedade.

Viaje com alguém que você confia – Se você tem um medo irracional de viajar, evite (a princípio) ir sozinho. E procure como companhia alguém que você confia e ama.

Mas e os medos menores?

Muita gente não tem medo de viajar. Já está até acostumada a cair na estrada, mas teme viajar de uma forma diferente, fazer algo que nunca fez. Pode ser o medo de viajar sozinho ou de ir para lugares diferentes.

Por exemplo, toda vez que falamos de viagens por longos períodos – e para lugares exóticos, seja lá o que esse adjetivo quer dizer – sempre aparece alguém para perguntar: Mas e a segurança? Não é perigoso?

Veja também: O que significa ser exótico?

elefantes

Viver é um risco, como já contamos num texto sobre esse assunto. É impossível evitar completamente os riscos, mas dá para controlar a ansiedade e encarar novas aventuras. Na maioria das vezes, quem tem esses receios não sofre de uma fobia ou um medo paralisante, mas tem apenas aquele tipo de medo que teima em deixar que a gente saia da nossa zona de conforto.

Brasileiros, que começaram a viajar mais nos últimos anos, já não sentem tanto medo de se aventurar pelos Estados Unidos e pela Europa. Já não tememos tanto os problemas de comunicação e as dificuldades que possam surgir em viagens por parte do mundo, mas muitos de nós ainda morrem de medo ao pensar em viagens por lugares como Camboja, Laos, Vietnã, Haiti, Índia, Indonésia, Irã e quase toda a África.

medo de viajar

É isso. Se eu der mais um passo, será o mais distante de casa que já estive.

Nesses casos, o problema parece ser falta de informação. É que muitas vezes nos prendemos às histórias únicas que chegam sobre esses lugares, geralmente discursos de pobreza, violência e instabilidade política. Mas tá aqui uma coisa que aprendemos logo que começamos a viajar (e que viajantes de países onde cair na estrada é comum há décadas já sabem): no geral, o mundo é um lugar seguro. Com um pouco de informação e tomando os cuidados necessários, os riscos que corremos, no Brasil, na Europa, na África ou na Ásia, são semelhantes.

*Imagens: 360meridianos e Pixabay (em Creative Commons)

Clube Grandes Viajantes

Assine uma newsletter exclusiva e que te leva numa viagem pelo mundo.
É a Grandes Viajantes! Você receberá na sua caixa de email uma série de textos únicos sobre turismo, enviados todo mês.
São reportagens aprofundadas, contos, crônicas e outros textos sobre lugares incríveis. Aquele tipo de conteúdo que você só encontra no 360 – e que agora estará disponível apenas para nossos assinantes.
Quer viajar com a gente? Então entre pro clube!

Avalie este post

Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Rafael

Siga minhas viagens também no perfil @rafael7camara no Instagram - Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014, voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

42 comentários sobre o texto “Quem tem medo de viajar?

  1. Texto muito bacana, nunca tinha ouvido falar sobre essa fobia. Quando viajei sozinha pra fazer intercâmbio do outro lado do mundo, eu sentia tanto, mas tanto medo durante o voo que a única coisa que eu pensava era: Assim que chegar lá vou comprar uma passagem de volta! No desembarque fui comprar um chip pra avisar a minha família que tinha chego e percebi que estava vencendo os desafios, eram pequenos mas a cada um eu me sentia um pouco mais segura, o que me levava aos próximos. Sempre me lembrava de uma frase mais ou menos assim: A felicidade está do outro lado do medo! E de fato, cada medo que eu enfrentava sentia uma alegria e prazer tão grandes que isso se firmou em minha mente, foi libertador! Sei que não se compara com os relatos de trauma expostos aqui, mas não desistam, se desafiem, enfrentem seus medos, garanto que será imensamente recompensador.
    Rafael, sua sensibilidade em responder cada comentário é incrível. Parabéns!

    1. Que beleza de comentário, Ausi. É isso aí, vencer os medos tem um gostinho especial!

      Obrigado pela participação.

      Abraço.

  2. Olá. Infelizmente tenho este problema com viagens. Ele é agravado pois minha esposa aumenta ainda mais ele. A 4 anos atrás num pico de stress ( overburn) de trabalho tive um ataque de pânico num hotel sozinho a mais de 3000 km de casa. Já estava morando no hotel a mais de 30 dias e respirava trabalho….toda vez agora que tento viajar trava…
    Qual sugestão há para tratamento?? Terapia normal com psicólogos ou existem especialistas no assunto??

    1. Oi, Marco. Que coisa!

      Olha, apesar do texto, não sou especialista no assunto, só um jornalista e alguém que também tem muito medo de viajar. Por mais que eu faça isso profissionalmente e de forma frequente, pra mim é sempre uma dificuldade enorme sair de casa.

      Então a recomendação é que você parta de uma terapia normal. Se o profissional achar adequado, ele encaminha para um especialista.

      Abraço!

    1. Oi, Nilda. Em casos assim o melhor é procurar um especialista e tratar disso na terapia. É o que eu faço para casos semelhantes. 🙂

      Ajuda muito.

      Abração.

  3. olá …eu fiz uma viagem bem traumática faz três anos . de lá para cá tenho enfrentado o medo e a melhor forma foi contar para profissionais e viajar sozinha tenho vencido mas ainda não é 100% justo eu que amava viajar …aprenda que Deus usa situações para nos fortalecer e o pânico você precisa enfrentar .

  4. Olá, irei em setembro pela primavera vez sozinha com minha filha de 9 anos. Será uma viagem aos EUA e minha cabeça já está a mil. Medo do avião, medo que me de algo lá e ela fique sozinha. Olha só porDeus esses meus pensamentos. Faço terapia e chegamos à conclusão de que estava não hora de encarar um ano viagem de avião só com ela. Tô com medo mas vou enfrentar

  5. Eu tenho uma viagem dia 26 de dezembro,vamos eu meu namorado e um casal amigo nosso, ficaremos 10 dias em JPA. Durante a compra das passagens eu estava muito animada contando os dias, mas agora eu estou com medo, so de pensar que vou viajar e ficar longe de casa e da minha familia, da minha mae, me da uma trizteza. Nos vamos pra um lugar lindo e mesmo assim nao consigo mais me sentir bem ao pensar nisso, o que eu faço ? Como tirar essa angustia de mim ?

    1. Oi, Amanda. Eu trabalho com viagens e estou fora de casa 10, 12 dias por mês e me faço a mesma pergunta há bastante tempo. Lido com essa angústia frequentemente e sei que não é fácil. Tente se concentrar nas coisas boas que estão por vir. E lembre-se que 10 dias passam rápido, já já você estará em casa de novo. E tudo seguirá normalmente. 🙂

      Abraço e boa viagem.

  6. Eu sofro de síndrome do pânico há anos mas conseguia controlar meus medos pq sentia plena segurança no meu esposo. Agora estamos nos separando e eu conheci outra pessoa. Fui convidada a ir de carro viajar pra cidade dele que fica ha 5hrs da minha cidade e sofro demais so de pensar em se afastar da minha cidade.Estou com muita vontade de ir passear e levar meu filho pra se divertir.. afinal nao são pessoas estranhas. Mas tenho um medo terrível de surtar no meio do caminho ou quando chegar la nao conseguir ficar em paz e dar trabalho pras pessoas. Pq eu simplesmente sinto q vou enlouquecer em uma crise de pânico. E o medo da crise voltar fica me rondando o tempo todo. Acham q devo enfrentar meus medos e ir? Obs:a pessoa q conheci está fazendo tudo pra me ajudar a superar esse problema. Será q nao tem perigo de eu ter um ataque e morrer no caminho por pânico ou estress elevado?

    1. Oi, Francyellen. Vou te falar o que me ajuda toda vez que passo por algo assim, já que eu não tenho medo de viajar, mas tenho várias outras fobias e entendo bem a sensação que você está descrevendo: terapia.

      Já pensou em fazer algumas sessões, só pra tentar superar isso, entender o que te faz ter tanto medo? Pode te ajudar, vai por mim. 🙂

      Qualquer medo, quando é do tipo que te impede de fazer algo que você quer muito, é um problema.

      Tô aqui torcendo por você.

      Abraço e boa sorte.

  7. Legal Rafa! Bom saber que além de claustrofobia, agorafobia e tantas outras fobias eu também tenho hodofobia, afinal justamente por causa da claustrofobia eu detestaria ficar preso em um tipo de fobia só hahaha.

    Em 2007, aos 17 anos, estive em um acidente de carro fatal e de lá para cá nunca mais viajei tranquilo.

    Em 2009 tive minha primeira crise de pânico moderna enquanto viajava, era uma viagem que eu não queria ter feito e isso ajudou, fui parar no posto de saúde achando que estava enfartando.

    Em 2010, quando subi num avião para atravessar o Brasil e fazer minha viagem mais longa, a cada turbulência eu agarrava a poltrona para evitar ser arremessado em caso de colisão (maldita sequela do acidente de trânsito!).

    Em 2013, minha síndrome do pânico começou dentro do trem e de lá para cá nunca mais entrei num trem (ou fiz qualquer outra coisa) sem pensar em morrer, hoje é mais cansativo (e por isso eu evito) ficar 40 minutos em um trem do que foi passar 6 horas em um avião.

    É interessante procurar ajuda para voltar a se locomover numa boa, mas nunca se deve esquecer que talvez a maior e mais importante viagem seja dentro de si – o autoconhecimento – e que se forçar a conhecer lugares simplesmente porque os outros estão conhecendo pode acabar sendo prejudicial para quem é muito ansioso e impressionável.

    “Eu tô sentado dentro de um cartão postal, olhando aqui de perto tudo é tão normal.”
    – Apanhador Só

    1. Seu comentário me fez pensar em bastante coisa. Muito obrigado por compartilhar essa história conosco!

      Inclusive, se quiser escrever sobre o assunto, as portas do 360 estão abertas ok?

      Abraço.

  8. Olá, nos últimos 10 anos minhas viagens sempre foram motivo de alegria. Uma vez sofri um acidente na estrada mas não me afetou; até o dia em que o ônibus em que estava bateu em um cegonheiro… Ninguém se machucou, porém o susto foi grande. Há dois meses, viajei com meu esposo, e o carro ficou quebrando varias vezes… tudo o que eu precisava era relaxar, mas foi terrivel. Agora tenho minha filha de 3 meses, e preciso pegar a estrada de volta, estou adiando o máximo, não sei o que fazer. É horrível essa sensação de que tudo vai dar errado de novo.

    1. Oi, Fran. Que história complicada! Mas tente focar na maioria das viagens, em que problemas assim não ocorreram.

      E boa viagem! 🙂

      Abraço.

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.