Passeios com elefantes na Tailândia: o que você precisa saber

Os passeios com elefantes na Tailândia fazem parte dos check-list de viagem de muitas pessoas que, ansiosas por ficar cara a cara com um dos animais mais simpáticos e amados do mundo, acabam por embarcar em excursões sem saber todas as questões éticas por trás de uma aparentemente simples atividade turística.

Porém, basta um olhar mais crítico para o tema para percebermos porque, na verdade, esses passeios causam mais mal que bem. Para satisfazer nossos caprichos de turistas, os elefantes passam por um treinamento que envolve tortura física e psicológica, são afastados de seus grupos ainda bebês e espancados regularmente. Veja agora algumas das razões pelas quais você não deve andar de elefante na Tailândia e algumas alternativas para ver de perto os bichinhos de forma ética.

Leia também: 
Dicas para planejar uma viagem para a Tailândia
Turismo com animais: como decidir o que é ético?

Passeios com elefantes na Tailândia

Passeios com elefantes e o turismo predatório na Tailândia

Na minha primeira visita à Tailândia, lá em 2012, saí do país com uma impressão não lá muito boa. Sabia que um monte de gente morria de amores e prometi que iria voltar para uma segunda chance. Voltei duas vezes. Com mais experiência como viajante, mais consciência sobre os limites do turismo ético e mais informação prévia e planejamento.

Nessas duas oportunidades, tive vivências completamente diferentes da primeira. Mas, no fundo, eu ainda acho que o país é um exemplo dos mais nítidos do que a exploração do turismo de massa, sem planejamento e políticas públicas apropriadas, pode fazer com um lugar.

Parece que as coisas perdem um pouco da autenticidade para virarem pega-gringo, como é o caso do famoso Mercado Flutuante. Ou que a exploração não respeita nenhum limite da ética e da sustentabilidade, como as boates de Phuket que são, na verdade, fachada para prostituição de adolescentes, e algumas atrações ao redor de Chiang Mai.

Quando chegamos em Chiang Mai, lá naquela primeira viagem, fomos logo procurar o que a cidade nos oferecia e fechamos um tour de um dia que incluía uma visita às mulheres-girafa, passeio de elefante e rafting. Super legal. Foi um dia muito divertido. Até a gente voltar para o Brasil e descobrir que não deveríamos ter feito o passeio.

Elefantes em Chiang Mai, Tailândia Elefante Tailandês

Nós já contamos aqui sobre as condições horríveis em que vivem as Kayan, as famosas mulheres-girafa, mas nunca relatamos outra parte questionável desse tour, o passeio de elefante. Nós, assim como milhares de outros turistas, subimos nas costas desses simpáticos paquidermes sem ter conhecimento das práticas cruéis às quais eles são submetidos durante o treinamento.

Elefante asiático: um animal em vias de extinção

Um dos maiores animais terrestres do mundo, o elefante asiático é, desde 1986, classificado como uma espécie em risco de extinção, uma vez que a população mundial caiu em 50% entre as últimas três gerações. Entre os motivos desse declínio, estão a caça e a destruição de seu habitat. De acordo com a ONG World Animal Foundation, um elefante é assassinado a cada 15 minutos.

A expectativa de vida de um elefante selvagem é de até 75 anos. Em cativeiro, eles vivem muito menos e não se reproduzem com a mesma frequência que os animais em liberdade.

Na Tailândia, estima-se que hoje existam cerca de 2000 elefantes selvagens no país. Um número extremamente baixo se considerarmos que, no início do século 20, a população ultrapassava os 100 mil. A maior parte dos animais existentes ali vive em cativeiro: são certa de 3500, sendo que 75% deles nasceram livres e foram capturados ainda bebês.

Elefante asiático na Tailândia

Muitos animais também têm sido contrabandeados do Myanmar. A estimativa é que um número entre 50 e 100 filhotes são levados do país vizinho para a Tailândia todos os anos, tudo para suprir a demanda turística.

Parte importante da história e da cultura tailandesa, no passado os elefantes eram utilizados como força de guerra, meio de transporte e animais de carga, auxiliando na construção de templos e abertura de florestas. De acordo com a legislação do país, esse tipo de atividade não é mais permitida, mas nada foi dito ainda a respeito do uso dos animas no turismo e no entretenimento.

Os maus-tratos envolvendo os passeios com elefantes na Tailândia

Com aquele tamanho, dá pra imaginar que o bicho não ia deixar qualquer um montar nele assim, na boa. Para que isso seja possível, eles precisam passar por um treinamento, ainda bebês. Esse treinamento é torturante. Os filhotes são afastados de suas mães e, muitas vezes, obrigados a conviver sem a companhia de outros de sua espécie, uma prática cruel por si só, já que o grupo familiar é muito importante para os elefantes.

Para destruírem os instintos e a natureza dos bichos, os treinadores batem com porretes e objetos perfurantes sem piedade durante dias a fio. Além disso, eles são privados de comida e sono por um bom tempo. Um elefante “treinado” custa até 20.000 libras no mercado negro. No vídeo abaixo, você pode ver como é o processo. Mas não aperte o play se tiver o coração sensível. As cenas são fortes.

nesse link, você lê uma entrevista com o fotógrafo Brent Lewin, que ganhou um prêmio com uma foto desse momento de tortura.

As agressões continuam durante toda a vida do elefante, embora não tão frequentes quanto no treinamento. Muitos deles vivem a vida inteira em condições insalubres, passando os dias acorrentados ou confinados em gaiolas onde mal podem se mover, sem alimentação suficiente ou tratamentos veterinários adequados, além de serem submetidos a jornadas de trabalho extenuantes.

O simples fato de carregar humanos no lombo várias vezes por dia, por exemplo, pode causar sérios problemas de coluna aos animais, que obviamente não foram feitos para esse tipo de tarefa.

A prática é uma das responsáveis pelo vertiginoso declínio da população de elefantes na Tailândia e um dos motivos pelos quais o elefante asiático é hoje considerado uma espécie em risco de extinção. Embora os passeios sejam muito populares na Tailândia, as práticas cruéis aplicadas nos treinamentos se repetem em outros países da Ásia, como o Nepal e a Índia.

Santuários de Elefantes na Tailândia: onde ver elefantes de forma ética

Sim, foi ingenuidade nossa. Afinal, era meio óbvio que coisas assim acontecessem, mas a verdade é que não pensamos nisso na hora e, naquele momento, nenhum de nós tínhamos informação o suficiente para questionar o passeio. Como não posso voltar no tempo e desfazer o que fiz, decidi que minha forma de retratação seria informar o máximo de pessoas possíveis sobre a verdade por trás dos passeios com elefantes na Tailândia. 

Grupos e ONGs se dedicam a resgatar animais submetidos a condições de maus-tratos em todo o país. Como não podem ser reinseridos de forma imediata na natureza, esses animais são enviados para Santuários de Elefantes, onde eles passam a viver em liberdade, ganham a companhia de outros elefantes e passam a receber alimentação e tratamentos adequados.

Passeios éticos com elefantes na Tailândia

Para serem considerados éticos, os passeios com elefantes na Tailândia devem garantir que os animais vivam em liberdade, formem grupos com outros elefantes, recebam comida e tratamento adequado, não sejam montados e não participem de espetáculos.

Nem todos os parques que se dizem santuários são realmente éticos, por isso é preciso tomar precauções: prefira visitar instituições que tenham o trabalho reconhecido internacionalmente, pesquise a respeito da instituição antes de fechar o passeio e desconfie de qualquer uso pouco natural para os animais: espetáculos, passeios e outras atividades do tipo estão fora de questão.

Se você quer muito ficar perto desses gigantes e apoiar o trabalho desses santuários sérios, aqui estão algumas opções éticas:

Elephant Nature Park, Chiang Mai

O Elephant Nature Park foi um dos primeiros santuários de elefantes no país e, ainda hoje, desempenha um importante papel na preservação dos animais, que vivem soltos em uma área de aproximadamente 100 hectares. Durante o passeio, os visitantes recebem explicações sobre a vida dos elefantes, as atividades desempenhadas pelo parque e tem a oportunidade de interagir com eles dando banho e comida.

As excursões ao Elephant Nature Park custam a partir de US$80 e incluem almoço. Você pode reservar o passeio ao Elephant Nature Park, com guia e traslado, através deste link.

Lanna Kingdom Sanctuary, Chiang Mai

Outro santuário localizado em Chiang Mai, o Lanna Kingdom Sanctuary é outra opção ética para aprender e interagir com os elefantes. Os visitantes tem a oportunidade de participar do tratamento dos bichos, dando banhos de lama, de rio e entregando comida nas trombas.

Você pode reservar o passeio ao Lana Kingdom Sanctuary, com guia e traslado, através deste link. Há opções de passeios de dia inteirou ou de meio dia, ambos incluem almoço.

Boon Lotts Elephant Sanctuary, Sukhothai

Fica a uma hora do aeroporto de Sukhothai e se dedica a criar um ambiente saudável e natural para os elefantes tailandeses. Atualmente abrigam 12 elefantes resgatados e situações extremamente cruéis. Essa é uma boa alternativa pra quem busca uma experiência imersiva: devido a sua localização, é preciso passar a noite no local. O Parque conta com uma vila para receber os visitantes. Informações sobre o passeio no site oficial.

Wildlife Friends Foundation, Phetchaburi

Abriga não apenas elefantes, mas outros animais resgatados de situações cruéis, como ursos, macacos, tartarugas e até cachorros. O objetivo é cuidar dos animais e, quando possível, reinserí-los na vida selvagem. Os visitantes podem caminhar pelo parque e observar os animais. Mais informações no site oficial.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Natália Becattini

Já chamei muito lugar de casa, mas é pra Belo Horizonte que eu sempre volto. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Além do 360, mantenho uma newsletter sobre o a vida, o universo e tudo mais, que eu chamo de Vírgulas Rebeldes. Vira e mexe eu também estou procrastinando lá no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

74 comentários sobre o texto “Passeios com elefantes na Tailândia: o que você precisa saber

  1. Só acho engraçado todo estardalhaço sobre os elefantes mas NINGUÉM liga pros cavalos! É bem claro que cavalos aguentam bem menos peso, afinal, são bem mais leves, aguentam no máximo 15% de seu peso e pesam em média 500kg, ou seja só aguentam 75kg e acima de 12 minutos seguidos já começa a machuca-lo…e todos sabem o tratamento para domestica-lo, mas todo mundo vai pra fazenda montar em um e acha bonito (Isso quando não montam 2 pessoas de uma vez e saem por ai), já viu o que o Freio causa no cavalo? E as ferraduras então?! Mas agora Elefantes não podem? Revolta Seletiva? Ou é só pra seguir essa modinha de criticar turistas que montam em elefantes para parecer um cult turista-eco?

    1. No fantástico mundo do Bob poderia até dar certo, parar de fazer ”turismo” com elefantes e então eles seriam soltos e se reproduziriam aos milhões novamente cantando Imagine, mas isso não ocorreria no mundo real! Vocês acham mesmo que estes bichos, que necessitam de muito espaço e muitaaa comida, teriam vez no Sudeste asiático, que está em acelerada expansão econômica? Eles teriam uma população 10x inferior ao atual, fora que muitos iriam parar é em zoológicos (Aposto que é muito melhor carregar pessoas no meio da selva e tomar banho no rio mesmo com chibatadas do que ficar em uma jaula de concreto 24hr/d 7d/semana! Olhem um video de um elefante de qualquer zoologico e depois olhem um video destes passeios de elefante na Tailândia e me diga qual você preferia ser)…fala sério

      1. Um cavalo de 500kg carregar um pessoa de 70kg é igual uma pessoa de 70kg carregar algo de 9kg nas costas! Um elefante asiático de 5.5 toneladas carregar uma pessoa de 70kg é igual uma pessoa de 70kg carregar algo de 890 gramas!! Ambos são ruins, claro, mas fala sério ahahha

        1. Parece aquelas pessoas que se revoltam com chineses comendo cachorro mas não param de comer uma boa bisteca, mesmo sabendo que porcos são tão inteligentes e empáticos (inclusive com humanos) quanto um cachorro…

      2. Sim, e por isso vamos continuar sequestrando e torturando os filhotes para que eles aceitem ser montados e os turistas possam seguir postando fotos no Instagram?

    2. Douglas, acho que muita gente liga pros cavalos, sim. Não sei de onde vc tirou essa ideia. Inclusive aqui já criticamos passeios com carroças em diversas ocasiões.

    3. Inclusive, a posição oficial desse blog é que não apoiamos nenhuma atração turística envolvendo animais. Temos que parar de achar que porque alguém não tentou resolver todos os problemas do mundo em um único post, qualquer questionamento é inválido. Os passeios com elefantes não se tornam mais aceitáveis porque os cavalos passam por problemas parecidos. Ambos são condenáveis.

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.