Tags:
Atlas: Mamallapuram, Índia

Mamallapuram e os templos de pedra

Quando começamos este blog, não éramos experientes na arte de falar de viagens. Tanto que acabamos não escrevendo sobre alguns lugares que visitamos em 2012. A maior dessas faltas foi não falar em detalhes de Mammallapuram. Mas cá estou eu para corrigir esse defeito.

Mamallapuram, ou Mahabalipuram, é uma cidade praiana no Tâmil Nadul, um  estado da Índia. Fica a cerca de uma hora da capital, Chennai, mas é infinitamente mais agradável (e interessante). Porém, a praia não é o grande atrativo dessa vila, mas sim os enormes templos em pedra que se espalham pela região.

Acontece que essa pequena vila meio hippie é uma cidade muuuito antiga, que era um grande porto no comércio com a Grécia no primeiro século d.C. Mamallapuram manteve essa tradição de grande cidade portuária na época que a dinastia Pallava dominou o sul da Índia, no século 7 d.C. Muitos dos templos que você vê por lá vêm dessa época. Alguns deles são tombados como Patrimônio Mundial da UNESCO.

Mammallapuram

Além de ver templos e comer nos vários restaurantes agradáveis de Mamallapuram, foi lá que nós vivemos uma das maiores aventuras/experiências de quase morte de nossas vidas. Enquanto estávamos tirando um cochilo, pouco antes do almoço, a terra tremeu.

Não foi um mega terremoto, tanto que o Rafa e a Naty nem sentiram. Por isso, nem pensamos a respeito e fomos comer num restaurante que ficava de frente para o mar. Chegando lá, descobrimos uma multidão de indianos olhando para o oceano. Um deles nos avistou e resolveu nos avisar, com a voz mais calma do mundo, que o terremoto que sentimos tinha sido muito forte na Indonésia e que havia um alerta de tsunami.

Felizmente, a grande onda não veio, mas a forma como nós corremos por nossas vidas foi no mínimo muito engraçada. Contamos toda a história nesse post aqui.

Praia de Mamallapuram - Tamil nadu - India

A praia de Mamallapuram

Apesar desse tsunami nunca ter chegado, aquele gigante, de 2004, atingiu parte da cidade, especificamente uma ilha de pescadores na costa. A onda também gerou novas descobertas arqueológicas, uma vez que existe um mito de que o Shore Temple, que fica pertinho do mar, na verdade seria apenas uma de um grupo de sete pagodas que foram engolidas pela água ao longo dos séculos.

Quando o mar recuou cerca de 500m por causa do tsunami de 2004, moradores e turistas afirmaram ver uma linha de pedras enormes emergir temporariamente da água. Além disso, quando tudo passou, a onda deixou na costa algumas estátuas até então nunca vistas.

Então, o que fazer em Mamallapuram  (além de evitar Tsunamis?)

Shore Temple

shore temple mamallapuram

mamallapuram

Esse é o templo que eu citei no parágrafo acima. É o marco inicial da cidade, o mais antigo templo que você encontra lá, construído em 700 d.C. Como está dentro da área tombada pelo Unesco, é uma das poucas atrações que você precisa pagar para entrar. O ingresso combinado com as Pancha Rathas custa 250 rúpias (cerca de 10 reais).

Pancha Rathas

templos-em-Mamallapuram

pancha-rathas-mamallapuram

As Pancha Rathas, ou Cinco Carruagens, são um conjunto de esculturas em pedra de carruagens puxadas por diversos animais. Tudo datado do século 7.

Arjuna’s Penance

descend of ganges mamallapuram

Arjuna's penance Mamallapuram

Esse monumento tem esculturas numa enorme parece de rocha, de 30 metros de altura, mostrando o mito de criação do Rio Ganges. Por isso, também é conhecido como Descent of the Ganges. É gratuito.

Krishna’s Butter Ball

Mamallapuram-Krishna-Butter-Ball

Talvez você já tenha visto uma foto da Krishna’s Butter Ball (ou bola de manteiga de Krishna) sem saber que isso ficava na Índia. Outro dia, umas amigas me mandaram uma piada com a imagem do monumento. Lógico que eu tive que contar para todo mundo que eu já estive lá. Basicamente, é essa bola de pedra gigantesca que fica ali, paradinha a não sei quantos séculos.

Nos mesmo parque onde está a Butter Ball ficam alguns templos em pedra menores, dedicados a Ganesha, Vishnu, Trimurti e Krishna.

Museu de Esculturas

museu esculturas mamallapuram

É um museu pequenino – a entrada custa só duas rúpias – mas reúne diversas esculturas indianas. Não é muito bem cuidado, mas vale a pena dar uma passadinha se você tiver tempo.

Informações práticas

Para chegar em Mamallapuram, o jeito mais fácil é partir de Chennai, onde fica o aeroporto e estação de trem mais próximas. De lá, é só pegar um ônibus local (30 rúpias) – mas essa é uma missão para os mais aventureiros. Quem não precisa economizar pode pegar um táxi para fazer o trajeto de 50km. Sai entre 600 a 1000 rúpias.

mamallapuram 1

Para hospedagem, nossa dica é que você fique perto da praia, mas não na beira do mar. Faça questão de um hotel que tenha gerador, porque lá faz calor o ano inteiro e há quedas de luz programadas durante dia e noite. Veja opções de hospedagem no Booking.

Vai viajar? O seguro de viagem é obrigatório em dezenas de países e indispensável nas férias. Não fique desprotegido na Índia. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício para o país – e com cupom de desconto.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.