Tags:
Atlas: Malaca, Malásia

Malaca, herança portuguesa na Malásia

Uma das coisas que eu acho mais interessante de aprender em uma viagem é a história dos lugares por onde eu passo. Por mais que a gente estude a vida inteira, é muito diferente ver a história sendo contada por prédios, monumentos e museus, no lugar das páginas de um livro.

Foi só viajando que eu entendi, por exemplo, a extensão do Império Português e como eles realmente influenciaram muitas culturas além da nossa, na época das grandes navegações. Saber eu sabia, mas entender e sentir isso, foi apenas quando eu pisei em lugares como Cape Town, Goa e Malaca.

Pastéis de Belém em Kuala LumpurA influência portuguesa é tão grande que encontramos pastéis de Belém à venda nos mercados de rua de Kuala Lumpur

Há mais ou menos 500 anos, os portugueses zarparam de Goa com cerca 1200 homens e 17 navios com o objetivo de conquistar um ponto estratégico na Península Malaia, de onde eles poderiam continuar sua expansão pelas Índias Orientais. Por ali, eles construíram fortes e igrejas, espalharam sua língua e sua cultura, expulsaram uns sultões e, mais tarde, foram expulsos pelos holandeses.

Muitos anos se passaram e hoje, a pequena cidade portuária de Malaca (em malaio, Melaka) é considerada Patrimônio Mundial pela UNESCO e a Cidade da Cultura e Herança Colonial da Malásia. As heranças, tanto da era portuguesa, quanto da holandesa, são visíveis a cada esquina.

Malaca, na Malásia

O passeio por Malaca começa na praça da Torre do Relógio, onde os holandeses deixaram sua marca com prédios de cor avermelhada. Dali, você pode seguir a pé para todos os pontos de interesse da cidade.

Praça torre relógio Malaca

Tuk tuk turístico em Malaca

O Centro Histórico tem um número inacreditável de museus, incluindo um Museu Islâmico e outro focado na arquitetura das casas de lá. A não ser que você tenha muito tempo, você vai ter que selecionar os que te interessam mais. Nós começamos pelo Maritime and Naval Museum. No formato de um navio, o museu narra a importância de Malaca como cidade portuária e a influência disso na economia e na cultura local. Espere ler muitos nomes portugueses durante essa visita.

Museu Marítimo de MalacaNão é um barco, é um museu

De lá, seguimos para a St. Paul Church, uma igreja em ruínas, construída pelos portugueses em 1521 e de onde se pode ter a melhor vista da cidade. A Porta de Santiago, o que restou do famoso forte “A Formosa”, é outra atração importante deixada pelos portugueses.

Forte portugues em malacaPorta de Santiago

O segundo museu que escolhemos visitar foi o Sultanate Palace, uma réplica de um palácio de Sultão do século 15, construído às margens de um lindo jardim.

Sultanate Museu MalacaSultanate Palace

Mas nenhuma visita a Malaca está completa sem um passeio pela Chinatown no fim da tarde. Ali você encontra alguns templos chineses, os melhores bares e restaurantes da região, além de lojas encantadoras com todos os tipos de souvenirs e presentes que você pode imaginar.

Chinatown Malaca

Informações turísticas sobre Malaca

Como chegar a Malaca

Ônibus saem de Kuala Lumpur de hora em hora e custam entre RM$8 e RM$12 (R$5 e R$7,50). Ônibus locais ligam a rodoviária à Praça do Relógio por apenas RM1 (R$0,60). Também é possível chegar via ônibus das maiores cidades do país, além de Cingapura. Não existe estação de trem em Malaca. A mais próxima fica em Tampim, localizada a 38km ao norte.

Quantos dias ficar

Você pode fazer de Malaca apenas uma day trip de Kuala Lumpur, chegando de manhã e voltando no final do dia, mas se você tiver mais tempo, é aconselhável passar uma noite lá e aproveitar a noite na charmosa Chinatown.

Quanto gastar

Entre $25 e $30, incluindo as passagens e entradas dos museus.

Onde Ficar

Se você optou por dormir em Malaca, o melhor lugar é em Chinatown.

Vai viajar? O seguro de viagem é obrigatório em dezenas de países e indispensável nas férias. Não fique desprotegido na Malásia. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício para o país – e com cupom de desconto.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Natália Becattini

Já chamei de casa a Cidade do Cabo, Chandigarh, Buenos Aires e Barcelona, mas acabo sempre voltando pra minha querida BH. Gosto de literatura, cervejas, música e artigos de papelaria, mas minha grande paixão é contar histórias. Por isso, desde 2011 viajo o mundo e escrevo sobre o que vi. Também estou no blog sobre escrita criativa Oxford Comma e compartilho minhas impressões de mundo também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

10 comentários sobre o texto “Malaca, herança portuguesa na Malásia

  1. Belo site. Gostei das fotos. Só gostaria de fazer uma ressalva. Logo abaixo da foto dos pastéis de Belém, tem uma passagem que diz “…logo em seguida, foram expulsos por jesuítas holandeses.”. De fato os portugueses foram expulsos pelos holandeses, mas nunca por jesuítas, pois nunca houveram jesuítas holandeses. Fora isso, parabéns.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.