fbpx
Tags:

Como conhecer habitantes locais em suas viagens

Uma das melhores coisas de ter visitado minhas amigas estrangeiras, durante a minha jornada de dois meses sozinha pela Europa, foi que eu pude ter todas as dicas e toques que só uma pessoa que mora naquela cidade poderia saber. O resultado foi que saí de Atenas, Budapeste e Brno conhecendo cantinhos especiais e com uma visão diferente da que eu teria simplesmente se tivesse planejado e feito tudo por minha conta.

Aliás, foi a Matina, minha amiga grega, que me atentou para o fato óbvio de que era fácil conhecer habitantes locais durante a viagem, sem necessariamente se hospedar na casa deles. É que ela é super-ativa no Couchsurfing. E, além de receber pessoas em sua casa, também faz contato, recomenda lugares e troca experiências com viajantes do mundo todo que estão de passagem por Atenas e querem conhecer uma pessoa da cidade, mas não precisam de hospedagem.

A verdade é que viajando sozinha ou acompanhada, normalmente, os amigos que eu faço por conta própria são sempre outros viajantes, que conheço em hostels ou em tours. E nada contra fazer amigos viajantes, mas, como já expliquei ali em cima, eles, como você, não moram naquela cidade e não a conhecem tão bem.

Como conhecer locais em viagens Atenas

Eu, em Atenas, com minhas amigas gregas

Então, listei algumas formas que a internet nos possibilitou de conhecer moradores dos lugares que visitamos. Como existem dezenas de aplicativos, sites e empresas especializadas nesse tipo de coisa, tentei selecionar aqueles que encontrei boas referências e que são de graça.

Couchsurfing

Já fiz uma introdução, mas vamos repetir. O Couchsurfing é uma ferramenta que surgiu para conectar viajantes. Sim, um dos objetivos principais acaba sendo conseguir hospedagem de graça, mas certamente não é só isso. É por isso que o Couchsurfing acaba sendo um bom site também para fazer amigos ou contatos da cidade, sem a necessidade de ficar hospedado na casa de ninguém (o que é bom também para quem ainda tem certo receio de ficar na casa de um estranho).

Eu já tinha experimentado essa ferramenta na Ilha da Madeira, indiretamente. É que a amiga que estava viajando comigo participou de um evento do Couchsurfing no Porto. Nesse evento, ela conheceu um cara que morava em Funchal, o nosso destino no mês seguinte. Daí, quando estivemos na cidade, ele fez um passeio conosco, nos levou para um bar super legal e também nos juntamos a ele e seu grupo de amigos numa noite de filme e comidinhas.

Leia mais: Nossa experiência de hospedagem com o Couchsurfing

Depois que você cria uma conta no Couchsurfing, há três formas de buscar novos contatos no lugar que for visitar. O primeiro é na aba “Eventos”. Lá no topo da página há uma caixa de buscas, coloque a cidade que você vai. Depois, você pode filtrar as datas e marcar presença no que te interessar.

Outros campos de busca que são interessantes são “Grupos” e “Discussões locais”, que funcionam como fóruns onde você pode criar um novo tópico, falando da sua viagem, por exemplo, ou participar dos já existentes. Essas discussões podem ser filtradas em temas como “conhecer pessoas” ou “carona”.

Como conhecer locais em viagens Atenas

Mas não é só isso: você também pode postar uma Viagem Pública, de forma que todas as pessoas cadastradas que moram naquela cidade podem ver a sua mensagem. Basta pesquisar “Encontrar anfitriões” em determinada cidade e clicar na opção Criar uma Viagem Pública. Lá, você coloca as datas da sua viagem e uma mensagem sobre o que procura: amigos para tomar um café, para te mostrar a cidade, ou até, claro, um sofá para dormir.

Meet up

Eu nunca testei o Meet up, mas encontrei boas referências sobre o site e já me cadastrei. Esse não é um site exclusivamente para viajantes. Na verdade, essa é uma rede para conectar pessoas com interesses em comum nas cidades onde vivem. Tem interesses dos mais variados, que vão de grupos de empreendedorismo a apaixonados por comida, passando por aprendizagem de línguas, fotografia, voluntariado, etc.

Como conhecer locais Meet Up

Você não precisa ser morador de uma cidade para participar de um grupo e ir a algum dos encontros. Basta clicar no nome da cidade, digitar o seu destino e ver quais os grupos existem por ali. Também dá para filtrar as atividades por calendário, de forma que você participe de grupos que vão se encontrar enquanto você estiver visitando uma cidade.

Todos os grupos têm nome, tema e te falam o número de participante. Ao clicar no grupo, você consegue saber quando serão os próximos encontros, quem participa e qual o histórico dos meet ups.

Party with a Local

Comecei a testar a ferramenta esta semana. Trata-se de um aplicativo para celular, o Party With a Local. O app é bem simples e te mostra quem está ao seu redor (mas sem contar exatamente onde) e se a pessoa é local ou turista. Você pode postar publicamente o que está a fim de fazer, tipo: tomar uma cerveja, tomar um café, ir para balada, etc.

E ainda pode sugerir um lugar para que as outras pessoas venham te encontrar. Ou então você pode chamar as pessoas para um chat privado e convidá-las separadamente. Pelo que eu entendi a ideia não é um site de encontros, como o Tinder, e sim uma ferramenta para fazer amigos locais ou viajantes.

Jantando na casa de habitantes locais: Eat with e Meal Sharing

Esses dois sites não são de graça, mas eu achei a ideia muito boa e entendo que fazer comida não é de graça também. A ideia é que você vá jantar na casa de um local, que nesses sites anunciam qual é o cardápio e quanto custa. O Eat With me pareceu mais profissional e tem várias refeições feitas por chefs mesmo.

Lá, a data e horário da refeição já está estabelecida e você reserva e vai, como se fosse num restaurante, mas com a comida feita por um morador local, que vai sentar com você e compartilhar a mesa. Tem preços mais camaradas e mais caros, depende da pessoa e da comida, claro.

Como conhecer locais Eat with

Algumas opções do Eat with

Já o Meal Sharing é mais simples. Nele você vê uma lista de pratos e faz a solicitação para comer com a pessoa. A partir daí é que vocês vão definir a data e hora. Claro, também tem um custo, mas é relativamente menor que o Eat With. Eu achei a proposta bem legal e quero testar na minha próxima viagem. Dai eu volto aqui para contar como foi.

Vocês já usaram algum desses sites listados? Ou outro? Como foi a experiência? Conta para gente aí nos comentários.

Avalie este post

Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 34 anos e atualmente moro na Inglaterra, quando não estou viajando. Já tive casa nos Estados Unidos, Índia, Portugal e Alemanha, e visitei mais de 45 países pelo mundo afora. Além de escrever, sempre invento um hobbie novo: aquarela, costura, yoga... Siga minhas viagens em @afluiza no Instagram.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

12 comentários sobre o texto “Como conhecer habitantes locais em suas viagens

  1. Oi, Luíza! Muito legal esse post! Não sabia de todos estes sites, apenas o couchsurfing. Aliás, li na internet alguns relatos não tão felizes com ele. Mas igual, sempre existem as exceções. gostaria de perguntar:

    – no couchsurfing aceitam animais? Quero tirar um ano sabático (PRECISO!) com menus 3 Gatinhos e estou quebrando a cabeça, pois ainda tem toda a burocracia para levá-los.

    – a minha ideia é de não retornar ao Brasil, mas sim estabelecer residência no local onde eu mais me identifique e criar raízes por mais tempo, pois venderei tudo aqui. Pensei em iniciar meu ano por Portugal, ficar um ou dois meses, aprimorando meu inglês e depois seguir viagem pro resto do mundo onde terei que usar mais o inglês. Tu, como moras em Portugal, que achas? Os cursos de inglês são bons ai? Ou muito caros? Neste caso, eu não faria intercâmbio. Locaria/dividiria um ap e pagaria uma escola de inglês.

    – como é o aluguel ai para uma pessoa com animais? É mais caro ou mais difícil de conseguir alugar? Consigo pessoas para dividir ap, que aceitem animais. é comum?

    – Coimbra é linda, como é a vida ai? O que te motivou escolhê-la? (Num resumo breve)

    – Como está para a abertura de empresas ai? Aqui no Brasil tenho empresa e gosto do empreendedorismo. Se decidir residir definitivamente em Portugal, gostaria de ter meu próprio negócio, mas não seria uma filial. Seria um negócio novo em outro ramo. Também Sei jogar Tarô e sei fazer doces e salgados (São meu hobby). Daria para viver disso ai inicialmente com uma venda informal? Fazer em casa e vender. São abertos a isso?

    – Gosto de praia, campo e montanhas. Terias alguma cidade legal para me indicar com algum destes intens? Hehe

    Desde já, muito obrigada!

    1. Oi Cristina tudo bem?

      Vou tentar responder tudo:

      o couchsurfing aceitam animais? Depende da pessoa que vai receber. Tanto no couchsurfing, quanto no airbnb, quanto qualquer coisa de aluguel de temporada, os donos quem decidem se vc pode ou não levar animais

      Os cursos de inglês são bons ai? Ou muito caros? Olha, eu nunca fiz curso de inglês por aqui, mas todo mundo que eu conheço que fez não gostou muito não. É que eles são muito rígidos e focados em gramática, pouca conversação. To falando da experiência deles, mas eu não recomendaria ninguém vir para cá para estudar inglês.

      como é o aluguel ai para uma pessoa com animais? como eu disse antes, depende. você acha de tudo, tem que pesquisar mesmo. Dá uma olhada no OLX, Idealista, Uniplaces e Bquarto.

      Coimbra é linda, como é a vida ai? O que te motivou escolhê-la? (Num resumo breve) Escolhi Coimbra pela universidade. Eu acabei de me mudar de lá porque apesar de linda e tranquila, é pequena demais para mim. Eu gostava muito das oportunidades acadêmicas e pouco da vida cultural e noturna meio engessada (na minha opinião, é muito focada nos estudantes mais novo).

      Sobre empreendedorismo: É possível sim, tem gente que ajuda nas contas da universidade assim. Ps. Vc joga tarot profissionalmente? Eu tava procurando alguém para jogar para mim 🙂

      Gosto de praia, campo e montanhas: basicamente Portugal inteiro. Como o país é bem pequeno, você encontra essas coisas em tudo que é canto.

      1. Oi, Luiza! Muito obrigada por me responder, e nossa, foi muito esclarecedor!

        Porém, agora eu terei de desistir da viagem de volta ao mundo com os meu Gatinhos.
        Será muito complicado, pois gatos não gostam de mudança de ambiente e também ficará muito caro. Já me informei com a empresa que irei contratar para me prestar assessoria em viagem com pets.
        Então, minha ideia agora é investir em uma mudança para Portugal, e depois de estabelecida, começar minhas viagens em períodos menores. Mas sempre voltando para eles 🙂
        Quanto ao Tarô, não sou profissional, mas sou sensitiva e estudei a leitura. Se eu puder ser útil, tirei o maior prazer em te ajudar 🙂

        Você teria algum e-mail para que possamos conversar? Ou te passo o meu.

        Muito obrigada!

  2. Oi Luíza. Tenho vasculhado a internet em busca de informações sobre como passar pela imigração em NY. Vou em dezembro aos EUA e estou mantendo contato com anfitriões do airbnb e do couchsurfing. Este último, para mim, é a melhor opção por causa do custo. Bem, tenho contatos já quase certos para a hospedagem gratuita. O que devo preencher no formulário que recebo ainda no avião ao chegar em Nova York? Um colega americano informou que basta colocar o endereço, nome completo e telefone de contato dele. logico que há outras informações e estou com documentos já organizados. Porém no momento da entrevista pode acontecer de o agente solicitar algum documento escrito e autenticado lá para reforçar a hospedagem?

  3. Ei, Luiza! Acho que vcs aqui do 360 estão lendo pensamentos. Quando eu estava indo viajar sozinha, tinha post sobre isso. Aí, vou mudar pra Porto e tbm fazem post e agora vem esse justo na hora que estou pensando em como conhecer gente lá. 🙂 O meet up usei em Madri e fui a um encontro de intercâmbio de idiomas. Foi ótimo! Conheci um povo super legal e até viajamos para a praia. Recomendo! Obrigada pelos posts! ;D

    1. Oi Maxmiliano, você não precisa ficar na casa dos estranhos (apesar de ser bem legal!). A ideia desse post é como conhecer pessoas locais, mas num ambiente mais neutro mesmo, só usando os sites ou aplicativos como uma ferramenta

  4. Estava justamente pensando sobre isto ontem! Esta semana estou recebendo um alemao no meu apto atraves do Couchsurfing. Sai com meus amigos ontem a noite, o levei junto e ele adorou!
    Alem da hospedagem sem custo, o CS proporciona justamente essa vivencia com pessoas que moram no local. Fiquei pensando como eu faria durante minha viagem no final do intercambio, que tambem farei sozinho e pensei em utilizar o CS nao apenas para hospedagem, mas para os encontros, assim como voce sugeriu Lu. Com estes novos sites, acredito que ficara mais facil ate! =D

    1. Eu gosto muito do conceito do Couchsurfing e até hoje só tive boas experiências. Vou tentar usar mais como meio de conhecer pessoas a partir de agora tb.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.