fbpx

Blub Berlim: explorando um spa abandonado

Busque a hashtag #urbex no Instagram e você vai encontrar um monte de fotos de lugares abandonados, ruínas e grafites. O termo é um diminuitivo para “Urban Exploration”, ou seja, exploração urbana. E envolve entrar (com autorização ou não) em prédios abandonados ou espaços proibidos de prédios ativos, como o telhado ou a sala das máquinas.

Eu nunca tinha feito nada parecido até ser convidada pelo pessoal do Fotostrasse, uns amigos aventureiros e que são exploradores por natureza. Quando estive em Berlim, em março, eles levaram um grupo de blogueiros para explorar um lugar “fácil” de entrar. Um spa abandonado na região de Neukölln, o Blub Berlim.

Infelizmente, um incêndio destruiu o Blub em 2016.

Blub Berlim spa abandonado

Blub é o diminutivo para “Berlin air and bathing paradise”. O parque aquático e spa foi construído em 1985 e era um sucesso, até ser invadido por ratos, provavelmente vindos do canal que fica ao lado. Sofrendo com os problemas de aumento de roedores e queda de clientes, o Blub foi oficialmente fechado em 2005.

Blub Berlim

Hoje, o lugar é um paraíso para “Exploradores Urbanos”, porque é relativamente fácil de entrar, relativamente seguro, e rende muitas fotos dos grafites e contrastes dos espaços abandonados. Eu não sei se era a hora do dia, ou se nosso grupo era muito barulhento, mas não encontramos nenhum rato por lá durante a visita.

Blub abandonado Berlim

Blub Berlim parque aquatico

Segundo um artigo do The Guardian, as ruínas do Blub vão ser destruídas no final de 2015, porque um consórcio alemão comprou o espaço para construir apartamentos de luxo, que devem ficar prontos até 2020. Se você quiser tentar a sorte e checar se ainda dá para explorar o Blub enquanto ele existe, tenha em mente que podem haver seguranças rondando o local – ou quem sabe você vai se deparar com uma festa por lá.

Entrada Blub Berlim

A entrada nada secreta. Não vou dar o endereço por questões legais, mas quem quiser consegue achar no Google

Detalhes blub berlim

Avalie este post

Autor

  • Luiza Antunes

    Sou jornalista, tenho 34 anos e atualmente moro na Inglaterra, quando não estou viajando. Já tive casa nos Estados Unidos, Índia, Portugal e Alemanha, e visitei mais de 45 países pelo mundo afora. Além de escrever, sempre invento um hobbie novo: aquarela, costura, yoga... Siga minhas viagens em @afluiza no Instagram.


Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 34 anos e atualmente moro na Inglaterra, quando não estou viajando. Já tive casa nos Estados Unidos, Índia, Portugal e Alemanha, e visitei mais de 45 países pelo mundo afora. Além de escrever, sempre invento um hobbie novo: aquarela, costura, yoga... Siga minhas viagens em @afluiza no Instagram.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

5 comentários sobre o texto “Blub Berlim: explorando um spa abandonado

  1. Achei muito bacana, isto é arquitetura sendo literalmente apropriada.

    Me fez questionar sobre nosso espaço público brasileiro, já que presenciamos esse tipo de apropriação com utilização principalmente do grafite em espaços públicos, mas na verdade, em espaços considerados “abandonados”. Estariam todos os nossos espaços tão “abandonados” de modo a conduzir as pessoas à deteriora-los? O que em nosso convívio urbano é completamente normal?

    Embora, em minha perspectiva pessoal, o grafite seja uma expressão artística e objetiva. É também curioso que um espaço como este, que hoje está sendo visitado justamente pela intervenção artística, em alguns tempos atrás seria completamente ignorado e considerado “marginal”. Fico feliz que hoje enxergamos e valorizamos todas as expressões de forma mais ampla.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.