fbpx

Escadaria Selarón: visita à rua mais colorida do Rio de Janeiro

Às vezes, apenas um pouco de criatividade já é capaz de fazer os olhos do mundo se voltarem para um lugar. Foi assim com caso Escadaria Selarón, no Rio de Janeiro.

Antigamente o gigantesco mosaico não passava de uma ruela sem graça que levava ao Convento de Santa Teresa, oficialmente batizada de Rua Manuel Carneiro. Mas graças ao trabalho incansável de um artista plástico foi, aos poucos, ganhando azulejos de todas as cores e vindos de toda parte do mundo. Hoje, o lugar é um dos pontos turísticos mais icônicos do Rio de Janeiro e cenário cobiçado para as fotos que levamos de lembrança.

Veja também:
Onde ficar no Rio de Janeiro – dicas de hotéis e bairros
O que fazer no Rio de Janeiro

A história da Escadaria Selarón

Tudo começou quando o artista plástico Jorge Selarón, um chileno que adotou a capital fluminense como casa, resolveu que a escadaria do Convento de Santa Teresa merecia um pouco de cor. Um azulejo aqui, outro ali, logo o local se tornou um grande mosaico.

Escadaria Selaron - Rio

No início, Selarón se ocupou em revestir os “espelhos”, aquela parte vertical dos degraus. Mais tarde, revestiu também os muros das casas, as rampas que ficam ao lado da escada e colocou algumas banheiras para servirem de canteiros de plantas.

Escadaria Selaron - RJ

Com o tempo, seu trabalho começou a chamar a atenção das pessoas e os turistas começaram a chegar. Entre eles, alguns nomes famosos, como o rapper Snoop Dog e a banda U2, que gravaram clipes no local.

Com a fama, azulejos do mundo inteiro começaram a chegar e Selarón continuou a compor a escadaria, num trabalho que durou quase 20 anos. Se não havia espaço para uma nova peça, ele arrancava os antigos sem nenhum remorso e colocava o presente no lugar.

Azulejo Escadaria Selaron - Rio de Janeiro

Azulejos Escadaria Selaron

Quando estava vivo, era comum que os visitantes o encontrassem por lá, enquanto ele colava os azulejos. Selarón costumava dizer que aquela obra era sua homenagem ao país que escolheu para viver. O artista morreu em 2013 em circunstâncias misteriosas, e seu corpo foi encontrado na própria escadaria.

Visita à Escadaria Selarón, no Rio de Janeiro

Escadaria Selarón - Rio de Janeiro

É perigoso visitar a Escadaria Selarón?

A Escadaria em si está sempre cheia e, por isso, costuma ser seguro visitá-la. Já a região na qual fica é conhecida por não ser das mais tranquilas da cidade, e relatos de assaltos a turistas por lá não são coisa rara. Por isso, é aconselhável fazer a visita durante o dia, quando o movimento turístico é grande, e não sair perambulando por ali sem saber onde ir. Nós chegamos lá por volta das 16h e ainda tinha muita gente.

Onde fica a Escadaria Selarón e como chegar lá

A escada liga a rua Joaquim Souza, na Lapa, ao bairro Santa Tereza.

Para chegar, você pode partir do Largo da Lapa pela Rua Theotônio Regatas até a Joaquim Souza. Depois de uma olhada atenta aos azulejos, aproveite para tomar uma cerveja em um dos bares próximos ou compre com um dos ambulantes e sente-se na própria escada.

Se você preferir, pode visitar a Escadaria Selarón em conjunto com outras atrações do centro em um tour guiado. Isso ajuda a otimizar o seu tempo na cidade. Aqui há uma opção legal que inclui também a Lapa e a Cinelândia. Já esse outro aqui permite que você visite a escadaria durante a noite, com segurança, e conheça a incrível cena musical da Lapa, acompanhado de uns bons drinks.

Onde ficar no Rio de Janeiro

Com uma cidade grande de locomoção complicada, acredito que procurar uma hospedagem perto do metrô é sempre uma boa ideia. Por isso, bairros como Ipanema, Copacabana, Flamengo e Botafogo são sempre boas pedidas de onde ficar no Rio.

Para uma descrição mais completa, leia nosso guia dos melhores bairros onde ficar no Rio de Janeiro.

Opções de hospedagem recomendada em Copacabana e Ipanema:

Embora tenham muitas atrações e bom acesso ao transporte público, é preciso ter cuidado ao se hospedar no Centro ou na Lapa, já que algumas ruas ali podem ser perigosas durante a noite. Se quiser procurar hotel nessa área, o Santa Teresa é um opção mais segura. Lá você ainda tem a chance de se hospedar em um belo casarão colonial.

Opções e hospedagem recomendada no Santa Teresa:

Encontre hotéis no Rio de Janeiro

Avalie este post

Compartilhe!







Banner para newsletter gratuita

Receba grátis nosso kit de Planejamento de Viagem

Eu quero!

 

 




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2 comentários sobre o texto “Escadaria Selarón: visita à rua mais colorida do Rio de Janeiro

  1. Parabéns pelo blog, to adorando os posts!

    Uma curiosidade bem interessante sobre a Escadaria de Selarón, mas que pouco é falada, pode ser até uma lenda, mas eu como Guia aqui no Rio acredito que seja real.

    O inicio da escadaria vem da mistura da inquietude artística de Selaron e uma tradição brasileira, durante as Copas do Mundo os Brasileiros costumavam pintar as ruas de Verde e Amarelo e dai Selarón fez uma Bandeira Grande que fica no Alto da Escadaria, em 94, quando Brasil foi Campeão Mundial pela 4ª vez.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.