fbpx
Tags:

Sobre aprender a dizer sim e não

Eu estava lendo o blog da Adventurous Kate, uma das minhas blogueiras gringas favoritas, e ela fez um post recente sobre “Como eu escolho para onde vou na próxima viagem”. Me peguei pensando sobre isso. Se vocês ainda não leram, podem dar uma olhada num post que a Naty fez há tempo respondendo essa pergunta, com dicas para vocês escolherem o próximo destino.

Mas eu me peguei pensando no tema porque me dei conta que este ano, estranhamente, eu quase não escolhi ou planejei nenhuma viagem por minha conta. E assim como eu acho ótimo estar sempre aberta as possibilidades que surjam por aí, ando sentindo falta de organizar “a minha viagem”.

Não viajei pouco e nem posso reclamar dos lugares que conheci ou das boas companhias que tive, mas a verdade é que em 2016 estou me sentindo num barco meio sem rumo, de lá para cá, sem norte. Fiz passeios e viagens excelentes, mas com raras excessões, nenhum por decisão e planejamentos meus. Inclusive, a minha próxima viagem, para a Itália, com a minha mãe, foi 100% organizada por ela. Eu mal sei os nomes das cidades que vamos. Sim, eu sou uma blogueira sem vergonha!

A verdade é que é bem estranho se dar conta de que as suas decisões ao longo de mais de seis meses não foram exatamente suas. Não que um robô estivesse me controlando, mas às vezes a gente se pega fazendo o que os outros querem. Ou o que os nossos trabalhos pedem. Ou o que as pressões da vida nos levam a fazer. E, de repente, estamos 100% comprometidos com coisas que talvez nem sejam ruins, mas não eram necessariamente o que a gente queria.

Boa parte dos meus estados de agonia vêm quando eu olho para a minha agenda e ela está lotada de coisas que eu me comprometi com os outros. O problema é que além dos compromissos com trabalho e estudo, na hora de dizer sim para um pedido da sua mãe que você não vê há meses, da sua amiga que você tanto ama, do crush que faz um convite imperdível, é fácil. Mas nem sempre é o caminho mais saudável para você mesmo.

Sim, a vida adulta é feita de compromissos e questões que não temos escolha, muitas vezes. Ao mesmo tempo, tem hora que dizer não é necessário – e encontrar a medida disso é bem complicado. Porque na maioria dos casos, com o excesso de sim para os outros achamos que estamos agradando a nós mesmos também. Só que uma hora essa conta pesa e a gente surta. O grande balanço é aprender a dizer não, ou foda-se, para aqueles pequenos compromissos que parecem não tomar tempo, ou para aquelas pessoas que não importam tanto. Quantas vezes eu disse sim para quem não devia e depois isso me custou um não para quem não merecia?

Eu acho que é por isso que eu prego tanto que viajar sozinha(o) é tão bom. Porque naqueles dias de jornada solo, esses compromissos, pequenos ou grandes, somem. Todas as escolhas, naquela janela do tempo, são só suas. Isso não dura para sempre, mas te ajuda a lembrar que por mais que você não seja o centro do universo, valorizar mais como você distribui os “sins e nãos” ao longo da vida é um exercício de sanidade.

Crédito imagem destacada: Shutterstock

Clube Grandes Viajantes

Assine uma newsletter exclusiva e que te leva numa viagem pelo mundo.
É a Grandes Viajantes! Você receberá na sua caixa de email uma série de textos únicos sobre turismo, enviados todo mês.
São reportagens aprofundadas, contos, crônicas e outros textos sobre lugares incríveis. Aquele tipo de conteúdo que você só encontra no 360 – e que agora estará disponível apenas para nossos assinantes.
Quer viajar com a gente? Então entre pro clube!

Avalie este post

Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 34 anos e atualmente moro na Inglaterra, quando não estou viajando. Já tive casa nos Estados Unidos, Índia, Portugal e Alemanha, e visitei mais de 45 países pelo mundo afora. Além de escrever, sempre invento um hobbie novo: aquarela, costura, yoga... Siga minhas viagens em @afluiza no Instagram.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

16 comentários sobre o texto “Sobre aprender a dizer sim e não

  1. Sensacional seu texto, estou aqui lendo e relendo e me vendo nas minhas escolhas e nos meus “sins e nãos” que sempre me causam um vazio. Sinto falta de me colocar em primeiro lugar e escolher por mim mesmo e não por convenções. Bjoo não deixe nunca de escrever

  2. Quase chorei aqui.

    Boa parte dos meus estados de agonia vêm quando eu olho para a minha agenda e ela está lotada de coisas que eu me comprometi com os outros = minha vida.

  3. “Quantas vezes eu disse sim para quem não devia e depois isso me custou um não para quem não merecia?” Perfeito! A gente perde fácil o foco daquilo e daqueles que realmente importam. Estou na busca para administrar melhor meus “sim” e “não” também. Ótimo texto! Grande abraço!

  4. Vou imprimir esse seu texto para ler todo dia, quem sabe assim eu aprendo a dizer não para alguns e reduzir a sensação de que não estou fazendo nada para mim. E obrigada por mostrar eu preciso urgente de uma viagem sozinha para atender os anseios dessa pessoa tão importante, eu mesma! Bjs.

  5. Muito legal!
    Esse tipo de questionamento já teve um peso enorme na minha vida,hoje em dia estou sabendo moderar,auto conhecimento e muita reflexão ajuda muito nessa questão.
    Ontem assisti um filme brasileiro no cinema que aborda em partes esse assunto,se chama “Desculpe o transtorno”.

    Um abraço!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.