Tags:
Atlas: Argentina

Viajar para a Argentina: 8 dicas imperdíveis

Todo mundo já sonhou em viajar para a Argentina. Do ladinho, a nossa vizinha é repleta de atrações culturais, gastronômicas e históricas, tem um câmbio favorável comparado ao nosso e é uma excelente primeira viagem para o exterior (ou segunda, ou terceira…) por sua proximidade cultural, receptividade e facilidade em viajar sem visto ou mesmo passaporte.

Nesse post, separamos as principais dicas para quem está se planejando para viajar par a Argentina. Esperamos que gostem!

8 dias essenciais para viajar para a Argentina

1. Como chegar na Argentina?

A Argentina é provavelmente o destino internacional mais fácil de ser alcançado pelos brasileiros. Várias empresas aéreas fazem o percurso Brasil – Buenos Aires, partindo de aeroportos em todo o país. Além disso, também há voos diretos do Brasil para Córdoba. Os demais destinos precisam de escala.

As empresas aéreas que fazem os principais trechos são: Latam, Gol, Aerolíneas Argentinas, Taca/Avianca e Turkish Airlines. A Qatar tinha uma rota pra lá saindo de São Paulo, que era uma extensão do vôo para Doha, mas por causa da pandemia a empresa deixou de operar esse trecho. Também é possível encontrar voos da Emirates, British e Lufthansa, mas em geral são bem mais raros e caros.

Quem quiser também pode ir por terra, de ônibus ou carro: A Pluma e a Crucero del Norte fazem o trajeto saindo de São Paulo. São umas 30 horas de viagem e custa entre 200 a 300 reais.

2. Visto e imigração para viajar para a Argentina

Brasileiros que viajam para a Argentina a turismo não precisam de visto para entrar no país.

Para quem fica até 90 dias, basta um passaporte válido ou a carteira de identidade em bom estado de conservação e com foto recente para entrar na Argentina. Se você optar pelo RG, ao entrar no país vai receber um papel que você tem que devolver na saída, ele equivale ao carimbo do passaporte.

Lembre-se de cobrar do oficial caso ele se esqueça de te entregar o papel (já vimos acontecer). E guarde-o em um local bem seguro. Se você o perder, terá que pagar uma multa na saída, como se tivesse ultrapassado o prazo de permanência.

Visto do estudos e trabalho na Argentina

Caso você pretenda permanecer na Argentina por mais de 90 dias, seja qual for o motivo, também pode viajar sem visto e dar entrada nos trâmites de residência ao chegar no país. Por causa do acordo entre os países do Mercosul, temos direito de solicitar essa residência legal, por isso o trâmite é facilitado.

Assim, somos aptos a tirar o documento de identidade argentino e, assim, ter o direito de trabalhar e estudar de forma legal no país.

Para dar entrada com o seu processo de residência e conseguir sua DNI, é preciso procurar a Dirección Nacional de Migraciones, em Buenos Aires, e marcar seu turno. Não se preocupe, você pode entrar no país como turista e começar o processo de lá. Quem preferir, também pode dar entrada no pedido do Brasil, em algum consulado argentino.

Nós explicamos esse processo com mais detalhes nos posts abaixo:

Quanto tempo posso ficar legalmente na Argentina
Morar na Argentina: tudo que você precisa saber

3. Como contratar um seguro de viagem para a Argentina

Contratar um seguro de viagem é essencial, ainda que seja para países tão próximos quanto a Argentina e o Uruguai. Por mais que seja perto de casa, o melhor é viajar protegido para não sofrer com os imprevistos.

A boa notícia é que é possível contratar um bom seguro de viagem gastando cerca de 10 reais por dia. Para isso, recomendamos utilizar um buscador como o do Seguros Promo, que compara as principais seguradoras e garante que você encontre o melhor custo-benefício, de acordo com suas necessidade.

Além disso, leitores do blog tem direito a um cupom de desconto exclusivo: 360MERIDIANOS05. Veja algumas das ofertas abaixo e escolha o seu:

Seguro Viagem: América do Sul
CORIS 30 BASIC +COVID19 CORIS 30 BASIC +COVID19 Assistência médica USD 30.000 Bagagem extraviada USD 1.000 R$ 20/dia*
GTA 12 BRONZE AMÉR. LATINA COVID-19 PREMIUM30 GTA 12 BRONZE AMÉR. LATINA COVID-19 PREMIUM30 Assistência médica USD 12.000 Bagagem extraviada USD 450 (SUPLEMENTAR) R$ 46/dia*

4. Telefonia e internet na Argentina

O código de telefone na Argentina é o +54. Internet e telefone podem ser encontrados por todos os lados, nos chamados locutórios. Com cara de lojinha de conveniência, esses locais têm cabines que fazem chamadas internacionais baratinhas. Alguns locutórios também funcionam como LAN house.

Além disso, se você estiver em Buenos Aires, é facílimo achar restaurantes, bares e cafés com wi-fi liberado.

Para comprar um chip de internet local, é preciso se dirigir às lojas das operadoras de telefonia: Claro, Movistar ou Personal. Antes, era possível comprá-lo nos quioscos, as pequenas mercearias que estão por todos os lados, mas desde 2017 o governo passou a exigir registro para linhas pré-pagas. Por isso, você terá que fazer a compra direto na operado e apresentar seu documento de viagem para ativar a linha.

Prefira as lojas do centro, pois no aeroporto você não conseguirá fazer o registro. Há uma loja da Claro e uma da Movistar da Florida com Lavalle, e uma da Personal na esquina com a Corrientes. Eu pessoalmente opto pela Movistar quando estou no país, por indicação de amigos argentinos.

Intercâmbio na Argentina - Buenos Aires 2

4. Qual moeda levar para a sua viagem pela Argentina

Não compre pesos antes de chegar ao país. Você pode levar dólares ou reais, fica a seu critério. Na hora que a gente coloca na ponta do lápis, a conversão entre dólar e peso no câmbio paralelo é ligeiramente mais vantajosa que a real e peso, mas como você vai ter que fazer a conversão entre real e dólar antes – e a gente sempre perde um pouco de dinheiro nesse processo – , acabe que a diferença não é tão gritante assim.

Por isso, acredito que a melhor moeda para levar parar a Argentina é o real, pela praticidade.

Mas isso só se aplica se a sua viagem for exclusivamente para Buenos Aires e Bariloche, locais onde há muitos turistas brasileiros.

Caso você vá para outras partes do país e precise trocar dinheiro nesses lugares, o melhor a fazer é viajar com dólares.

Leia também: Qual moeda levar para a Argentina

Boa parte dos estabelecimentos turísticos, como hotéis e restaurantes, aceitam pagamento em dólar e até em reais, mas a cotação praticada por eles será desvantajosa, então só opte por isso em último caso ou se sua passagem pelo país for bem rapidinha.

Não são todos os lugares que aceitam cartão de crédito em Buenos Aires. Pode acontecer de restaurantes ou lojas recusarem cartões, então recomendo fortemente que você se planeje para pagar suas contas em dinheiro vivo.

5. Como funciona o Câmbio Paralelo na Argentina

A economia argentina é uma montanha russa de emoções e assim também é a inflação do país e a cotação do peso. Viajar para lá já foi baratíssimo para nós, depois ficou caro, depois barateou de novo. No momento em que eu digito esse texto, em agosto de 2020, a taxa de conversão está em torno de 0,075 centavos. Isso quer dizer um um real vale cerca de 13,18 pesos argentinos. Um dólar vale 73,73 pesos.

Essa é a cotação oficial, a que você vai encontrar se for trocar dinheiro aqui no Brasil ou em algum banco argentino. Mas como há vários anos o governo argentino controla o câmbio e a compra de dólares no país, acabou criando-se um mercado paralelo da moeda, que é vendida a um valor muito mais vantajoso do que o praticado nos pontos oficiais.

Leia mais: Tudo sobre o Câmbio Paralelo na Argentina

E isso não acontece só com o dólar. Devido ao grande fluxo de brasileiros no país, o real também é negociado nessas casas paralelas de Buenos Aires por um preço muito mais vantajoso pra gente. Uma viagem para a Argentina paga em dinheiro trocado no câmbio paralelo pode ficar cerca de 30% mais barata do que se fosse paga com o câmbio oficial. Por esse motivo, o melhor a fazer é deixar para trocar o dinheiro somente quando chegar ao país.

Se você se sentir inseguro, pode trocar apenas o suficiente para os primeiros dias antes de viajar ou ao chegar no aeroporto.

Já na cidade, dirija-se à Calle Florida. Você não precisar se enfiar em nenhum beco, o câmbio paralelo é feito tão às claras que os cambistas passam o dia inteiro gritando em buscas de clientes, isso na frente de policiais e mesmo a poucos metros da Casa Rosada, sede do poder executivo do país.

Dê preferência para os locais que funcionam com loja física, em vez de trocar no meio da rua. O motivo é simples: você sabe que aquela loja vai estar ali amanhã. Troque um pouco de dinheiro e, não tendo problemas, troque mais no dia seguinte.

Também exija que a caneta que identifica notas falsas seja passada de ambos os lados de cada bilhete. Se possível, peça indicação no seu hotel ou de outros viajantes sobre onde trocar.

Se você não quiser comprar pesos nas casas de câmbio paralela, ainda assim é melhor levar os dólares ou reais para a Argentina e fazer o câmbio por lá. Para isso, as agências do Banco de La Naciónmesmo as dos aeroportos, costuma ter uma boa cotação de ambas as moedas.

6. Quanto custa viajar para a Argentina

Um viajante básico, que não esbanja nem passa apertado, deve gastar, em média, cera de R$150 por dia e por pessoa na Argentina, incluindo hospedagem em um hotel ou pousada simples e excluindo as passagens aéreas. Esse valor foi calculado para a cotação do peso em 2019, lembrando que a economia agitada do país sempre muda essa conta.

7. Golpes e segurança na Argentina

Muita gente já ouviu falar sobre os famosos golpes dos taxistas e das notas falsas. Trata-se de um golpe muito comum: o taxista devolve o troco em notas falsas, ou te conta sobre o golpe e pede para ver seu dinheiro e, sem que você perceba, troca seu dinheiro por notas falsas.

Ao pegar taxis, confira se eles têm uma identificação de certificado pelo governo. Ainda assim, tenha sempre dinheiro trocado para evitar confusões com o troco que podem te levar a ser enganado. E principalmente, não mostre seu dinheiro para ninguém e tome muito cuidado com casas de câmbio e até mesmo caixas eletrônicos. Qualquer problema, chame a polícia e faça escândalo.

Esse site enumerou 5 golpes comuns em Buenos Aires. Leia antes de sair de casa.

Dito isso, o país é seguro. Buenos Aires é provavelmente a capital mais segura da América do Sul. Nas regiões onde você vai circular, é raríssima a ocorrência de crimes violentos, como assaltos à mão armada. No entanto, os furtos correm soltos. É bom tomar cuidado com batedores de carteira. Em aglomerações, como o metrô, eles conseguem tirar celulares de bolsas sem que ninguém perceba.

Eu mesma já tive três telefones roubados assim quando morava lá. Então é preciso ficar o tempo todo atento não só aos seus pertences, mas também às pessoas que estiverem perto de você.

8. Como viajar dentro da Argentina

As estradas na Argentina são bonitas e seguras o que torna uma road trip ou longos trajetos de ônibus opções bastante viáveis de deslocamento, em especial se você pretende se aventurar pelo noroeste andino ou pela Patagônia.

A situação das estradas principais é, em geral, muito boa. Já as secundárias podem ser mais precárias, dependendo da região do país.

A estrada mais famosa é a Ruta 40, uma rodovia secundária que corre paralela aos Andes, de norte a sul da Argentina. Desfrutar dessa vista da janelinha é um privilégio. Se optar por alugar um carro para o trajeto, nós indicamos o RentCars, que busca entre as principais locadores e te ajuda a encontrar os melhores preços e condições de aluguel.

Tenha em vista, no entanto, que as distâncias são enormes!

Para ir de Buenos Aires a Córdoba, por exemplo, são cerca de 9 horas de estrada. Por esse motivo, fazer os trechos mais compridos de avião ajuda a poupar tempo. Há diversas companhias que operam voos domésticos no país, incluíndo a Latam, a Aerolíneas Argentina e low cost JetCost.

Por mais low cost que seja, no entanto, voar não é um deslocamento mega econômico no país. Por isso, é bom ficar de olho nos preços com alguma antecedência.

Há, ainda, linhas de trens com trajeto turístico no país. A mais famosa é o Tren de la Costa, que liga Buenos Aires e Tigre em um passeio cênico. Essa também é uma boa opção para quem pretende visitar Mar del Plata e uma forma alternativa de chegar em Córdoba.

Comprando a passagem online no site da companhia nacional de trens, você ganha um desconto de 10%.


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

83 comentários sobre o texto “Viajar para a Argentina: 8 dicas imperdíveis

  1. Boa tarde, como sempre informações super úteis a nós
    Mas, verifique sobre a cia Qatar, parece que não fará mais Argentina, e nos passe o que descobrir kkk
    Bjks.

  2. ola luiza então, eu quero muito viajar para a argentina para o programa de estudo de medicina, e queria saber se você teria umas dicas para passar mais tempo (o curso dura 6 anos) e se é possivel esse tempo todo, e se puder me dar uma dica de como não gastar muito ja que vais ser minha primeira viajem

  3. Olá , Luiza
    Boa Tarde…
    Estou querendo passar 4 dias em Buenos Aires… me daria uma dica de melhor época (Mês) , ou seja.. Clima ameno, hotel: localização e preço bacana , irei com minha esposa e filha de 17 anos. Estou pensando em pegar um pacote Aereo + Hotel.e

    Desde Já Agradeço

    Abs

  4. Existe um golpe de quando alguém te joga um líquido, pode ser chocolate, ketchup, mostarda ou mesmo água de esgoto. Eles jogam isso para que se distraia e fique olhando para cima ou para o lado procurando por quem jogou. Nesse tempo uma outra pessoa aparece para ajudar a te limpar ou apontar para cima para te mostrar de onde veio a sujeira e rouba seus pertences do bolso.
    Quando li pela primeira vez esse golpe, achei muito estranho e impossível uma coisa bizarra como essa acontecer, mas tentaram me roubar com esse golpe duas vezes, uma vez no dia 24 de janeiro de 2015 em frente ao Ibis Buenos Aires e outra no dia anterior em frente ao Hotel La Perla. Nas duas vezes eu estava andando com minha mochila grande de viagem nas costas e tinha acabado de sair do metrô junto com minha esposa. Na primeira vez me jogaram um monte de calda de chocolate e na segunda água de esgoto. Nas duas vezes o cabelo e as roupas da minha mulher ficaram sujos, mas andamos rapidamente e nao paramos para falar com os bandidos que apareceram para “ajudar”. Logo em seguida, em um lugar seguro, chamamos a polícia para denunciar.

      1. Só para atualizar, anteontem à tarde presenciei duas bandidas aplicando o golpe em um casal europeu na praça do Congresso. Ao colocar a mochila no chão para limpar a camisa suja, uma delas tentou levar a mochila dele. Fica a dica, se te sujarem em Buenos Aires não pare para limpar e nunca coloque seus pertences no chão.

  5. Ola gostaria de tirar uma duvida, em novembro estou com um plano de viajar de carro para Argentina, mais tem uma coisa que esta me preocupando, pois o carro em que eu vou seguir viagem esta no nome da minha mãe, e tem um procedimento muito complicado para legalizar carros de terceiros, e eu que não moro em capital fica muito difícil de arrumar esses documentos, estou pensando em imprimir o modelo de autorização pedir pra assinar e registrar em cartório aqui mesmo, sera que eu corro grande risco? Obrigado

    1. OI Márcio,

      Não faço ideia de como vc deve proceder nesse caso. Dá uma olhada no link que eu indico no texto sobre viagem de carro.

      abraço

  6. Olá! Estou pensando em ir para buenos Aires em agosto, cotei em agências de viagem e achei muito caro! O q vc me indica? Ficar ou hostel é de boa p mim que vou sozinha? Quero comprar seu guia! Como faço? Bjo

    1. Oi Ana Michelli,

      A última vez que fui para Buenos Aires fiquei no hostel HI Suites Florida e gostei muito. Se você não quiser ficar em quarto coletivo, indico o quarto privativo do mesmo hostel, que sai baratinho. A gente fez um post só com dicas de hotel na cidade: https://www.360meridianos.com/2014/05/dicas-de-hotel-em-buenos-aires.html

      Também temos esse post sobre o que fazer em Buenos Aires
      https://www.360meridianos.com/2013/04/final-de-semana-em-buenos-aires.html

      Para comprar o guia é só clicar nesse botão comprar do post! Se tiver alguma dúvida, me avisa!

      bjs

    2. Hola Ana, eu vou para Bariloche tambem em mas estou pesquisando datas. Creio que vou no final de Julho e passar 2 semanas senso 1 em Buenos Aires e a outra semana esquiar em Bariloche. Vou com meu esposo e seria legal se nos encontramos. Qualquer coisa me avisa.
      E Luiza, parabéns otimo o seu blog e se poder me ajudar com os planejamentos agradeço.
      Hasta luego’!

    3. Ei Ana,
      Vou com meu marido para Buenos Aires, estou sem data certa por causa dos preços. Gostaria de saber se você já conseguiu marcar suas passagens..quem sabe não nos encontramos por lá heim? Beijo

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.