As mil janelas e os milênios de história de Berat, Albânia

Entre a vibração de Tirana e as praias no sul da Albânia estava Berat. Essa é daquelas cidades que é difícil achar quem não goste: pequenininha, charmosa e histórica. Tem o título de “A cidade das mil janelas” e, junto com a vizinha Gjirokastra, é Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. O motivo é simples: o centro histórico de Berat coloca a cidade na lista das mais antigas continuamente habitadas do mundo.

O resultado é um conjunto de casinhas fofas na encosta de montanhas, cortadas pelo rio Osumit, e uma fortaleza bizantina no topo. O governo albanês considera Berat uma cidade-museu. As tais mil janelas representam muito bem a tradição de residências nos Bálcãs durante o período de dominação otomano, cujas janelas, todas voltadas para o lado do rio, representam uma busca por mais luz do sol ao longo do dia. Em Berat, essas casas eram habitadas por mercadores e artesãos.

Leia também: O que fazer em Tirana, a capital da Albânia

berat albania

São três os distritos históricos da cidade: Gorica, Mangalem e Kala. Basicamente, mais do qualquer ponto turístico, a atração de Berat é exatamente caminhar pela cidade-museu e apreciar as vielas, casas e vistas. Um dia de passeio é suficiente para ver tudo a pé, tranquilamente. Dá para ficar mais, se você gosta de passar mais tempo apreciando esse tipo de cidade fofinha e se quiser completar o passeio e ir até Gjirokastra.

O que fazer em Berat em um dia

O bairro de Mangalem, principal cartão-postal da cidade, fica abaixo do castelo e tradicionalmente é habitado pela população muçulmana. As casas tem dois andares, sendo o segundo o mais importante, com as belas janelas decoradas de madeira.

berat albania

berat albania

Já Gorica é o distrito que fica do outro lado do rio, habitado pela minoria cristã ortodoxa. Ali também existiu um castelo, do qual hoje só restam poucas ruínas. A ponte de Gorica é de pedra. Sua primeira versão, em madeira, foi construída em 1780. No séculos seguintes, foi sendo coberta de pedras para a preservação.

berat albania

berat albania

Por fim, Kala representa a área da fortaleza bizantina, do século 13, mas que é continuamente habitada desde o século 4 a.C. Para chegar no distrito de Kala e visitar a fortaleza e suas casinhas de pedra é necessário subir longos 1000 metros morro acima.

berat albania

berat albania

Se você, como eu, for no verão, aconselho a levar bastante água e esperar o final do dia, lá pras 18h, quando o calor abranda. Até porque, no fim das contas, vai dar para ver o pôr do sol lá de cima.

berat albania

O início da subida! Para piorar, as pedras são escorregadias para caramba

berat albania

Na parte nova de Berat, vale pena circular pelo Boulevard Republika, bem movimentado e com vários bares, restaurantes e cafés. Ali também fica uma praça com muitas árvores, tudo em frente ao rio e bastante agradável.

berat albania

berat albania

Existem dois museus na cidade, que ficam em Kala. Eu preferi não visitar. O “Onufri”, Museu Nacional de Ícones, trás uma coleção de desenhos em madeira que decoravam igrejas no período bizantino e fica dentro de uma igreja, a Catedral de Santa Maria. Já o Museu Etnográfico existe desde o século 18, mostra como era uma casa típica daquele período.

berat albania

Também existem diversas igrejas ortodoxas e mesquitas em Berat, no centro histórico e dentro da área fortificada do castelo. Algumas delas estão abertas para visitação e outras não. A mais antiga é a Igreja de Santa Maria Vlaherna, do século 13, e ainda tem alguns afrescos originais. Em Gorica, ficam o Monastério do Santo Spiridon e a Igreja Ortodoxa de São Tomas, ambos do século 18 e abertos ao público gratuitamente. Essa última foi a única igreja que eu entrei, tem algumas pinturas e afrescos bem conservados, mas o local foi destruído durante o regime comunista.

berat albania

Em Mangalem você encontra a Mesquita Bachelor, de 1827, cuja fachada é pintada com cenas da cidade. E a Igreja de São Michael, do século 13, que fica bem no topo de uma pedra, é linda, mas não fica aberta.

Onde ficar em Berat: dicas de hospedagem

Eu cheguei em Berat por volta das 10h da manhã, passei o dia, dormi lá e no dia seguinte segui para a região das praias na Albânia. Foi o suficiente para visitar a cidade e não foi nada corrido. Vale a pena dormir lá exatamente por isso: o transporte na Albânia é bastante confuso e a ideia de chegar e sair no mesmo dia é terrível. Além disso, vale a pena ficar uma noite ali se você for visitar Gjirokastra também.

Eu fiquei numa pousada bastante simpática, a Guesthouse Niko, na parte nova da cidade. Os donos albaneses mal falam uma palavra de inglês, mas são a simpatia em pessoa(s) e fazem um café da manhã muito farto. Aluguei um quarto duplo privado, com banheiro. Era simples, mas a casa é nova, o ar-condicionado era novo e bom (e muito necessário). Custou 20 euros.

Apesar de ter gostado da minha opção por conta da economia e praticidade, confesso que se voltasse a Berat ficaria hospedada em Mangalem ou Gorica. Acredito que é uma experiência bem mais interessante ficar ali, nos bairros históricos, em uma casa histórica. Tenha em mente, porém, que carros não circulam nas ruelas e você terá que subir com mala. Veja todas as opções de hospedagem nessa área

Aliás, a subida é o motivo pelo qual desaconselho completamente ficar na área do castelo. A não ser que você anime de pagar um táxi ou for muito fitness, vai ser um pesadelo ter que subir e descer aquele morro mais de uma vez.

berat albania

Como chegar em Berat e como se locomover por lá?

A melhor forma de se locomover em Berat é a pé, até porque dentro dos bairros históricos é proibida a circulação de veículos. Porém, a rodoviária fica fora dessa área central da cidade. Para chegar ou sair de lá, há duas opções: você pode pegar um ônibus, que custa 30 lekes (€0,20) e em cerca de 30 minutos chega no centro. Ou pode ir de táxi, essa opção custará uns 400 lekes (€3,00).

Da rodoviária de Berat, chegam e partem várias vans com diversos destinos dentro da Albânia. Ou seja, é fácil ir para a capital Tirana ou para as praias da riviera Albanesa. Também existem algumas opções de ônibus internacionais para cidades da Macedônia, Grécia, Kosovo e Montenegro.

Dica de restaurante em Berat, Albânia

berat albania

Seguinte, essa dica é mais um alerta: Berat decepciona no quesito comida. Pelo menos na minha experiência, a tarefa de sentar num lugar que parecia bonitinho revelou-se um pesadelo. As refeições que comi por lá eram claramente congeladas e esquentadas no micro-ondas. A dica, então, é lembrar de reservar um dos três restaurantes que tem boas avaliações no TripAdvisor.

Eu não sabia disso e na hora do almoço tentei ir ao Home-Made Food Lili, dizem que o melhor da cidade, com preços camaradas, mas eles já estavam com todas as mesas reservadas para o almoço e a janta! O mesmo aconteceu com Restaurant Mangalemi e o Antigoni. Enfim, se você não quiser ter decepções alimentares, convém tentar reservar.


Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

3 comentários sobre o texto “As mil janelas e os milênios de história de Berat, Albânia

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.