Como funcionam as low costs na Europa

A Europa parece um paraíso de voos baratos. De fato, se locomover pelos ares por lá é muitas vezes mais em conta que por terra. Eu sempre fico surpresa quando algum amigo me conta que voou de um país para outro por apenas algumas dezenas de euros.

É claro, cruzar fronteiras naqueles lados não tem o mesmo significado que por aqui, já que eles mudam de país tão facilmente quanto a gente muda de estado. Mas mais que o fator geográfico, as grandes responsáveis por baratear as passagens no Velho Continente são as empresas aéreas low cost.

Apesar do termo ter surgido nos Estados Unidos, quando algumas companhias aéreas começaram a vender voos pela metade do preço da tarifa comum, foi na Europa que a moda pegou de verdade, com o trabalho das duas principais empresas do ramo, a Ryan Air e a Easy Jet.

Essas são as mais conhecidas, mas, claro, muitas outras vieram depois ou começaram a seguir a mesma onda, como a Vueling, a Air Berlin, Wizz Air e Transavia. Quem já ouviu aquela história de um amigo que voou de Dublin para Amsterdam por uma merreca sabe do que eu estou falando.

Mas como nada nesse mundo é perfeito, voar por uma tarifa tão barata tem suas restrições e macetes. Por isso, embora possam realmente ser a opção mais econômica para o seu trecho, é preciso ficar bem atento a alguns detalhes, colocar tudo na ponta do lápis e pesquisar muito antes de bater o martelo.

Low cost sem estresse

1. Com exceção da nossa finada Webjet, todas as low costs com as quais eu já voei neste mundo cobram à parte pela bagagem despachada. Na hora de comprar sua passagem, você vai ter que informar quantas peças e quantos quilos você está levando. Por isso, viaje leve para não encarecer muito o preço final e informe corretamente o peso das suas malas. Caso contrário, você corre o risco de deixar mais umas dezenas de euros na hora de despachar.

2. Consulte os limites de bagagem de mão da companhia e se atenha a eles. Pode ter certeza que eles vão medir sua mochila para saber se ela se enquadra nas regras.

aeroporto de madrid

3. Algumas empresas cobram apenas para reservar assentos “especiais”, aqueles que têm mais espaço para as pernas ou tratamento diferenciado, como os da saída de emergência ou das primeiras filas. No entanto, algumas companhias podem querer cobrar por qualquer reserva. Quem não paga recebe um assento aleatório e sem direito a reclamação. As mais radicais cobram pelas reservas e ainda não designam assentos para quem não paga. Ou seja, você entra no avião e fica onde tiver lugar.

4. Informe-se se a companhia exige que o check in seja feito online. Se for o caso, você vai ter que entrar no site da empresa alguns dias ou horas antes da viagem para confirmar presença no voo. Os esquecidos podem ser obrigados a pagar uma taxa para fazer check in presencial. Algumas empresas, como a Easy Jet, também oferecem o serviço via aplicativo de celular.

imigração espanha

5. Fique atento aos aeroportos de saída e chegada. Algumas dessas empresas, em especial a Ryan Air, operam em aeroportos menores, distantes dos grandes centros. Já a Easy Jet costuma utilizar aeroportos mais próximos, mas não confie sem dar uma olhada no Google Maps e descobrir como fazer o trajeto entre o aeroporto e a cidade. Às vezes o custo e a mão de obra do deslocamento não compensam o bom preço.

6. Voo low cost é um investimento de alto risco. Se você perdê-lo, quase sempre não terá direito a nada de volta. Por isso, não se atrase.

visto da Tailândia

7. As low costs oferecem preços incríveis, é verdade. Mas o que nem todo mundo diz é que essas tarifas absurdas são promocionais e não ficam dando bobeira o tempo inteiro nos buscadores de passagens aéreas. Para aumentar sua chance de encontrá-las, assine os alertas das companhias e receba um aviso por email sempre que o trecho desejado cair de preço. Se preferir, pode também assinar os alertas de sites como o Skyscanner.

Principais empresas low cost da Europa

Ryan Air

Uma das principais low costs, é uma empresa irlandesa com base em Dublin, mas a maioria dos seus voos é operada a partir do Reino Unido. Voa também para Alemanha, França Polônia, Suíça, Áustria, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, Grécia, Hungria, Itália, Letônia, Lituânia, Malta, Montenegro, Marrocos, Holanda, Noruega, Portugal, Romênia, Eslováquia, Espanha e Suécia.

Limite de bagagem de mão:  Uma mala de 55cm x 40cm x 20cm com no máximo 10 kg e mais uma bolsa pequena de  35 x 20 x 20. 

Bagagem despachada: Até duas malas de 20 kg por passageiro, pagas à parte.

Easy Jet

Companhia líder do segmento na Europa, voa para mais de 130 aeroportos e 34 países. Voa para Islândia, Noruega, Suécia, Dinamarca, Estônia, Rússia, Reino Unido, Holanda, Alemanha, Bélgica, Polônia, Franca, República Tcheca, Austria, Hungria, Croácia, Sérvia, Bulgária, Eslovênia, Kosovo, Grécia, Turquia, Chipre, Israel, Jordânia, Egito, Luxemburgo, Itália, Mônaco, Espanha, Portugal, Marrocos e Malta.

Limite de Bagagem de mão: Garantia de poder levar na cabine uma mala de mão com até 50x40x20. Malas com até 56 x 45 x 25 também são permitidas, porém se o voo estiver cheio, pode ser que sejam despachadas.

Bagagem despachada: Até três peças de 32 kg cada, pagas à parte.

Vueling

Companhia sediada em Barcelona, voa para mais de 100 aeroportos na Europa, África e Oriente Médio. Opera nos seguintes países: Alemanha, Argélia, Armênia, Áustria, Bélgica, Bielorussia, Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Gâmbia, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Islândia, Israel, Itália, Líbano, Luxemburgo, Malta, Marrocos, Noruega, Polônia, Portugal, Reino Unido, República Tcheca, Romênia, Rússia, Senegal, Sérvia, Suécia, Suíça, Tunísia, Turquia e Ucrânia.

Limite de bagagem de mão: Malas com até 55 x 40 x 20 e um máximo de 10 kg.

Limite de bagagem despachada: Entre 13 e 29 euros por trecho e por mala, se compradas com antecedência. Cada passageiro pode levar até 3 malas de 21 kg.

Quer mais? Esse site aqui tem uma lista com todas as low costs europeias, com links para os respectivos sites.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Natália Becattini

Já chamei de casa a Cidade do Cabo, Chandigarh, Buenos Aires e Barcelona, mas acabo sempre voltando pra minha querida BH. Gosto de literatura, cervejas, música e artigos de papelaria, mas minha grande paixão é contar histórias. Por isso, desde 2011 viajo o mundo e escrevo sobre o que vi. Também estou no blog sobre escrita criativa Oxford Comma e compartilho minhas impressões de mundo também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

18 comentários sobre o texto “Como funcionam as low costs na Europa

  1. Olá Nathalia, a Ryanair realmente faz voo pra Holanda? porque eu to tentando cotar de Dublin pra Amsterdam e não estou conseguindo.. você sabe alguma outra forma de ir pra Amsterdam se nao fizer?

    obrigada!

    1. Olá Rizia, sim, a Ryanair voa para a Holanda, mas não para Amsterdam. Eles em geral ficam em aeroportos periféricos. Procure por Eindhoven.

      Abraços!

  2. Bom dia, me diz uma coisa, para a Ryanair e Easy Jet, uma mochila trilhas e rumos medindo 60x34x24 passa? sem encher muito a mochila para não extrapolar as dimensões. Obrigada!

  3. Oi Natália, pode me dar uma ajuda?
    Estou indo pra um mochilão final de abril, e como a mochila é facilmente mais de 10kg, nos trechos que voarei de low fare já estou comprando o extra da bagagem despachada.
    .
    Até aí sem problemas, mas o que eu gostaria de saber é quanto tempo antes da viagem devo considerar pra despachar esta bagagem. Os trechos internacionais considera as mesmas 3h antes do embarque dos vôos internacionais daqui?
    .
    Pois se sim irá tornar-se inconveniente eu escolher algumas passagens cedo, por exemplo de Berlim a Amsterdam estou olhando uma de 06:30. Se eu precisar chegar extremamente cedo não compensa.
    .
    Pior que a outra hora é só às 16:05 daí já atrasa meu dia por lá. O que eu queria mesmo era que tivesse uma que saisse às 10:00 mas nada é perfeito né hehehe
    .
    Obrigado

    1. Em teoria, os voos dentro da Europa continental são domésticos, mas eu gosto de chegar como se estivesse indo para um embarque internacional, é mais seguro. E se você chegasse com 2h de antecedência? Comprar voo esse horário é um problema, nem sempre compensa o preços. Quando é assim ou eu durmo no aeroporto ou gasto com táxi. Mas se vai atrasar seu planejamento talvez compense.

      Abraços!

    1. Ei Ligia, tem que ver as medidas dessa mochila em específico para ver se passa. Algumas são maiores que esse limite. Se você não souber medir pode procurar em algum site de compra na internet a mesma mochila. Eles sempre informam as dimensões.

      Abraços!

      1. Jura? Eu só usei a Easyjet pra onde a Ryanair não vai. hahaha

        Em geral acho um pouco mais cara que o tio Ryan, mas realmente pode compensar pela distância do aeroporto. Talvez vc ainda não tenha se deparado com passagens a 0,01 cêntimo pra Paris ou 3,00 pra Eindhoven. Fomos uma vez pra Amsterdã por esse aeroporto e com escala em Marseille, por 3,00 o trecho. É irresistível.

        1. Ei Bia, acho que é isso mesmo, nunca consegui esses preços incríveis na Ryan Air. Acho que é mais fácil para quem mora na Europa. Quem sabe um dia?

          Abraços!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.