Parque Nacional Cahuita, na Costa Rica: recifes de corais e natureza no mar do Caribe

Parque Nacional Cahuita, na Costa Rica: recifes de corais e natureza no mar do Caribe

Um refúgio natural de recifes de corais, uma enormidade de espécies de plantas e animais nativos, ecossistemas marinhos e de praias intocadas com areia branca e a água morna do Caribe. O Parque Nacional Cahuita está localizado a 43 km de Limón, no sul da Costa Rica, e é um dos principais destinos litorâneos daqueles que buscam contato com a rica biodiversidade do país. Na língua indígena local, “Kawe” significa sangrillo – uma árvore muito comum na zona – e “Ta” é ponta. Dessa forma, Cahuita significa Ponta do Sangrillo.

O parque foi construído em uma área de 23.290 hectares mar a dentro e envolvendo 1.102 hectares de floresta tropical úmida. Por isso, reúne diversos tipos de habitats, para um grande número de espécies. Quem chega somente na entrada do parque pode se decepcionar com a água escura do mar por ali, mas essa é apenas uma zona pantanosa da reserva, que abriga quatro espécies diferentes de caranguejos.

Com alguns minutos de caminhada, o pântano dá lugar à água azul que todos sonham em encontrar no Caribe. Ali também há uma floresta mista que serve de casa para duas espécies de macacos, duas de bicho preguiça, guaxinins, coatis e nútrias, além de aves e cobras. Esse é um dos melhores lugares da América Central para observar a fauna nativa em seu habitat natural, sem tanta intervenção humana.

Parque Nacional Cahuita, Costa Rica

Como chegar ao Parque Nacional Cahuita

O Parque Nacional Cahuita possui duas entradas. A mais conhecida é a que fica dentro do município de Cahuita. Para entrar, é preciso apenas deixar uma contribuição voluntária (o valor sugerido é de cinco dólares, mas você pode doar quanto quiser. A verba vai para a preservação local e pesquisa), e o lugar tem estacionamento gratuito. A outra entrada é em Puerto Vargas, na qual a entrada tem o valor fixo de 10 dólares.

Parque Nacional Cahuita, Costa Rica

Há uma trilha de 7 km que liga uma entrada à outra. Mas é aí que está outra vantagem de entrar por Cahuita: nessa área, a trilha corre paralela ao mar até chegar à Punta Cahuita. Dali você pode voltar para a entrada ou seguir pela trilha por mais 2 km até Puerto Vargas, mas a trilha entra na floresta e já não é assim tão interessante, já que a maior parte do tempo você caminhará sobre pontes de madeira. Os melhores lugares para tomar banho de mar estão nos primeiros 2 km a partir de Cahuita, antes que a trilha cruze o rio Suárez. Se você for até Puerto Vargas, pode pegar um ônibus na parada em frente ao parque para voltar a Cahuita.

Parque Nacional Cahuita, Costa Rica

Na entrada, é possível contratar guias locais por a partir de 25 dólares por pessoa. Eles são especialistas em encontrar as espécies de plantas e animais que habitam o parque e levam lunetas para que seja mais fácil observar aves e bichos-preguiça no topo das árvores. Não é obrigatório, no entanto, contratar alguém para te acompanhar no caminho, já que o nível de dificuldade da trilha é bastante baixo, todo o percurso é muito bem sinalizado e você com certeza verá alguns animais mesmo indo só.

Atividades no Parque Nacional Cahuita

Além da trilha natural e do uso das praias, o Parque Nacional Cahuita oferece diversas atividades, como um percurso marinho para a prática de snorkeling e mergulho e observação de espécies marinhas. Se a diversidade na terra já impressiona, é no mar que a reserva guarda a maior parte de suas belezas. São 600 acres de recifes de coral, que, apesar dos esforços empregados na região, estão ameaçados pela poluição dos oceanos e já sofreram uma redução significativa nos últimos anos. São 35 espécies de corais encontradas dentro da área de proteção do parque, incluindo o coral-cérebro, exclusiva do Caribe, e os coloridos corais moles.

Parque Nacional Cahuita, Costa Rica

Extremamente venenosa, a cobra Oropel é uma das espécies nativas do Parque Nacional Cahuita. Sua cor amarela vibrante faz com que as presas a confundam com uma flor e se aproximem. Foto: Shutterstock

Caso você esteja interessado nessas atividades, vai precisar contratar um guia ou um tour com agência, já que é proibido percorrer o percurso marinho sem a companhia de uma pessoa autorizada. Também não é possível praticar esse tipo de esportes fora das áreas designadas. Há diversas agências na cidade que te levam em barco até a zona de mergulho.

O Parque também conta com quadras de futebol de areia e vôlei de praia.

Onde ficar no Parque Nacional Cahuita

O município de Cahuita é um pequeno povoado, desses bem hippies praieiros, que vive da atividade turística gerada pelo parque. Vale a pena se hospedar por ali se você pretende visitar o parque mais de uma vez, já que no centro de Cahuita mesmo não há praias próprias para banho. Dá para percorrer tudo em um dia, mas talvez você queira passar um tempo só curtindo sombra e água fresca de frente para o mar. Nesse caso, veja uma lista com as hospedagens em Cahuita, para todos os bolsos e estilos de viagem.

Eu me hospedei no Hakuna Matata Hostel, que fica do ladinho da estação principal de ônibus, o que me poupou de sair carregando a mochila por aí. A entrada do parque estava a uns quatro quarteirões. E o hostel ainda tinha piscina, cozinha e panquecas no café da manhã.

Se você pretende só conhecer o Parque Nacional em um dia, no entanto, recomendo que se hospede em Puerto Viejo, que é uma cidade maior e que tem melhores praias públicas no centro e está só a 40 minutos de Cahuita. Dá para pegar um ônibus pela manhã para Cahuita, visitar o parque e voltar para Puerto Viejo pela noite, tranquilamente. De Puerto Viejo também é mais fácil percorrer as atrações da região. Veja uma lista de hotéis e hostels em Puerto Viejo.

Já chamei de casa a Cidade do Cabo, Chandigarh, Buenos Aires e Barcelona, mas acabo sempre voltando pra minha querida BH. Gosto de literatura, cervejas, música e artigos de papelaria, mas minha grande paixão é contar histórias. Por isso, desde 2011 viajo o mundo e escrevo sobre o que vi. Também estou no blog sobre escrita criativa Oxford Comma e compartilho minhas impressões de mundo também no instagram @natybecattini e no twitter.

Deixe um comentário

RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem
ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagem

Parceiros: