fbpx
Tags:

6 pequenas alegrias que fazem viajantes felizes

Sem dúvida, todo viajante sonha com aquele dia em que vai achar a promoção mais fantástica do mundo, que a companhia aérea vai te dar um upgrade para a classe executiva ou que o hotel vai te colocar num quarto melhor, sei lá, só porque foram com a sua cara de cansado. Mas essas são grandes alegrias e que não acontecem todo o tempo. Mas há aquelas pequenas alegrias que um turista de longa data sabe apreciar. Por exemplo, eu tive a ideia de escrever este post enquanto, sozinha e carregando minha pequena mala, me dei conta de algumas coisas simples que faziam minha vida muito mais fácil, e, consequentemente mais feliz.

Vamos a elas:

6. Porta de banheiro que abre para fora

Um dia talvez eu consiga entender por que os projetistas de banheiros em lugares que pessoas frequentam com malas – como aeroportos, rodoviárias e estações de trem – planejam portas que abrem para dentro da casinha. Talvez os leitores homens não tenham que conviver com essa dificuldade. Mas é quase impossível entrar na casinha, colocar a mala e fechar a porta. Depois, para sair, mais um novo contorcionismo e sufoco. Obrigada a quem tem o bom senso de fazer a porta abrir para fora e nos poupar da ginástica que é se organizar naquele espaço diminuto – e potencialmente sujo – com uma porta balançando na cara.

5. Acessibilidade

Olha, eu sei que acessibilidade não foi nem nunca vai ser criada para turistas. Mas vou te falar uma coisa: como meu coração se enche de alegria de ver um lugar acessível para idosos ou pessoas com deficiência. Primeiro porque eu sempre penso nos meus avós viajando e como é difícil para eles. Segundo porque eu penso em mim mesma carregando minha mala. Coisas simples, como uma calçada que tem rampa nos cruzamentos com a rua. Tão bobo, mas ajuda tanto.

E, claro, maravilhosas escadas rolantes ou elevadores em estações de metrô, apartamentos, hotéis. Todo mundo aqui sabe o desespero que é chegar num hostel europeu e se deparar com o maior lance de escadas para subir desta vida.

4. Coisas grátis

Sabe quando você vai no restaurante e a água é grátis? Não é uma pequena felicidade? Aí tem alguns países que aumentam essa felicidade em 50%, como a Espanha, que te dá comidinhas grátis para acompanhar a bebida. E países mais legais ainda, tipo a Grécia, onde sobremesa grátis não é nada incomum. Me faz colocar o destino eternamente na listinha daqueles de dentro do coração.

“Nós podemos dizer que é meu aniversário e ganhar coisas de graça?”

É de se sentir cliente VIP, sem nunca ter tido cartão platinum gold dark diamond plus…

3. Ficar sozinho na fileira do transporte

“Com licença. Eu acho que é melhor eu estar onde outras pessoas não estejam”

Você entra no avião ou no ônibus só pensando em quanto quer dormir. E então as portas se fecham, o transporte segue e não senta ninguém do seu lado. Gente, eu acho que essa é a minha maior alegria da vida e olha que eu nem sou introvertida. Mas só de saber que eu vou ter espaço para esticar as pernas, ficar numa posição mais confortável e não ter que pedir ou dar licença para ninguém sair… nossa, melhor pequena experiência de alegria.

2. Encontrar uma atração turística sem fila e/ou vazia

Na mesma vibe antissocial, é uma pequena alegria chegar numa atração em um horário misterioso que não há fila! Ou um local que está surpreendentemente vazio, sem gente, nem carros. Perfeito para tirar fotos. Só de saber que você não vai perder preciosos minutos esperando para entrar ou que não vai ter que disputar a tapas um espaço para ver as coisas – isso enche muito meu coraçãozinho de alegria.

1. Placas de informações bilíngues

“Eu gostaria de poder entender italiano”

Olha, ninguém no mundo tem obrigação de falar inglês, mas é isso, pessoal, essa foi definida como a língua internacional dos viajantes. Então, espera-se que lugares muito turísticos tenham o cuidado de ter placas de informação em lugares chave, como metrô, cardápios ou placas dos museus. Mas nem sempre é assim – até em Viena tem museu com informações só em alemão! Então, sim, minha maior pequena alegria é estar numa cidade turística que já entendeu que é impossível para visitantes aprenderem toda a língua local e tem informações em mais de um idioma.

E você, quais são suas pequenas alegrias?

Clube Grandes Viajantes

Assine uma newsletter exclusiva e que te leva numa viagem pelo mundo.
É a Grandes Viajantes! Você receberá na sua caixa de email uma série de textos únicos sobre turismo, enviados todo mês.
São reportagens aprofundadas, contos, crônicas e outros textos sobre lugares incríveis. Aquele tipo de conteúdo que você só encontra no 360 – e que agora estará disponível apenas para nossos assinantes.
Quer viajar com a gente? Então entre pro clube!

Avalie este post

Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 34 anos e atualmente moro na Inglaterra, quando não estou viajando. Já tive casa nos Estados Unidos, Índia, Portugal e Alemanha, e visitei mais de 45 países pelo mundo afora. Além de escrever, sempre invento um hobbie novo: aquarela, costura, yoga... Siga minhas viagens em @afluiza no Instagram.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

24 comentários sobre o texto “6 pequenas alegrias que fazem viajantes felizes

  1. Amo todas essas pequenas alegrias e acrescento uma: cama de baixo no beliche do hostel. Ah… tão bom!

    Mas essa da informação em inglês evita mini enfartos. Imagina estar num lugar e não saber nem se informar pra onde ir. Credo. Rsrs

    1. Cama de baixo no beliche é bem maravilhoso mesmo Bia! Exceto se o beliche de cima for ocupado por uma pessoa que ronca e/ou se mexe muito

  2. Quando viajamos com outra pessoa em quarto duplo e só tem a cama é de casal, pelo menos a roupa de cama para nos cobrir, poderia ser de solteiros…É horrível ficar sem a coberta ou ter que puxá-la da(o) companheira (o)…

  3. Pequena alegria é não parecer ter 65 anos! Eu era a mais velha do grupo, mas ninguém se ofereceu pra subir minhas malas em NENHUM metrô de Paris, Londres, Espanha… Minhas amigas e primas, todas com menos de 60 (!) foram ajudadas o tempo todo. kkkkkkkk Bom tem que ter uma vantagem…

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.