8 cidades próximas de BH para passear

Tem um monte de lugares legais ao redor de Belo Horizonte. De cidades históricas a parques e museus, com uma hora de estrada as opções já começam a aparecer. Ou até menos, já que em algumas dessas cidades próximas de BH dá para ir de ônibus urbano ou até de uber/cabify – junte alguns amigos e a corrida vai ficar baratinha.

Macacos

Uma rua principal repleta de bares, restaurantes com mesas cercadas por árvores, uma capelinha simpática e algumas cachoeiras. Essa é a combinação que faz de Macacos, distrito de Nova Lima, um dos destinos de bate-volta favoritos do belo-horizontino.

Macacos é o nome popular – o oficial é São Sebastião das Águas Claras. Chegar lá é fácil. Basta seguir pela BR-356, sentido Rio de Janeiro, e pegar a saída para São Sebastião das Águas Claras à direita, uns 10 minutinhos depois que você sair de BH. Macacos está a apenas 25 km da capital mineira.

Dá para ir de ônibus. A linha 3915 passa no centro de Belo Horizonte e a passagem custa R$ 6,10. Quem topar gastar mais também pode ir e voltar de Uber. A corrida a partir do centro de BH custa em torno de R$ 45. O esquema bate-volta é facílimo, mas não faltam pousadinhas para quem escolher passar a noite em Macacos. Veja aqui uma lista de opções.

Sabará

A cidade histórica mais próxima de BH: apenas 25 km separam a capital de Sabará. É tão perto que fica difícil explicar por que tantos belo-horizontinos não conhecem esse cantinho repleto de igrejas e casarões coloniais, com destaque para a lindíssima Igreja de Nossa Senhora do Ó, essa aí da foto abaixo.

Vários ônibus levam até a cidade, como as linhas 5502C ou as 4986, 4987 e 4988, todas com pontos no centro de Belo Horizonte. Também dá para ir e voltar de uber, o que custa cerca de R$ 40 o trecho. 

Sabará tem várias igrejas e casarões, bons restaurantes e dois festivais importantíssimos. O da Jabuticaba, que lota a cidade todo fim de ano, e o de ora-pro-nóbis, hortaliça usada em vários pratos da comida mineira. Quem preferir passar uma noite por lá acha aqui uma lista de pousadas na cidade.

roteiro cidades históricas mineiras

Inhotim

60 quilômetros separam BH de uma das maiores atrações turísticas do Brasil. Inhotim atrai cerca de 350 mil visitantes por ano – e o centro de arte contemporânea tem tanta coisa interessante que muita gente resolve montar uma base em Brumadinho, cidade onde está Inhotim, para poder dedicar dois dias ao museu.

Mas o bate-volta continua perfeitamente viável. Há duas formas de fazê-lo: você pode ir de ônibus, saindo da rodoviária, ou de van, saindo de um hotel na região da Savassi. As duas custam cerca de R$ 60 por pessoa, ida e volta. De carro fica bem mais econômico (e rápido).

A entrada em Inhotim custa R$ 40 e o estacionamento é de graça. O parque não abre às segundas-feiras.

Veja também: Instituto Inhotim, dicas para visitar o museu

Inhotim: como ir de ônibus, van ou carro

Inhotim, Minas Gerais

Congonhas

Outra cidade histórica que combina perfeitamente com um bate-volta. Congonhas está a apenas 80 km de Belo Horizonte, ou 1h20, com a Viação Sandra, que faz várias viagens diárias entre a capital dos mineiros e a dos profetas.

Por falar nisso, são os 12 profetas em pedra-sabão que fizeram a fama mundial do Santuário. Projetados por  Antônio Francisco Lisboa, mais conhecido como Aleijadinho, os profetas são as grandes estrelas do conjunto, declarado Patrimônio Mundial pela Unesco.

Veja também: Congonhas, a cidade dos profetas do Aleijadinho

Congonhas, MG

Ouro Preto

A primeira cidade desta lista em que uma viagem de bate-volta é um desperdício. O ideal é passar pelo menos uma noite em Ouro Preto, para aproveitar tudo que a região oferece. E quem ficar mais tempo não terá do que reclamar. Dito isso, se esse é o tempo que você tem, dá para conhecer a cidade em apenas um dia.  Não faltam restaurantes e bares por lá: o número só é menor que o de construções coloniais e, claro, ladeiras.

A Viação Pássaro Verde faz o trajeto BH – Ouro Preto. A viagem dura pouco mais de duas horas e custa R$ 30. Os ônibus saem de hora em hora, do Terminal Rodoviário de Belo Horizonte, no centro da cidade. A distância entre BH e Ouro Preto é de cerca de 100 km.

Veja também: Como planejar sua viagem para Ouro Preto, MG
O que fazer em Ouro Preto, Minas Gerais: pontos turísticos

ouro-preto-mg

Casa Branca e Serra da Moeda

Brumadinho ganhou fama nacional por conta de Inhotim, mas a cidade – especificamente o distrito de Casa Branca – já é conhecida do belo-horizontino há décadas. Prova disso é a grande quantidade de condomínios fechados e pousadinhas nessa região.

Pegue a BR-356, sentido Rio de Janeiro, e saia na entrada para o Retiro do Chalé. Pare no alto da Serra da Moeda, onde fica o Restaurante Topo do Mundo e uma pista de parapente. A vista dali é incrível e o pôr do sol, principalmente nos finais de semana, é concorridíssimo. Se quiser, reserve alguma pousadinha da região e aproveite para descansar na natureza.

topo do mundo bh

Parque Ecológico Vale Verde, em Betim

De vinícola em vinícola alguns países enchem pousadas de turistas – Chile e Argentina provam isso. Em BH, o turismo pode ser de cachaçarias. A Vale Verde fica a 45 km de Belo Horizonte, em Betim. Além de conhecer mais sobre o processo de produção da cachaça, lá você vai encontrar um enorme parque ecológico.

A visita guiada com explicações sobre produção de cachaça dura 1h e está incluída na entrada do parque, que custa R$ 20. Há também atividades de lazer e aventura, como trilhas, arvorismo e tirolesa – mas tudo isso apenas sábados, domingos e feriados. Durante a semana não há as atividades esportivas e o parque só recebe grupos agendados previamente.

A Vale Verde funciona de terça a domingo, das 9h às 17h30, e fica na Rua Ary Barbosa da Silva, 950. A linha 3211 deixa na porta.

Grutas

Três grandes grutas estão pertinho de Belo Horizonte. A da Maquiné fica em Cordisburgo (120 km de BH); a Lapinha está em Lagoa Santa (38 km); enquanto a gruta Rei do Mato fica em Sete Lagoas (70 km). As duas primeiras foram estudadas pelo cientista dinamarquês Peter Lund, considerado o pai da paleontologia no Brasil.

Pinturas rupestres, fósseis e os restos do homem de Lagoa Santa, um crânio de 12 mil anos, foram encontrados na área. Mas o destaque é mesmo a beleza das grutas, que podem ser visitadas no esquema bate-volta. Veja informações de preços e como chegar aqui.

cidades próximas de belo horizonte passeios

Foto:  Thiago Tiganá  – Wikimédia Commons


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Rafael

Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014 voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura. Siga minhas viagens também no instagram, no perfil @rafael7camara no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

12 comentários sobre o texto “8 cidades próximas de BH para passear

  1. Obrigado pelas dicas, Rafael! Ouro Preto e Sabará acho que são as únicas que é preciso bem mais do que um bate-e-volta para conhecer bem os destinos, mas mesmo que sejam feitas viagens a conta-gotas, vale a pena voltar. Em Cordisburbo recomendo também a visita ao Museu Casa Guimarães Rosa, o melhor escrito brasileiro em minha opinião. Itabira fica pouco mais de 100 km de BH, também é boa opção para amantes da literatura conhecerem o domínio de Carlos Drummond de Andrade. Minas é toda linda, e não me canso de visitar. Só não amo mais que a minha Santa Catarina, mas com certeza se não fosse catarinense, queria ser mineiro… êta tréim bão, minêro!

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.