fbpx

El Bolsón: o que fazer na vila hippie perto de Bariloche

Se um dia tudo der errado e eu tiver que virar hippie, é em El Bolsón que eu vou viver. Eu tomei essa decisão no momento em que me sentei em uma muretinha da praça principal da cidade, segurando um copo de cerveja artesanal em uma mão e uma porção de batatas fritas em outra, meu almoço comprado na feira montada ali.

Pra te convencer do mesmo, montei esse guia esperto com tudo o que fazer em El Bolsón e porque tanta gente larga tudo pra ir morar lá. Mas você não precisa abrir uma cervejaria ou vender arte feita com o que a natureza dá, basta passar um dia nessa pequena vila hippie próxima a Bariloche para se apaixonar por ela.

Então deixa de enrolação e vem comigo descobrir o que fazer em El Bolsón!

Como ir de Bariloche a El Bolsón Argentina

El Bolsón, Argentina: o que fazer na vila hippie próxima a Bariloche

De ônibus: Os ônibus para El Bolsón saem da rodoviária de Bariloche várias vezes por dia e o trajeto até lá é incrível. A viagem dura duas horas e custa cerca de R$50.

Com agências de turismo: diversas empresas fazem um tour guiado de dia inteiro para El Bolsón, com saídas regulares de Bariloche. Os passeios costumam começar por volta das 8h e vão até o fim da tarde. Em geral, também incluem o povoado de “Lago Puelo” e o Parque Nacional “Lago Puelo”.

Nesse link aqui você pode contratar um tour guiado de um dia, saindo de Bariloche, com antecedência e sem estresse, por apenas US$ 47.

Veja também:
O que fazer em Bariloche: dicas de atrações
Onde ficar em Bariloche, dicas de hotéis

O que fazer em El Bolsón: as principais atrações

  • Trilhas pelas montanhas
  • mountain bike
  • rafting
  • cavalgadas
  • Esquiar no Cerro Perito Moreno (somente no inverno)
  • Tour guiado nas cervejarias
  • Visitar a Feirinha de El Bolsón

Localizada a 120 quilômetros de Bariloche, El Bolsón é uma simpática cidadezinha rodeada por duas cadeias de montanhas que nos anos 1970 começou a atrair gente de humanas hippies.

Eles deram ao local um pouco mais de charme e colorido e criaram os atrativos necessários para que El Bolsón entrasse na rota mochileira da Argentina sem ser contaminado pelo frenesi turístico da vizinha Bariloche. Esse é um lugar para contemplar a natureza, comer comida boa e esquecer-se de que existe tempo e um mundo lá fora.

Vista da vila de El Bolsón, na Patagônia Argentina

Feirinha orgânica da praça de El Bolsón

Com o tempo, a cidade desenvolveu também uma vocação para a produção de alimentos orgânicos. Na feirinha da praça, é possível comprar boa comida orgânica e vegetariana, geleia, mel, castanhas, bolos, queijos, pães, quitutes típicos e os doces que ajudam a fazer a fama da cidade, tudo feito com produtos que vêm direto das fazendas da região, com destaque especial para as cerejas e as frutas vermelhas.

Isso sem falar no lúpulo. Estima-se que três quartos do lúpulo produzido na Argentina saem de El Bolsón. Isso explica a outra vocação interessante da cidade: a produção de cervejas artesanais ali é fortíssima e considerada uma das melhores do país, a ponto de você se deparar com uma cervejaria a cada poucos metros. Os produtores de cerveja também montam suas barracas na feira, que acaba se tornando um ponto de encontro para moradores e viajantes que passam por ali.

Trilhas pelas montanhas nos arredores da vila

A natureza ao redor é outro fator que atraí turistas e mais turistas para a região. O lugar é repleto de trilhas, para caminhantes de final de semana e até aventureiros profissionais. Se você pretende conhecer essa faceta da cidade, sugiro que vá no verão e se programe para dormir lá pelo menos uma noite.

Isso porque o trajeto de ônibus de e para Bariloche dura cerca de duas horas, o que encurta bastante o tempo disponível para percorrer os belos caminhos traçados em meio a paisagens andinas incríveis. No inverno também é possível fazer as trilhas, mas algumas podem fechar por causa da neve.

Ao chegar, procure o Centro de Atendimento ao Turista. Fica perto (meio que dentro) da praça e o pessoal é super atencioso. Lá você consegue um mapa da região, além de informações sobre trilhas e atividades, nível de dificuldade de cada uma delas e segurança, assim como contatos de guias turísticos e hotéis.

As caminhadas não são a única opção para quem quer se aventurar: escalada, cavalgadas, parapente, esqui, rafting, mountain bike, spa e passeios a lagos são outras opções do cardápio.

Trilha de montanha em El Bolsón, Argentina

Trekking para El Cajón de Azul

O Cajón del Azul é um desfiladeiro formado pelo Rio Azul, que corre entre paredes de rocha e florestas densas. O nome “Cajón del Azul” vem da cor azul-turquesa impressionante das águas do rio, que contrasta de forma belíssima com o verde da floresta circundante.

A trilha começa a cerca de 15 km do centro de El Bolsón. Você pode chegar ao ponto de partida de carro, táxi ou até mesmo de ônibus local.

A trilha é considerada de dificuldade moderada e leva cerca de 2 a 3 horas para ser completada, dependendo do seu ritmo. O caminho é bem sinalizado, mas é sempre bom levar um mapa ou GPS.

Visita ao Lago Puelo

Localizado no Parque Nacional Lago Puelo, este lago de origem glacial é um dos pontos turísticos mais visitados da região de El Bolsón. Suas águas cristalinas variam em tons de azul e verde, dependendo da luz e do ângulo, e são cercadas por montanhas e florestas exuberantes.

O Lago Puelo está a cerca de 17 km de El Bolsón. Você pode chegar lá de carro, táxi ou ônibus local. Há também opções de excursões organizadas.

Esquiar no Cerro Perito Moreno

Não confunda com o famoso glaciar de mesmo nome; este é um centro de esqui em El Bolsón que oferece uma experiência mais intimista em comparação com outros resorts mais movimentados da Patagônia.

O Cerro Perito Moreno é um centro de esqui e snowboard localizado a cerca de 25 km de El Bolsón. Com uma altitude máxima de cerca de 2.200 metros, este é um destino perfeito para aqueles que buscam uma experiência de esqui mais tranquila e menos comercial.

Você pode chegar ao Cerro Perito Moreno de carro ou táxi. Durante a temporada de esqui, também há serviços de transporte que saem de El Bolsón. O centro oferece uma variedade de pistas que atendem a todos os níveis, desde iniciantes até esquiadores avançados. Além disso, há áreas para freeride e snowboard.

Passeio guiado nas cervejarias de El Bolsón

Quem quiser pode fazer um tour guiado em uma das cervejarias ou visitá-las por conta própria. Algumas delas só realizam o passeio para grupos e com agendamento prévio, mas se você bater na porta e pedir para entrar, há grandes chances de te deixarem provar as cervejas enquanto escuta uma breve explicação sobre os sabores e formas de produção locais, mesmo que os tours não estejam disponíveis naquela hora (foi o que eu fiz).

Aproveite para levar para casa algumas garrafas das suas favoritas. Algumas delas também possuem bar dentro das fábricas, uma alternativa se você não conseguir – ou não curtir – as visitas.  Uma das mais famosas e visitadas pelos turistas é a Cerveceria El Bolsón.

Roteiro de 1, 5 e 7 dias em El Bolsón

Fazendas orgânicas em El Bolsón, Patagônia Argentina

Veja agora uma sugestão de roteiro para uma viagem de bate-volta a El Bolsón, partindo de Bariloche, ou para quem resolve passar mais tempo por lá!

Roteiro bate-volta (1 dia)

  • Manhã: Comece o dia com um café da manhã em algum café local. Experimente algumas especialidades argentinas como medialunas ou alfajores. Depois, vá até o centro da cidade para visitar o famoso Mercado Artesanal de El Bolsón.
  • Meio-dia: Pegue um lanche rápido ou um almoço leve e siga para a trilha do Cajón del Azul. Essa é uma das mais populares e leva cerca de 2 horas para chegar ao destino. É uma caminhada de dificuldade moderada, então esteja preparado.
  • Tarde: Chegada ao Cajón del Azul. Aproveite para tirar fotos, talvez dar um mergulho se o clima permitir, e apreciar a natureza. Inicie o caminho de volta por volta das 16h, para garantir que você retorne antes de escurecer.
  • Noite: Se você não vai dormir na cidade, pegue o ônibus para Bariloche no retorno da trilha, por volta das 18h. Caso contrário, aproveite para descansar um pouco no seu alojamento antes do jantar. A cidade tem várias opções que vão desde a culinária argentina até opções vegetarianas e veganas. E, se ainda tiver energia, considere visitar uma das cervejarias artesanais para fechar a noite.

Roteiro Básico (3-4 dias)

  • Dia 1: Chegada e reconhecimento da cidade. Visite o centro e o mercado de artesanato.
  • Dia 2: Faça uma trilha mais curta, como a que leva ao Cajón del Azul.
  • Dia 3: Explore os arredores, talvez uma visita ao Lago Puelo.
  • Dia 4: Tire o dia de folga das trilhas para visitar as cervejarias e se esbaldar nas marcas locais.

Roteiro Estendido (5-7 dias)

  • Dia 5: Dedique um dia para atividades como rafting ou pesca, se você curte.
  • Dia 6: Faça uma trilha mais longa ou visite outras atrações naturais.
  • Dia 7: Reserve para descansar em um spa.

Seguro de viagem para a Argentina

Contratar um seguro de viagem é essencial, ainda que seja para países tão próximos quanto a Argentina. Por mais que seja perto de casa, o melhor é viajar protegido para não sofrer com os imprevistos.

A boa notícia é que é possível contratar um bom seguro de viagem gastando cerca de 10 reais por dia. Para isso, recomendamos utilizar um buscador como o do Seguros Promo, que compara as principais seguradoras e garante que você encontre o melhor custo-benefício, de acordo com suas necessidade.

Além disso, leitores do blog tem direito a um cupom de desconto exclusivo: 360MERIDIANOS05. Veja algumas das ofertas abaixo e escolha o seu:

Seguro Viagem:
América do Norte
CORIS 100 USA BASIC +COVID19 CORIS 100 USA BASIC +COVID19
Assistência médica USD 100.000
Bagagem extraviada USD 1.000
*Valor referente a 7 dias de viagem.
AC 250 AM. NORTE COVID-19 AC 250 AM. NORTE COVID-19
Assistência médica USD 250.000
Bagagem extraviada USD 2.000
*Valor referente a 7 dias de viagem.
GTA 145 STUDENT GLOBAL USA & CANADÁ +COVID-19 GTA 145 STUDENT GLOBAL USA & CANADÁ +COVID-19
Assistência médica USD 145.000
Bagagem extraviada USD 1.200 (COMPLEMENTAR)
*Valor referente a 7 dias de viagem.

Onde ficar em El Bolsón: Dicas de hospedagem e hotéis

A maior parte dos hotéis e pousadas de El Bolsón ficam no centrinho, próximos à praça principal. Alguns estão um pouco mais afastados, em meio às montanhas e com vistas lindas dos arredores da vila.

A cidade oferece opções que atendem a todos os gostos e orçamentos. Se você é um amante do luxo, há hotéis com todas as comodidades modernas, de spas até restaurantes gourmet.

Para os viajantes econômicos ou aqueles em busca de uma vibe mais comunitária, os hostels locais são uma escolha popular e frequentemente organizam atividades e excursões. Mas se você quer algo mais próximo da natureza, não faltam opções de camping e eco-lodges.

E para os que buscam um meio-termo, pousadas aconchegantes e casas de aluguel oferecem um lar longe de casa. O importante é escolher um lugar que se alinhe com suas atividades planejadas e, claro, com seus valores—especialmente se você, como eu, está em busca de opções mais sustentáveis.

  • Posada del Buscador: Lugar aconchegante com linda vista para as montanhas. Diárias a partir de US$ 50.
  • Hostel La Casita Naranja: Hostel colorido e descolado, com excelente avaliação entre os hóspedes. Diárias a partir de US$ 21 para o dormitório.
  • Maktub Hosteria: Pousada moderna e renovada, com boa localização e bons preços. Diárias a partir de US$ 48.
  • Santuário Patagonia: Casa de temporada estilo container, com estacionamento, cozinha e terraço com vista para a montanha. Diárias a partir de US$ 60.
  • Buena Vida Social Club: Pousada de montanha com vista panorâmica da cordilheira. Tem uma sla de estar com lareira e decoração em madeira. Diárias a partir de US$ 100.

Encontre os melhores hotéis em El Bolsón

Qual a melhor época para visitar El Bolsón

El Bolsón pode ser visitada em qualquer época do ano, mas o tipo de atividade que você vai fazer por lá muito muito dependendo do clima. Veja abaixo qual é melhor pra você.

Verão (Dezembro a Março)

  • Clima: Mais quente e agradável, com temperaturas que podem chegar a 30°C.
  • Atividades: Ótimo para trekking, acampamento e outras atividades ao ar livre.
  • Vantagens: Dias mais longos para explorar a região.
  • Festivais: O verão é a época de vários festivais locais, incluindo festivais de música e arte.

Inverno (Junho a Setembro)

  • Clima: Frio, com possibilidade de neve.
  • Atividades: Esportes de inverno como esqui e snowboard são as estrelas da temporada.
  • Vantagens: Menos turistas, o que torna a experiência mais íntima.

Primavera (Setembro a Dezembro) e Outono (Março a Junho)

  • Clima: Moderado, mas pode ser imprevisível.
  • Atividades: Bom para trekking e para apreciar a flora local.
  • Vantagens: Menos turistas e preços geralmente mais baixos do que na alta temporada.

Quantos dias ficar em El Bolsón

A maior parte das pessoas vai e volta no mesmo dia, fazendo de El Bolsón um ótimo passeio bate-volta para quem está em Bariloche.

No entanto, se você gosta de trilhas ou pretende esquiar na região, considere passar mais tempo por lá. Esse é um destino fora do óbvio e pouco explorado na Patagônia. Veja sugestões de roteiro ali em cima.

Inscreva-se na nossa newsletter

5/5 - (2 votes)

Compartilhe!







Eu quero

Clique e saiba como.

 




Natália Becattini

Sou jornalista, escritora e nômade. Viajo o mundo contando histórias e provando cervejas locais desde 2010. Além do 360meridianos, também falo de viagens na newsletter Migraciones, no Youtube e em inglês no Yes, Summer!. Vem trocar uma ideia comigo no Instagram. Você encontra tudo isso e mais um pouco no meu Site Oficial.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

10 comentários sobre o texto “El Bolsón: o que fazer na vila hippie perto de Bariloche

  1. Muito bom. O presente relato continua atual, sendo ainda boa fonte de pesquisa para quem quer ir para essa região. Em 2020 vai ser minha a vez! Vou de carro do Rio de Janeiro, passando pela maior praia do mundo (do Sino); Cabo Polônio, no Uruguai, e depois toda a região da Patagônia (argentina e chilena), mas minhas joias de paradas mais longas, serão Cabo Polônio e El Bolsón. Os quase 12 mil km que vou percorrer, não são nada, diante do prazer de liberdade e bagagem cultural que pretendo adquirir. E estou na fila das 70 páginas de dicas!

    1. Olá Marcílio!

      Fico feliz que tenha gostado das dicas e que elas continuam atuais. Espero que sua viagem seja incrível e que você volte cheio de histórias para contar. Qqr dúvida, estamos aí!

      Abraços!

  2. Olá Natália, gostaria de saber mais sobre os valores, quanto custaria para ficar 5 dias nessa região, aproximadamente. Pois estou fazendo roteiro pela América Latina e pretendo conhecer essa região. Gracias, aguardo retorno.

    1. Raquel, não estou segura se tem ônibus direto de Buenos Aires. Como é um povoado muito pequeno, eu diria que não.

      Abraços

  3. Muito linda a cidade!Queria saber se você contratou o serviço para ir a El Bolsón com uma agência de Bariloche ou há linhas de ônibus de Bariloche que vão para El Bolsón? Obrigada!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.