fbpx

7 golpes mais comuns na Tailândia

Bateu aquele medo de cair em golpes na Tailândia? Não tem nada pior que perceber que foi enganado, ainda mais se a gente perde dinheiro nessa brincadeira. Ser vítima de um golpe durante uma viagem pode até mesmo estragar seu dia e tirar um pouco do brilho do país. E a internet está cheia de relatos do tipo.

E como turista é um bicho vulnerável em qualquer parte do mundo, não só  porque estamos num lugar onde não entendemos as regras, mas porque muitas vezes os viajantes são vistos como notas de dólares ambulantes pelos comerciantes locais.

Na Tailândia, esse risco é ainda mais acentuado, afinal o país tem uma moeda desvalorizada e o status de um dos maiores destinos turísticos do mundo. Para curtir as praias e a cultura local com tranquilidade, é preciso ficar atento a alguns golpes e tentativas de extorsão, atitudes que podem evitar muito estresse mais tarde.

Como informação é sempre nossa melhor amiga, estamos aqui para ajudar. Veja agora quais são os golpes mais comuns na Tailândia.

Veja também:
Dicas para planejar uma viagem para a Tailândia

Seguro Viagem: Ásia
AC 60 MUNDO (Exceto EUA) AC 60 MUNDO (Exceto EUA) Assistência médica USD 60.000 Bagagem extraviada USD 1.200 (COMPLEMENTAR) R$ 19/dia*
AC 35 MUNDO (Exceto EUA) AC 35 MUNDO (Exceto EUA) Assistência médica USD 35.000 Bagagem extraviada USD 1.200 (COMPLEMENTAR) R$ 18/dia*

Os 7 golpes mais comuns na Tailândia

O golpe do monumento fechado

“O palácio não abre hoje”, disse um estranho com terno que nos abordou no meio da rua. Estávamos indo em direção ao Palácio Real de Bangkok, mas poderia ser qualquer atração turística na Tailândia.

Por sorte, já tínhamos ouvido falar desse golpe antes, por isso apenas ignoramos o cara solenemente e nos dirigimos à entrada principal. Esse é um dos mais recorrentes golpes na Tailândia. Não é difícil encontrar quem viajou para lá e caiu, ou quase, nele. O Palácio, é claro, estava aberto naquele momento.

Caso a gente tivesse caído no papo, é provável que ele iria dizer que – por um acaso – conhecia um motorista de tuk-tuk que estaria disposto a fazer um tour pela cidade cobrando um precinho camarada. No final do dia, teríamos conhecido diversas lojas em Bangkok e lidado com vendedores insistentes. E o tal motorista teria embolsado comissões desses estabelecimentos.

Para evitar cair nessa, sempre confira na portaria da atração e consulte com fontes oficiais (mas cuidado, muitas vezes esses golpistas portam credenciais falsas).

Palácio Real de Bangkok

O golpe do aluguel de carro e motos na Tailândia

Turistas não podem dirigir na Tailândia, então o ideal é que você não tenha que contratar nenhum serviço de aluguel de carros por lá. Apesar disso, muitos turistas alugam motos para transitar pelos locais, em especial nas ilhas.

Por isso, se for arriscar mesmo assim, tome cuidado! Se o lugar exigir que você deixe o passaporte como garantia, saia de fininho. É provável que essa vai ser a última vez que você vai ver seu documento.

Além disso, motos e jet skis não costumam ter seguro obrigatório. Na hora de devolver, os proprietários podem exigir um quantia abusiva alegando pequenos danos, muitas vezes inexistentes. Em outros casos, os veículos alugados são roubados, algumas vezes pelas próprias pessoas que o alugam.

Os golpes das joias falsas

Você está dentro de um tuk-tuk, indo para uma atração turística qualquer. No meio do caminho, seu motorista faz uma proposta que você não pode recusar: ele acrescentaria, de graça ou por muito pouco, outro destino no roteiro. Pode ser um templo, um palácio ou um parque, não importa.

Só que, no meio do caminho, ele para com você em lugares estranhos e pessoas aleatórias aparecem para conversar. No meio da conversa, elas começam a falar sobre joias e pedras preciosas e sobre como é barato adquiri-las na Tailândia. E, vejam só, que coincidência! Eles têm algumas para vender para você ali mesmo. Se você cair, vai voltar para casa com lindos pedaços de vidro colorido.

O golpe dos preços abusivos

Não sei se é possível chamar isso de golpe, mas é uma prática comum em diversos países a instituição de um “preço de turista”. Em muitos casos, o valor cobrado para um estrangeiro é 10 ou mais vezes maior do que o normal.

Fique atento a lugares que não possuem os preços anotados ou peça para ver o cardápio em tailandês para comparar os valores. Uma variação desse golpe é utilizar uma taxa de câmbio pra lá de desvantajosa para você na hora de fazer as conversões entre baht e dólar.

O golpe da comida de Pombo

Nas proximidades do Palácio Real de Bangkok vivem algumas centenas de pombos. Quando passar por ali, talvez você receba sacos de comida para dar aos pássaros. Não aceite. Assim que o pacote estiver em suas mãos, o gentil estranho vai exigir alguns bahts por ele. Nem sempre poucos. Os valores cobrados por um saquinho de comida de pombo podem chegar a 1000 baths. Se você se recusar a pagar, a coisa pode ficar agressiva. Não se esqueça que esse é o país do Muai Thai.

grande palacio de bangkok tailandia 1

O golpe da polícia falsa

Se você for acusado de um crime que não cometeu, pode ser que tenha caído no golpe da polícia falsa. Vestidos com uniformes bem convincentes (ou não) e portando uma credencial falsa, o mais comum é que esses golpistas multem você por jogar guimba de cigarro no chão – o que, de fato, é punível por lá.

O valor normalmente começa com 5000 bahts, mas o “policial” pode reduzir se você protestar. Oficiais não negociam valores de multa, por isso fique atento a esses sinais. Em caso de dúvidas, peça para ser levado para a delegacia de polícia e lembre-se de que eles não podem te revistar em público.

O golpe do falso mercado flutuante

Uma das atrações turísticas mais famosas da Tailândia é o Mercado Flutuante de Bangkok. O que pouca gente sabe é que ele não fica em Bangkok, mas em uma cidade vizinha. A maioria das pessoas contrata um serviço de transfer para chegar até lá. Já li relatos de que, em alguns casos, esses transfers levam os turistas para um outro mercado nada a ver, longe pra caramba. Você só se dá conta de que está no lugar errado quando chega lá. E, como não há outro meio de transporte disponível, precisa pagar uma fortuna para voltar.

Procure contratar o serviço no seu hotel ou reserve com antecedência seus passeios em instituições confiáveis. Aqui você encontra uma lista com algumas delas.

 

O que fazer caso você caia em um golpe na Tailândia

Provavelmente você só vai perceber que caiu em um golpe algum tempo depois, quando o golpista estará rindo bem longe de você. Em outros casos, vai perceber na hora, mas estará em uma situação vulnerável, em que será difícil sair sem pagar o que te pedem.

Nessas situações, é importante não perder a cabeça para não se complicar ainda mais. Se não for possível simplesmente se afastar ou sair andando, tente negociar com o golpista para baixar o valor pedido por ele. Se você ver que não tem alternativa, entregue o dinheiro e, quando estiver em segurança, procure a polícia para prestar queixa ou procure um centro de atendimento ao turista.

Em hipótese alguma parta para o confronto físico e tente moderar o tom de voz.


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

16 comentários sobre o texto “7 golpes mais comuns na Tailândia

  1. Natália, fiz um post bem parecido, baseado neste e no que vivemos durante os 23 dias que passamos lá, na Tailândia. Este post inclusive está linkado com nosso blog.

    Quase fomos enganados pelo golpe do Templo Fechado!
    Gostei muito dessas dicas e achei que muita informação não é devidamente difundida. Joguei a publicação em grupos específicos do facebook e o que teve de gente distorcendo tudo o que eu disse, não está no gibi! É como se eu tivesse atacando o país e suas tradições.
    Mas o lado bom é que muitos agradeceram o alerta (pois essa era a finalidade, um alerta).

    Vou continuar seguindo essa linha. Vim aqui pra ver se “te atacaram” também…rsrs.

    Ainda bem que eu li sobre o golpe do templo aqui, pois o tailandês em questão era simpático demais. Quase nos enganou!

    Abração

    1. hahah Mônica, a internet é uma benção e uma maldição! O que tem de gente julgado os outros sem ler ou entender direito o que foi escrito é absurdo! Estamos sujeitos a golpes em qualquer parte do mundo, inclusive temos outro post aqui que conta de golpes e tem vários em Paris! Mas que bom que teve gente que entendeu que você só queria ajudar! Por enquanto não fui massacrada por aqui não haha

      Obrigada por linkar o post! 🙂

      Abraços!

  2. oi
    tudo bem ?
    gostaria de saber se conhecem alguém ( brasileiro ou não ) q fale a lingua local e português ?
    Alguém q tenham experiencia com fornecedores locais para assessoria em eventos.

    obrigada!

  3. Ola querida acompanho sempre seus comentarios e dicas,mas quero sua ajuda estou numa relaçao virtual com uma tailandesa,pergunto se sao boas mulheres para assumir uma relaçao a dois e se sao confiaveis,aproveito pra saber qual a forma mais economica de viagem ate Tailandia,um grande abraço Andre. [email protected]

    1. Olá André. Existem boas e más pessoas no mundo inteiro. O que eu posso dizer das tailandesas é que elas tem olhos escuros e cabelos pretos, não sendo muito altas. Sugiro que você vá de avião para a Tailândia ou arrume um emprego em um navio que vá para lá. Procure portos de mar e não de rios.

  4. Amei as dicas de vocês.
    Estou na Tailândia há 5 dias e fico até dia 01 de julho
    Já havia lido as experiências de vocês e vim preparada
    Estou em Chiang Mai
    E como segui seus conselhos vim com tudo arrumado com a agência e estou de olho aberto
    O povo daqui é maravilhoso e alegre.
    Passei por Bankok e amei
    Valeu e obrigada

  5. De todos os posts do site, esse foi o que mais chamou a minha atenção, talvez por ser uma pequena grande desconfiada rsrs

    E não me arrependi, pois o post está muito bacana.

    Esses golpes são muito frequentes? Os golpistas realmente estão por todos os lados lá?

    Abs.

    1. Ei Gabi, como o país é muito turista e pobre, tem que ficar bem esperto, pois o risco é grande, mas também não tem necessidade de ficar neurótica hehehehe

      Abraços

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.