Tags:
Atlas: Bolonha, Itália

Os nove segredos de Bolonha

Mas 9? Não eram só 7?

Na internet não é difícil achar listas com os segredos que Bolonha esconde atrás de seus pórticos e prédios antigos. Fato é que seis ou sete deles são bastante conhecidos – muitos viajantes, universitários e cidadãos bolonheses falam sobre esses mitos e procuram eles pela cidade. O que não quer dizer que tais histórias sejam verdade…

Como nós do 360meridianos adoramos um bom mistério, reunimos neste post as curiosidades que nós encontramos em Bolonha – alguns dos segredos tradicionais e outros que nós descobrimos durante nossas pesquisas. Essas histórias ajudam a conhecer um pouco mais sobre essa cidade gorda, culta e vermelha, que tem história desde 1000 a.C.

Veja dicas de onde se hospedar em Bolonha

1. Cannabis

Amsterdam pode ser a cidade que ganhou muita fama por causa da maconha, mas é em Bolonha que você encontra um pórtico pintado com a frase “Cannabis Protectio”. Os mesmos dizeres estão escritos num mosaico no chão. Você pode até estar pensando, “Ah, esses universitários”, mas isso provavelmente está lá desde o século 17. No pórtico, que é todo decorado com folhas verdes de um formato suspeito, também é possível ler “Panis vita, Cannabis protectio, Vinum laetitia”, ou seja, “Pão é vida, Canabis é proteção, Vinho é diversão”.

canabis.jpg

Provavelmente a frase vem de uma época em que a maconha não era proibida na Itália, muito pelo contrário. Os bolonheses plantavam e consideravam a maconha uma substância para proteger o corpo. Você encontra esse pórtico na via Indipendenza, quase na Piazza Maggiore, do lado oposto ao McDonald’s.

2. Fontana del Netunno

Essa fonte enorme, feita de bronze pelo famoso Giambologna, tem um segredo que é uma zueira sem limites que o escultor aprontou com a Igreja. A escultura foi feita no meio século 16 e, reza a lenda, quando já estava praticamente pronta, o cardeal da cidade pediu para o Giambologna reduzir o tamanho do pênis do Netuno, que estava muito avantajado para a moral e bons costumes da época.

Netuno, Fonte em Bolonha

O artista pensou: “aff, essa igreja puritana!” e arranjou uma solução para o problema. Sim, ele diminuiu o tamanho do pênis do deus Grego. Mas, se você der uma voltinha na estátua vai perceber que, num certo ângulo, o dedo da mão esquerda de Netuno causa a ilusão de que a estátua está tendo uma ereção. Como se não bastasse essa afronta, as Ninfas na base da fonte jorram água pelos seios. hahahaha. Giambologna safadinho.

Fonte do Netuno em Bolonha

Fontana de Netunno em Bolonha, Itália

A Fontana del Netunno é facílima de encontrar, porque fica na Piazza del Netunno, no centro histórico da cidade. Para ver o controverso pênis de Netuno e só dar a volta na estátua até achar o ângulo certo – fica mais ou menos na altura da saída da Sala Borsa.

3. A torre mais alta

Esse aqui é meio polêmico, porque, tipo assim, ninguém nunca realmente encontrou esse segredo. Dizem que tem um vaso quebrado no topo da Torre Asinelle – aquela alta, que fica do lado da torre torta. Talvez ninguém consiga achar porque fica tão cansado de subir todos aqueles degraus que deixa passar o tal vaso. Mas sem evidência fotográfica, esse segredo está mais para mistério.

Torre Asinelli, em Bolonha

Também tem uma lenda que diz que os universitários que se atreverem a subir a Torre Asinelle não vão se formar. Já outra superstição diz que se um casal sobe a torre, o término é certo. Olha, eu desconheço alguém que vá em Bolonha e não suba a torre mais famosa da cidade, mas você escolhe se vale o risco.

Torre Asinelli, em Bolonha - Itália

4. Il Voltone del Podestà

Voltone = abóbada. Eu já falei desse segredo no outro post, mas vou explicar de novo e melhor. Embaixo do Palazzo de Podestà tem uma galeria com o teto em formato de abóbada, ou seja, um arco com quatro lados formando duas interseções. Seja lá porque motivo, a forma como essa estrutura foi construída tem um efeito acústico muito interessante. Se você sussurra em um dos cantos, o coleguinha do lado oposto vai conseguir ouvir sua voz.

Arcos Podesta em Bolonha, Itália

Uns dizem que esse truque era usado para os leprosos poderem se confessar. Outros, que ali era um bom ponto para juízes trocarem ideias sem ninguém mais ouvir o que eles diziam, tipo o prisioneiro. Seja lá o motivo, é uma brincadeira divertida.

Arcos Podesta, em Bolonha

O Voltone de Podestà fica na Piazza Maggiore, a principal da cidade.

5. A blasfémia com Maomé

Praça em Bolonha

Dizem que Maomé moveu montanhas, mas um dos artistas que pintou um afresco na Basílica de San Petrônio não considerava isso um grande feito. Dentro da enorme igreja existem 22 capelas. Na Capela IV, dos Magi, antiga família de Bolonha, fica um afresco chamado Céu e Inferno, inspirado na obra do nosso querido Dante Alighieri. O problema todo não é o Lúcifer gigante atormentando a vida de pobres almas perdidas na pintura. A blasfêmia é que o artista resolveu pintar o Maomé sendo torturando no inferno. E antes que você se pergunte “como você sabe que é o grande profeta muçulmano retratado ali?, eu já respondo: é que além de uma imagem valer por mil palavras, o artista também escreveu: Mohamed, do lado do corpo.

Mohameddemons2.jpg

Isso com certeza desagradou muito os muçulmanos, principalmente aqueles contemporâneos radicais da Al Quaeda. Eles já tentaram explodir a Basílica de San Petrônio uma vez, sem sucesso. Mas talvez seja por isso que você vai ver um carro do exército na entrada da igreja.

Exército em igreja de Bolonha, Itália

Bom, esse não é um dos segredos “oficiais” de Bolonha, mas sem dúvida foi um dos que eu mais corri para ver. Acontece que a igreja não é boba nada, e cobra para você ver de perto o tal afresco. Como nós somos pão duros, preferimos ver ele de longe mesmo.

6. Pequena Veneza

Também já comentei sobre isso no outro post. Você talvez não saiba, mas o complexo sistema de canais em Bolonha, datados do século 13, era um dos mais avançados na Europa para a época. O tempo foi passando, os canais foram perdendo a importância e foram sendo cobertos para dar lugar a ruas e casas.

Janela de Bolonha, Itália

Credito foto: Twice25/Wikimedia Commons

Mas sobrou um lugar para você comprovar que essa história é verdadeira. Uma pequena janela na Via Piella te mostra o Canale delle Moline. As construções antigas e o estreito caminho d’água fazem algumas pessoas se lembrarem de Veneza. Mas assim, numa boa, não tem nada no mundo igual Veneza. Sinto muito.

Ainda assim, dar uma olhadinha pela janelinha da Via Piella, número 2, é uma boa forma de ver um pedaço da história de Bolonha.

7. Seiscentos e sessenta e seis arcos

Essa é a conta. Para ir do centro da cidade até o Santuário da Madonna de San Luca você vai cruzar exatamente 666 arcos. Não, eu não contei isso tudo, até porque eu comecei o trajeto do meio e ainda assim terminei totalmente sem fôlego com a subida cansativa.

Portico San Luca em Bolonha, Itália

Mas o pórtico de São Luca, que é o maior do mundo, com quatro quilômetros de extensão, soma 666 arcos até o alto do morro. Sinceramente, eu não faço ideia de porque a Igreja Católica deixou que o longo caminho que leva até um santuário terminasse com o número do capeta. Mas a verdade é que os arcos estão numerados e é com um 6 triplo que eles terminam, bem na igreja.

Você pode conferir isso subindo todo o caminho desde o arco número 1, na Porta Saragozza ou usar o transporte público e subir uma parte e pagar um minibus que te leva até o topo.

8. As três flechas

Olha, confesso que não fui lá conferir esse segredo, mas todo mundo na internet jura que existe e tem fotos disso, então eu acredito. Esse é um dos segredos tradicionais de Bolonha. Na Strada Maggiore, uma das ruas da cidade, tem uma passagem de madeira medieval chamada Corte Isolani. Bem, no teto dessa antiga construção você pode achar três flechas fincadas.

Algumas lendas dão conta de como essas flechas foram parar lá. As lendas envolvem três homens munidos de arcos e uma linda mulher nua que fez os indivíduos erraram seu alvo. Uma das histórias diz que os homens eram ladrões que iam matar um lorde de Bolonha. Ao verem a mulher, se distraíram do ataque. Outra conta que a mulher era na verdade a esposa infiel do lorde e que os homens foram até lá para matar o amante, mas erraram o alvo com a visão da peladona.

Pelo que li nos comentários dos italianos, apesar da construção realmente ser antiga, as tais flechas são falso-histórico. Mas isso tanto faz, porque são um importante segredo da cidade.

9. Pão é resistência

Esse último é o mais bizarro dos segredos e só está aqui porque figura entre os tradicionais, apesar de nunca ter sido visto de fato. Dizem que a frase “panum resis” está escrita embaixo de uma das mesas da Universidade de Bologna, que foi fundada, vocês sabem, em 1088. Tipo assim, imagina quantas mesas já foram usadas nesse campus e quantos alunos já não picharam suas carteiras.

E, aliás, o que diabos significa essa frase? Pois é, aí que vem a parte mais bizarra da história: diz a lenda que a inscrição significa que o conhecimento deve ser a fonte de todas as decisões. Vocês desculpem a minha ignorância, mas eu não faço ideia de o que a resistência do pão tem a ver com isso.

Mas enfim, se alguém achar a tal inscrição original, juro que eu passo a acreditar nesse segredo.

O 360meridianos esteve em Bolonha a convite do projeto BlogVille Emiglia Romana, que reúne blogueiros do mundo todo para comer, sentir e viver como um local na Itália.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

8 comentários sobre o texto “Os nove segredos de Bolonha

  1. Olá Luiza, como vai? Apesar do post existir há um tempo, ele foi referência certa e precisa pra eu conhecer esses segredos de Bologna e acredito que posso contribuir com um. À respeito dos 666 pórticos da Basílica de San Lucca, um amigo meu daqui de Bologna, muito ligado à religião católica (por isso acredito em sua versão, rsrs), me contou que o número da besta é para simbolizar a serpente, que por sua vez, simboliza o mal. O fato curioso é que a Madonna, dentre suas várias representações, é retratada pisando sobre a cabeça da serpente, asfixiando-a e matando-a, sob a metáfora de que a Madonna é capaz de acabar com o mal. Por isso os pórticos são interrompidos no número 666 ao chegar no Santuário da Madonna de San Luca, como se a linha de pórticos representasse a serpente e o santuário, a própria Madonna que dá um fim à ela. Espero que me tenha feito entender, rs! Saudações bolonhesas.

  2. Curiosidade: a inscricão existente na via indipendenza existe não como uma frase avulso, antigamente ali funcionava o mercado da comune, e como não existiam vitrines aquelas inscricoes serviam pra sinalizar o que ali era comercializado. No caso, pão, vinho, canabis e flores (sim, existe um quarto).
    Outra curiosidade é que il voltone della podestà era onde eram executados os prisioneiros com pena de morte, e os juizes usavam a a magia das pilastres pra discutir o julgamento do acusado que ficava no meio sem ter nocão da sentenca que receberia.
    A torre AsinellI é uma das maiores curiosidades da cidade, não se sabe quem a construiu, a principeio se acredita que tenha sido apenas uma torre de sentinela de onde era possivel observar os incendios e invasoes que ocorriam na cidade (antigamente a torre tinha mais 68 metros que foram “tirados” em uma reforma). Porém as torres tem uma simbologia social na cidade, as familias quando ficavam ricas iam la e construiam uma torre pra mostrar o seu poder. Por isso não se sabe se foi uma obra meramente ostentuosa ou algo com um principio mais util.

    Nossa, tem tantas outras coisas que eu acho que precisaria de mais uns 3 comentarios pra dizer tudo.

  3. Olá 360 meridianos, eu sou a Gabi do ‘futuro’ blog Next Trip Lifestyle, um dia ele sairá do papel. Bom, primeiro gostaria de parabenizá-los pela iniciativa de deixar uma vida profissional que não os satisfaziam plenamente para trás e correr atrás do que realmente os realizaria, sou muito grata a decisão de vocês, pois o 360 é meu blog número 1 em viagens. Segundo, como eu sei que vocês são de BH, gostaria de pedir que se possível escrevesse um post mais ou menos como esse de Bolonha contando os segredos/ o imperdível de BH. Estou procurando um lugar aqui no Brasil mesmo para passar uma semana de férias em janeiro e me passou pela cabeça que talvez eu possa ir para lá. Grata. Gabi 🙂

    1. Oi Gabi,

      Espero que seu blog saia logo do papel =)
      Obrigada pelos elogios.

      Legal a sua dica, vamos pensar em alguma coisa a respeito sim, só não sei se BH tem tantos segredos quanto Bolgona, hehe Mas tem sim bastante coisa para fazer lá e nos arredores.

      bjs

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.