Tags:
Atlas: Varsóvia, Polônia

O que fazer em Varsóvia: roteiros de um, dois ou mais dias

Eu fui parar em Varsóvia por acidente. Ou melhor, por obra da aleatoriedade dos mecanismos de busca de passagens aéreas e, talvez, do destino. Foi saindo de lá que eu encontrei a passagem mais barata voltando para Barcelona entre os países que estavam a uma distância não muito grande de Berlim, onde eu trabalhei por dez dias para o meu projeto final da pós. Mais ou menos como acontece com todas as minhas viagens, eu deixei as circunstâncias decidirem. Porém, ao conversar com alguns amigos, logo me fizeram incluir Cracóvia no roteiro também. “Varsóvia não é tão legal”, eles diziam.

Meses depois de ter passado por lá, eu diria que Varsóvia é, na verdade, uma cidade castigada. Ao contrário da irmã, a capital da Polônia foi completamente destruída durante a Segunda Guerra. Ficou em frangalhos. E se reergueu em poucas décadas. Isso quer dizer que a cidade não tem apenas prédios mais novos e modernos e um centro histórico muito menor, ela também tem aquela coisa… aquela carga impalpável na atmosfera de um lugar que já sofreu muito. Isso a gente vê nas pessoas e na pouca vida que há nas ruas. Em muitos momentos, Varsóvia me passava vazio.

Ainda assim, é uma cidade que se reergueu. Segue tentando cobrir as rachaduras da guerra, sem jamais esquecê-las. E o faz com beleza e agilidade. Os palácios do governo dispostos ao longo da Rota Real, os museus históricos, o contraste entre a arquitetura antiga e moderna, tudo isso me leva a dizer que Varsóvia, de uma forma mais séria e formal, é sim um destino interessante, em especial para os apaixonados por História do século 20. Porque estar ali, no lugar onde tudo aconteceu, meus amigos, é um privilégio.

O que fazer em Varsóvia em um dia

Se você está apenas de passagem pela cidade, sugiro dar prioridade para a parte mais bonita de Varsóvia, que é Cidade Velha. Você pode começar pela Rota Real, um caminho de quase 4 km que liga o Castelo Real e o Palácio de Wilanów. Era esse caminho que os reis poloneses gostavam de fazer para ir de um ponto ao outro e ostentar toda sua majestade por ali.

O que fazer em Varsóvia: Rota Real

A rua, uma das mais importantes e bonitas da cidade, está repleta de lojas, restaurantes, prédios do governo e jardins. Na parte mais próxima do Palácio, que se chama Nowy Swiat, mas logo muda de nome para Krakowskie Przedmiescie, quando se aproxima do castelo. Você pode passear por toda a extensão, ou, se não tiver tanta disposição em caminhar, escolher só o trechinho mais perto do castelo, que é onde está a Cidade Velha.  Eu fiz o trajeto dessa forma pois meu hostel ficava próximo à essa rua, na parte perto do Palácio. Se for mais conveniente para você, também funciona fazer ao contrário: visitar a Cidade Velha primeiro e terminar com um passeio pela Rota Real.

Cidade Velha de Varsóvia: o que ver por ali?

Essa é a parte mais antiga da cidade e a que guarda as construções mais charmosas de Varsóvia. Se você veio pela Rota Real, ao chegar vai dar de cara com o Castelo Real (site oficial), um grande prédio de cor meio alaranjada. No passado, serviu de residência oficial dos reis da Polônia e também foi usado como sede do Parlamento. É possível visitar o interior do castelo (PLN 30,00, veja todas as informações para visita) ou apenas passar por suas áreas externas de graça. Foi o que fiz.
O que fazer em Varsóvia: Castelo Real

Ali, bem em frente ao castelo, fica a Coluna do Rei Zygmunt, um monumento erguido em homenagem ao tal rei que teve a brilhante ideia de mudar a capital de Cracóvia para Varsóvia. Se você prestou atenção, viu no pátio externo do Castelo uma coisa cinza escorada. Isso é o que restou do original da coluna depois dos bombardeios da Segunda Guerra. Não é muita coisa, não é mesmo? A que está hoje de pé, no meio da praça, é um réplica.

O que fazer em Varsóvia: Cidade Velha

Depois disso, você pode se embrenhar um pouco mais pela região e passear pelas velhas casinhas coloridas que formam o centro histórico. Dando as costas para o Castelo e seguindo em frente, entre uma ruazinha e outra você vai acabar topando com a Praça do Mercado, que é um espaço retangular cercado por restaurantes e lojas de souvenir. Esse é um ponto de encontro famoso na cidade.

Ali se reúnem grupos de amigos que querem bater um papo, vendedores, turistas, pombos e toda a fauna local. Bem no meio da Praça está uma estátua de uma sereia que remete ao mito fundador da cidade: um pescador chamado Wars teria capturado uma sereia em suas redes e acabou se apaixonando por ela. Ai você já sabe o resto: A sereia foi capturada por um mercador rico e mau, o pescador a salvou então, ela se tornou humana e adotou o nome de Sawa. Os dois viveram felizes para sempre naquela região e deram origem à cidade WarsSawa – Warsaw – Varsóvia.

Por último, não deixe de dar uma volta pela Barbican, a antiga muralha que protegia a cidade de invasores. Essa é uma parte muito bonita e bem preservada da Cidade Velha, repleta de bares e restaurantes e caminhos charmosos. Quem é de igreja também pode passar pela Igreja de St. John, perto da Praça do Mercado, onde eram enterrados os membros da realeza local.

O que fazer em Varsóvia: Barbican

Com um dia, você pode decidir passar todo o seu tempo perdido pelos becos, bares e restaurantes da Cidade Velha ou tirar uma horinha para visitar a segunda atração mais legal de Varsóvia.

O Museu do Levante de Varsóvia

A Polônia foi o país que mais sofreu com a Segunda Guerra. O acordo entre Alemanha e União Soviética para dividir o país terminou em 6 milhões de poloneses mortos. Acuada entre dois inimigos poderosos, a Polônia fez o que podia: resistiu. A história desse massacre e da brava resistência polonesa é contada no Museu do Levante de Varsóvia (PNL 14 / site oficial), um museu interativo que tem fotos, vídeos, depoimentos de sobreviventes, arquivos de áudio, réplicas de armas e objetos para reconstruir esse período sombrio da história. Como o museu fica um pouco afastado da Cidade Velha, sugiro usar transporte público para chegar lá. Você encontra todas as informações da visita no nosso post sobre o museu.

Museu do Levante de Varsóvia

O que fazer em Varsóvia em dois dias

Com um dia a mais no roteiro, você pode tirar a manhã para dar um volta no Parque Lazienki, que é grande e muito bonito, cheio de caminhos verdes, lagos e estátuas, entre elas uma famosa de Chopin, onde às vezes a galera se reúne para assistir a apresentações musicais. Lá dentro também fica o Palácio Łazienkowski, a velha casa de verão do último rei da Polônia.

Parque de Varsóvia

Saindo de lá, caminhe até o Palácio da Cultura e da Ciência. O prédio mais alto de Varsóvia, com mais de 230 metros de altura, foi construído pelos soviéticos durante a ocupação e é um marco da imposição da URSS no país. E, convenhamos, ninguém quer ter um monstro gigante desses plantado no centro da cidade nos lembrando o tempo inteiro de um pequeno massacre que aconteceu logo ali na esquina dessa grande rua chamada História.

Por isso, a construção não é muito amada por ali, principalmente pela população mais velha que tem uma relação mais emocional com as memórias da guerra. O edifício não é nada modesto. O exterior é revestido de estátuas de gente como Marie Currie e Nicolau Copérnico, e, entre eles, operários que carregam displicentes um livro com os nomes de Marx, Engels e Lenin. Antes, o nome de Stalin também aparecia ali, mas já foi apagado por motivos óbvios.

O que fazer em Varsóvia: Palácio da Ciência e da Cultura

Hoje, o prédio é um centro cultural com inúmeras opções de museus, exibições e entretenimento para os visitantes, um cinema, salas de conferências e palestras, universidades e teatros. Entre os lugares legais de visitar estão o Museu da Tecnologia e da Indústria (site oficial, fechado às segundas) e o 30o andar. Ali há um mirante que oferece uma boa vista da cidade.

O que fazer em Varsóvia com mais dias – outras opções de passeio

O Gueto Judaico

Maior gueto judaico da Polônia durante o Holocausto. Chegou a ser cercado com um muro durante três anos. O objetivo era impedir que seus moradores saíssem dali e forçá-los a viver em condições extremamente degradantes, sem acesso à comida, saneamento básico, coleta de lixo e remédios. O local chegou a abrigar 30% da população de Varsóvia, ao passo que só ocupava 2.4% do território da cidade. Foi ali também que nasceu a Revolta do Gueto de Varsóvia contra a ocupação Nazista. Aquela mesmo, contada no Museu do Levante. Quem se interessar pela história pode visitar o local por conta própria ou fazer um free walking tour pelo bairro.

Museu do Comunismo

Para quem tem interesse nessa parte da História da Polônia, esse museu fala da ocupação soviética no país e como era a vida cotidiana no regime comunista. Site oficial.

Museu de Chopin

Tem a maior coleção do mundo de objetos relacionados a Chopin. Um prato cheio para fãs de música clássica. Está localizado dentro do Castelo dos Ostrogski (Zamek Ostrogskich). Funciona de terça a domingo, das 11h às 22h. A entrada custa PLN 22. Site oficial.

Onde ficar em Varsóvia

Procurando hotéis para sua estadia? Temos um post bem completinho sobre os melhores bairros e regiões para ficar em Varsóvia.

Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países da Europa e pode ser exigido na hora da imigração. Além disso, é importante em qualquer viagem. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício e garanta promoções.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Natália Becattini

Já chamei de casa a Cidade do Cabo, Chandigarh, Buenos Aires e Barcelona, mas acabo sempre voltando pra minha querida BH. Gosto de literatura, cervejas, música e artigos de papelaria, mas minha grande paixão é contar histórias. Por isso, desde 2011 viajo o mundo e escrevo sobre o que vi. Também estou no blog sobre escrita criativa Oxford Comma e compartilho minhas impressões de mundo também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

18 comentários sobre o texto “O que fazer em Varsóvia: roteiros de um, dois ou mais dias

  1. Natalia, adorei seu roteiro. Estou indo à Europa em Abril e minha mãevquer ficar uns 3 dias na Polônia, pois minha avó era polonesa. Entretanto, não falo polaco, maa me viro com o inglês e o espanhol. Vou ter muita dificuldade por lá?

  2. Artículo muy interesante. La descripción realmente resalta el ambiente de Varsovia. Fui allí el mes pasado y tengo muy buenos recuerdos de ese momento. Lo que más me gustó fue la vida nocturna, especialmente el club de New Orleans, que fácilmente puedo considerar como uno de los mejores de Europa.

  3. Bueno, yo estaba en el club de New Orleans en Varsovia. Un lugar inusual. Un montón de buenas bebidas y hasta las mujeres más bellas. He estado en muchos otros clubes antes, pero nunca he visto un striptease así. Un verdadero placer para aquellos que les gusta el buen estilo.

  4. Obrigada pelas informações, moro em Stettin e estou procurando motivos para viagens aqui dentro da Polonia mesmo. Suas informações foram muito uteis e interessante. Próximo destino. E… boas viagens a você!

  5. Estou indo para Cracovia em novembro e de la seguiria para Praga, mas acabei por colocar Varsovia no Roteiro por uns 3 dias e depois seguir para lá! Amo a Europa e o leste me fascina ainda mais!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.