Tags:

O ser humano é viajante por natureza

87.14%. Essa é a porcentagem do mundo que, segundo uma aplicação do Facebook, me falta explorar. Eu olho para as partes coloridas. “Você já visitou 48 países ou estados”, a página me informa. Parece muito. Eu movo meus olhos para as partes em branco no mapa. Agora parece pouquíssimo perto de todas as viagens que ainda me falta fazer.

E me vem outra vez aquele familiar comichão. Aquela vontade de colocar a mochila nas costas e pisar do lado de fora de casa. Caminhar até o próximo destino, pegar carona, ir para o aeroporto e entrar no primeiro avião sem me preocupar para onde. Eu poderia estar agora mesmo em uma vila no Himalaia, em uma praia paradisíaca no pacífico ou entre tribos nômades da Mongólia e meu encantamento seria o mesmo. O que importa é explorar. Sempre.

Mesquita Azul de Istambul

Não estou sozinha. Embora o turismo como setor comercial seja uma atividade relativamente recente, não é de hoje que os seres humanos lidam com a urgência de moverem-se pela superfície terrestre. Como explicar que, tendo surgido na África, a espécie tenha se espalhado aos recantos mais remotos do globo? Arriscar a vida cruzando mares em embarcações primitivas para instalar-se em ilhas na Polinésia? Tentar ser o primeiro a completar uma rota onde tantos já sucumbiram antes?

As viagens são tão antigas quanto a humanidade. Das primeiras pessoas que desceram das árvores e começaram a descobrir o mundo sobre duas pernas aos conquistadores das grandes civilizações da antiguidades, de Heródoto a Marco Polo, a Colombo, ao mochileiro que compra uma passagem de volta ao mundo pela internet. A inquietação sempre esteve aí.

Todas as diferentes motivações que nos levaram a sair de onde estávamos nos diferentes momentos históricos – a sobrevivência, o poder, a conquista, a riqueza, o lazer – estão ancoradas na vontade de explorar, na viagem como forma de descobrimento e aventura. E essa parece ser quase uma obsessão humana. Faz parte da nossa identidade enquanto espécie.

Istambul para mulheres

Talvez a ciência explique. A curiosidade e a vontade de se aventurar está inscrita em nosso genoma. De acordo com uma reportagem da National Geographic, cientistas conseguiram identificar o gene do wanderlust. O DRD4-7R, presente em cerca de 20% da população, intervêm no controle de dopamina associado à inquietude e à curiosidade. Os estudos revelam que os portadores desse gene são mais propensos a riscos, a novas experiências, a mudanças e ao movimento.

Coincidência ou não, o gene parece ter influenciado na história das nossas culturas. A variante está mais presente entre membros de culturas migratórias, como os ameríndios e as civilizações indo-europeias, que em culturas estáveis, como a chinesa. Outro estudo diz que o DRD4-7R é mais frequente entre os descendentes de populações que percorreram distâncias mais longas ao sair da África.

Mas somos humanos. E parte do que nos faz humanos é que não somos apenas frutos de uma programação biológica. Certamente o DRD4-7R não age sozinho. Somos cultura, somos o meio em que vivemos, somos as experiências que colecionamos. Somos história. E entendemos que não estaremos aqui para sempre, por isso precisamos ver tantas coisas com nossos próprios olhos antes que a luz se apague. No meio do caminho, quem sabe encontrar algum significado em tudo isso – e a busca por significados já é, em si, tão humana.

viagem estrada

Como aves migratórias, somos animais viajantes. Somos exploradores naturais. E, se a superfície terrestre já está mais que conhecida e mapeada nos dias de hoje, seguimos buscando saber o que há para além das nossas próprias fronteiras, dentro e fora da gente.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Natália Becattini

Já chamei muito lugar de casa, mas é pra Belo Horizonte que eu sempre volto. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Além do 360, mantenho uma newsletter sobre o a vida, o universo e tudo mais, que eu chamo de Vírgulas Rebeldes. Vira e mexe eu também estou procrastinando lá no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

12 comentários sobre o texto “O ser humano é viajante por natureza

  1. Texto incrível! Maravilhoso!
    E devo confessar, imprimi e coloquei num envelope que só pretendo abri-lo daqui há alguns anos. louco? talvez…rsrsrs
    Às temo que com o passar do tempo o ardor de “viajar-viver” passe e já não ache ser tão importante explorar o mundo. Mas vou guardando algumas reservas, algumas palavras que possam ser úteis no futuro. Hoje li seu texto com carinho como a pessoa que sou hoje. Quem sabe mais tarde eu leia com novas perspectivas?
    É, essa wanderlust pega a gente e não larga memso, hein!!! kkkk

    Abraços a todos deste blog! Nem sempre comento, mas adoro os posts!

    1. hahah Thamires, não sei se é louco, mas fico muito feliz de ter um texto meu guardado nesse envelope! Eu acho que o desejo por explorar não acaba nunca. Pode ser substituido por outros prioridades, mas a semente vai estar sempre com a gente.

      Abraços!

  2. Adorei, Natália!!
    A volta de férias me traz sempre esse comichão… já contando os dias p/ próximo “pé na estrada”… é praticamente um vício rsrs é mto engraçado, eu vivo num dilema eterno, conhecer uma nova fronteira, uma nova cultura, uma nova paisagem ou viver uma nova experiência em um local já conhecido? Independentemente da resposta, a ânsia de viajar está sempre aí…

    O my Travel Map é mto interessante também, eu queria faz tempo por um mapa mundi na parede de casa e fazer exatamente isso, ir marcando onde já estive. Ótimo post!!!

  3. Muito Bom ! Estou gostando bastante deste blog, os conteúdos publicado aqui, é muito bom e interessante,
    estou sempre visitando e gostando muito.

    Parabéns !

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.